Em Fortaleza, Programa "Bem na Hora" funciona pela metade

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O programa ´Bem na Hora´ foi criado para melhorar a eficiência das viagens de ônibus em Fortaleza. Com gerência da Autarquia Municipal de Trânsito, Cidadania e Serviços Públicos (AMC), sete anos depois de sua implantação, ele funciona pela metade.

Agrada a quem está nas ruas, e desagrada a quem está nos terminais de integração ou no interior dos ônibus. É que, no primeiro caso, na maioria das vezes, o ônibus chega na hora marcada no relógio ou o atraso é mínimo, o que agrada aos usuários. No segundo caso, nos terminais de integração, ele simplesmente não funciona. O mesmo acontece nos ônibus.

Uma explicação encontrada para a desativação do "Bem na Hora" nos terminais, segundo a assessoria de imprensa da AMC, é que o contrato com a empresa responsável pela manutenção dos relógios acabou e deverá ser renovado em outros termos em um novo acordo.

O programa deveria funcionar bem. Desde 2004, conta com ônibus equipados com GPS; "semáforos inteligentes"; câmeras de vídeo nos terminais e embarcadas nos veículos; placas eletrônicas nas paradas para informar a previsão de chegada; painéis dentro dos ônibus para indicar a próxima parada, com recursos de áudio e imagem; e, mais recentemente, um site na internet disponibilizando as informações das placas que estão nas ruas.

Objetivos
O sistema, em sua origem, tem três objetivos básicos: informar o usuário, melhorar e dar prioridade ao transporte coletivo, e fornecer mais segurança à viagem, o que não vem acontecendo na realidade.

Existem pelo menos 35 placas espalhadas pelas 100 paradas cobertas pelo programa e no site ´Bem na Hora´ em Fortaleza - os números atualizados ainda não foram gerados pelo sistema da AMC.

Enquanto isso, nos sete terminais de integração, os aparelhos, vez por outra, dão sinal de vida e voltam a apagar sem gerar nenhuma informação aos usuários.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960