Metrô-SP será o 1º com sistema Driverless da América Latina

sexta-feira, 23 de abril de 2010


A tecnologia da Siemens vai possibilitar que circulem em São Paulo os primeiros trens de metrô da América Latina com o sistema driverless. A Siemens desenvolveu o sistema para os trens na Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo, que será operado pela concessionária ViaQuatro.

Trata-se do sistema de sinalização mais moderno do mundo para essa modalidade de transporte. É a primeira frota sem condutor baseada no conceito de automação integral em comunicação (CBTC). Essa solução permite a operação remota dos trens e um menor tempo de espera para o usuário na estação, reduzindo o intervalo de circulação entre as composições.

“Os usuários poderão circular entre um carro e outro, sem contar o aumento do conforto, segurança e rapidez, pois o tempo de espera será de aproximadamente 90 segundos”, afirma Rezier Possidente, gerente de Desenvolvimento de Negócios. A Siemens é líder mundial na tecnologia driverless, sistema que possibilita segurança, rapidez e pontualidade para o passageiro, além de eficiência da operação e manutenção.

Outra solução inédita no sentido da inovação tecnológica é o retificador controlado, que permite regular o consumo de energia para atender os trens, assim é possível utilizar exatamente a energia necessária evitando desperdício. Os trens terão, também, ar-condicionado, corredores articulados para permitir melhor acomodação e baixo nível de ruído. Haverá monitoramento por câmeras em tempo real que poderá ser acompanhado pelo Centro de Controle Operacional (CCO), além de um sistema de comunicação visual, em tempo real, com o usuário.

O fornecimento compreende, ainda, liderança técnica e administrativa, projeto, fabricação, fornecimento, montagem, testes e comissionamento do sistema de automação integral (TrainGuard MT CBTC), telecomunicações via rádio e pelo sistema SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition) – usado para aplicações em centros de controle operacional, cuja função principal é atuar rapidamente nas contingências, controle e supervisão. Além disso, a Siemens é responsável pela operação assistida, treinamento e serviços de manutenção em garantia.

Linha 4

Com 12,8 quilômetros de extensão, a Linha 4 terá 11 estações que serão entregues à população por etapas. O início da operação será em 2010 e, ao final desta primeira fase, seis estações estarão operando e transportando 700 mil passageiros. São elas: Paulista, Faria Lima, Butantã, Pinheiros, República e Luz. Até 2014 as outras cinco estações estarão em pleno funcionamento: Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia.

Olhando todos os fornecimentos em conjunto da Siemens para a Linha 4, pode-se dizer que esse foi um dos grandes fornecimentos da Mobility no Brasil. Com esses contratos, a Siemens gerou mais de 200 novos postos de trabalho, sendo boa parte de profissionais altamente qualificados na área de engenharia e parametrização dos sistemas, montagem, instalação, testes, manutenção e treinamento.

Fonte: STEFZS

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960