Briga entre empresas causa confusão em rodoviária de Brasília

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010


Fila, buzinaço, congestionamento, confusão. Foi esse o cenário encontrado por quem passou pela via N1, na altura da Rodoviária do Plano Piloto, entre 7h e 9h desta quarta-feira (6/1). Os transtornos foram ocasionados por excesso de ônibus. Isso porque três linhas iguais são operadas por duas empresas, a Riacho Grande e a Planeta. A última delas está irregular.

De acordo com funcionários da Viação Riacho Grande, a empresa tem direito às linhas 107, 114 e 116 (confira, abaixo, o itinerário detalhado) há 11 anos. Ao todo, 23 ônibus ficam responsáveis pela operação dos trajetos. Apesar disso, outros 23 carros da Viação Planeta operam as mesma linhas, desde a última sexta-feira (1/1). Foi isso que provocou a confusão desta manhã na rodoviária. Por conta da grande quantidade de ônibus, filas foram formadas e, como muitos veículos chegaram no mesmo horário, houve disputa por vagas nos boxes.

A Viação Planeta recebeu autorização do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), responsável pela coordenação do transporte urbano do DF, para começar a operar as linhas disputadas a partir de 1 de janeiro. No entanto, a concessão foi suspensa neste mesmo dia. De acordo com o DFTrans a decisão foi tomada porque se verificou a necessidade de fazer um estudo de viabilidade para a operação da empresa.
Apesar disso, a Planeta rodou com 23 ônibus nessas linhas. A reportagem do correiobraziliense.com.br entrou em contato com a Planeta, via assessoria de imprensa, mas a empresa ainda não apresentou um posicionamento sobre o ocorrido. Segundo o DFTrans, a Viação Planeta opera de forma irregular e a punição já é aplicada. Até esta terça-feira (5/1), 10 dos veículos destinados às linhas em questão já haviam sido apreendidos e levados ao depósito do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF).

Nesta quarta, foram mais seis, em um total de 16 veículos impedidos de circular. O DFTrans garante que a fiscalização vai continuar. O DFTrans informa, ainda, que o secretário Alberto Fraga pediu um estudo técnico para avaliar a possibilidade as duas empresas operarem as linhas. Porém, enquanto o estudo não ficar pronto, somente a Riacho Grande tem autorização para fazer os trechos.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960