Vila Velha apresenta soluções e metas para o trânsito para os próximos 4 anos

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Até quando será possível circular em Vila Velha? É possível solucionar os problemas de engarrafamento? Foram essas as questões principais discutidas nesta terça-feira (10) na apresentação feita pelo secretário de Transporte e Trânsito, Osvaldo Maturano, durante o Seminário de Mobilidade Urbana. O evento, que termina nesta quarta-feira (11), acontece na Faculdade Novo Milênio, por meio de uma iniciativa Associação dos Empresários de Vila Velha (Asevila).
O secretário apresentou os principais desafios da mobilidade urbana de Vila Velha e as soluções que estão sendo pensadas e implantadas. Já em licitação, por exemplo, está a sinalização indicativa turística do município, com investimentos de mais de R$ 2 milhões para o desenvolvimento sustentável do Turismo. Em fase de pré-licitação, está a implantação de estacionamento rotativo na Glória, com aproximadamente 300 vagas. Também em está em fase de pré-licitação está o serviço de fiscalização eletrônica. O secretário falou ainda sobre o trabalho de padronização de toda a frota de táxi de Vila Velha, que está sendo feito para oferecer maior qualidade e organização ao cidadão-usuário.Entre as soluções para os gargalos do trânsito e solucionar os engarrafamentos existentes nas saídas e entradas da cidade, está a implantação dos projetos viários metropolitanos Bigossi, Leste-Oeste, Carlos Lindenberg, Alça da Terceira Ponte e o Viaduto Carlos Lindenberg x Darly Santos.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Vila Velha está em ritmo de 4,5% de crescimento de sua população, enquanto o crescimento da frota de veículos cresceu 37,3% nos últimos quatro anos, segundo do Denatran, atingindo a média de um veículo para cada três habitantes.Para atender essa demanda acelerada, a Secretaria de Transporte e Trânsito está agindo com fiscalização intensiva sobre o transporte público e sobre o transporte clandestino e a adequação de linhas e horários dos ônibus municipais. A meta proposta é criar novas alternativas viárias para os eixos estruturantes e para ligação entre os eixos estruturantes, como o Canal Bigossi, a avenida Ana Merotto Stefanon, em Cobilândia, ligação da Grande Cobilândia com a região 5, dentre outras.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960