Em Curitiba, Controladores de acesso para evitar fura-catracas

quinta-feira, 6 de junho de 2019

As empresas de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, em parceria com a prefeitura da capital, começaram uma ação de conscientização nesta terça-feira (4) para coibir os chamados fura-catracas, que embarcam no transporte coletivo sem pagar.

Controladores de acesso foram contratados pelas empresas para ficar em estações-tubo onde ocorrem a maior quantidade de casos. A ação deve durar um ano, e os trabalhadores não terão locais fixos para ficar.

Nesta terça, houve distribuição de panfletos para conscientizar sobre a prática, que é crime.

Caso invasores ou atos de violência contra cobradores e motoristas sejam flagrados, a situação e será repassada aos órgãos de segurança pública, como a Guarda Municipal e a Polícia Militar (PM).

De acordo com o diretor-executivo, Luiz Alberto Lenz César, o custo da iniciativa será bancado exclusivamente pelas empresas e não terá impacto na tarifa técnica nem na tarifa para o passageiro.

“O crime acaba retardando investimentos na melhoria do sistema e deixando a tarifa mais cara para todos, o que não é justo”, disse.

As empresas estimam que anualmente o prejuízo causado pelos fura-catracas é de R$ 6 milhões, que são pagos pelos usuários.

Informações: G1 PR


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960