Grande Recife passará a contar com um ônibus movido a Gás Natural Veicular

terça-feira, 30 de agosto de 2016

A partir de outubro, o transporte público do Grande Recife passará a contar com um ônibus movido a Gás Natural Veicular (GNV) ou biometano, o que proporciona redução entre 70% e 85% na emissão de gases poluentes. A Capital pernambucana será a primeira cidade fora do eixo Rio-São Paulo a receber a novidade.

O veículo, de 15 metros de comprimento e capacidade para até 130 pessoas, passará por uma fase de demonstração e, se bem avaliado, poderá ser adquirido por empresas operadoras da região. Em médio prazo, segundo o fabricante, pode contribuir para o equilíbrio financeiro dos sistemas de transporte que o adotarem, o que pode ter impacto positivo nas tarifas pagas pelos passageiros.

Comuns na Europa há décadas, ônibus movidos a GNV ou biometano ainda não são realidade no dia a dia do transporte coletivo no Brasil. Entre outubro de 2014 e agosto de 2015, oito cidades chegaram a receber um veículo do tipo, sueco, mas apenas para testes. Em São Paulo, por exemplo, o custo do quilômetro rodado a gás foi 28% inferior ao do diesel, combustível que comumente abastece a operação rodoviária.

A partir de agora, novas demonstrações serão feitas, mas com um ônibus inteiramente nacional. O veículo foi exposto durante o Seminário Nacional NTU, encerrado ontem em Brasília. “Esse ônibus chama a atenção pela redução de custos operacionais por quilômetro rodado, além da diminuição da poluição sonora e de emissões”, diz o diretor de vendas de ônibus da Scania no Brasil, Silvio Munhoz.

Além de todos os benefícios pregados a favor do meio ambiente, o veículo é confortável ao passageiro: tem ar condicionado e entrada USB para carregar dispositivos móveis ao lado de todos os assentos. Um terceiro eixo de rodas, direcional, dá mais leveza às curvas. A questão é o investimento: 25% mais caro que o que geralmente é feito num ônibus movido a diesel, como os que circulam no Grande Recife.

Despoluir
Segundo a Urbana-PE, os ônibus que circulam pela Região Metropolitana do Recife deixaram de emitir 13 toneladas de dióxido de carbono na atmosfera no ano passado. Entre as ações que proporcionaram essa redução está a utilização do diesel S-50, que reduz bastante o teor de enxofre emitido no meio ambiente.

O combustível vem sendo utilizado no Recife desde 2011, em cumprimento a uma norma federal em vigor em algumas capitais do País. O diesel S-50 possui uma concentração de 50 partículas por milhão de enxofre, bem menos poluente que o S500 usado anteriormente.

A medição de gases emitidos pelos coletivos é realizada há nove anos pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor), por meio do Programa Despoluir, em parceria com a Urbana-PE.

Informações: Folha de Pernambuco
READ MORE - Grande Recife passará a contar com um ônibus movido a Gás Natural Veicular

Metrô-SP contrata consórcio para obra do monotrilho parada desde janeiro

O Metrô de São Paulo contratou um novo consórcio para tocar obras do monotrilho que vai ligar o aeroporto de Congonhas à Marginal Pinheiros e que estavam paradas pelo menos desde janeiro. Trata-se da construção de um pátio de manobras na Avenida Jornalista Roberto Marinho, nas proximidades da Avenida Washington Luís, e que é essencial para que a linha possa funcionar.
Foto: Karina Godoy/G1

As responsáveis pela obra serão as construtoras Tiisa, Triunfo e DP Barros, que receberão R$ 162 milhões para tocar a obra. O Metrô prevê emitir a ordem de serviço ainda nesta semana. Com isso, o consórcio terá um prazo de até 30 dias para começar os trabalhos. O prazo de vigência do contrato é de 24 meses.

A previsão atual do Metrô é colocar o monotrilho em funcionamento em 2018, quatro anos após a previsão inicial do governo de São Paulo de inaugurar o serviço em 2014.

Diversos atrasos dificultaram o andamento das obras do monotrilho, e as frentes de trabalho foram totalmente paralisadas nos últimos 12 meses por problemas na execução dos contratos. A construção de estações já havia sido retomada em junho e, agora, o Metrô faz um novo contrato para a retomada da construção do pátio de manobras. A assinatura foi na última quinta-feira (25).

O Metrô tenta ainda retomar a construção dos pilares e da via em si, já que o contrato está em renegociação judicial. 

A Linha 17-Ouro terá 7,7 km e 7 estações. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) congelou a construção dos outros trechos previstos para a linha e que atenderia regiões da periferia. Um deles iria da Estação Morumbi da CPTM e passaria por Paraisópolis e pelo estádio do Morumbi. A outra ligação começaria na Vila Santa Catarina, perto do aeroporto de Congonhas, e chegaria à Estação Jabaquara, da Linha 1-Azul.

Atrasos
Em janeiro, a companhia do metropolitano anunciou o rompimento do contrato com o Consórcio Pátio Monotrilho, responsável pelo pátio de manobras, e trocou acusações com a empresa Andrade Gutierrez, alegando abandono dos canteiros. Já o consórcio afirmou que o Metrô era o responsável pelos atrasos e que não fornecia, por exemplo, projetos executivos necessários à obra. O Metrô negou.

monotrilhos
Uma das dificuldades para retomar a construção do pátio de manobras foi a declaração de inidoneidade da empresa Mendes Júnior pelo governo federal nas investigações da Operação Lava Jato. Assim, a Mendes Júnior, que tinha sido a segunda colocada na licitação para a construção do pátio de manobras, não pôde assumir a obra. O consórcio contratado agora, formado por Tiisa, Triunfo e DP Barros, tinha ficado em terceiro.

O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, prevê que o monotrilho  deverá funcionar apenas com operação assistida em 2018. Isso significa que os trens deverão operar inicialmente apenas em parte do dia, possivelmente em intervalos de menor fluxo.

"Em 2018 ainda a gente quer ter trens sendo testado, pelo menos trens sendo testados, pelo menos operação assistida, com as obras já concluídas", afirmou Clodoaldo Pelissioni ao SPTV. A operação comercial, ou seja, durante todo o dia, é uma "possibilidade", segundo o secretário. "Vamos trabalhar para isso".

A operação assistida também foi adotada no trecho já inaugurado do monotrilho da Zona Leste, a Linha 15-Prata. A linha fucinonou em horário reduzido por cerca de um ano, entre 2014 e 2015, no trecho entre as estações Oratório e Vila Prudente.

Por Márcio Pinho
Informações:  G1 São Paulo
READ MORE - Metrô-SP contrata consórcio para obra do monotrilho parada desde janeiro

No Recife, Linhas 167 - TI Tancredo Neves (IMIP) e 193 - TI Tancredo Neves (Rua do Príncipe) se unificam aos domingos


As linhas 167 - TI Tancredo Neves (IMIP) e 193 - TI Tancredo Neves (Rua do Príncipe) irão se transformar na linha 167 - TI TCN (IMIP/Príncipe), a partir do domingo (28). A ação será realizada pelo Grande Recife Consórcio de Transporte e acontecerá apenas aos domingos para melhorar o serviço dos usuários que utilizam as duas linhas e que têm como destino o Imip e a Rua do Príncipe. 

Confira abaixo, o percurso que a linha irá realizar:

Terminal/Ponto de Retorno:
TI Tancredo Neves; Avenida Sul; Rua João Fontes; Av. Mal. Mascarenhas de Morais; Ponte Motocolombó; Av. Sul; Trav. Padre Azevedo; Ponte Poeta Joaquim Cardozo; Rua dos Coelhos; Rua Dr. José Mariano; Rua da Aurora; Rua João Lira; Av. Visconde da Suassuna; Rua Carlos Chagas; Av. João de Barros; Rua do Príncipe; Rua Princesa Isabel; Rua do Sol; Praça da República; Avenida Dantas Barreto.

Ponto de Retorno/Terminal:
 Av. Dantas Barreto; Av. N. S. do Carmo; Av. Martins de Barros; Cais de Santa Rita; Terminal de Santa Rita; Travessa do Forte; Rua São João; Av. Sul; Rua da Paz; Largo da Paz; Pte. Motocolombó; Av. Mal. Mascarenhas de Morais.

Para mais informações, os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente, no 0800 081 0158. 

Informações: GRCT
READ MORE - No Recife, Linhas 167 - TI Tancredo Neves (IMIP) e 193 - TI Tancredo Neves (Rua do Príncipe) se unificam aos domingos

Em São Bernardo, Corredores só ficarão prontos em 2020

Anunciada em abril de 2012 pela Prefeitura de São Bernardo como um dos maiores investimentos na área de Mobilidade Urbana, a construção de 11 corredores de ônibus e quatro terminais na cidade só será efetivada em meados de 2020. De acordo com o secretário de Transportes e Vias Públicas, Oscar José Gameiro Silveira Campos, o atraso na entrega dos projetos, prevista inicialmente para este ano, ocorre após a administração municipal enfrentar problemas com os projetos técnicos e também atraso no repasse de verba.

Principal carro-chefe do segundo mandato do prefeito Luiz Marinho (PT), o Programa de Transportes Urbanos, que prevê aporte de US$ 250 milhões (cerca de R$ 817 milhões), tornou-se ao longo dos últimos três anos um verdadeiro calcanhar de Aquiles para São Bernardo. Passados quatro anos do anúncio do projeto, nenhum dos corredores e terminais de ônibus propostos foi finalizado. Para agravar a situação, a expectativa do Paço é a de entregar as primeiras intervenções somente em 2017, já na próxima gestão municipal.

“Infelizmente enfrentamos no meio do caminho uma crise econômica que dificultou o repasse de verbas. Vale destacar que as principais construtoras do País, com experiência nesse segmento, estavam envolvidas com escândalos. Tudo isso foi um agravante”, ressalta.

Na prática, dos 14 projetos previstos pela administração municipal somente três estão com obras em andamento: corredores Leste-Oeste e Alvarenga e também o Terminal Alves Dias. Todos que tinham projeção inicial para serem concluídos em 2014 só devem ser entregues no próximo ano.

“No caso do Terminal Alves Dias, por exemplo, tivemos um problema no andamento da obra, após operários verificarem uma contaminação do solo que deixou as intervenções paralisadas por três meses”, afirma o secretário.

Embora municípios ainda enfrentem dificuldades para conseguir liberação de aporte federal, a partir do próximo ano as demais obras devem ser iniciadas, na avaliação de Campos. “Muitos projetos já estão concluídos e a perspectiva é a de que nos próximos meses suas licitações sejam abertas”, avalia.

Segundo o secretário, o novo cronograma do Paço estima que em cinco e seis anos todos os projetos estejam concluídos. “Acredito que em 2020 cerca de 90% dos corredores e terminais já estejam entregues à população”, afirma.

Dentro do Programa de Transporte Urbanos estão inclusas as construções dos corredores Faria Lima, Jurubatuba, Montanhão, Ferrazópolis, Rotary, Capitão Casa, Castelo Branco, Galvão Bueno, João Firmino e Senador Vergueiro, além dos terminais Alves Dias, Batistini, Vila São Pedro e Rudge Ramos.

Congestionamentos viram rotina em vias do município

Com frota diária de aproximadamente 620 mil veículos circulando por seu território, São Bernardo registra diariamente cerca de 21 pontos de congestionamento nos horários de pico (entre 6h30 e 8h30 e das 17h30 às 19h30). Dados de 2015, repassados pela Prefeitura, apontam que o trânsito parado nestes dois períodos chega a 35 quilômetros de extensão, podendo ser maior nos dias de chuva.

Se a situação das vias do município já não era favorável antes da administração municipal iniciar obras em seu sistema viário, depois das intervenções saírem do papel o cenário de caos na cidade agravou ainda mais. Diariamente motoristas precisam testar sua paciência em ruas fechadas parcialmente em virtude da presença de maquinários.

A Estrada dos Alvarenga é um exemplo das dificuldades enfrentadas por moradores da cidade todos os dias. As obras que se espalham em diversos trechos da via têm causado gargalos constantes na região.

Mesma situação de congestionamentos é encontrada nas avenidas Newton Monteiro de Andrade, Samuel Aizemberg, José Odorizzi e Tiradentes, onde estão sendo executadas obras do Corredor Leste-Oeste. Sem opções de caminhos alternativos, motoristas são obrigados em muitas vezes a dividir uma única faixa com motos, carros, transporte coletivo e ciclistas.  

Por Daniel Macaíro
Informações: Diário do Grande ABC
READ MORE - Em São Bernardo, Corredores só ficarão prontos em 2020

Em Manaus, Terminal de Integração da Cachoeirinha funcionará como Estação de Conexão

A Prefeitura de Manaus vai entregar, na próxima quarta-feira (31), a Estação de Conexão 2, a C2, na Cachoeirinha, zona Sul. A partir de quinta-feira (01) o espaço, que funcionava antes como Terminal 2, T2, vai funcionar como estação de conexão e a troca de ônibus, sem o pagamento de uma nova passagem, ocorrerá exclusivamente mediante o uso de cartões Passa Fácil. De posse de qualquer um dos cartões – Estudantil, Vale Transporte e Cidadão – os usuários podem utilizar o sistema de integração temporal no intervalo de 120 minutos.

Desta forma, a estação, que antes funcionava como um terminal fechado, onde os usuários realizavam integração física, será aberta e transformada em área de conexão.

Das 59 linhas que anteriormente passavam pelo T2, 24 circularão por fora, nos pontos de parada localizados nas avenidas Carvalho Leal e Itacoatiara, da mesma forma como está funcionando atualmente.

A implantação da estação C2 em substituição ao terminal de integração T2 é indicada como uma das ações (Ação 1.4.3) do programa de reestruturação da rede de transportes coletivo, dentro da diretriz de requalificação do serviço, definida na Lei municipal nº 2.075, de 29 de dezembro de 2015, que instituiu o Plano de Mobilidade Urbana de Manaus (PlanMob). Assim, o funcionamento da estação C2 é uma primeiras ações realizadas pelo munícipio previstas no PlanMob após a sanção da lei municipal da mobilidade.

De acordo com os estudos do PlanMob, dentro do conceito de rede integrada de transportes, o terminal de integração física se aplica aos situados em áreas periféricas, onde existem linhas alimentadoras que cumprem o papel de levar os passageiros dos bairros de origem até o terminal, a partir de onde saem as linhas troncais para acessar as principais regiões da cidade.

O antigo T2 foge desse conceito, visto que ele está localizado em um ponto de passagem das linhas, funcionando, portanto, como um ponto de transferência na área central, permitindo a conexão de deslocamentos para as demais zonas da cidade.

Além disso, a operação da C2 deve incentivar o usuário do transporte coletivo a optar pelo pagamento da passagem utilizando os cartões passa fácil, sendo mais uma das ações indicadas na diretriz de requalificação do transporte.

Conforme demonstrativo de passageiros do sistema do último mês de junho, em Manaus, 48% dos passageiros pagam a tarifa com o cartão. Destes, 20% são do Cartão Estudantil, utilizado para o pagamento da meia-passagem, que não é mais aceita em dinheiro, 25% do Vale-Transporte fornecido como benefício pelo empregador, e apenas 3% do Cartão Cidadão, aquele acessível a qualquer usuário que faça a opção de pagar por meio eletrônico.

O pagamento eletrônico da passagem oferece vantagens não apenas ao usuário que passa a ter o benefício da integração temporal, mas também para todo o sistema de transporte, visto que diminui a circulação de dinheiro dentro do ônibus, o que desfavorece a ocorrência de assaltos e agiliza o embarque, já que não é preciso aguardar o recebimento do troco.

O superintendente municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, destaca que a utilização da integração temporal entre as linhas que utilizavam o antigo T2 já tem sido uma prática dos usuários desde quando o terminal foi interditado para o início das obras de recuperação.

“Como o terminal ficou fechado, as linhas passaram a fazer o embarque e desembarque nas vias do entorno do antigo T2 e os usuários precisaram, desde então, utilizar os cartões para fazer a integração. Então, não é algo novo. O que vai mudar é que os usuários vão poder aguardar os coletivos com comodidade, em um espaço com estrutura totalmente recuperada e não mais nos abrigos provisórios”, explicou.

Para facilitar o acesso dos usuários, a compra de créditos também pode ser realizada pela internet, no site http://passafacil.sinetram.com.br/sbe-web/login/login.html.

Confira como será a circulação das linhas de ônibus na C2 e ao redor

Linhas que circularão dentro da Estação de Conexão C2

001,004,010,013,122,409,418,457,458,460,461,502,507,515,517,519,601,  604,605,608,611,612,614,616,619,621,624,650,651,705,708,711,713,714,715.

Linhas que param na avenida Carvalho Leal, sentido Bairro/ Centro (DB Supermercados)

110,115,0116,118,128,129,212,217,323,358,403.

Linhas que param na avenida Carvalho Leal, sentido Centro/Bairro (em frente ao Laboratório Fal)

304,328,329,350,351,414,423,446,550

Linhas que param na rua Itacoatiara, sentido Bairro/ Centro (em frente a Igreja Universal):

542,671,677,680.

Informações: A Critíca
READ MORE - Em Manaus, Terminal de Integração da Cachoeirinha funcionará como Estação de Conexão

Em BH, Motoristas de ônibus fazem dupla função com a retirada de cobradores

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Mais do que polêmica, a decisão das empresas de ônibus da capital de manter o transporte coletivo sem cobradores aos domingos e feriados em linhas do sistema Move pode gerar demandas judiciais. Na falta do agente de bordo, cabe ao motorista assumir também a atividade do profissional, que inclui desde a cobrança da tarifa até o auxílio a passageiros. Dessa forma, o motorista estaria acumulando funções, o que, segundo as leis trabalhistas, é algo irregular.
Wesley Rodrigues

O acúmulo ocorre quando você é contratado para uma função e, além dela, você exerce uma gama de outras atividades que evidenciam a realização de outra função ou cargo. Isso é bem claro no caso de um motorista assumindo as atividades de um cobrador. São funções distintas e os trabalhadores devem reivindicar seus direitos”, explica Antônio Queiroz Júnior, advogado e mestre em direito do trabalho.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH) defende que a circulação sem os cobradores nos ônibus das linhas troncais do sistema BRT Move, em horário noturno, domingos e feriados encontra amparo na Lei 10.526, de 3 de setembro de 2012.

Por meio de nota, o sindicato informou que “a retirada do agente de bordo somente é realizada em linhas troncais e em horários em que sua presença não é necessária, em razão da baixa utilização dos veículos, podendo o agente de bordo retornar ao serviço, caso seja verificado aumento de usuários que justifique a sua presença, ainda que seja domingo ou feriado”.

Irregular

Para o especialista em direito do trabalho, o fato de haver uma lei municipal que prevê a ausência de cobradores não justifica a medida. “A lei não isenta a empresa de ações trabalhistas porque não é competência do município legislar sobre questões trabalhistas. Essa é uma atribuição da União, pura e simplesmente. As empresas estão criando um passivo trabalhista enorme”, alerta Antônio Queiroz.

Segundo o advogado, não há um consenso do Tribunal de Justiça de Minas sobre ações de acúmulo de funções. Cada caso é avaliado de acordo com suas peculiaridades e provas apresentados. Também não há entendimento sobre valores a serem recebidos. O percentual de 30% por acúmulo de função é apenas um senso comum.

Nesse caso, para um motorista fazer a função de um trocador, deveria haver uma cláusula no acordo coletivo da categoria prevendo tal situação com o devido aumento salarial. “Bastaria uma intervenção do sindicato nesse sentido para que isso deixasse de ser irregular. Mas o sindicato não atua dessa forma porque não é do interesse dele, já que representa motoristas e cobradores e não quer a demissão dos cobradores”, avalia o especialista.

Empregos mantidos

O SetraBH nega que há possibilidade de desligamento de funcionários. “A medida não é ‘estudo’ ou ‘teste’ para a sua adoção em outras linhas e não traz risco de demissões ao sistema de transporte coletivo urbano por ônibus de Belo Horizonte”, diz a nota encaminhada pelo órgão.

Ainda de acordo com o sindicato, não há qualquer intenção de suprimir o agente de bordo de todo o sistema de transporte coletivo da capital mineira. A mudança também não teria trazido prejuízo à qualidade do serviço prestado à população da cidade.

Apesar de tentativas reiteradas, a reportagem do Hoje em Dia não conseguiu contato com o representante do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte e Região Metropolitana (STTRBH) responsável por falar sobre o assunto.

Informações: Hoje em Dia
READ MORE - Em BH, Motoristas de ônibus fazem dupla função com a retirada de cobradores

Empresários buscam soluções para reduzir tarifa do transporte coletivo do Brasil

Em todo Brasil, o transporte coletivo convive com os mesmos problemas apontados pelo setor na região metropolitana de Goiânia, principalmente, quanto à queda do volume de passageiros e na falta de investimentos do setor público na área. O assunto está em debate no Seminário Nacional de Transporte Urbano 2016, realizado nesta terça, 23, e quarta, 24, em Brasília. No evento, a Associação Nacional de Transporte Urbano (NTU) divulgou uma pesquisa sobre o transporte público como direito social.

Na pesquisa, os entrevistados concordaram que o financiamento do direito reconhecido pela Emenda Constitucional deve ser feito por recursos públicos e pela criação de um novo imposto sobre a venda de combustíveis. 

Apresentada pela deputada federal Luíza Erundina, ex-prefeita de São Paulo, a Emenda Constitucional que torna o transporte público um direito social é citada como um grande avanço no setor, mas que precisa de evoluir com a aprovação de recursos públicos para a garantia do serviço.

No evento, foram apresentados os dados da pesquisa "Transporte Público como Direito Social", feita com estudiosos da área, pesquisadores, líderes, integrantes das várias esferas de poder e parlamentares de todo o Brasil para um diagnóstico do setor e apresentação de soluções.

O transporte coletivo foi considerado ruim ou péssimo por 50% dos entrevistados e regular por 40%, segundo o relatório apresentado e comentado pelo presidente da NTU, Otávio Vieira. "Falta planejamento, gestão e recursos do poder público", disse. Ele reforçou, diversas vezes, que somente no Brasil o usuário paga todo o custo do sistema quando compra a sua passagem ao passo que em outros lugares do mundo o subsídio chega a 50%.

Uma proposta que foi encampada pelos empresários do transporte coletivo em todo país partiu da Frente Nacional de Prefeitos. A FNP defende a criação de uma Contribuição sobre Intervenção do Domínio Econômico (CIDE) municipal com a aplicação de um valor de R$,010 centavos por litro de combustível vendido na bomba dos postos. A transferência do valor sairá, se for aprovada, direto do posto de combustíveis para o caixa da prefeitura e sem passar pelo Governo Federal.

A medida, segundo Vieira, poderá promover uma redução de 30% no valor da tarifa do transporte coletivo. Ou seja, em Goiânia, a tarifa poderia cair para em torno de R$2,60 (Ao invés dos R$3,70 cobrados, hoje). A redução poderia implicar em manutenção de R$11 bilhões nos bolsos dos brasileiros de cerca de 3.300 municípios que têm transporte coletivo, na visão do presidente.

"Sem recursos  públicos, não há transporte de qualidade", argumentou Vieira na abertura do encontro que reuniu empresários de transporte coletivo de todo o país e parlamentares convidados.

Ele reforçou que, em média, 17% do custo da tarifa do transporte coletivo no Brasil é de gratuidades que são legalizadas, mas que geram um custo alto para o usuário que embarga. É ele que paga esse valor quando paga sua tarifa.

Informações: Diário de Goiás
READ MORE - Empresários buscam soluções para reduzir tarifa do transporte coletivo do Brasil

Passageiros do BRT ficam confusos no primeiro dia de funcionamento

Os novos terminais do BRT, do corredor Transolímpica, que liga Deodoro, na Zona Norte, e Barra da Tijuca, na Zona Oeste, começaram a funcionar nesta terça-feira (23) e estavam vazios, mas, de acordo com os funcionários que trabalhavam no local nesta manhã, as pessoas ainda estavam desinformadas sobre o funcionamento do novo trecho do transporte. Segundo uma funcionária da estação Pe. João Chiribbin, em Magalhães Bastos, os passageiros que irão se beneficiar do serviço ainda nem sabiam da inauguração.

"Está começando hoje, o pessoal não está nem sabendo direito ainda, daqui a uma semana vai estar tudo lotado", disse.

Na estação Minha Praia, na Barra da Tijuca, os poucos passageiros que chegavam ainda estavam confusos quanto ao funcionamento do trecho.

"Está todo mundo perguntando sobre a integração daqui da Transolímpica para a Transcarioca, e a gente ainda não sabe se tem q pagar outra passagem ou não, nem como faz", afirmou a funcionária da estação, também confusa.

Apesar da falta de esclarecimentos, tinha gente comemorando muito a novidade. As amigas Caroline Ribeiro, Vanessa Leite e Ester Cândida, que moram em Magalhães Bastos, chegaram à estação do BRT em clima de festa.

"Moro aqui na frente e a gente não podia usar o BRT na Olimpíada, tô muito feliz, vai mudar a vida tanto pra trabalhar quanto pra ir à praia", disse Vanessa.

Todas elas trabalham no Rio 2 e, nesta terça-feira (23), já saíram bem mais tarde de casa. "A gente demora tipo uma hora e meia, saímos às 8h normalmente e hoje estamos saindo agora, às 9h30", comemoraram.

O corredor Transolímpica, considerado um dos legados da Olimpíada para a população, promete diminuir muito o tempo de trajeto para os motoristas, mas sofrerá cobrança de pedágio, na ida e na volta. O funcionamento do BRT Transolímpica será distribuído em 18 estações.

Elisa de Souza*
Do G1 Rio
READ MORE - Passageiros do BRT ficam confusos no primeiro dia de funcionamento

Em Porto Alegre, Novo sistema de ônibus ainda não impressiona

Seis meses depois do início da operação do novo sistema de transporte coletivo em Porto Alegre, os resultados ainda não saltam aos olhos da população. Divulgado como uma chance de dar sangue novo ao sistema, com maior qualidade e comodidade nos ônibus a um custo mais acessível, o novo contrato é visto como bem-sucedido pelo governo municipal, ainda que usuários e ativistas mantenham muitas críticas ao processo.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, diz que a implementação do edital está dentro do cronograma. Metas como a renovação imediata da frota em 296 carros e a ampliação gradual dos veículos com ar-condicionado estão sendo cumpridas, garante. O atual momento, segundo ele, é de preparar a instalação dos sistemas de câmeras e GPS, com prazo até abril do ano que vem.

"Isso vai melhorar muito o controle público e operacional do sistema", diz Cappellari. No momento, estão sendo definidas as especificações técnicas para que os equipamentos dos ônibus sejam compatíveis com a rede de monitoramento da EPTC.

Outra medida importante é a consolidação do conselho de usuários, que está sendo discutido nos 17 fóruns regionais do Orçamento Participativo em Porto Alegre. Cada regional terá um representante no conselho, que se somará a quatro integrantes que virão da Câmara Temática de Circulação e Transporte, em um total de 21 membros. O conselho tem como objetivo dar suporte à EPTC na fiscalização do sistema.
De acordo com Cappellari, estão sendo feitas medições que vão oferecer ao conselho de usuários os subsídios necessários para avaliar a eficiência do serviço prestado pelas empresas. "Se um consórcio não cumprir as metas em um determinado período, terá que apresentar um plano de recuperação. Se o problema persistir, estarão passíveis de multa de até 1% do lucro anual", afirma Cappellari.

Viabilizar a licitação, a primeira da história do transporte coletivo da Capital, foi uma luta considerável. Nos dois primeiros processos, em junho e novembro de 2014, nenhum consórcio apresentou propostas. O terceiro certame, concluído em setembro do ano passado, elegeu as mesmas empresas que já operavam o sistema na cidade, rearranjadas em quatro novos consórcios: Via Leste, Mais, Mobi e Viva Sul. Uma única empresa de fora se inscreveu, mas acabou retirada da concorrência por não cumprir todas as exigências do edital.

Segundo dados da EPTC, a idade média da frota caiu de 5,8 para 4,9 anos a partir da nova operação do sistema. A renovação da frota, garante o órgão, reverteu em queda de 24% nas quebras de veículos em serviço e de 27% nos acidentes envolvendo coletivos. Houve, também, um pequeno aumento no número de veículos circulando, de 1.702 para 1.715, mas ainda abaixo da meta inicial, de 1.781.

Conselheiro diz que mudança só favoreceu empresários

Representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) da Capital, Alceu Weber critica os resultados observados nos últimos seis meses. "Não era mesmo possível esperar nada de novo. As coisas só ficaram boas para os empresários, que garantiram 20 anos de exploração legal do sistema, sem a devida fiscalização", critica.

Na visão de Weber, não houve qualquer melhoria em problemas crônicos, como a lotação nos veículos e os atrasos nas viagens. "Linhas como a Cruzeiro (282) estão operando nos mesmos horários, com menos veículos. Os motoristas encurtam o tempo de viagem para não chegarem tão atrasados, e a superlotação continua acontecendo."

Ele também critica a formação do conselho de usuários - incapaz, segundo Weber, de oferecer garantias efetivas à população. "É um conselho de cartas marcadas. Seria muito mais importante dar um novo caráter aos mecanismos que já existem, como o próprio Comtu", dispara.

Já existem, na visão de Weber, elementos que caracterizam quebra de contrato por parte das operadoras do serviço. Mas ele não acredita na capacidade do atual governo para fiscalizar esse processo. "Talvez a partir de uma nova prefeitura, que leve em conta o interesse público e não o das empresas, seja possível entrar com uma ação popular. Atualmente, as empresas não se preocupam com nada, têm liberdade total."
Superlotação e atrasos ainda incomodam usuários

Na percepção dos usuários, a demora e o aperto seguem sendo desagradáveis companheiros de viagem. "Para mim, continua uma porcaria", diz Sabrina Santos, que atua como auxiliar de limpeza na região central de Porto Alegre. "Os ônibus estão mal cuidados demais. A tarifa (R$ 3,75) é um absurdo, não se justifica."

Usuário da linha Pinheiro (398), o auxiliar de higienização Samuel Vargas diz que os ônibus "só mudaram de cor". "A gente viaja esmagado. Cansei de viajar em pé com a minha filha. É perigoso, pode acontecer um acidente." Mesmo concordando que os ônibus mais novos apresentam melhores condições, a baixa quantidade de assentos especiais também incomoda. "Não existe preocupação com quem precisa", lamenta.

Mas há também quem esteja feliz com as melhorias. A doméstica Janaína dos Santos Nunes vai e volta do bairro Belém Velho todos os dias e se diz satisfeita com o respeito aos horários e a maior variedade de linhas à disposição. "No meu caso, melhorou muito. Era muito demorado, sempre lotado. Agora, cumprem a tabela, os ônibus estão mais limpos", comemora.

De acordo com a EPTC, a meta estabelecida para 2018, de reduzir a lotação nos ônibus de seis para quatro pessoas por metro quadrado, está sendo atingida com grande antecedência. Algo que se reforça com a queda de 7% no número de passageiros pagantes, registrada nos últimos cinco meses. "Os índices (de eficiência e comodidade nas viagens) apresentam grande melhora. Há linhas que apresentam problemas, mas isso vai melhorar com a avaliação da taxa de ocupação via GPS, em tempo real", diz Vanderlei Cappellari.

Por Igor Natusch
Informações: Jornal do Comércio
READ MORE - Em Porto Alegre, Novo sistema de ônibus ainda não impressiona

Metrô de Salvador tem aumento de 120% no fluxo de passageiros

O Metrô de Salvador teve um aumento de 120% no fluxo de passageiros após a ampliação da integração entre o transporte sobre trilhos e o sistema de ônibus, ocorrida em Junho, que beneficiou cerca de 45 mil soteropolitanos por dia.

A medida, no entanto, não fez com que a linha metroviária atingisse a capacidade estimada de transporte. O movimento de passageiros é cerca de 80% inferior à capacidade da linha. Segundo o gerente de arrecadação da CCR Metrô Bahia, Jorge Pereira, o Metrô comporta aproximadas 200 mil pessoas por dia.

Sobre a Linha 2, a CCR e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur) dizem que as obras da Linha 2 estão 55% concluídas. A nova ligação deve ligar o Acesso Norte a Lauro de Feitas (Grande Salvador), com previsão de entrega no final do ano que vem. O trecho prevê um terminal de integração na região do aeroporto.

Por Renato Lobo
Informações: Viatrolebus
READ MORE - Metrô de Salvador tem aumento de 120% no fluxo de passageiros

Passageiros do Metrô do Recife ganham canais para fazer denúncias

Os passageiros do Metrô do Recife podem contar, agora, com canais específicos para fazer denúncias, críticas e sugestões. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) acatou uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e retomou  e ampliou os serviços da ouvidoria.

O posto de atendimento da Estação Recife, no Centro da cidade, havia sido desativado por contenção de despesas. Ao atender ao pedido do MPF, a CBTU também reestruturou o espaço e prometeu realizar a divulgação do serviço por meio de cartazes, adesivos e placas em todas as estações de metrô do município e nos trens.

Os interessados têm três formas de fazer as denúncias e enviar críticas e sugestões. O  endereço eletrônico ouvidoria@metrorec.com.br,  telefone (81) 2102-8580 e o espaço na sede da CBTU, localizada na rua José Natário, nº 478, no bairro de Areias, no Recife. O atendimento é disponibilizado das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

A recomendação foi fruto de procedimento administrativo instaurado pelo MPF. A ideia era apurar possíveis irregularidades relacionadas a abuso de poder por funcionários da CBTU, no exercício da função de agentes de segurança metroferroviária. 

Além de disponibilizar o serviço de ouvidoria, a  companhia formou grupo de trabalho para desenvolver projeto para instalação de câmeras nas estações de metrô e nos trens. O objetivo é que seja realizado procedimento licitatório para aquisição dos equipamentos.

A companhia informou ainda ao MPF que vem atuando com apoio da Polícia Militar, Polícia Civil e Prefeitura do Recife em ocorrências na área de segurança pública. A assessoria de comunicação da CBTU confirmou que os serviços estão disponíveis para a população.

Informações: G1 PE
READ MORE - Passageiros do Metrô do Recife ganham canais para fazer denúncias

Ônibus Mercedes-Benz entram em operação no primeiro BRT da região Norte do País

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A Mercedes-Benz do Brasil participa, mais uma vez, do desenvolvimento do transporte coletivo nas grandes capitais do País. A Empresa comercializou 15 unidades do chassi articulado O 500 MA para o primeiro sistema BRT (Bus Rapid Transit) da Região Norte do Brasil, em Belém, estado do Pará. Os ônibus Mercedes-Benz são os primeiros a entrar em operação no trecho recém-inaugurado de 19 km, que interliga o Terminal Mangueirão à estação Antonio Baena.

“A presença de nossa marca no BRT de Belém, o mais novo do País, é fruto de parceria com as empresas operadoras e os gestores de mobilidade urbana da cidade”, diz Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Com base em sua ampla experiência e conhecimento, a equipe de assessoria em sistemas de transporte da nossa Empresa apresentou vários estudos aos planejadores locais, fornecendo informações para que fosse desenhada a melhor solução frente às características e às demandas locais. Esse apoio foi essencial por se tratar da implantação de um novo conceito de transporte urbano em Belém”.

Com base nas características do sistema de transporte adotado na cidade, o modelo indicado foi o chassi articulado O 500 MA da Mercedes-Benz, equipado com carroçaria para transportar até 140 passageiros. Todos os ônibus são equipados com ar condicionado. Como o sistema implantado utiliza estações elevadas, este veículo de piso alto foi o mais adequado para facilitar e otimizar o embarque e desembarque de passageiros com conforto e segurança. A expectativa dos gestores e operadores é reduzir o tempo das viagens em até 70%.

Mercedes-Benz treinou os motoristas para o BRT Belém

De acordo com Walter Barbosa, o trabalho de parceria foi ainda mais amplo nesse atendimento aos clientes da capital do Pará, em especial ao operador Belém Rio, que já vem de uma longa história de relacionamento com a marca na Região Metropolitana de Belém. “Disponibilizamos às empresas operadoras um     O 500 MA de nossa frota de demonstração durante um mês, para que elas pudessem comprovar, na prática, os atributos do nosso veículo, como força, excelente desempenho, robustez e resistência na severa aplicação do transporte coletivo”, diz o executivo. “Os técnicos de demonstração fizeram um primeiro treinamento aos motoristas locais, instruindo-os a extrair o máximo de conhecimento do nosso ônibus articulado”.

A área de Peças e Serviços ao Cliente da Mercedes-Benz também ofereceu treinamento aos motoristas que operam os ônibus em Belém, focando em dirigibilidade, segurança e economia, aspectos fundamentais para quem passou a operar um ônibus articulado de 28 toneladas e 18 metros de comprimento.

Articulados O 500 são sucesso em sistemas de transporte

Os ônibus Mercedes-Benz circulam hoje, de forma intensa, nos principais sistemas de transporte coletivo urbano de grandes regiões metropolitanas do País, como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e agora Belém. “Tanto no BRT, como em sistemas por corredores ou faixas exclusivas, nossa participação é extremamente expressiva. São cerca de 70% de participação da marca no segmento urbano no País”, informa Walter Barbosa.

A Mercedes-Benz também tem aumentado sua participação nas vendas de ônibus como um todo. Apesar da atual retração do mercado no País, no acumulado de janeiro a julho, a Empresa manteve sua liderança no segmento acima de 8 toneladas, com cerca de 60% de market share.

Assessoria especializada para BRT e outros sistemas de transporte

Além da mais completa linha de ônibus, a Mercedes-Benz  oferece ao mercado assessoria especializada em transporte de passageiros, por meio de uma equipe totalmente focada em sistemas como o BRT, apoiando clientes, órgãos gestores e consultorias. Como exemplo, os profissionais da área deram importante contribuição às etapas de construção e operação do BRT do Rio de Janeiro.

A Empresa tem conhecimento e experiência mundial e local para a implantação desse tipo de sistema. A marca está presente hoje nos principais BRTs no mundo, como os do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba no Brasil, Bogotá na Colômbia, Santiago do Chile, México, Turquia e África do Sul. Os sistemas destes países estão entre os que mais transportam passageiros por ônibus urbanos no mundo.

Mercedes-Benz oferece quatro modelos de ônibus articulados

A linha de chassis Mercedes-Benz para ônibus urbanos articulados conta, atualmente, com quatro modelos: superarticulados O 500 UDA Low Entry (piso baixo) e O 500 MDA (piso alto) e também os articulados O 500 UA Low Entry (piso baixo) e O 500 MA (piso alto).

Os modelos Low Entry são indicados para pontos de embarque ao nível da calçada. Já os de piso alto são mais adequados a corredores que utilizam plataformas de embarque elevadas. Todos estes chassis da marca são indicados para corredores, faixas exclusivas e BRT, ficando a cargo dos gestores e operadores a escolha do modelo que melhor atenda ao perfil e ao dimensionamento da capacidade do seu sistema de transporte.

Os clientes da Mercedes-Benz têm à disposição a mais completa linha de chassis de ônibus. São mais de 90 versões para atender todas as demandas dos clientes, com modelos para transporte urbano, rodoviário, fretamento, turismo e escolar – do microônibus para 19 passageiros ao superarticulado para mais de 200 pessoas.

Informações: Mercez Benz
READ MORE - Ônibus Mercedes-Benz entram em operação no primeiro BRT da região Norte do País

VLT recebe novos Sistemas de Porta de Plataformas na Baixada Santista

A Baixada Santista terá novos Sistemas de Porta de Plataformas (PSD - Plataform Screen Doors) em seus VLT's entre Barreiros (São Vicente) e a Estação Porto. Eles já começaram a ser instalados.

O Consórcio Bosung-Arquitrave foi o vencedor da licitação pública realizada pela EMTU /SP e fornecerá 15 PSD's. A instalação começou com a colocação das colunas e vigas de suporte em aço galvanizado, que é fabricada no Brasil. Os sistemas eletromecânicos e vidros laminados, de 8mm de espessura e película que filtra os raios UV, foram fabricados na Coréia do Sul.

Esse equipamento tem a função de organizar os embarques, assim como ocorre na Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo. A Estação Bernardino de Campos, em Santos, é a primeira a contar com o sistema. Esse investimento representa cerca de R$ 35,5 milhões. A próxima a receber a tecnologia será a estação Mascarenhas de Moraes, em São Vicente.

Por ser um sistema novo no Brasil, ainda está sendo analisado o tempo que levará a montagem na estação Bernardino de Campos.

Atualmente, o Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista conta com seis VLT's que atendem nove estações no trecho entre Barreiro e a Estação Porto.

Do Portal do Governo do Estado
READ MORE - VLT recebe novos Sistemas de Porta de Plataformas na Baixada Santista

Em Curitiba, Tecnologia facilita a vida de usuários do transporte, táxi e rodoviária

Aplicativos desenvolvidos pela Urbs permitem que o cidadão tenha à mão, no computador ou no celular, informações em tempo real sobre horários e localização dos ônibus do transporte coletivo e chegadas e saídas de ônibus rodoviários, tabelas de horários e informações de identificação de táxis e taxistas.

São seis mobiles, disponíveis no site da Urbs (www.urbs.curitiba.pr.gov.br) e que não precisam ser baixados, o que permite oferecer informações em tempo real, sem necessidade de atualização no celular. Um sétimo mobile, destinado a oferecer informações a pessoas com deficiência visual, se encontra em desenvolvimento e pode ser localizado no site, ainda em fase de testes.

Para acessar pelo celular basta contar com serviço de internet – via operadora ou wi-fi. A partir deste mês, terminais de transporte receberão rede de wi-fi, que também deve ser um dos acessórios de ônibus que venham a ser adquiridos para renovação de frota.

No sítio Mobiles, o usuário encontrará o Itibus 3, que oferece informações do transporte coletivo em tempo real. O Boletim do Transporte informa todas as alterações que são feitas nas linhas. Na Tabela Horário é possível conferir os horários de todas as linhas do transporte coletivo. Em Cartão Transporte aparece o extrato simplificado das últimas 12 utilizações do cartão transporte e o saldo de créditos disponível, para cartões que tiveram movimentação há menos de seis meses.

Outros dois mobiles também prestam importante serviço ao cidadão. O Táxi Legal permite identificar o motorista do táxi e ter informações como a marca e a placa do veículo, o número do cadastro na Urbs e o nome, com foto, do proprietário do táxi e dos motoristas auxiliares.

O outro aplicativo, também desenvolvido pela área de TI da Urbs, é o Monitor Rod, com informação, em tempo real, de chegadas e saídas de ônibus rodoviários, horário previsto e horário real de chegada na plataforma, empresa operadora, além do portão e da plataforma de embarque.

O desenvolvimento destes aplicativos tem como objetivo facilitar a vida do cidadão que se desloca pela cidade usando o transporte coletivo ou táxi, ou que vai viajar e precisa saber se o ônibus vai sair na hora certa.

Veja o que cada móbile oferece:

Itibus 3 – Utiliza a plataforma do Google Transit o que permite ter as informações no mapa. Informa sobre linhas, rotas de ônibus e posição de pontos e veículos em tempo real. O cidadão pode, por exemplo, verificar em que ponto do trajeto está o ônibus que ele está aguardando. Também permite verificar locais de interesse (escolas, feiras, unidades de saúde, parques, etc) que estejam na rota do ônibus. Basta colocar o número ou nome da linha ou da região. Por exemplo, se digitar Santa Cândida, o visor vai trazer as várias linhas que passam por ali. Clicando na linha de interesse, o trajeto será mostrado no mapa com a localização dos ônibus.

Boletim do Transporte – Atualizado de forma permanente, informa alterações que estão sendo implantadas na linha, como adequações de trajeto, de horário, identificação, etc. Basta clicar no mobile que dispõe, também, de serviço de busca.

Táxi Legal – Esqueceu algum pertence e que localizar o taxista? Tem uma denúncia ou reclamação para fazer? Quer ter mais segurança e conferir quem é o motorista? Basta abrir o Táxi Legal e digitar o número do táxi disponível no painel e nas laterais do veículo. Na tela vão aparecer a foto do proprietário e dos taxistas autorizados, com o número do táxi, veículo, placa e número de cadastro de cada taxista na Urbs.

Monitor Rod – Basta clicar no mobile para ter informações das linhas de ônibus rodoviário, disponíveis por horário de saída ou de chegada. Cidades de destino ou de origem, empresa, horário previsto e horário real de embarque ou desembarque, além dos números de portão e plataforma. Por exemplo, se você precisar buscar alguém que está chegando de ônibus na Rodoviária, poderá controlar pelo mobile o horário em que a pessoa vai chegar.

Tabela Horário – Lista todas as linhas do transporte coletivo. Clicando no ícone do ônibus aparecem informações sobre forma de pagamento, categoria (convencional, expresso, ligeirinho, etc) e horários de tabela nos terminais ou principais pontos.

Cartão Transporte – Informa postos e horários de atendimento. Digitando o CPF e o número do cartão, o cidadão terá em mãos o extrato das últimas movimentações - em que linha, dia e horário utilizou seu cartão – e o saldo de créditos disponível.

Informações: Bem Paraná
READ MORE - Em Curitiba, Tecnologia facilita a vida de usuários do transporte, táxi e rodoviária

Mais de 9 milhões de passageiros utilizaram o BRT nas Olimpíadas

Entre os dias 05 e 18, aproximadamente 9,6 milhões de passageiros foram transportados no sistema de BRT. Desses, cerca de 1,9 milhão usaram os serviços especiais olímpicos, que atendem o público que vai para o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, e ao Complexo Esportivo de Deodoro.
Guito Moreto / Agência O Globo

O número total leva em conta entradas em todo o sistema BRT Rio, neste período, por cartão RioCard Jogos Rio 2016, Bilhete Único e gratuidades. A atualização dos dados, no entanto, não alterou o dia de maior recorde de embarques e desembarques. No dia 12, sexta-feira da semana passada, 855 mil pessoas utilizaram os serviços convencionais e os implantados para as Olimpíadas. Isso representa um acréscimo de 31% em relação a um dia de operação sem evento.

A diretora de Relações Institucionais do BRT Rio, Suzy Balloussier, destacou que pode acontecer uma possível queda nos números nos próximos dias, por causa do término das competições. Mas o saldo geral, até o momento, é extremamente positivo.

- É um quantitativo expressivo e que mostra nossa capacidade de transporte de massa. Se for fazer um comparativo, carregamos em 14 dias o equivalente à população da Suécia. É realmente uma marca que entrou para nossa história.-, afirmou.

INTEGRAÇÕES

Nos dez primeiros dias de competições dos jogos olímpicos, 781.523 passageiros fizeram integração do BRT Rio, pelo Terminal Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, com a Linha 4 do metrô. O levantamento, que foi feito entre os dias 5 e 14 de agosto, considera o uso do cartão RioCard Jogos Rio 2016 e do Bilhete Único (usado por quem está trabalhando nos equipamentos olímpicos).

Informações: O Globo
READ MORE - Mais de 9 milhões de passageiros utilizaram o BRT nas Olimpíadas

Faixa azul da Avenida Recife aumenta velocidade dos coletivos em 56%

Com um mês de funcionamento, a Faixa Azul da Avenida Recife promoveu um ganho de 56% na velocidade média dos ônibus, que passou de 14,8 km/h para 23,1 km/h, no horário de pico, que vai das 6h às 9h. Já no período entre 17h e 19h, o ganho foi de 47%, passando de 14,1 km/h para 20,7 km/h.

Pelo corredor passam 29 linhas de ônibus, diariamente, totalizando 1.660 viagens. São 82 mil passageiros utilizando os 3,6 km de faixa exclusiva por dia, que já sentem a melhora na mobilidade no percurso. A ação é uma iniciativa da Prefeitura do Recife, que já implantou 32 kms de Faixas Azuis desde 2013.

O balanço foi divulgado na manhã desta sexta-feira pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife. "A Avenida Recife é a sétima via a receber a Faixa Azul na cidade, e ao todo, os corredores beneficiam mais de 635 mil passageiros. Agora, as pessoas que utilizam o transporte público chegam mais rápido aos seus destinos, o que é muito bom", destaca o secretário João Braga.

A Faixa Azul funciona de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h. Além dos ônibus, os táxis do município do Recife também têm acesso aos corredores. Os demais veículos só podem entrar no corredor quando precisarem realizar conversões e acessar os lotes à direita. A sinalização horizontal mostra aos condutores, quando a linha for pontilhada, que é possível entrar na faixa. A fiscalização já está valendo, e os motoristas que forem flagrados utilizando a faixa irregularmente estarão passíveis a multa gravíssima, no valor de R$ 191,54 e 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Com a implantação da Faixa Azul da Avenida Recife, Prefeitura do Recife alcançou a marca de 32 kms de Faixa Azul implantados. Atualmente, a ação está também nas avenidas Marechal Mascarenhas de Moraes, Domingos Ferreira e Conselheiro Aguiar, além das ruas Cosme Viana e  Real da Torre. No total, Recife passou a ter cerca de 54 quilômetros de corredor exclusivo para ônibus, contando com os corredores que já existiam na cidade antes da Faixa Azul. Isso representa um aumento de cerca de mais de 155% no número de quilômetros de prioridade para o transporte público no Recife desde  2013, quando a cidade possuía pouco mais de 20 kms de faixas exclusivas.

A implantação dos corredores exclusivos garantiu um aumento significativo na velocidade média dos coletivos. Na Faixa Azul da Avenida Mascarenhas de Moraes, os ônibus passaram de 21 km/h para 35,4 km/h, o que representa um ganho total de 66,6% na via. Já na Avenida Herculano Bandeira, onde a implantação da Faixa Azul aconteceu em junho de 2014, a velocidade saiu de 11 km/h para 24 km/h - um aumento de 118%. Já na Rua Cosme Viana e na Avenida Conselheiro Aguiar, houve um ganho de 38,8% (de 18 km/h para 25 km/h) e 49% (de 13.1 km/h para 19.5 km/h) na velocidade média dos ônibus, respectivamente.

Informações: Diário de Pernambuco
READ MORE - Faixa azul da Avenida Recife aumenta velocidade dos coletivos em 56%

Em BH, Caixa aprova verba para implantação do Move na avenida Amazonas

O prefeito Marcio Lacerda (PSB) anunciou, na noite desta quinta-feira (18), que o contrato para a construção do BRT Move na avenida Amazonas está sendo revalidado pela Caixa Econômica. O banco deve liberar cerca de R$ 200 milhões para a obra. O anúncio foi realizado durante inauguração do comitê de campanha de Délio Malheiros (PSD).
Foto: Gabriela Guimarães

“Hoje, a Caixa ligou para o nosso secretário de Finanças e disse que está revalidando o contrato de liberação financiamento para a implantação do BRT Move na Avenida Amazonas. Isso significa que ainda precisa ter uma autorização do Ministério da Fazenda para iniciar a liberação”, ressaltou o prefeito.

Se a União liberar o financiamento - que já havia sido adiado devido a crise econômica -, o Executivo municipal irá concluir o projeto para a construção do sistema. E, logo depois, será aberto o processo licitatório para as obras. Com isso, o processo de implementação do BRT Move deve ficar a cargo da a próxima gestão.

O BRT na avenida Amazonas foi anunciado pela Prefeitura de Belo Horizonte em outubro de 2014. Na época, o valor estimado para a obra, era de R$ 547 milhões. Sendo que, R$ 377 milhões seriam da própria prefeitura e, o restante de um financiamento do governo federal.

Segundo os estudos preliminares da administração municipal, o sistema prevê 9 km de corredor central exclusivo para ônibus e uma via em cada sentido, entre a avenida Paraná e o Anel Rodoviário. O conceito original para a obra não exige desapropriações e recebe o nome de Expresso Amazonas. 

Por Francisny Alves
Informações: O Tempo
READ MORE - Em BH, Caixa aprova verba para implantação do Move na avenida Amazonas

Recife ganha primeiro ônibus com suporte para bicicletas

Começa a ser testado no próximo domingoo primeiro ônibus do Recife a contar com um suporte para bicicletas. O equipamento foi instalado em um veículo da linha 2410 – Parque Capibaribe/Terminal Integrado do TIP. O coletivo foi adaptado para transportar até seis bikes na parte interna traseira, após a porta de desembarque. O espaço tem piso emborrachado e suporte para fixar o modal de maneira segura e sem interferir na circulação dos demais passageiros. O veículo também foi sinalizado com adesivos na frente, nas laterais e na parte traseira.

Inicialmente, o LevaBike, como foi batizado, vai operar aos domingos e apenas nesta linha, com meia passagem. Durante a operação, o passageiro entra pela porta traseira do ônibus, coloca a bicicleta em um dos suportes e caminha, por dentro do veículo, para fazer o pagamento da passagem e rodar a catraca.

A novidade foi bem recebida pelos ativistas presentes à apresentação: "Essa é uma iniciativa muito positiva, já que vai ser feita em uma área que tem uma demanda turística. Como ainda está na fase piloto tem espaço para os ciclistas verem o que funciona e o que precisa ainda ser implementado", disse Sabrina Macri, coordenadora geral da Ameciclo.

O protótipo é pioneiro nos ônibus do Recife e Região Metropolitana e deve ser avaliado após a primeira operação. O objetivo da Secretaria das Cidades é ampliar o serviço para outras linhas de ônibus. O projeto pretende iniciar um transporte multimodal nos ônibus, dando mais opções de meios de deslocamentos aos usuários. Por enquanto, será uma opção a mais para os usuários que forem aproveitar o projeto Domingo na Arena, na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Os passageiros poderão utilizar a linha que sai do Terminal Integrado TIP e atende as proximidades do estádio, mas agora com a possibilidade de transportar a bicicleta e utilizá-la para realizar trilhas dentro do estádio.

Informações: Diário de Pernambuco
READ MORE - Recife ganha primeiro ônibus com suporte para bicicletas

Em SP, Terminal Parelheiros ficará fechado por 30 dias para a troca da cobertura

O Terminal Parelheiros, no extremo sul da capital paulista, ficará fechado por 30 dias para a troca da cobertura. A cobertura do local, que era de lona e será de telhas, foi danificada após as fortes chuvas de maio.

O serviço começou no sábado (20) e será realizado pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss), que não informou o custo da obra.

Durante o mês em que estará fechado, as 17 linhas de ônibus vão embarcar os passageiros em outros pontos, todos em ruas próximas ao terminal. Confira os pontos pelo telefone 156 ou pelo site da SPTrans.

No dia 16 de maio, duas pessoas morreram em um temporal que atingiu a Grande São Paulo. O temporal começou no fim da tarde e os ventos chegaram a 60 km/h, segundo a prefeitura da capital paulista.

Informações: G1 SP
READ MORE - Em SP, Terminal Parelheiros ficará fechado por 30 dias para a troca da cobertura

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960