Em SP, Linha 8018/10 terá novo ponto inicial a partir deste sábado

terça-feira, 18 de agosto de 2015

A SPTrans informa que a partir do próximo sábado, 22 de agosto, a linha 8018/10 Vila Sônia – Butantã terá um novo ponto inicial, passando da Rua Prof. Gióia Martins para a Dr. Mário de Moura e Albuquerque. A medida tem como objetivo proporcionar maior conforto e desempenho operacional da linha.

A medida não causará nenhum prejuízo aos usuários pois todos os pontos de parada continuarão sendo atendidos.

Confira abaixo as mudanças:
Linha: 8018/10 Vila Sônia – Butantã
Ponto Inicial: Rua Dr. Mário de Moura e Albuquerque, 81
Sentido único: Rua Dr. Mário de Moura e Albuquerque, Rua Min. Heitor Bastos Tigre, Rua David Bem Gurion, prosseguindo normal até a Rua José Ferreira da Rocha, Rua Prof. Gióia Martins e Rua Dr. Mário de Moura e Albuquerque.

  Observações:
- Por conta da realização de feira-livre aos sábados na Rua Cláudio Franchi, entre as Ruas Dr. Mário de Moura e Albuquerque e José Ferreira da Rocha Filho, a linha deverá obedecer ao seguinte itinerário alternativo:

Sentido único: normal até a Rua Min. Heitor Bastos Tigre, Rua José Pedro do Amaral, Av. Cláudio Franchi (direita), Av. Ângelo Di Vernieri, Av. Profº Gióia Martins e Rua Dr. Mário de Moura e Albuquerque.

- Devido a dificuldade em transpor o sarjetão na intersecção das Ruas André Saraiva e Dias Vieira, os veículos acessíveis (piso baixo) deverão obedecer ao seguinte itinerário:
Sentido único: normal até a Rua Dr. Silvio Dante Bertacchi, Praça da Ressurreição, Rua Dr. Silvio Dante Bertacchi, Rua Guanás, Rua Dias Vieira, prosseguindo normal.

Informações: SPTrans

Leia também sobre:
READ MORE - Em SP, Linha 8018/10 terá novo ponto inicial a partir deste sábado

Mais Faixas de ônibus são implantadas em Manaus

Mais um trecho da Faixa Azul será implantado em Manaus. Nesta terça-feira (18), o corredor exclusivo para transporte urbano será instalado na Avenida Umberto Calderaro Filho (antiga Paraíba), no trecho entre a Rua Belém e a Avenida André Araújo, Zona Centro-Sul, e nas Avenidas Max Teixeira e Noel Nutels, Zona Norte. A faixa é destinada aos ônibus articulados do sistema BRS (Bus Rapid System).

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) informou que a sinalização horizontal da Umberto Calderaro Filho será feita na madrugada desta terça, na faixa à direita da via. No decorrer da semana, serão instaladas placas de sinalização com informações sobre a área destinada para a circulação de ônibus.

As avenidas Max Teixeira e Noel Nutels também começarão a receber sinalização vertical e horizontal até o Terminal 3 - Cidade Nova.

Segundo o Manaustrans, após finalizar a sinalização, os condutores terão 30 dias para se adaptar aos novos corredores. Somente depois desse período, a prefeitura anunciará como será realizada a fiscalização nessas vias.

Linhas de ônibus
As linhas que passam pela avenida Umberto Calderaro são as mesmas que seguem no sentido bairro/Centro pela Mário Ypiranga - onde a Faixa Azul já funciona. Os coletivos que circulam em ambas as vias saem principalmente de bairros das zonas Norte e Leste com destino a Cachoeirinha, Zona Sul.

Pela faixa azul das avenidas Max Teixeira e Noel Nutels circulam ônibus articulados das linhas 300-T3/ T1/ Centro, 448-Cidade de Deus/T1/Centro e 640-T4/T3/ Centro.

Torquato Tapajós
De acordo com o superintendente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, outros corredores também deverão ganhar faixas destinadas aos ônibus.

"Assim que forem concluídas as obras da plataforma e da passarela localizadas em frente ao conjunto Santos Dumont, a Avenida Torquato  Tapajós deverá receber a faixa azul também. Com isso as linhas que saem dos terminais da Zona Norte terão praticamente todo o itinerário em faixas destinadas aos ônibus e o ganho será muito grande aos usuários daquela área", afirmou Carvalho.

Informações: G1 AM

READ MORE - Mais Faixas de ônibus são implantadas em Manaus

No Recife, Faixa azul chegará à Real da Torre dia 31 de agosto

A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) anunciou, nesta segunda-feira (17), a data para a implantação da quarta faixa azul da capital pernambucana. Segundo o órgão, o corredor exclusivo de ônibus da Rua Real da Torre, na Zona Oeste, estará funcionando no dia 31 deste mês, uma segunda-feira.

A faixa será interligada à da Rua Cosme Viana, em Afogados, também na Zona Oeste, e deverá ter aproximadamente dois quilômetros de extensão. A sinalização deverá ser instalada no fim do mês.

Como já ocorre nos outros corredores, apenas ônibus deverão circular pela faixa azul de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h. Mesmo não havendo fiscalização eletrônica inicialmente, se os condutores forem flagrados por agentes de trânsito trafegando pela faixa, poderão ser multados em R$ 191,54.

Os corredores fazem parte do projeto de BRS (Bus Rapid Service) do Recife, que tem, ao todo, 21,4 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus. O objetivo é incentivar o uso do transporte coletivo através da redução do tempo das viagens dos passageiros, medida defendida por especialistas em mobilidade.

ZONA SUL - Equipamentos instalados nas avenidas Mascarenhas de Moraes e Herculano Bandeira, na Zona Sul do Recife, passaram a registrar a placa de condutores que trafegam pelas faixas azuis nesta segunda-feira (17). Assim, a fiscalização será mais efetiva. Já há equipamentos licitados para as outras faixas.

READ MORE - No Recife, Faixa azul chegará à Real da Torre dia 31 de agosto

Em Palmas, Recarga feita antes do reajuste da tarifa de coletivo só valerá por 30 dias

Os usuários do transporte coletivo de Palmas que fizeram recargas nos cartões de vale-transporte até o dia 14 de agosto, um dia antes do reajuste da tarifa, continuarão a pagar R$ 2,50 somente por 30 dias. Isso porque, segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Palmas (Seturb), José Antônio dos Santos Júnior, os usuários não recarregam passagens, mas sim dinheiro. Atualmente, a passagem custa R$ 2,95.

Gerente de Recursos Humanos de uma empresa de terceirização de Palmas, Diana Amorin, contou que a recarga de vale-transporte dos 1,2 mil funcionários foi antecipada cerca de 15 dias justamente para pagar o valor da tarifa antes do reajuste. Mas os créditos recarregados, conforme a regra da Seturb, só pagarão pela tarifa antiga até o dia 12 de agosto, depois disso, mesmo que ainda tenha saldo no cartão, serão descontados R$ 2,95 por passagem.

“A pessoa não coloca passagens no cartão, ela coloca o dinheiro. Ou seja, lá não tem tarifa, tem dinheiro. Por isso, após os 30 dias vai começa a descontar o valor de R$ 2,95, mesmo que ainda tenha saldo da recarga feita antes do reajuste”, disse Júnior.

Procurado pelo G1, o departamento jurídico da Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor no Tocantins (Procon) informou que a validade para os créditos depositados é regulamentada pelo artigo  9º da lei federal 7.418, que diz: "os vales-transporte anteriores perdem sua validade decorridos 30 (trinta) dias da data de reajuste tarifário."

Deste modo, segundo o Procon, não há irregularidade em relação ao prazo de 30 dias para validade dos créditos, quando houver aumento de tarifa.

Informações: G1 TO

READ MORE - Em Palmas, Recarga feita antes do reajuste da tarifa de coletivo só valerá por 30 dias

CET anuncia mais 11 vias de SP que terão limite reduzido para 50 km/h

A Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (17) que mais 11 vias da capital terão o limite de velocidade máxima reduzido de 60 km/h para 50 km/h. A medida vale a partir de quinta-feira (20). As vias ficam na Zona Oeste, na região da Avenida Sumaré e nas proximidades da USP, e na Zona Sul.

A medida faz parte do Programa de Proteção à Vida, da Prefeitura de São Paulo, que vai regulamentar em 50 km/h o limite de velocidade em praticamente todas as avenidas importantes da cidade. Veja as vias:

- Rua Henrique Schaumann (zona oeste)
- Avenida Paulo VI (zona oeste)
- Avenida Sumaré (zona oeste)
- Avenida Antártica (zona oeste)
- Viaduto Antártica (zona oeste)
- Avenida Afrânio Peixoto (zona oeste)
- Avenida Valdemar Ferreira (zona oeste)
- Avenida Professor Manuel Chaves (zona oeste)
- Avenida Vereador José Diniz (zona sul)
- Avenida Carlos Caldeira Filho (zona sul)
- Estrada do Campo Limpo (zona sul)

Nesta segunda-feira essas vias já começam a receber os avisos para alertar os motoristas sobre as mudanças.

Mais cinco vias
Outras cinco vias tiveram o limite reduzido a partir desta segunda-feira. O limite de velocidade nas avenidas Angélica e Pacaembu, na região central de São Paulo, caiu de 60 km/h para 50 km/h nesta segunda-feira (17).

Nesta segunda, também passam a ter essa nova velocidade máxima a avenida Doutor Abraão Ribeiro e a Rua Major Natanael, que são próximas à Avenida Pacaembu, e a Avenida Nadir Dias de Figueiredo, na Zona Norte de São Paulo.

Também na quinta, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), defendeu a redução dos limite. "É muito importante esse gesto de São Paulo que já está sendo seguido por outras cidades do Brasil. São Paulo está liderando um processo importante para salvar vidas e melhorar as condições de funcionalidade da cidade, com menos acidentes, mais fluidez e obviamente menos letalidade", completou.

O processo começou com a redução dos limites nas marginais dos rios Tietê e Pinheiros. Nas pitas locais, a velocidade máxima já é de 50 km/h. Até dezembro, todas as vias da cidade, com exceção do corredor Norte-Sul e as pistas expressas e central das Marginais, terão esse novo parâmetro.

Algumas vias importantes da cidade como Jacu-Pêssego, Aricanduva e Minhocão já passaram por essa redução.

Multas canceladas
No caso da Sena Madureira e da Avenida Braz Leme, que também tiveram o limite reduzido para 50 km/h, a Prefeitura de São Paulo disse que vai cancelar as multas de velocidade aplicadas no início desta semana. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) reajustou os radares eletrônicos para o novo limite antes de afixar faixas de aviso à população.

Podem ser canceladas as infrações de velocidade dos motoristas que passavam pela Braz Leme entre 9 e 11 de agosto e, na Sena Madureira, entre 8 e 11 de agosto, desde que os condutores estivessem abaixo do limite anterior de velocidade das vias, que era de 60 km/h.

Informações: G1 SP

Leia também sobre:
READ MORE - CET anuncia mais 11 vias de SP que terão limite reduzido para 50 km/h

Feira de Santana sem transporte coletivo pelo terceiro dia

O impasse entre a prefeitura de Feira de Santana e as empresas de transporte coletivo entra no terceiro dia, nesta terça-feira (18). Os ônibus não circulam na cidade desde o domingo (16). De acordo com informações do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Feira de Santana (SINCOL), empresas de transportes não têm mais condições de manter o sistema em circulação.

“Estamos sem novidades, esperando nova conversa com o secretário de Transporte. Ontem [segunda, 17], no fim da tarde, não se chegou a nenhuma solução. Os proprietários não aceitam mais botar dinheiro do próprio bolso, R$ 500, R$ 600 por mês, para ônibus rodarem. A atividade está literalmente encerrada”, informou o sindicalista Ronaldo Mendes.

Serviços de transporte alternativo foram autorizados pela prefeitura para fazer lotação e levar os passageiros para o centro da cidade. Segundo Mendes, as empresas deixaram de rodar porque os fornecedores de combustíveis decidiram parar de abastecer os veículos das empresas por causa da suspensão automática do contrato após resultado da licitação do transporte na última sexta-feira (14), em que duas novas operadoras de São Paulo vão assumir o serviço.

De acordo com o secretário de Transportes de Feira de Santana, Ebenzer Tuy, em nenhum momento foi alegada a falta de combustível pelos gerentes das empresas que rodam atualmente na cidade, Princesinha e 18 de Setembro.

O secretário disse que o contrato emergencial de prestação de serviços com as atuais empresas de ônibus da cidade acaba dia 31 de agosto. Depois, vai ser feito mais um outro contrato emergencial para que o serviço continue em prazo máximo de seis meses, até que as duas novas empresas que ganharam a licitação se adequem na cidade.

O advogado do Sincol informou que as empresas Princesinha e 18 de Setembro não chegaram a participar do processo licitatório porque não tinham condições financeiras. O defensor alega que elas entraram em recuperação judicial por falência após ter dificuldades desde que a tarifa foi reduzida em R$ 0,15, em 2013. “Com a redução da tarifa, criou-se caos financeiro nas empresas”, afirmou.

Informações: G1 BA
READ MORE - Feira de Santana sem transporte coletivo pelo terceiro dia

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960