Governo de Pernambuco dá ordem de serviço para mais um trecho do Corredor Norte-Sul

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Um transporte público mais ágil e de qualidade é o que espera o governador Eduardo Campos, com a implantação do Corredor Norte-Sul - Exclusivo Transporte Coletivo, ligando Igarassu à Estação Joana Bezerra. A Ordem de Serviço para trecho Tacaruna-Joana Bezerra, com 4,7 quilômetros de extensão, foi assinada em solenidade na manhã desta quinta-feira (03/04), na Sede Provisória do Governo do Estado, no Centro de Convenções.

O Corredor Norte Sul é um dos dois grandes sistemas viários exclusivos para ônibus na Região Metropolitana do Recife, totalizando 100 quilômetros de vias segregadoras de tráfego. Há, ainda, o corredor Leste-Oeste, ligando Camaragibe à Praça do Derby. Somente no Norte-Sul, serão investidos R$ 250 milhões.

Para Eduardo, o corredor “é uma opção muito clara pelo transporte público de passageiros. É uma solução que preserva o fundamental: fazer o transporte público como opção política de visão de cidade, de desenvolvimento que queremos para este País. O importante agora é a aposta no transporte público. O público vem antes do particular, o coletivo é maior do que o individual. É preciso continuar a sonhar com um país sem as marcas da exclusão”, defendeu o governador.

Orçado em R$ 96 milhões, o projeto prevê um corredor exclusivo para Transporte Rápido por Ônibus (TRO), ciclovia e requalificação do calçamento, em toda a extensão da avenida Agamenon Magalhães. As paradas vão se transformar em nove estações, climatizadas e com capacidade para 1.200 pessoas. “O embarque e o desembarque serão feitos em nível, muito mais rápido, é muito mais confortável aos passageiros”, disse o prefeito do Recife, Geraldo Julio.

Além disso, o pedestre que passar nas proximidades da antiga Fábrica Tacaruna vai ganhar uma passarela, como lembrou o secretário estadual das Cidades, Danilo Cabral. “É uma antiga reivindicação das comunidades do Chié. É um ponto de muitos acidentes”, afirmou. O cronograma traz julho como mês de início das obras,  e outubro de 2014 como data de término.

O projeto faz parte da primeira etapa do Corredor Norte/Sul, que já está em obras de Igarassu ao centro do Recife, e do Programa Estadual de Mobilidade Urbana, que vai construir 100 quilômetros de corredores exclusivos de ônibus até 2014. “É um conjunto de obras que vai legar à Região Metropolitana do Recife importantes corredores, numa opção muito clara pelo transporte público de passageiros tomada desde o primeiro programa de governo ainda em 2007”, ressaltou Eduardo.

READ MORE - Governo de Pernambuco dá ordem de serviço para mais um trecho do Corredor Norte-Sul

Após protestos, liminar do TJ suspende aumento do ônibus em Porto Alegre

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) suspendeu nesta quinta-feira, em caráter liminar, o aumento da tarifa de ônibus em Porto Alegre, que havia sido reajustada de R$ 2,85 para R$ 3,05 em 25 de março. A decisão do juiz Hilbert Maximiliano Akihito Obara, da 5ª Vara da Fazenda Pública, considerou que "há fortes indicativos de abusividade no aumento das passagens, de conformidade com aprofundada análise realizada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)".

No início de março, o TCE determinou a revisão do cálculo de reajuste das passagens de ônibus em Porto Alegre. A decisão negava o pedido da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para manter no cálculo de reajuste a frota reserva das empresas. Além disso, a desoneração da folha de pagamento do setor, conforme o órgão, deveria ser considerada. Segundo o Ministério Público de Contas (MPC), que pediu a revisão, a decisão poderia deixar a tarifa até 10% mais barata que a atual.

A ação cautelar, de autoria dos vereadores do Psol Pedro Ruas e Fernanda Melchionna, argumentava que a suspensão era necessária pela "ocorrência de ilegalidades administrativas e infringências aos princípios da legalidade e moralidade administrativa, em flagrante prejuízo da população".

Em sua decisão, o magistrado afirma que "a documentação referida evidencia a não contabilização de receitas com publicidades, despesas não permitidas sendo contabilizadas, além de aparente cálculo tarifário equivocado, utilizando-se de metodologias impróprias para mascarar uma inexistente necessidade de aumento, saltando aos olhos especialmente a inclusão indevida de frota reserva, que cria um aumento de despesa não real". "Percebe-se, assim, não haver sustentação para o aumento tarifário pretendido pelos réus", escreve o juiz.

Akihito Obara também levou em consideração as supostas irregularidades nas licitações do transporte público na capital gaúcha. "Diante dessa situação, é de se presumir que terceiros possam estar indevidamente se beneficiando de um valor tarifário incompatível com o serviço prestado com prejuízo irreparável e de longa data da população que utiliza esse meio de transporte."

O juiz ainda destacou que "a esmagadora maioria dos cidadãos que utilizam frequentemente esse serviço público de transporte são pessoas de parcos recursos e raramente dispõem de outros meios alternativos de locomoção. Desse modo, acabam tendo um comprometimento considerável da renda utilizada para a manutenção dos mesmos e de seus familiares". 

Segundo o TJ-RS, a decisão vale a partir do momento em que as os réus tomarem ciência do oficio informando a sentença. Para agilizar os procedimentos, o documento já foi emitido e está em posse dos vereadores, que vão entregá-lo diretamente aos réus - prefeitura, EPTC e Conselho Municipal de Trânsito Urbano (Comtu).

Protestos reúnem milhares em Porto Alegre
Desde 2012, diversos protestos contra o aumento da tarifa de ônibus foram realizados na capital gaúcha. Após o último reajuste, as manifestações tomaram mais força. No último dia 1º, pelo menos 5 mil pessoas paralisaram o centro da cidade em uma passeata que percorreu as principais ruas.

Cinco dias antes, um protesto terminou em confronto entre estudantes e policiais militares em frente à prefeitura. Pelo menos uma pessoa ficou ferida e outra foi presa durante a manifestação, que reuniu cerca de 300 pessoas. Segundo o relato de testemunhas, os manifestantes tentaram forçar a entrada no prédio e foram impedidas pela polícia, que reagiu com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. O secretário municipal de Coordenação Política e Governança Local, Cézar Busatto, tentou falar com os manifestantes, mas foi atingido com tinta. Durante o tumulto, foram quebradas várias janelas do prédio.

No dia 26 de março, um dia após o reajuste entrar em vigor, um protesto fechou duas das principais avenidas de Porto Alegre por cerca de três horas: a Ipiranga, sentido centro-bairro, nas proximidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), e a Bento Gonçalves, no bairro Agronomia, próximo ao campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

READ MORE - Após protestos, liminar do TJ suspende aumento do ônibus em Porto Alegre

Ônibus de Santos não vai mais aceitar dinheiro, apenas o Cartão Transporte

Os usuários de ônibus de Santos, no litoral de São Paulo, serão obrigados a ter o "Cartão Transporte" a partir do próximo dia 23 de abril porque os ônibus não vão mais aceitar dinheiro. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) da cidade está com ônibus itinerantes para quem pretende fazer o cartão.

Quatro ônibus estão circulando pela cidade para quem ainda não tem o cartão. Alguns usuários concordam com a nova medida. "Agiliza mais a viagem. O motorista fica com mais atenção ao trânsito ao invés de ficar pegando troco, dando troco", conta o aposentado Gilmar Henry Mulfait.

Na Rua João Pessoa, bem em frente ao Poupatempo, no bairro Centro, um dos ônibus realiza o atendimento. "Aqui a gente montou um escritório de uma loja que faz o cadastro do cartão transporte. Os postos fixos são os mesmos que já tinham, são oito lojas que a Viação Piracicabana tem pela cidade. Além disso, pode cadastrar o cartão pela internet", explica o diretor de transporte da CET Rogério Vilani.

O cartão é de graça, sai na hora, e só é preciso o número do CPF para fazer o cadastro. Para quem não tiver o cartão quando a nova norma passar a valer a opção também são os cartões múltiplos com 2, 4 ou 10 passagens. "Já é um produto que existe e que está sendo distribuído nos locais que já estão cadastrados e nos que estão ampliando também vai ter. O cartão múltiplo ainda tem uma terceira opção de comprar com os vendedores de passagem nos próprios pontos de ônibus", completa o diretor.

READ MORE - Ônibus de Santos não vai mais aceitar dinheiro, apenas o Cartão Transporte

Apesar de lei, motoristas de ônibus ainda cobram passagem em Curitiba

Mesmo tendo entrado em vigor no dia 27 de março de 2013, a lei municipal nº 14.150, que proíbe a dupla função de motoristas de ônibus em Curitiba, está sendo descumprida pelas empresas concessionárias do transporte público. A reportagem do G1 registrou uma série flagrantes de motoristas cobrando passagens e dirigindo veículos na manhã desta quinta-feira (4).

Publicada em Diário Oficial do Município em 27 de novembro de 2012, com 120 dias para passar a vigorar, a lei justamente coíbe a prática adotada em alguns veículos do transporte público da cidade. “É proibido às empresas concessionárias de serviços de transporte coletivo em Curitiba incumbir aos motoristas a atribuição simultânea de condução do veículo e cobrança de passagens”, diz o artigo 1º da lei. De acordo com a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), que administra o transporte na capital, 194 micro-ônibus adotam este modelo atualmente, entre convencionais e alimentadores.

Entre as justificativas apresentadas durante a tramitação do projeto na Câmara Municipal, além da questão do emprego, está o desrespeito ao Código de Trânsito, já que os motoristas precisam, além de prestar atenção ao trânsito e às portas, receber o dinheiro da passagem, calcular e distribuir o troco aos passageiros. O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) reagiu à época, dizendo que a mudança acarretaria em um aumento na tarifa porque os veículos foram concebidos sem espaço para o cobrador.

O aumento do preço da passagem de fato ocorreu no mês de março, passando de R$ 2,60 para R$ 2,85. Segundo a Urbs, a aplicação da lei só deve ter efeito na tarifa quando ela for novamente calculada, na data-base de 2014. Contudo, passados os 120 dias de adaptação, a dupla função segue sendo exercida na capital paranaense. A maior parte dos motoristas abordados pelo G1 evitou comentar o assunto, mas, sem serem identificados, alguns deles lamentaram a situação. “É complicado. Não tem como fazer direito as duas funções”, afirmou um condutor.

Entre as situações encontradas pela reportagem estão as longas filas que se formam quando há um número maior de passageiros no mesmo ponto. Como o motorista não pode receber o pagamento com o veículo em movimento – o que é reforçado por um painel luminoso que fica diante do condutor – é preciso aguardar a entrada e a passagem pela catraca de todos os usuários.

A reportagem fez um teste pagando o motorista de um micro-ônibus com uma nota de R$ 20 – o troco máximo permitido. Apesar do aviso luminoso, o motorista arrancou e devolveu o troco com o veículo em movimento, em uma operação que levou 33 segundos. Segundo o condutor, a medida é necessária para evitar atrasos nos horários estabelecidos.

Fiscalização

O texto da lei estabelece que o primeiro descumprimento registrado deve ser alvo advertência escrita por parte da Urbs, que deve receber uma defesa da empresa infratora em até 30 dias. A reincidência implica multa de R$ 10 mil por situação, e após o trânsito em julgado destas multas, em caso de persistência da dupla função, a permissão da empresa pode ser cassada pela prefeitura de Curitiba.

O G1 questionou a Urbs sobre os procedimentos de fiscalização, que informou que optou por conceder mais 30 dias para adaptação da estrutura física dos veículos – um “período de orientação”, segundo o órgão. Este prazo deve terminar ao fim do mês de abril, quando as empresas que descumprirem a lei devem, de fato, receberem a primeira advertência por escrito. Desta forma, as multas de R$ 10 mil só poderão ser aplicadas após o indeferimento do recurso das empresas, 30 dias após a notificação, se este for o caso, empurrando para o mês de junho as possíveis sanções financeiras às concessionárias.

Em nota publicada no site oficial, o Setransp afirma apenas que “A referida lei não apresenta fonte de custeio para a readequação de frota e contratação de novos funcionários”. A reportagem entrou em contato com o órgão questionando o descumprimento da lei e aguarda retorno.

Fonte: G1 Paraná
READ MORE - Apesar de lei, motoristas de ônibus ainda cobram passagem em Curitiba

Fortaleza pode ter linhas de ônibus exclusivas para mulheres

Em meio a discussões acaloradas sobre as dificuldades enfrentadas diariamente por usuários do transporte público da Capital, uma proposta inusitada está tramitando na Câmara Municipal de Fortaleza: a criação de linhas de ônibus exclusivas para mulheres.

Conforme a proposta, o horário de atendimento desse serviço seria das 6h e 8h e entre as 17h e 19h Foto: Fabiane de Paula

O projeto de indicação foi apresentado pela vereadora Ba (PTC), mas precisa ser acatado pela Prefeitura de Fortaleza, caso os demais parlamentares concordem com a ideia e aprovem a matéria.

Por enquanto, a iniciativa está em análise na Comissão de Legislação da Câmara. A parlamentar justifica a sua proposta lembrando os momentos de assédio moral e sexual que as mulheres passam ao usarem ônibus. "Com carros exclusivos para as mulheres nesses horários de concorrência, elas estarão livres desses assédios criminosos de homens aproveitadores", disse.

A proposta diz que o horário de atendimento desse serviço seria das 6h e 8h e entre as 17h e 19h. Além disso, os coletivos teriam que entrar em terminais e serem especificados por meio identificação visual, para facilitar o acesso.

A vereadora Ba acrescenta que a ideia já existe na Cidade do México, onde 25 rotas circulam pintadas de rosa. No Rio de Janeiro, uma lei obriga empresas concessionárias do sistema ferroviário e metroviário a destinarem vagões exclusivos para uso para mulheres, em horário de pico.

READ MORE - Fortaleza pode ter linhas de ônibus exclusivas para mulheres

Linha do metrô de São Paulo fica R$ 1 bilhão mais cara

Depois de quase seis meses do lançamento do edital do prolongamento da Linha 2-Verde do metrô de São Paulo, o investimento total no projeto, previsto pelo governo de São Paulo, ficou R$ 1,1 bilhão mais caro. A obra vai estender a linha da Vila Prudente, na região leste de São Paulo, à rodovia Presidente Dutra, próximo à divisa com Guarulhos, terá 13,5 quilômetros de extensão e 12 estações. O projeto recebeu na semana passada licença ambiental prévia.

O lançamento do edital da obra ocorreu em 15 de outubro de 2012 e foi feito pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em ato na estação Corinthians-Itaquera, na região leste. Na época, Alckmin afirmou que o investimento total, incluindo trens, sistema elétrico e obras, chegaria a R$ 7,7 bilhões, com recursos totalmente aplicados pelo governo do Estado. Ontem, o Metrô informou que o investimento saltou para R$ 8,8 bilhões, 14,3% a mais do que o inicialmente previsto.

De acordo com o Metrô, o processo de pré-qualificação para contratação das obras de extensão da Linha 2-Verde está em andamento e ainda não há valor final para o intervenção, já que ainda não há projeto básico da obra. "Os custos estimados para a licitação só serão estabelecidos após a conclusão dos projetos básicos. O valor de R$ 8,8 bilhões é apenas uma projeção, que é uma exigência legal", informou a empresa em nota.

O Metrô afirmou ainda que para o financiamento do projeto está contratando uma linha de R$ 1,5 bilhão com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que estuda outras formas de financiamento. A estimativa da companhia é concluir o primeiro trecho do projeto no fim de 2018 e a linha completa em 2019.

A licença prévia foi emitida pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), mas ainda não permite o início das obras. De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô, para garantir o começo da intervenção, a companhia entrará agora com processo de solicitação da licença ambiental de instalação.

Com o prolongamento, a Linha 2-Verde, que começa na Vila Madalena, região oeste de São Paulo, fará interligação com a Linha 3-Vermelha, na estação Penha. O número de passageiros que serão transportados quando a obra estiver concluída também mudou. No lançamento do edital do prolongamento, a previsão era que esse número saltaria para 1,1 milhão. Agora, a previsão é transportar 1,7 milhão de passageiros.

A linha é uma das sete previstas para os próximos anos pela Secretaria de Transportes Metropolitanos. Até 2015, o sistema metroferroviário deve receber mais 30 quilômetros de metrô e 41 quilômetros de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Entre os projetos previstos para os próximos anos estão a conclusão da Linha 4-Amarela do metrô (Luz-Vila Sônia), obras da extensão da Linha 5-Lilás (Santo Amaro-Chácara Klabin), início do monotrilho da Linha 17-Ouro (Aeroporto de Congonhas-Morumbi), da Linha 13-Jade da CPTM (Engenheiro Goulart-Aeroporto de Guarulhos), do monotrilho da Linha 15-Prata (Vila Prudente-São Mateus), da Linha 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim), e da Linha 20-Rosa (Lapa-Moema).

READ MORE - Linha do metrô de São Paulo fica R$ 1 bilhão mais cara

Projeto do metrô de Curitiba é tema de audiência pública

A implantação do metrô curitibano foi tema ontem de audiência pública na Câmara de Curitiba. A proposta atual – apresentada ainda na gestão do prefeito Luciano Ducci (PSB) – está sendo totalmente revista por uma comissão técnica. Até o fim deste semestre, o grupo deve apresentar um parecer quanto à viabilidade da obra.

Ontem, o projeto recebeu uma série de críticas. O diretor do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR), Valter Fanini, disse que a proposta está “encalhada”, porque não há projeção de demanda futura quanto ao modal. A presidente do Instituto Reage Brasil, Clair Martins, questionou o ponto que prevê a execução e exploração da obra por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP). Segundo ela, 74% do dinheiro usado na construção do metrô curitibano sairia de cofres públicos e apenas 26% viria da iniciativa privada. No entanto, a empresa vencedora da licitação teria direito a explorar o sistema por um período de 25 a 30 anos.

READ MORE - Projeto do metrô de Curitiba é tema de audiência pública

Em Campinas, Renovação da frota continua com mais 20 ônibus acessíveis

Dando continuidade ao processo de renovação, melhoria e acessibilidade da frota do transporte público coletivo municipal, iniciado pelo prefeito Jonas Donizette no começo de fevereiro, Campinas recebeu mais 20 novos ônibus acessíveis. Desse total, seis são veículos articulados e 14 convencionais.

No dia 4 de fevereiro, outros 27 veículos, todos acessíveis, entraram em operação na região do Ouro Verde. A apresentação dos 20 veículos para a população foi na manhã desta terça-feira, dia 2 de abril, no Terminal Barão Geraldo; e contou com a participação do prefeito Jonas Donizette, da deputada estadual Célia Leão, secretários, vereadores, empresários, representantes de conselhos municipais, motoristas, cobradores e usuários do espaço.

“Estamos trabalhando para destravar a cidade e o transporte público de qualidade e acessível é uma das prioridades da Administração”, destacou Jonas Donizette. “Também vamos receber R$ 260 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Pavimentação, que serão empregados para asfaltar itinerários de ônibus em regiões importantes do município, como na Vila Esperança, no Campo Grande e no Ouro Verde, sem esquecer de melhorar os pontos de ônibus da periferia”, revelou o prefeito.
Para o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Sérgio Benassi, “os novos veículos trazem maior qualidade, eficiência e rapidez ao transporte coletivo, sem descuidar da acessibilidade”.

Já a deputada Célia Leão destacou o “compromisso do prefeito com a cidade e, principalmente, com o povo de Campinas”.

Representando os vereadores, Artur Orsi salientou a “capacidade que a atual Administração Municipal tem demonstrado no planejamento e realização de ações para resgatar o orgulho do povo campineiro”.

A secretária do Direito das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuele Garrido Alkmin, lembrou que “o ônibus acessível não é somente para a pessoa com deficiência, mas também para o idoso, para as gestantes, para todos nós. Esses veículos garantem autonomia e o direito de ir e vir de todas as pessoas”.

Operação

Os 14 novos veículos convencionais atendem as regiões do Jardim Santa Mônica, Jardim Aliança, Cambuí, São Bernardo, Unicamp e Joaquim Egídio. Essas regiões fazem parte da Área 3 (Verde) do Sistema InterCamp (sistema de transporte público coletivo municipal), formada pelas regiões de Barão Geraldo, Sousas, Amarais, Rodovia Campinas - Mogi Mirim e Corredor Abolição. A Área Verde é atendida pelo Consórcio Urbcamp, formado pelas empresas VB Transportes e Turismo Ltda. e Coletivos Pádova Ltda.

Já os seis veículos articulados operam na linha 1.21 – Terminal Ouro Verde. Essa linha está inserida na Área 1 (Azul Claro), que atende as regiões do Ouro Verde, Vila União, Corredor Amoreiras e Campo Belo; e é de responsabilidade da VB Transportes e Turismo Ltda.

Os novos veículos beneficiam, diretamente, 25,7 mil passageiros diários do transporte público coletivo municipal. Os investimentos das empresas foram da ordem de R$ 6,3 milhões.

Acessibilidade

Todos os 20 veículos são acessíveis. Eles são dotados de piso rebaixado ou elevador, para acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; balaústres emborrachados para direcionamento ao botão de parada; botão de parada com indicação em braile; espaço para cadeirantes; bancos para idosos, obesos e gestantes; além de encostos dos bancos mais altos, oferecendo maior conforto e comodidade aos usuários.

Os veículos convencionais têm capacidade para 64 passageiros. Já os articulados transportam, em média, 102 passageiros.

Linhas favorecidas

Confira as linhas com novos veículos:

1.21 – Terminal Ouro Verde (seis novos veículos articulados);

3.11 – Jardim Santa Mônica (três novos veículos);

3.30 – Unicamp (três novos veículos);

3.42 – Jardim Aliança (dois novos veículos);

3.82 – Cambuí / Campinas Shopping (quatro novos veículos);

3.90 – Joaquim Egídio (dois novos veículos).

InterCamp

Com esses novos veículos, o InterCamp possui 1.247 ônibus. São 999 veículos de empresas concessionárias e 248 do serviço complementar (alternativo).

Do total de veículos, 582 são acessíveis, sendo 509 das empresas e 73 do complementar. Os veículos acessíveis representam 46,7% da frota. A idade média do InterCamp é de 4,7 anos.

O Sistema InterCamp registra, na catraca, a média de 620 mil passageiros por dia, volume que representa aproximadamente 240 mil usuários.

Dados do Terminal Barão Geraldo

O Terminal Barão Geraldo foi inauguração em 1985; e recebe 21 linhas do Sistema InterCamp. São 45 mil pessoas que circulam, diariamente, pelo local.

O terminal fica na Rua Luiz Vicentin, em Barão Geraldo.

Linhas no Terminal Barão Geraldo: 1.34; 2.10; 2.69; 3.00; 3.14; 3.15; 3.19; 3.20; 3.21; 3.22; 3.23; 3.24; 3.25; 3.26; 3.27; 3.28; 3.29; 3.31; 3.32; 3.33; e 3.38.

Dados do Terminal Ouro Verde

O Terminal Ouro Verde foi inaugurado em 1988; e recebe 28 linhas do InterCamp. Por dia circulam 65 mil pessoas pelo local.

O Ouro Verde fica na Rua Armando Frederico Renganeschi, no Jardim Cristina.

Linhas no Terminal Ouro Verde: 1.01; 1.02; 1.03; 1.04; 1.05; 1.06; 1.07; 1.08; 1.09; 1.10; 1.11; 1.12; 1.13; 1.16; 1.18; 1.19; 1.20; 1.21; 1.22; 1.23; 1.25; 1.28; 1.32; 1.34; 1.96; 1.98; 2.05; e 2.39.

READ MORE - Em Campinas, Renovação da frota continua com mais 20 ônibus acessíveis

CPTM abre 28 vagas para jovens aprendizes

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) abriu inscrições para seu programa Aluno aprendiz, voltado a jovens interessados a atuar na administração do órgão. São 28 oportunidades, sendo duas exclusivamente para pessoas com deficiência.

Podem se candidatar jovens nascidos entre 18 de julho de 1994 a 18 de julho de 1995, com ensino médio completo e disponibilidade de horário para atividades das 8h às 12h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Além das atividades práticas supervisionadas pela CPTM, os selecionados receberão capacitação teórica com aulas de comunicação, informática básica, organização de escritório, fundamentos de contabilidade e custos, princípios de administração de recursos humanos, introdução ao sistema financeiro, fundamentos básicos de logística e práticas administrativas.

O contrato será em regime CLT e os participantes receberão um salário mínimo.
O processo seletivo consiste em prova sobre língua portuguesa, matemática e atualidades. Os aprovados serão convocados a próxima etapa com avaliação de perfil profissional.

Interessados devem efetuar inscrição entre os dias 14 e 28 de abril, no site www.makiyama.com.br. O valor da taxa de participação é de R$ 15.

Mais informações podem ser obtidas no edital de abertura anexado em três documentos ao lado, a partir do título: “Concurso Público N° 001/2013 – Aluno Aprendiz”, em negrito.

READ MORE - CPTM abre 28 vagas para jovens aprendizes

Metrô de Fortaleza e Seinfra lançam cartilha explicativa sobre VLT Parangaba-Mucuripe

Com o objetivo de dirimir dúvidas frequentes a respeito do Ramal VLT (veículo leve sobre trilho) Parangaba-Mucuripe, já está disponível, no site do Metrô de Fortaleza (www.metrofor.ce.gov.br), uma cartilha explicativa a cerca do projeto. O material é fruto de uma parceria estabelecida entre a Secretaria da Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra), o Metrô de Fortaleza e a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para dar mais transparência as ações do poder público. Também participou do processo de edição de conteúdo a Defensoria Pública do Estado.

Além de fornecer informações sobre a implantação do transporte ferroviário de passageiros (já existente para carga), a publicação foca na orientação da comunidade lindeira sobre o processo de desapropriação resultante da obra. Para tanto, é exposto todo um planejamento desenvolvido pelo Governo do Estado, desde a identificação dos imóveis que deverão ser impactados parcial ou totalmente, até a escolha das novas moradias, a qual preza pela manutenção dos laços de vizinhança entre as famílias atingidas.

Ao todo, a cartilha é dividida em 10 tópicos: Apresentação; Mobilidade Urbana; O Projeto VLT; O processo de desapropriação; Surge o Projeto Cidade Jardim: sua nova moradia; Acompanhamento social das famílias – TTS; Entenda a lei; Contando a história em quadrinhos; Perguntas e respostas; e As leis na íntegra. O conteúdo demonstra a relevância do ramal para a mobilidade urbana da cidade, uma vez que atravessa 22 bairros e atenderá cerca de 90 mil passageiros/dia em quatorze veículos que ainda serão integrados a outros modais de transporte.

Integração

O projeto VLT Parangaba-Mucuripe prevê, dentre outras, a construção de três tipologias de estação, sendo uma elevada em Parangaba, que fará integração com a Estação Parangaba - Linha Sul do Metrô de Fortaleza e o terminal de ônibus do Sistema Integrado de Fortaleza, a Estação elevada do Papicu (que fará a integração com a Linha Leste do Metrô e o terminal de ônibus) e outro tipo de padronização para as outras oito estações: Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antônio Sales, Mucuripe e Iate Clube.

O novo modal vai operar em via dupla e fará conexão ferroviária de 12,7 km entre a Estação Parangaba e o Porto do Mucuripe, sendo 11,3 km em superfície e 1,4 km em elevado e se constitui em uma das grandes obras estruturantes no conceito de mobilidade urbana em Fortaleza para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014.

READ MORE - Metrô de Fortaleza e Seinfra lançam cartilha explicativa sobre VLT Parangaba-Mucuripe

Em São Paulo, CPTM e Sesc emprestam livros a passageiros

A CPTM em parceria com o SESC Osasco, realizará às quartas-feiras deste mês de abril, das 10 às 16h, na estação Comandante Sampaio da Linha 8-Diamante [Júlio Prestes-Itapevi], o projeto BiblioSESC, voltado ao incentivo à educação e cultura. 

Trata-se de uma sala de leitura volante, que disponibilizará cinco mil novos livros de diversas categorias [aventura, romance, policial, suspense, entre outras] para todos os públicos. Os livros estarão expostos na carroceria de um caminhão, estacionado na lateral da escada de acesso à estação.

Para quem ficar na dúvida quanto à melhor opção diante da diversidade de temas da biblioteca móvel, pode contar com o auxílio de profissionais que orientarão na escolha dos títulos. Além da consulta e leitura no local, os livros estarão disponíveis para empréstimo por 15 dias, mediante apresentação da carteirinha do BiblioSESC, que poderá ser confeccionada no local. Para tanto, é necessário levar o RG e um comprovante de residência.

Serviço:
Evento: BiblioSESC
Data: 03, 10, 17 e 24/04
Hora: das 10 às 16h
Local: estação Comandante Sampaio da CPTM
End.: Av. dos Autonomistas, 5.100 - Osasco

READ MORE - Em São Paulo, CPTM e Sesc emprestam livros a passageiros

Zona livre de carros em SP pode chegar ao centro

A cidade de São Paulo pode ganhar mais uma zona livre de carros, nos moldes da que começou a funcionar na sexta-feira (29/03), no Largo 13 de Maio, em Santo Amaro, na zona sul da capital. A próxima deverá ficar na região central. Foi o que disse ontem o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, que não deu prazo para isso ocorrer.

"Eventualmente, um dia, em um tempo não tão distante, vamos fazer na região central", afirmou Tatto, acrescentando que, em seu primeiro dia útil, a experiência do Largo 13 melhorou em 30% a fluidez dos ônibus.

Nesta semana, os motoristas que circulam pela zona livre de carros estão sendo orientados sobre as restrições. A partir da próxima segunda-feira (08), quem trafegar pelas ruas em que há proibições de circulação nos horários de pico - das 5h às 10h e das 16h às 20h - receberá uma multa de R$ 85,13, além de ter cinco pontos descontados na carteira de habilitação.

A CET informou que antes de começar a aplicar as penalidades decidirá se as regras serão as mesmas para moradores e comerciantes locais. "Estamos dialogando com a comunidade para discutir possíveis excepcionalidades."

Por dia, 38.160 pessoas usam as 50 linhas municipais de ônibus que passam pelo Largo 13. São 380 veículos por hora no pico da manhã. De acordo com a São Paulo Transporte (SPTrans), não serão criadas novas linhas, porque o objetivo da restrição é a "redução no tempo de viagem".

Segundo Paulo Roberto Vitorino, gerente de unidade da SPTrans, ontem houve uma redução de dois minutos no trajeto dos ônibus. "Isso implica adiantamento de 30 minutos em todo o percurso do passageiro."

Divergências
A medida, entretanto, divide opiniões. Para Américo Nunes, de 80 anos, dono de um estacionamento e de uma loja na Rua Barão do Rio Branco, o movimento das lojas vai cair. "Quem tiver estacionado antes do horário de restrição vai ser multado? Ninguém da CET nos informou. Dez mensalistas do estacionamento já disseram que vão sair."

A gerente de uma loja na Alameda Santo Amaro, Helena Moreira de Souza, de 31 anos, afirmou que teve uma redução de 30% nas vendas ontem. "A maioria dos meus clientes vem de carro." Indignado, o comerciante Antonio Gonçalves Pereira, de 64 anos, discutia com o agente de trânsito que orientava os motoristas na tarde de ontem, na Rua Barão do Rio Branco. "Moro em Diadema, tenho de chegar cedo ao trabalho e mesmo assim vou ter de ficar esperando até as 20h?" A orientação do agente da CET foi de que ele aguardasse o fim da restrição para não ser multado.

Parado
Para a estudante Daniela Silva, de 31 anos, que todo dia passa pelo Largo 13, a restrição vai diminuir o trânsito. "No horário de pico, fica tudo parado. A disputa é entre carro e ônibus." Ontem, a atendente Ester Carvalho, de 31 anos, deixou o carro em casa. "Não tive opção, vim de ônibus porque não sabia se ia conseguir sair." 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Zona livre de carros em SP pode chegar ao centro

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960