No Rio, Unificação de passagens de ônibus divide usuários

sexta-feira, 31 de maio de 2013

De acordo com o contrato de concessão, o reajuste anual de tarifas de ônibus na cidade do Rio deveria ter sido concedido no dia 1º de janeiro deste ano. Mas, por solicitação do governo federal, a nova tarifação foi adiada para junho. A partir deste sábado, será R$ 2,95 o preço das passagens de todos os ônibus comuns da cidade do Rio, com ou sem ar condicionado.
Foto:  Alexandre Vieira / Agência O Dia
Antônio Coimbra é morador da Freguesia. Para fechar negócios, o corretor precisa percorrer toda a cidade. Ele reclama que a maioria dos ônibus com ar está na Zona Sul. “É o povão que vai pagar a conta porque anda mesmo é de quentão, disse. 


Moradora de Jacarepaguá, a fisioterapeuta Gisele Palma gostou da unificação. “Num primeiro momento, parece que é bom, mas tem de vir junto com mais qualidade”, frisou.

A tarifa única representa uma elevação de 20 centavos na tarifa dos ônibus sem ar, que hoje é de R$ 2,75, e uma redução no preço de grande parte dos veículos refrigerados, que começa em R$ 2,85 e chega a R$ 5,40 nos percursos mais longos.

Com a decisão, os passageiros que fazem a integração de veículos refrigerados e sem ar pagarão só a tarifa básica com o Bilhete Único Carioca. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, a medida beneficiará cerca de 5 milhões de passageiros por mês que usam ônibus urbanos com ar-condicionado e poderão economizar até R$ 3 por viagem. 

A frota de ônibus urbanos do Rio é de 8,7 mil veículos. Apenas cerca de 800 têm ar-condicionado, menos de 10% do total. É o que questiona a diarista Ana Gomes.

Moradora da Ilha do Governador, ela trabalha em Copacabana e diz que o aumento nos “quentões” vai pesar no bolso dela, da filha e do genro. Desconfiada, Ana acha que as empresas vão tirar os ônibus refrigerados das ruas. 
“Ué, vai diminuir o preço do ônibus com ar-condicionado? Mas quase não existe ônibus com ar-condicionado na cidade. Isso é coisa pra tapear o povo. Vai ficar uma coisa pela outra. Eles aumentam o preço do ônibus na maioria dos lugares e diminuem na Zona Sul”, analisa.

Toda frota com ar

Já professora Eva Vider, especialista em transportes da UFRJ, considera a unificação como um indício de que toda a frota deverá ter ar-condicionado, promessa feita pelo prefeito Eduardo Paes. “A tendência é que os ônibus ofereçam mais conforto. Os novos contratos de concessão já levam em consideração a exigência de ar”, disse. 

Com a instituição da tarifa única na cidade, apenas os frescões, ônibus rodoviários com ar-condicionado, continuarão com tarifa diferenciada.

A Secrtaria de Transprotes garante que a frota com ar não será reduzida e que, até 2016, todos os coletivos da cidade serão refrigerados. Além disso, passageiros com direito à gratuidade poderão usar qualquer ônibus.

Informações: O Dia

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960