Manifestantes protestam contra aumento da tarifa de ônibus no Rio de Janeiro

terça-feira, 21 de maio de 2013

Pacificamente, cerca de 80 pessoas realizaram na tarde desta segunda-feira (20) um protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro. O grupo se reuniu por volta das 16h30 na estação de metrô Cidade Nova, em frente à sede da Prefeitura e, após acordo com os PMs que estavam acompanhando o ato, seguiram até estação Central do Brasil, ocupando uma faixa da pista da direita da Avenida Presidente Vargas, o que gerou retenções na via. O mesmo protesto já ocorreu nas cidades de Porto Alegre (RS) e Natal (RN).

O aumento das tarifas no Rio, de R$ 2,75 para R$ 3,05, já estava previsto desde o final do ano passado, mas em fevereiro a presidente Dilma Rousseff pediu aos municípios de São Paulo e Rio de Janeiro para adiar o aumento das tarifas, temendo que a inflação oficial (IPCA) batesse 1% em janeiro e alimentasse as expectativas para o ano.


Em 24 de abril de 2013, porém, o prefeito Eduardo Paes confirmou que o reajuste tarifário das passagens de ônibus está previsto para junho.


Durante o protesto desta segunda-feira (20), os manifestantes gritaram frases de ordem como “A gente paga, mas não deveria, porque transporte não é mercadoria” e “Paes, mas que absurdo, R$ 3,05 nas passagens eu me recuso”. Para o organizador do ato, Fabrício Silva, a prefeitura poderia aumentar a concorrência entre as empresas de ônibus.

“Uma maior concorrência aumenta a qualidade do serviço prestado pelas empresas. Sou contra o transporte público privatizado, mas como isso seria impossível, uma primeira atitude da prefeitura poderia ser realizar uma licitação que possa dividir entre mais empresas o transporte. Um terço dessas empresas estão na mão de quatro empresários, que são os mesmo que ajudaram a financiar a campanha eleitoral do Paes”, opinou Fabrício.

O manifestante também criticou a diferença entre a qualidade dos ônibus que circulam na zona Sul em relação a outros bairros da cidade.

“Na zona Sul os ônibus são bem equipados, com qualidade, mas se você for para Bangu, por exemplo, não há o mesmo padrão. Se existe um bom transporte na zonal Sul, por que não existe em outros pontos da cidade? Por que aumentar a passagem na cidade inteira, se na zona Sul já tem ônibus de qualidade? A linha 382, que vai da Carioca a Piabas, é sucateada, falta cadeira, tem mijo e fezes; já a linha 583 (Cosme Velho – Leblon) tem ar-condicionado e até parece que você está fora do Brasil”, comparou Fabrício.

Outro manifestante, o cientista social Pedro Paulo Cruz, ao comentar a qualidade do serviço, disse que “não houve nenhuma mudança significativa que justificasse o aumento (das passagens)”. Ele afirma que as empresas, além de explorar seus funcionários, não têm qualidade no serviço. "A solução seria mudar a concepção de transporte de massa", propôs.

“O poder público trabalha o transporte de massa em cima dos ônibus, mas o modelo ideal seria optar pelos transportes de trilho”, opinou Cruz.

por Caio Lima
Informações: Jornal do Brasil

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960