Mobilidade urbana de São Bernardo fica em 'ponto morto'

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Único prefeito reeleito na região, Luiz Marinho (PT) completou 100 dias do seu segundo mandato nesta semana. Apesar de já estar no comando da cidade há quatro anos e São Bernardo não ter problemas financeiros como alguns municípios vizinhos, Marinho ainda não conseguiu implementar seus principais projetos, principalmente relacionados a mobilidade urbana, carro-chefe durante a campanha eleitoral.
Foto: g1.globo.com
Em entrevista ao Marinho faz um balanço da continuidade de sua gestão e alega que "melhorias não acontecem com passe de mágica". Confira abaixo:

Posso apontar para você não dificuldades, mas grandes desafios que me impus nesse segundo mandato. O primeiro é transformar a mobilidade urbana de São Bernardo em referência no Brasil. Outra área que estamos e vamos investir ainda mais ao longo dos próximos anos é no combate às enchentes. Como é um governo de continuidade não dá para falar em 100 dias sem levarmos em consideração a mudança que foi implantada nos últimos quatro anos.

Não existe passe de mágica. Melhorias efetivas na mobilidade urbana em cidades como São Bernardo são alcançadas apenas com muito planejamento, tempo e investimentos de grande porte. Então, as coisas não acontecem na velocidade que eu e a comunidade gostaríamos, sempre para ontem, levamos um pouco mais de tempo. Mesmo assim fizemos muita coisa desde 2009.

Um marco importante desses primeiros meses foi o anúncio do Programa Drenar, que prevê investir R$ 636 milhões em obras para combater às enchentes. Apenas na Vila Vivaldi, o investimento será de R$ 145 milhões. As intervenções devem durar 18 meses.

O projeto está bem adiantado e posso afirmar que até o final do ano as 400 câmeras estarão instaladas na cidade: em todas as escolas municipais.

Desde o início de meu primeiro mandato procuramos apresentar projetos de qualidade aos governos federal e estadual. É um processo contínuo e gerou a instalação de nove Unidades de Pronto Atendimento e a construção do Hospital de Clínicas. No momento oportuno nova parcerias serão anunciadas.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960