Recife: À espera dos novos terminais de integração

sexta-feira, 28 de setembro de 2012


A inauguração dos novos Terminais de Integração (TI) tem deixado os usuários do transporte coletivo do Recife ansiosos. Pelo Cidadão Repórter, fórum colaborativo do Pernambuco.com, internautas divulgam suas críticas e dúvidas, além de discutirem sobre quais linhas deveriam ser implantadas para que as comunidades sejam melhor atendidas. 

Entre os terminais mais debatidos estão os de Xambá, em Olinda, Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, e Tancredo Neves, no Recife. A estrutura física desses três terminais já está concluída mas a população ainda não pode usufruir dos seus serviços. “É preciso esperar a conclusão de outros projetos para inaugurar esses terminais”, explica André Melibeu, diretor de planejamento do Consórcio Metropolitano de Transporte. “Só com a conclusão dos outros projetos a população terá um ganho real. No caso do Terminal de Cajueiro Seco e Tancredo Neves, é preciso aguardar melhores condições no metrô. Já o Terminal de Xambá depende da conclusão das obras na Avenida Presidente Kennedy”. 

As razões, já conhecidas pela maioria dos internautas do fórum, não agradam a todos. “Acho um verdadeiro absurdo o Governo do Estado colocar a culpa da não inauguração dos Terminais de Tancredo Neves e Cajueiro Seco no Metrorec. Já que era sabido que a atual frota de trens não é capaz de de suportar a demanda dos Terminais Integrados da linha Sul, deveriam ter dado prioridade a reforma de outros terminais, como o da Macaxeira, Joana Bezerra e Barro”, opina o cidadão repórter Léo Silva.

Apesar dos desencontros entre usuários do transporte e órgãos responsáveis, André Melibeu afirma que a população é sempre consultada. “Sempre apresentamos o nosso trabalho interno para as comunidades, que opinam, reclamam, sugerem itinerários. Um exemplo foi durante uma reunião com as comunidades atendidas pelo Tancredo Neves. Havia uma demanda muito grande da população por uma linha menos complicada para chegar ao IMIP. Por uma questão social, decidimos implantar essa linha”, conta. As reuniões são confirmadas por internautas do Cidadão Repórter.

O total de linhas e itinerários de cada Terminal não foi divulgado pelo Grande Recife pois, segundo o diretor de planejamento, ainda podem haver mudanças até o dia da inauguração. Ainda assim, o Pernambuco.com fez um raio-X dos novos terminais e antecipou o que já se sabe sobre o funcionamento deles.

Saiba mais:

Xambá, em Olinda
Terminal integrado de Xambá. Imagem: Grande Recife/Divulgação
Terminal integrado de Xambá. Imagem: Grande Recife/Divulgação

O Terminal de Xambá, que já está com sua estrutura completa, tem previsão de receber 40 mil pessoas e de levar em suas linhas cerca de 110 mil diariamente. Sua inauguração está prevista para o final de outubro deste ano, desde que a Avenida Presidente Kennedy, que passa por reformas para implantação de corredor de ônibus, tenha se readequado. “Não faz sentido inaugurar este TI com a Presidente Kennedy desse jeito. Não haveria benefício real para a população”, diz André Melibeu. De acordo com o diretor, as comunidades, que antes não participavam do Sistema Estrutural Integrado (SEI), demonstraram satisfação durante as reuniões. “Exceto a comunidade de Santa Casa, com a qual estamos em negociação”.

Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes 


Terminal integrado de Cajueiro Seco. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter
Terminal integrado de Cajueiro Seco. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter

O terminal de Cajueiro Seco também está finalizado. Para sua inauguração, é preciso aumentar a capacidade de passageiros do metrô, que, desde a inauguração do Terminal Aeroporto, está em alerta de lotação da linha sul. Para suprir a nova demanda de passageiros foram encomendados 15 novos trens. O primeiro dos trens deve chegar ao Recife em novembro deste ano. Por isso, somente em janeiro de 2013 um dos Terminais de Integração da linha sul deve começar a funcionar. “É possível que no começo do ano que vem um dos terminais seja inaugurado. Ainda está em estudo se será Cajueiro Seco ou Tancredo Neves, mas a preferência está com Cajueiro, pois assim a população do Cabo de Santo Agostinho seria inserida no SEI. Dessa forma, além de reduzir o tempo de viagem, a população também terá uma redução de tarifa. Os usuários da Muribeca e de Marcos Freire, por exemplo, passarão a pagar R$2,15 para se locomoverem até o centro do Recife”, conta o diretor de planejamento André Melibeu.

Tancredo Neves, no Recife


Terminal integrado Tancredo Neves. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter
Terminal integrado Tancredo Neves. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter

Assim como Cajueiro Seco, o TI Tancredo Neves, localizado na Imbiribeira, não foi inaugurado por falta de melhores condições no transporte metroviário. 21 linhas atenderão este Terminal, que atenderá as comunidades de Três Carneiros Baixo, Vila do SESI, Córrego da 

Gameleira, Três Carneiros, Lagoa Encantada, UR-03, UR-02, UR-05, UR-04, UR-06, UR-10, UR-11, Zumbi do Pacheco, Jardim Monte Verde, Alto Dois Carneiros e Candeias. 




O Sistema Estrutural Integrado 

Os Terminais de Integração fazem parte do Sistema Estrutural Integrado (SEI). Esse sistema, composto por ônibus e metrô, leva usuários até um TI com diferentes opções de destino. Geralmente a tarifa paga pelo usuário é reduzida, já que há troca de linhas sem o pagamento de nova passagem. Ainda assim, há relutância entre usuários que contam com linhas diretas para seus destinos. “Mesmo com a troca, o usuário pode chegar ao seu destino mais rapidamente”, diz o diretor de planejamento André Melibeu. “Com o metrô, com a racionalização do transporte, há benefícios para quem usa a integração. Em algumas situações tem também a redução tarifária”.

Por Laís Araújo / Diário de Pernambuco
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Recife: À espera dos novos terminais de integração

Obras fecham estações e mudam horários da CPTM e Metrô no fim de semana em SP


Por conta de obras de modernização e testes nas linhas, o Metrô de São Paulo e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) terão estações fechadas e alterações no funcionamento mais uma vez neste fim de semana.

Metrô

O Metrô dará continuidade neste domingo aos testes do sistema de Controle de Trens Baseado em Comunicação (CTBC) na Linha 2-Verde (Vila Prudente - Vila Madalena). Nesse dia, para a execução dos testes, as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã ficarão fechadas ao público das 4h40 às 21h.

Durante esse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese), que cobrirão o percurso do trecho interrompido. A operação contará com 18 ônibus, que vão atender as estações Vila Prudente, Tamanduateí, Sacomã e Alto do Ipiranga.

De acordo com o Metrô, os testes são realizados aos domingos, devido ao menor número de usuários que utilizam os trens e estações metroviárias nesse dia.


Em razão das obras da infraestrutura, a operação de trens na CPTM será realizada com maior intervalo nas linhas impactadas pelas obras, neste fim de semana.

Linha 7 (Luz – Francisco Morato): sábado, das 18h até o fim da operação comercial, haverá intervenções na via permanente. No domingo, durante todo o dia, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus estará fechado para intervenções de grande porte. Como opção, os usuários podem utilizar a Linha 7, entre as estações Luz e Palmeiras-Barra Funda, onde farão a transferência para a Linha 8, seguindo até a estação Domingos de Moraes. De lá, ônibus gratuitos levarão os usuários até a estação Perus, na Linha 7, onde a circulação de trens ocorrerá até Jundiaí. Os coletivos farão paradas para embarque e desembarque somente nas estações Domingos de Moraes, Pirituba e Perus.

Linha 8 (Júlio Prestes – Itapevi): domingo, das 9h até às 21h, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Júlio Prestes estará fechado para trabalhos na via permanente e sinalização. Como opção os usuários poderão utilizar a Linha 7 para chegar até a estação da Luz.

Linha 9 (Osasco – Grajaú): sábado, a partir das 20h até o fim da operação comercial de domingo, equipes atuarão nos sistemas de energia e de via permanente entre as estações Santo Amaro e Morumbi.

Linha 10 (Brás – Rio Grande da Serra): domingo, do inicio da operação comercial até 20h, serão realizadas intervenções na via permanente.

Linha 11 (extensão Guaianazes – Estudantes): sábado, das 20h até a 1h, o trecho entre as estações Suzano e Jundiapeba ficará fechado para trabalhos no sistema de rede aérea. Como opção, ônibus gratuitos atenderão os usuários entre as estações afetadas. No domingo, durante toda a operação comercial, serão realizadas intervenções no sistema de rede aérea.

Informações: O Dia

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Obras fecham estações e mudam horários da CPTM e Metrô no fim de semana em SP

Metrô do Rio recebe o ''Tatuzão'', equipamento, capaz de perfurar rocha e areia

O governo do Rio de Janeiro e a concessionária Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do metrô (Barra da Tijuca – Ipanema), receberam ontem, na Alemanha, o Tunnel Boring Machine (TBM), conhecido como Tatuzão. O equipamento, capaz de perfurar rocha e areia, vai escavar os túneis do metrô na zona sul sem explosões e sem abrir buracos ao longo das ruas.

“Eles serão construídos por baixo das vias sem impacto na superfície”, disse o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner.

Com 2 mil toneladas e 120 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro, o Tatuzão escava de 15 a 18 metros de túnel por dia, quatro vezes mais rápido que os métodos utilizados anteriormente no Rio.

O TBM, que será transportado de navio em 20 contêineres, deve chegar ao Rio no início do ano que vem e será montado de março a agosto, quando deverá entrar em operação.

A Linha 4 terá 270 pessoas trabalhando exclusivamente para operar o Tatuzão. Ele, ao mesmo tempo em que escava, instala os anéis de concreto que formam o túnel. Segundo o governo, “nos 5,7 km de obras na zona sul, só será necessário interditar 500 metros de vias”.

Funcionário morto

Um ajudante de produção da Rio Barra, José Geraldo P. Evangelista, de 26 anos, foi encontrado morto, ontem, dentro do banheiro químico de um canteiro de obras em São Conrado. Ele foi encontrado, sem ferimentos aparentes, por outros funcionários. Segundo a concessionária, a causa da morte ainda é desconhecida. A Polícia Civil investiga o caso.

Estações fechadas

Um problema técnico em um trem do metrô, na altura da estação General Osório, em Ipanema, fechou duas estações. Segundo a concessionária Metrô Rio, a circulação entre General Osório e Cantagalo ficou interrompida por cerca de 45 minutos, de 16h às 16h45. A estação de Copacabana também parou por 15 minutos. O trem estava vazio e indo para a garagem na hora da pane. 

READ MORE - Metrô do Rio recebe o ''Tatuzão'', equipamento, capaz de perfurar rocha e areia

PAC Mobilidade Grandes Cidades destina 64% dos recursos para transporte sobre trilhos


A solução para os problemas de mobilidade nas grandes cidades está na substituição do transporte individual para o coletivo, disse hoje (28), o secretário executivo do Ministério das Cidades, Alexandre Cordeiro Macedo, no encontro Infraestrutura de Transportes, Logística e Mobilidade Urbana no Brasil, promovido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). 

Dados do Ministério das Cidades indicam que está prevista a aplicação de R$ 22 bilhões por meio do PAC Mobilidade Grandes Cidade, dos quais 64% estão destinados a transportes sobre trilhos. O projeto, a ser desenvolvido em 15 cidades, envolve 213 quilômetros de extensão, com a meta de atender mais de 53 milhões de pessoas. Macedo apontou que, entre as melhorias na elevação da qualidade de vida da população garantidas pelo transporte coletivo, estão reduções de emissões de monóxido de carbono, acidentes, gastos e tempo de locomoção. ''Não basta fomentar o uso de bicicletas, é preciso investir em transporte público de qualidade'', defendeu. O dirigente defendeu o desenvolvimento do PAC Mobilidade Grandes Cidades, observando que a iniciativa provocará maior interação entre pessoas de classes sociais diferentes que estão viajando em um mesmo veículo de transporte coletivo, quer em trem ou em ônibus. 

Para o secretário, o Brasil ''deveria adotar as boas práticas do mundo''. No mesmo evento, o secretário de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes, Marcelo Perrupato, informou que, nos próximos 10 anos, deverão ser investidos em torno de R$ 300 bilhões no Programa Nacional de Logística em Transportes (PNLT), que já consumiu R$ 130 bilhões de um montante total de R$ 430 bilhões. 

Marli Moreira Repórter da Agência Brasil / São Paulo

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - PAC Mobilidade Grandes Cidades destina 64% dos recursos para transporte sobre trilhos

Retomada mais uma vez as obras do VLT em Cuiabá e VG


O presidente do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, desembargador federal Mário César Ribeiro, suspendeu a execução da liminar, concedida pela 1.ª Vara da Seção Judiciária de Mato Grosso, que determinou a paralisação das obras de implantação de modal de transporte coletivo na cidade de Cuiabá (MT). Com a decisão, as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) estão liberadas.

O Estado de Mato Grosso recorreu ao TRF da 1.ª Região sustentando que as sucessivas decisões, ora suspendendo, ora permitindo a continuidade da obra, causam “insegurança jurídica, repercutindo sobre a viabilidade da realização da Copa do Mundo FIFA 2014 na cidade de Cuiabá”. Alega que a obra em questão “se encontra no contexto das obrigações a que cada ente federado contratualmente assumiu para sediar a Copa do Mundo”.

Argumenta que assinou, em 13 de janeiro de 2010, Matriz de Responsabilidade com a União e o Município de Cuiabá, na qual ficou consignada a execução e custeio relativas à mobilidade urbana; que, no Termo Aditivo à Matriz, firmado em 28 de setembro de 2011, definiu-se o VLT como obra de mobilidade urbana para a cidade de Cuiabá e Várzea Grande, “por isso que a não execução da referida obra de mobilidade urbana acarreta, de imediato, consequências jurídicas e econômicas podendo chegar até ao desligamento da cidade de Cuiabá como sede da Copa do Mundo FIFA 2014”.

Salienta, ainda, que a discussão do MPF, relativamente à conveniência e oportunidade da escolha governamental pelo VLT  é tardia, visto que a obra já foi contratada e iniciada. Por fim, destaca ser “impossível, a esta altura, a substituição modal de transporte coletivo para Bus Rapid Transit (BRT) ou qualquer outro” e que “suspender o contrato em tela implica tornar desnecessárias outras obras em andamento”.

Decisão – Ao analisar o pedido apresentado pelo Estado de Mato Grosso, o presidente do TRF da 1.ª Região, desembargador Mário César Ribeiro, entendeu que, na hipótese, o juízo a quo, ao suspender a execução das obras em questão, o fez sob o viés da conveniência e oportunidade na adoção do VLT como modal e transporte para Cuiabá e que o Ministério Público deixou para questionar a alteração da Matriz de Responsabilidade quase um ano após a escolha governamental pelo VLT.  “De fato, discutir, agora, a viabilidade do empreendimento, seja do ponto de vista dos custos operacionais, seja do ponto de vista financeiro, ou se é possível concluir a obra até a Copa do Mundo de Futebol em junho de 2014, quando elas já estão em pleno andamento, não me parece oportuno”, afirmou o presidente.

Na avaliação do desembargador Mário César Ribeiro, “a mudança modal de transporte coletivo para o Bus Rapid Transit (BRT) ou, mesmo, a suspensão das obras do VLT por tempo indeterminado, a essas alturas, traz mais angústias que soluções”. Para o magistrado, os supostos indícios de superfaturamento, de fraude ou de decisão arbitrária na eleição do VLT devem ser apurados, mas a decisão ora impugnada não aponta elementos suficientes para justificar medida tão drástica, prejudicando o já apertado cronograma da obra.

“Na hipótese, sem elementos concretos que justifiquem a paralisação das obras, a liminar se mostra extremamente prejudicial à ordem e à economia pública”, destacou o presidente do TRF da 1.ª Região, ressaltando que “a obra deve prosseguir, sem prejuízo das investigações sobre supostas irregularidades relatadas pelos autores da ação civil pública, bem como da fiscalização da gestão dos recursos auferidos para a sua execução pelos órgãos competentes”.

Informações: O Documento

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Retomada mais uma vez as obras do VLT em Cuiabá e VG

Ônibus adaptados passam a circular em mais seis linhas de Juiz de Fora

A partir da próxima segunda-feira, 1º de outubro, mais seis linhas de ônibus passarão a circular com veículos adaptados para deficientes físicos. As linhas atendidas serão: 333, 501, 520, 526, 530, 534. De acordo com a assessoria da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), os quadros de horários serão readequados e estarão disponíveis a partir do dia 1º para consulta na sede da secretaria, que fica localizada na rua Maria Perpétua, nº 72, 5º andar, no bairro Ladeira.

Confira as novas linhas
Linha 333 (Granjas Primavera) - terá um veículo adaptado, que irá circular diariamente;
Linha 501 (Padre Café/Jardim Glória) - terá três veículos adaptados, que circularão diariamente;
Linha 520 (Aeroporto) - vai contar com dois veículos adaptados, que circularão diariamente;
Linha 526 (Cascatinha/Vale do Ipê) - passará a atender com dois veículos adaptados nos dias úteis e aos sábados;
Linha 530 (São Pedro) - terá dois veículos adaptados nos dias úteis e aos sábados;
Linha 534 (Santos Dumont) - irá contar com três veículos adaptados, que circularão nos dias úteis e aos sábados.

Fonte: Acessa.com

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Ônibus adaptados passam a circular em mais seis linhas de Juiz de Fora

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960