Itamaracá Transportes é a empresa de ônibus mais bem avaliada na região metropolitana do Recife

domingo, 12 de agosto de 2012

O Grande Recife Consórcio de Transportes, responsável pelo gerenciamento do sistema de transporte da região metropolitana, avalia as 17 empresas de transporte continuamente, essa avaliação serve para que as empresas venham a rever certas metodologias bem como aperfeiçoar o que também vem dando certo.

Atender o usuário com qualidade e segurança é o desafio das empresas de transportes da Região Metropolitana do Recife. O Grande Recife Consórcio de Transporte - GRCT - avalia semestralmente cada uma.

No mês passado foi divulgado o resultado do 2° semestre de 2011 e o destaque ficou com a Itamaracá Transportes com a nota 9,2.

O Grande Recife avalia a idade média da frota, as condições estruturais das garagens, o cumprimento de viagens, o índice de quebras, o rendimento de combustível e a satisfação dos clientes da empresa  em relação as demais do sistema.

Desde 1993, as empresas já passaram por 34 avaliações semestrais, das quais em 41% a Itamaracá conquistou o primeiro lugar.

Esse resultado só fortalece a missão da Itamaracá: transportar pessoas com confiabilidade e cordialidade, buscando a satisfação dos clientes e o desenvolvimento sustentável.

Fonte: Itamaracá Transportes



READ MORE - Itamaracá Transportes é a empresa de ônibus mais bem avaliada na região metropolitana do Recife

Em Campinas, EMDEC apresenta conceito do BRT (Bus Rapid Transit)

O conceito de BRT Bus Rapid Transit (Ônibus de Trânsito Rápido, em inglês) e a proposta dos corredores de transporte público para as regiões do Ouro Verde e Campo Grande foram apresentados durante reunião ordinária do Conselho da Cidade de Campinas (CONCIDADE). O evento foi realizado na noite de quarta-feira, dia 8 de agosto, no auditório da Base da Guarda Municipal, na Avenida Dr. Moraes Salles.
Foto: tudodeonibus.com

 A reunião foi aberta pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano e presidente do CONCIDADE, Alair Roberto Godoy, que destacou a importância de a sociedade “receber as informações pertinentes ao tema, de maneira clara e objetiva, para que todas as dúvidas sejam sanadas”.

Logo na sequência, a palavra foi passada para o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), André Aranha Ribeiro, que apresentou todos os elementos que envolvem o BRT, como infraestrutura, planejamento e controle operacional.

O secretário de Transportes destacou que “BRT não é apenas um veículo. O sistema é formado por um conjunto de elementos importantes, como corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens, estações de transferência e veículos articulados ou biarticulados”. E enfatizou que tudo isso deixa o sistema “mais seguro, rápido, eficiente e confiável”.

A apresentação teve duração de 1h30 e foi a mesma realizada durante a Audiência Pública do BRT, em julho passado. Ela está disponível, na íntegra, no site da EMDEC, no endereço eletrônicowww.emdec.com.br/brt.

Após a apresentação do secretário de Transportes, os conselheiros puderam realizar perguntas e fazer sugestões.

BRT
O BRT Campinas é um sistema de transporte de ônibus de alta qualidade, que realiza viagens mais rápidas, semelhantes às do metrô. Os veículos irão circular nos corredores Ouro Verde (que será implantado nas avenidas Amoreiras e Ruy Rodriguez) e Campo Grande (Avenida John Boyd Dunlop).

Nos dois corredores haverá estações elevadas para facilitar o embarque e desembarque. A cobrança da tarifa deixa de ser no ônibus e passa a ser realizada na estação. O Bilhete Único será mantido e o preço da passagem será o mesmo do Sistema InterCamp.

O BRT contará com uma central de controle operacional, para controle das viagens, e os veículos terão GPS, evitando atrasos. O sistema inclui serviços de informações de voz e digital, anunciando os horários e as estações.

O início das obras dos corredores do BRT está previsto para o segundo semestre de 2013, com previsão de três anos de trabalhos. Para 2014, a previsão é de transportar 30 mil passageiros por hora, no pico, em cada sentido, em cada corredor. Esse volume pode chegar a 40 mil passageiros/hora/pico/sentido nos próximos 30 anos.

O conceito de BRT será implantado com os R$ 339 milhões de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento da Mobilidade Urbana (PAC 2), com o qual Campinas foi contemplada pelo Governo Federal. Os recursos serão investidos na infraestrutura viária. Já os veículos serão investimentos das concessionárias do transporte público coletivo.

Reuniões com a comunidade
Desde a Audiência Pública do BRT, realizada no dia 6 de julho, a EMDEC vem apresentando, para os diversos segmentos sociais, os projetos de implantação dos corredores Ouro Verde e Campo Grande. Até agora foram sete encontros. Mais oito reuniões já estão agendadas para as próximas semanas.

Fonte: EMDEC


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Campinas, EMDEC apresenta conceito do BRT (Bus Rapid Transit)

Em Manaus, Número de ônibus circulando não é suficiente para atender à grande demanda de usuários

A atual gestão da Prefeitura Municipal de Manaus foi marcada por inúmeras controversas em torno de problemas da cidade que até o momento não tiveram respostas. É o caso da política para os ambulantes, a concessão da Ponta Negra ao setor privado, o serviço de abastecimento de água, entre outros. Mas o que tem me chamado atenção é a ausência de uma política de transporte público que atenda com qualidade e segurança dos usuários manauaras.

Os problemas vivenciados no transporte público são notórios. O número de ônibus circulando não é suficiente para atender à grande demanda de usuários, pois os coletivos andam sempre com lotação muito acima do permitido, o que causa grandes desconfortos aos passageiros, além das longas esperas nas paradas por um ônibus. A política de transporte público em Manaus tem beneficiado mais as empresas do que o usuário, pois a tarifa é uma das maiores do Brasil e não oferece a qualidade devida.

Uma das discussões atuais sobre a sustentabilidade ambiental é a substituição do transporte individual pelo coletivo, apontando o poder público como principal agente para viabilizar essa mudança através do incentivo aos transportes públicos alternativos. Infelizmente a Prefeitura de Manaus segue contrariando essa agenda quando tenta inviabilizar o uso dos ônibus executivos e alternativos, o que seria uma opção a mais ao usuário de transporte coletivo.

A opção pelo transporte público está na agenda do próximo prefeito de Manaus como política para um desenvolvimento urbano sustentável, na medida em que possibilite novos corredores exclusivos para ônibus, incentive o uso de novos transportes alternativos e colabore para um tráfego de veículo menos congestionado.

A parceria com o governo federal será de suma importância para uma política municipal de transporte público, pois os recursos para investir nesse setor poderão ser viabilizados através do Plano Nacional de Mobilidade Urbana que tem como diretriz o incentivo ao transporte público.

Por João Pedro / http://blogs.d24am.com

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Manaus, Número de ônibus circulando não é suficiente para atender à grande demanda de usuários

Recife: Confira as razões para não erguer os viadutos na Agamenon Magalhães

O transporte público não depende da construção de viadutos para ser viabilizado. Não necessita de elevados como justificativa, independentemente de ser operado por ônibus, Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) ou metrô. Pode, muito bem, parar em cruzamentos, como os existentes na Avenida Agamenon Magalhães. Essa é a principal razão para o governo do Estado não construir os quatro viadutos previstos para a via, a principal do Recife, na visão unânime de técnicos e cidadãos contrários à ideia. A avenida representará apenas um eixo do Corredor Norte-Sul, projeto idelizado para interligar com faixas exclusivas de ônibus os extremos do Grande Recife. Na prática, responderá por menos de cinco quilômetros dos 50 previstos para o corredor, que vai de Igarassu até Jaboatão dos Guararapes, passando por Abreu e Lima, Paulista, Olinda e a capital.
Fotos: Bobby Fabisak/JC Imagem

Se o governo quer construir viadutos, então deve assumir essa vontade e não usar o transporte de massa como pretexto. Assim pensam muitos arquitetos, urbanistas, engenheiros, técnicos em transporte e cidadãos comuns que são contra os elevados. Os viadutos proporcionarão um benefício pequeno e temporário, não justificado pelo investimento: R$ 150 milhões. Os argumentos, inclusive, são embasados por entidades técnicas, como o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-PE) e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-PE).

“O que está em discussão não é se o transporte coletivo deve ser prioridade. Isso é evidente. Discutir o modal a ser adotado também foge da questão principal. O que deve ser discutido é a cidade que queremos. A qualidade dos espaços urbanos, das calçadas”, ressalta o arquiteto e urbanista Múcio Jucá, que coordenou a elaboração de um documento entregue ao governo do Estado apontando diversas razões para os elevados não serem erguidos e assinado por profissionais da Unicap, UFPE e Fundaj.

Os argumentos contrários à transformação da Agamenon em uma via expressa sustentam-se em quatro linhas básicas. A primeira é a imobilidade. Viadutos apenas transferem engarrafamentos, não os resolvem. Vias do entorno da Agamenon, já com problemas históricos de circulação, receberiam um tráfego que não suportariam. “Esses viadutos são um verdadeiro desastre. Equivalem às cicatrizes de um Frankenstein. A cidade é para as pessoas, não para os carros. Não é à toa que o governador sinalizou que irá rever a proposta. Acredito que é uma decisão racional e, não, eleitoral. Afinal, as razões técnicas contra o projeto são irrefutáveis”, afirma o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti.

Saindo da mobilidade, os contrários destacam o retrocesso urbanístico do projeto, lembrando que, enquanto o mundo destrói viadutos, o Recife quer erguê-los. Outro argumento é o prejuízo para os pedestres, que no lugar dos 60 segundos necessários para atravessar a via, levarão 600 segundos. Finalizando, o aspecto da segurança. As áreas embaixo dos elevados vão virar novos espaços degradados, como acontece na cidade.

Um grupo técnico vem tentando conversar com o governo para propor outras soluções à ideia original, mas até então nada conseguiu. A Promotoria de Urbanismo do MPPE também instaurou um inquérito civil público para investigar o projeto e se posicionar favorável ou contrária à obra. Foi a instituição, inclusive, quem provocou o Estado para que encomendasse os estudos de impacto, o que até então não tinha sido feito. Pegando carona na aparente ‘dúvida’ sobre a construção dos viadutos demonstrada pelo governador Eduardo Campos há duas semanas, os que são contra o projeto realizam amanhã o movimento #OcupeAgamenon, a partir das 10h, na Praça do Parque Amorim. A ideia é abraçar simbolicamente a avenida, expor e discutir ideias alternativas aos elevados durante todo o dia.
PEDESTRES – Se a Agamenon Magalhães virar uma via expressa, travessia de pedestres ficará mais difícil. Passarelas serão colocadas, mas população resiste
INSEGURANÇA Outra razão para não construir os elevados é que as áreas embaixo deles sempre viram espaços degradados. Um exemplo é o Viaduto Presidente Médici. Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
RETROCESSO – Enquanto o mundo destroi viadutos, como o existente sobre o Rio Cheonggyecheon, em Seul, na Coreia do Sul, Recife quer erguê-los
Link do documento enviado ao governador Eduardo Campos por um grupo de arquitetos, urbanistas, pesquisadores e técnicos em transporte da Unicap, UFPE e Fundaj:
Confira vídeo com o engenheiro civil Stênio Coentro apresentando um dos projetos alternativos aos viadutos e comentando o suposto ‘recuo’ do governo:

Por Roberta Soares / JC Online - De Olho no Trânsito

READ MORE - Recife: Confira as razões para não erguer os viadutos na Agamenon Magalhães

Prefeitura de Porto Alegre assina contratos para duas obras de mobilidade urbana

A prefeitura de Porto Alegre assinou nesta quinta-feira (09.08) os contratos para a execução do último trecho da obra de estrutura e pavimentação do corredor das avenidas Edvaldo Pereira Paiva (Beira Rio) e Padre Cacique, além do contrato para a construção da passagem de nível da avenida Cristóvão Colombo sob a Terceira Perimetral. As duas obras integram a Matriz de Responsabilidades para a Copa do Mundo de 2014 e juntas representam um investimento de R$ 28 milhões.

Participaram do ato, que ocorreu na Procuradoria-Geral do Município, o procurador-geral, João Batista Linck Figueira, o secretário da Copa e de Gestão e Acompanhamento Estratégico, Urbano Schmitt, o secretário de Obras, Adriano Goulart, e os representantes das empresas vencedoras das duas licitações.

O procurador-geral ressaltou o impacto das obras para a cidade e lembrou que Porto Alegre optou por não utilizar o Regime Diferenciado de Contratos para realizar as licitações das obras da Copa, mas a Lei 8.666. “Nós entendemos que as contratações por meio da lei geral das licitações é o mais adequado, porque reveste de maior rigor os processos seletivos”, disse Figueira.

A opção pela Lei 8.666 não trouxe prejuízos ao cronograma, conforme informou o secretário Urbano Schmitt. “Nós estamos cumprindo o cronograma e teremos todas as obras prontas no prazo previsto”, afirmou.

Obras

Com a assinatura do contrato para o trecho 4 das obras na Padre Cacique e de duplicação da Edvaldo Pereira Paiva, a prefeitura garante as intervenções necessárias nas principais vias de acesso ao estádio Beira Rio. A obra será executada em até 15 meses pelo Consórcio Beira Rio, composto pelas empresas Sultepa Construções e Toniolo Busnello. Serão investidos R$ 15.164.021,60. Atualmente, circulam pela avenida Beira Rio 1.700 veículos no sentido bairro-Centro na hora-pico da manhã e 1.900 veículos no sentido centro-bairro na hora-pico da tarde.

Já a construção da trincheira da Cristóvão Colombo com a III Perimetral terá um custo de R$ 13.291.650,24 e prazo de execução de 12 meses. Caberá ao Consórcio EPT, Serenge – Serki a construção da passagem de nível, que terá extensão de aproximadamente de 200 metros e duas pistas de 9 metros de largura.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre
READ MORE - Prefeitura de Porto Alegre assina contratos para duas obras de mobilidade urbana

Trem-bala entra em pacote de concessões do Governo Federal


O polêmico projeto do trem-bala estará no pacote de concessões que a presidente Dilma Rousseff pretende anunciar na próxima quarta-feira, na tentativa de aumentar o investimento privado e combater as baixas taxas de crescimento econômico do País. Para vender os projetos, ela caprichou na lista de convidados, incluindo nela várias empresas internacionais. Dilma quer dinheiro estrangeiro na infraestrutura nacional.

O pacote a ser anunciado na semana que vem inclui mais de 5 mil quilômetros de rodovias e 8 mil de ferrovias, neles incluído o trem-bala.

Numa segunda etapa, deverão ser anunciadas as concessões de aeroportos e dos portos. Somados, os projetos de logística de transporte envolverão investimentos superiores a R$ 80 bilhões e inferiores a R$ 90 bilhões, segundo dados que circulavam ontem no governo.

Além do trem de alta velocidade ligando São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro, deverão ser oferecidos à iniciativa privada investimentos no Ferroanel de São Paulo e na Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), no trecho que sai de Lucas de Rio Verde (MT) e se integra à Ferrovia Norte-Sul em Campinorte (GO).

Em rodovias, estão na lista empreendimentos como as BR-040 e BR-116 em Minas Gerais. "Todos os trechos são de interesse das empresas", disse o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), Moacyr Servilha Duarte. Ele acredita que, desta vez, o governo deverá exigir um volume maior de investimentos ao fazer as concessões.

Parcerias. Os leilões de aeroportos, que estão na fila de anúncios, poderão envolver uma novidade: Parcerias Público-Privadas (PPPs). O governo federal até hoje não utilizou essa forma de concessão na qual a participação do setor público é maior do que numa concessão tradicional. Os editais deverão também trazer novas exigências para os candidatos à concessão, pois o governo quer atrair operadores de aeroportos com maior experiência do que os que venceram os leilões de Guarulhos, Viracopos e Brasília.

O pacote de portos está um pouco mais atrasado, dada a complexidade do assunto. O anúncio por etapas das concessões em infraestrutura atende também à necessidade do governo de gerar uma agenda positiva ao longo do mês.

Em seguida, será a vez da desoneração da eletricidade, um conjunto de medidas que deverá baixar a tarifa em cerca de 10%. É possível que o anúncio ocorra só em setembro.

Outras medidas aguardadas pelos empresários, como a ampliação das desonerações tributárias e a reforma do PIS-Cofins, dependem de uma avaliação sobre a evolução das contas públicas. Com a arrecadação abaixo do esperado, Dilma tem dificuldades em aprovar medidas que representarão menos recursos em caixa. 

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Trem-bala entra em pacote de concessões do Governo Federal

Metrô de Londres bate recorde de passageiros durante os Jogos


Assim como alguns atletas nos Jogos Olímpicos, o metrô de Londres bateu um recorde: na última quinta-feira, transportou em um só dia 4,52 milhões de pessoas, informaram fontes oficiais neste sábado.

A Transport for London (TfL, sigla em inglês), responsável pela rede de transportes da capital britânica, destacou hoje que, desde o começo dos Jogos até a última quinta-feira, 51,47 milhões de pessoas utilizaram o metrô, 12,29 milhões a mais que no mesmo período do ano passado.

No penúltimo dia de competições, o serviço de trens, administrado pela National Rail, aumentou para 800 mil assentos sua capacidade, com trens e motoristas adicionais para encarar as horas de pico.

Segundo a TfL, o dia vem transcorrendo com normalidade e o transporte funciona com relativa pontualidade, apesar de haver "atividade extraordinária" nas áreas de Constitution Hill, Buckingham Palace e The Mall, zonas por onde passaram os concorrentes das provas de marcha atlética.

Por esse motivo, a TfL advertiu aos usuários com entradas para os eventos esportivos que preparem suas viagens com antecedência.
O bom tempo que faz em Londres aumente as expectativas para um grande público nas zonas onde se organizam eventos ao ar livre, como o Hyde Park e o Victoria Park.

O principal responsável pela segurança do transporte britânico, Andy Trotter, celebrou que as tarefas de vigilância nas linhas de trens e do metrô "transcorreram muito bem".

"O espírito olímpico contagiou milhares de pessoas que usam a rede (de transporte), com passageiros relaxados e felizes, inclusive durante as horas de pico. A paz prevaleceu e nossos agentes só tiveram que intervir em incidentes menores", explicou Trotter.

Fonte: Terra


READ MORE - Metrô de Londres bate recorde de passageiros durante os Jogos

Em Fortaleza, Novo corredor de ônibus terá suas inhas divididas em três grupos com parada seletiva


Na próxima segunda-feira, 13, quem trafega pela avenida Bezerra de Menezes vai encontrar uma via totalmente diferente do que está habituado a ver. A partir das 5 horas da manhã, começa a funcionar o Bus Rapid System (BRS) - Sistema Rápido de Ônibus. 

A linha azul pintada no asfalto vai separar os espaços prioritários de ônibus, vans e táxis (com passageiros) dos demais veículos. O BRS ocupará as duas faixas à direita nos dois sentidos da avenida.

Os ônibus serão divididos em três grandes grupos e identificados, no para-brisa, como BRS-FOR 1, BRS-FOR 2 e BRS-FOR 3. As paradas serão seletivas para cada grupo (ver mapa abaixo).

A expectativa é que os veículos do transporte público passem a circular, em média, a 24km/h, o dobro do que conseguem hoje. “Isso significa viagens mais rápidas e mais conforto para os passageiros”, enfatiza o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim. Espera-se que 200 mil usuários de transporte sejam beneficiados.

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, garante que o projeto “é uma aposta no transporte público” para melhorar a mobilidade urbana. Segundo Luizianne, os engarrafamentos tornaram-se um problema nas grandes metrópoles, principalmente com os incentivos para a expansão da indústria automobilística. “Passamos de 480 mil veículos, em 2004, para 790 mil neste ano em Fortaleza”, diz.

Dúvidas

Os veículos individuais só poderão entrar no BRS para fazer conversões à direita ou entrar em estacionamento. O máximo que poderá ser percorrido são 100 metros. Também não será permitido parar ou estacionar ao longo da via. Nesse primeiro momento, não haverá aplicação de multas. A Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e a Etufor estudam a possibilidade de liberar a parada para embarque e desembarque de alunos nas escolas localizadas na avenida Bezerra de Menezes.

ENTENDA A NOTÍCIA

O Bus Rapid System (BRS) da avenida Bezerra de Menezes funcionará até que seja concluído o corredor de ônibus (BRT) integrando os terminais Antônio Bezerra e Papicu. Ele funcionará no lado esquerdo da avenida e será exclusivo.

O que muda na Bezerra

A partir de segunda (13), será implantado o Bus Rapid System (BRS). As duas faixas mais à direita, nos dois sentidos da avenida, serão destinados para o tráfego de ônibus, vans e taxis com passageiro. Duas listras azuis delimitam o corredor.

Os corredores vão funcionar nos dias úteis, das 5h às 21 horas, e nos sábados, das 5h às 16 horas.

Nos demais horários, domingos e feriados os veículos individuais poderão circular pelo BRS.

As paradas serão seletivas e identificadas por grupo: BRS-FOR 1, BRS-FOR 2 e BRS-FOR 3.

A distância máxima entre paradas de mesmo grupo será de 250 metros.

Quem precisar dobrar à direita ou acessar os estacionamentos, poderá entrar no corredor onde a linha azul estiver tracejada. Porém, o motorista só poderá permanecer no BRS por 100 metros.

Não será permitido parar ou estacionar ao longo da avenida. A orientação é que os motoristas procurem as ruas transversais.

No primeiro momento, será feito um trabalho de orientação dos condutores.

A Prefeitura ainda não estipulou uma data para o início da cobrança de multas nem o valor que será cobrado para quem cometer a infração.

Como as linhas serão divididas
As linhas de ônibus e vans foram divididas em três grupos: 

BRS-FOR 1

Ônibus Urbano
060 - Parquelândia/Parangaba
076 – Cj. Ceará/Aldeota
086 – Bezerra de Menezes/Santos Dumont
202 - Rodolfo Teófilo/Bezerra de Menezes
240 – Quintino Cunha/Centro
251 – Bezerra de Menezes/Coração de Jesus
302 - Rodolfo Teófilo/José Bastos

Complementar Urbano (vans)
13 - Santos Dumont/Perimetral
57 – Vila Velha/Centro

Ônibus Metropolitano
333 - Araturi Rotas 01/02
142 - Jurema
333 - Terminal Metrópole
368 - Parque Albano
364 - Potira Rota 01
364 - Potira Rota 02

BRS-FOR 2

Ônibus Urbano
026 – Antônio Bezerra/Messejana
071 – Antônio Bezerra/Mucuripe
088 – Antônio Bezerra/Albert Sabin
200 – Av. Bezerra de Menezes (somente aos domingos)
206 – Pe. Andrade
250 – Antônio Bezerra/Centro

Complementar Urbano (vans)
06 – Edson Queiroz/Barra do Ceará
55 – Cj. Alvorada/North Shopping

Ônibus Metropolitano
332 – Cj. Metropolitano
332 - Metrópole Rota 01
332 - Metrópole Rota 02
348 - Planalto Via BR-020

BRS-FOR 3

Ônibus Urbano
028 – Antônio Bezerra/Papicu
079 – Antônio Bezerra/Náutico
108 – Santa Maria/Bezerra de Menezes
201 - Bezerra de Menezes/Bairro Ellery
233 - Olavo Bilac/Bairro Ellery (somente aos domingos)
389 - Jovita Feitosa

Ônibus Metropolitano
038 - Caucaia
348 – Planalto Caucaia
348 – Parque Soledade
039 – Capuan/Genipabu
040 – Sítios Novos
140 – Coité/Matões
038 – Caucaia V. Arruda
263 – Bom Princípio
228 – Tabapuá
363 - Cumbuco
366 – Cumbuco/Beira-Mar
030 - São Gonçalo do Amarante
065 - Salgado dos Moreiras
066 - Pecém
067 - Serrote
235 – Taíba

Complementar Metropolitano (vans)
Araturi
Caucaia
Cumbuco
Jurema
Parque Potira
Planalto Caucaia
Metrópole

READ MORE - Em Fortaleza, Novo corredor de ônibus terá suas inhas divididas em três grupos com parada seletiva

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960