Em Salvador, Tarifa de ônibus pode chegar a R$ 3,15

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Salvador (Setps) encaminhou para a Prefeitura de Salvador um pedido de reajuste das tarifas de ônibus em caráter emergencial nesta segunda-feira (28).

De acordo com nota enviada à imprensa, o pedido de "realinhamento tarifário" foi feito "após avaliação do impacto resultante do reajuste salarial e de benefícios concedidos pela Justiça do Trabalho, na sexta-feira (25), como resultado do julgamento do dissídio coletivo dos trabalhadores rodoviários".
No julgamento do dissídio, na sexta-feira, a desembargadora Maria das Graças Boness relatou que um conjunto formado por quatro desembargadores concedeu, após debate e votação, um aumento de 7,5% para a categoria, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), além do aumento do tíquete-refeição, de R$ 10,60 para R$ 11,22, e o retorno do quinquênio - benefício concedido a cada cinco anos de trabalho na empresa.

Segundo os empresários do setor, com a decisão de aumento salarial para os trabalhadores o custo da tarifa, por passageiro, subiu de R$ 2,96 para R$ 3,15, daí a necessidade de repassar o custo para os usuários do sistema de transporte coletivo. O Setps argumenta ainda que o pagamento do quinquênio para os trabalhadores, o aumento no custo mensal fica em torno de R$ 700 mil. Além disso, a soma do reajuste salarial (7,5%) e outros benefícios gera um impacto da ordem de R$ 5,9 milhões mensais para os empresários. Desta maneira, as despesas com pessoal subiria de 46,7% para 49,7% na planilha geral de custos.
Em dezembro de 2011, o Setps pediu à Prefeitura de Salvador a recomposição da tarifa de ônibus, mas o pedido foi indeferido pela gestão municipal. Multa para sindicatosO TRT considerou a greve abusiva e determinou que, se o Sindicato dos Rodoviários (Sintroba) não retomasse as atividades ontem, a categoria pagaria uma multa de R$ 150 mil, descontada diretamente da conta bancária da organização. Em seguida, a cada 24 horas seriam descontados mais R$ 50 mil, além de descontos dos dias parados.

O Sindicato das Empresas de Transporte  (Setps) também será penalizado. A desembargadora determinou que os patrões paguem uma multa de R$ 75 mil no primeiro dia e R$ 25 mil nos subsequentes da paralisação. A avaliação dos desembargadores é que não houve pró-atividade dos patrões para que os rodoviários que quisessem trabalhar conseguissem colocar os ônibus nas ruas.

Fonte: Correio 24 Horas


READ MORE - Em Salvador, Tarifa de ônibus pode chegar a R$ 3,15

Metroviários continuam em greve Belo Horizonte, Recife, João Pessoa, Maceió e Natal

As paralisações dos metroviários continuam nas capitais brasileiras onde o transporte é administrado pela Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU): Belo Horizonte, Recife, João Pessoa, Maceió e Natal. A próxima assembleia da categoria será na terça-feira.

De acordo com informações da Federação Nacional dos Metroviários (Fenametro), faz duas semanas que a greve teve início e nenhuma proposta do governo federal foi realizada até esta segunda-feira. O presidente da Fenametro, Paulo Roberto Pasin, reafirmou que a categoria aguarda uma posição da CBTU.

"Na próxima assembleia os trabalhadores decidirão se o esquema de emergência vai continuar, a partir da falta de atenção que o governo e a CBTU estão dando a essa greve", disse Pasin.

O transporte público das capitais administrado pela CBTU com verbas do Governo Federal está em greve desde o dia 14. Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial acima do 0% proposto pelo governo federal para o ano de 2012. As paralisações afetam 500 mil pessoas, impacto que é reduzido com a operação dos trens nos horários de pico.

Fonte: Último Segundo


READ MORE - Metroviários continuam em greve Belo Horizonte, Recife, João Pessoa, Maceió e Natal

Greve de ônibus afeta 400 mil pessoas na Grande Florianópolis

A greve de motoristas e cobradores da região metropolitana de Florianópolis, que começou à 0h desta segunda-feira, está prejudicando a locomoção de aproximadamente 400 mil pessoas.

Os trabalhadores descumpriram a decisão judicial que determinava a circulação de 70% da frota nos horários de pico e de 30% no restante do tempo.

Por volta das 10h, nenhum ônibus havia saído da garagem da maior empresa de transportes da cidade, a Transol. Os seis terminais espalhados pela Ilha estavam praticamente desertos.

Como a paralisação foi anunciada há três dias, muita gente saiu de casa de carro, o que causou congestionamentos em todas as áreas da capital catarinense.

Na estrada que dá acesso à Ilha, foram cerca de 12 km de trânsito parado.
Na SC-401, que leva para as praias do Norte, como Jurerê Internacional, Ingleses e Santinho, uma batida envolvendo três carros contribuiu para a lentidão no tráfego, que se estendeu por 6 km.
Na SC-405, por onde se vai para bairros como Campeche, o engarrafamento cobriu a mesma extensão.

Para tentar reduzir os transtornos, a Prefeitura de Florianópolis contratou 430 vans e micro-ônibus para transportar passageiros por R$ 4 ou R$ 5, dependendo da distância. O que se viu nas ruas, no entanto, foi a cobrança abusiva de até R$ 10 por pessoa.
Em cada ponto de ônibus, dezenas de trabalhadores viviam seus dramas. A diarista Iolanda Costa, de 56 anos, ficou uma hora e meia esperando por transporte público. Contou que não viu nenhum ônibus e que apenas três vans passaram, estando todas lotadas.

De acordo com o secretário de comunicação do Sintraturb (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano), Antônio Carlos Martins, a adesão é de 100%.

Desde cedo, grevistas fazem vigília no Terminal de Integração do Centro para impedir a circulação de qualquer ônibus.

A principal reivindicação da categoria é a redução da jornada de trabalho de 6 horas e 40 minutos para 6 horas por dia, sem corte no salário, o que o Setuf (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Florianópolis) se nega a negociar.

Os profissionais do transporte público também querem reajuste salarial para cobrir a alta do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e aumento real de 5%. O Setuf ofereceu o valor do IPNC mais 1%, o que foi rejeitado pelos trabalhadores.

Segundo Martins, no fim do dia, será realizada uma nova assembleia para decidir se o movimento continua ou não.

Fonte: Folha.com

READ MORE - Greve de ônibus afeta 400 mil pessoas na Grande Florianópolis

Greve aumenta trânsito e esvazia pontos de ônibus em Ribeirão Preto

A greve no transporte coletivo em Ribeirão Preto (SP) , que parou 100% dos ônibus da cidade, provocou congestionamento no trânsito e o aumento de cerca de 60% na procura por táxis e mototaxis, na manhã desta segunda-feira (28). Os pontos de ônibus ficaram vazios e as pessoas que aguardavam os circulares não sabiam sobre a paralisação, que teve início às 4h desta segunda.

O aumento na procura pelos transportes alternativos fez com que passageiros aguardassem ao menos meia hora por um táxi. “Faltou carro para suprir a demanda. Muitas empresas nos chamaram para que seus funcionários não faltassem ao trabalho”, afirmou o diretor administrativo de uma cooperativa, Vandir Antônio Película.

As empresas de mototaxi também não tiveram veículos suficientes para atender a procura e o reajuste no preço da corrida foi liberado. “Cada piloto pode aumentar o valor em até R$ 2 se atender o passageiro fora da empresa”, disse a recepcionista de um dos estabelecimentos Alessandra dos Santos.

Surpreendida pela paralisação a dona de casa, Vanessa Aparecida Balles, esperava por um ônibus há uma hora em um dos pontos com maior fluxo na área central. “Eu estava viajando e não sabia de nada. Vim descendo desde a Catedral até aqui na Rua Cerqueira César e aí decidi esperar”.

Reivindicação
Os 640 motoristas pedem reajuste salarial de 15%, aumentos no vale refeição de R$ 400 para R$ 500, no prêmio pago aos motoristas que acumulam a função de cobrador de R$ 250 para R$ 350 e na participação nos lucros das empresas.

No entanto, o representante das empresas defende que os trabalhadores tiveram um reajuste salarial acima da inflação entre 2009 e 2012.

Fonte: G1 SP

READ MORE - Greve aumenta trânsito e esvazia pontos de ônibus em Ribeirão Preto

Grande Florianópolis amanhece com greve de ônibus

Quem precisa usar o transporte coletivo na manhã desta segunda-feira na Grande Florianópolis deve ficar atento. Com a greve de motoristas e cobradores, os ônibus não estão circulando. As empresas devem trabalhar com apenas 30% do efetivo hoje. A decisão pela paralisação ocorreu durante a semana passada. A confirmação da greve saiu na noite deste domingo em assembleia da categoria.

Por volta das 3h20min, grevistas já faziam vigília na garagem da Transporte Coletivo Estrela, no bairro Capoeiras, em Florianópolis. O objetivo é conscientizar os colegas sobre a paralisação. A empresa normalmente libera 16 linhas nas primeiras horas da manhã. Até as 5h30min, seis motoristas que pretendiam colocar os ônibus em circulação eram impedidos de deixar o local. A ação ocorre de forma pacífica.
Veja as linhas que não foram liberadas na garagem da Estrela:
- Forquilhinha / via Avenida Governador Ivo Silveira
- Forquilhas / Linha Capoeiras
- Linha Abraão
- Linha Monte Cristo
- Linha Serraria / Forquilhinha

Fique atento ao serviço para tentar driblar os trantornos:

:: Ônibus municipais em frota mínima
- Se a lei for cumprida, 70% da frota funcionará nos horários de pico
- Serão 331 ônibus circulando das 6h30min às 9h e das 16h30min às 20h30min.
- 30% da frota nos horários de entre pico
- 138 ônibus circulando entre 0h e 6h29min, 9h01min e 16h29min, e das 20h30min à 0h.
:: Fiscalização- Os fiscais de terminal da prefeitura vão verificar o cumprimento do quadro de horários.
- Em caso de descumprimento, a prefeitura vai acionar a procuradoria do Ministério Público Federal do Trabalho para tomar as medidas jurídicas cabíveis.
:: Serviço de Transporte Especial

Funcionamento:

-- Cinco bolsões de transporte alternativo serão criados na região central de Florianópolis.

-- A frota, de 430 veículos, será composta por ônibus, micro-ônibus e vans já cadastrados pela prefeitura para turismo e transporte escolar.

-- Nos bairros, os passageiros vão embarcar e desembarcar nos pontos de ônibus. Os terminais de integração estarão fechados.
:: Regiões atendidas- Área central, Continente, Norte da Ilha, Leste da Ilha e Sul da Ilha.:: Percurso- Os veículos vão percorrer o mesmo trajeto do transporte coletivo e estão orientados a parar em todos os pontos de ônibus que tenham passageiros.:: Preço da passagem- R$ 4 para a área central da cidade, que vai do Centro ao Norte, até o Floripa Shopping, ao Leste até o Itacorubi e ao Sul até o aeroporto.

- R$ 5 para as outras regiões.
:: Horário de circulação- Das 5h às 20h.

- Após esse horário, os veículos só vão circular se houver demanda.
Fonte: Secretaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Termina

Sobre a greve:
Em assembleia feita na noite deste domingo os trabalhadores do transporte público da Grande Florianópolis mantiveram a decisão de paralisar as atividades a partir da 0h desta segunda-feira. A paralisação deve durar 24 horas. Uma nova reunião no fim da tarde desta segunda-feira discute os rumos do movimento. Na quinta-feira, em três assembleias, a categoria já havia decidido pela greve.

O encontro deste domingo — em que compareceram cerca de 2 mil trabalhadores — foi marcado depois que as empresas propuseram ganho real de 2% diante do pedido de 5%. Além disso, eles ofereceram reajuste no vale-refeição, de R$ 380 para R$ 410.

Como não propuseram nada sobre a redução da carga horária de 6h40min para 6h, a maioria dos trabalhadores decidiu manter a decisão.

O que querem os trabalhadores

:::
Aumento salarial com base no INPC e mais 5%.
::: Redução da jornada de trabalho de 6h40min para 6h, sem redução salarial.
O que diz o Setuf

:::
A diminuição da carga horária é inviável, pois exigiria a contratação de mais funcionários, e as empresas não podem arcar com o custo, que teria impacto no preço da passagem.

::: A prefeitura já sinalizou que não vai mais autorizar aumento de tarifa.



READ MORE - Grande Florianópolis amanhece com greve de ônibus

Em São Paulo, Inauguração da estação de metrô Adolfo Pinheiro deverá ocorrer no segundo semestre de 2013

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, confirmou que a inauguração da estação de metrô Adolfo Pinheiro deverá ocorrer no segundo semestre de 2013. A previsão foi feita durante visita do governador ao canteiro de obras da estação, que integra a linha 5-Lilás do metrô, na zona sul da capital paulista. Até então, o Metrô informava uma previsão de inauguração da estação Adolfo Pinheiro para o ano de 2013. Conforme as obras avançam, explica a assessoria, é possível prever o período mais provável de inauguração.

Foto: diariodacptm.blogspot.com

A linha 5-Lilás, com início no Capão Redondo até o Largo Treze, passa por processo de expansão e deve ganhar mais 11 estações até 2015. Adolfo Pinheiro é a primeira no processo até a Chácara Klabin. Neste sábado, operários que iniciaram os trabalhos de expansão no extremo sul chegaram à futura estação.

O governador admitiu atrasos no cronograma das obras da Linha-5 do metrô, mas avaliou que agora estão "em ritmo intenso". De acordo com ele, tanto os canteiros de obras já existentes quanto as desapropriações a serem feitas estão caminhando dentro do planejado. Além disso, o governador afirmou que já estão sendo comprados 26 novos trens para a linha Lilás, com seis vagões cada um, que começarão a ser entregues a partir do ano que vem.

O presidente do Metrô de São Paulo, Peter Walker, afirmou que o projeto da linha Lilás (Capão Redondo-Chácara Klabin), deve contribuir para desafogar a linha 4-Amarela (Butantã-Estação da Luz). Segundo ele, hoje a linha Lilás transporta 38 mil passageiros por dia, que têm de utilizar trens da CPTM até Pinheiros e a linha Amarela para acessar o centro da cidade. "Depois do projeto concluído, os passageiros da zona sul acessarão o centro da cidade sem precisar recorrer à linha Amarela", reduzindo o tempo de viagem.

A visita do governador a um canteiro de obra do metrô ocorre na mesma semana em que os metroviários realizaram uma greve, prejudicando cerca de quatro milhões de usuários diários do metrô e trens da CPTM. A greve ganhou contornos políticos porque, segundo Geraldo Alckmin, a paralisação teve caráter eleitoral. Na visita de hoje, estava prevista a participação do pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB e ex-governador do Estado, José Serra. Na última hora, a assessoria do governo de São Paulo informou que o tucano cancelou a participação no evento. Alckmin foi acompanhado pela vice-prefeita de São Paulo, Alda Marco Antonio.
READ MORE - Em São Paulo, Inauguração da estação de metrô Adolfo Pinheiro deverá ocorrer no segundo semestre de 2013

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960