Prefeitura de São Paulo anuncia construção de 68 km de corredores de ônibus nas zonas leste e sul da cidade

sexta-feira, 23 de março de 2012

O diretor de infraestrutura da São Paulo Transporte (SPTrans), Roberto Molin, disse nesta quarta-feira (21), em audiência da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo, que a Prefeitura prepara uma licitação e vai lançar no início de abril um edital de R$ 2 bilhões para escolha das empreiteiras responsáveis pela construção de 68,5 km de corredores de ônibus na cidade.

A licitação prevê um corredor na Radial Leste, Corredor Aricanduva, Corredor Binário Santo Amaro, Corredor Berrini e Capão Redondo-Vila Sônia. Ele afirma que o início das obras neste ano depende do ritmo da licitação. "Você sabe quando inicia, mas não tem como prever quando termina", afirmou.

O pacote prevê a construção de três terminais de ônibus urbanos: em Perus, ao lado da estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em Parelheiros, junto ao Rodoanel; e no Jardim Ângela (ao lado do hospital). Também estão previstos dois terminais rodoviários: ao lado das estações de Metrô em Itaquera e na Vila Sônia. Há ainda previsão de requalificação de 23 km de corredores existentes, como na Inajar de Souza , na Zona Norte, e ao longo da M'Boi Mirim, na Zona Sul.

"O pacote deve conter aproximadamente 68,5 km de novos corredores, distribuídos ao longo da cidade, principalmente nas regiões mais carentes como Zona Leste e Zona Sul. E temos alguns novos terminais de ônibus, três deles urbanos e dois rodoviários", afirmou. A licitação será dividida em 14 lotes regionais e a escolha se dividirá em duas etapas: pré-qualificação das empresas e seleção por preço. Molin afirmou que o edital do pacote está sendo finalizado. Ele acredita que seja possível realizar a pré-qualificação em cinco meses.

"Na Zona Leste, nós temos os corredores do chamado Complexo Leste, que envolve a própria Radial Leste, com 16 km, desde o Centro até a Zona Leste propriamente dita. Temos também um corredor na Avenida Aricanduva. Teremos também um corredor na própria Avenida Itaquera, a partir do terminal Carrão. Na Zona Sul, teremos um corredor do Capão Redondo até a Vila Sônia, com 12 km. Na Avenida Berrini, um corredor no canteiro central da via de 3,5 km, além da requalificação de novos corredores. E tem o próprio binário de Santo Amaro também, que é um complexo de 8 km que faz uma interligação de três corredores: Rio Bonito, M'Boi Mirim e Guarapiranga", explicou.

O corredor ao longo da Avenida Celso Garcia, na Zona Leste, ficou fora do pacote e deverá ser substituído por um novo modal. "Muitos corredores que foram projetados foram transformados em modais de transporte de massa como, por exemplo, o Expresso Tiradentes, que era para ser um corredor em um modal de média capacidade. A Celso Garcia foi a mesma coisa, em vez de fazer um modal de baixa capacidade, resolveu-se optar por um outro modal", disse Molin.

Fonte: G1.com.br

READ MORE - Prefeitura de São Paulo anuncia construção de 68 km de corredores de ônibus nas zonas leste e sul da cidade

Dilma afirma que BRTs estão mudando a realidade do Rio

Em visita às obras da Transcarioca, que será o primeiro corredor de alta capacidade da cidade, na zona norte do Rio, a presidente Dilma Rousseff disse que os BRTs (Bus Rapid Transit) estão mudando a vida dos cariocas. "Nós não estamos fazendo só uma obra de transporte. Nós estamos mudando a realidade do Rio de Janeiro no que se refere à convivência das pessoas."

O governo federal financiará duas obras na cidade com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC da Mobilidade Urbana), no valor de R$ 1,63 bilhão. Uma delas é a Transbrasil, corredor expresso de BRT, ligando o subúrbio de Deodoro, na zona norte, ao Aeroporto Santos Dumont, orçada em R$ 1,3 bilhão. Outra é o VLT (veículo leve sobre trilhos), cujo custo atinge R$ 1,1 bilhão. O anúncio foi feito hoje pela presidente e pelo prefeito Eduardo Paes.

A participação do governo federal na Transbrasil somará R$ 1,129 bilhão e, no projeto do VLT, R$ 500 milhões, com contrapartida da prefeitura de R$ 171 milhões. No caso do VLT, o restante será viabilizado por meio de parceria público privada.
A presidente lembrou que a capital fluminense sediará eventos importantes internacionais, como a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável - a Rio+20, em junho, a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. Dilma ressaltou a importância de se investir no transporte urbano e disse que a parceria entre os três níveis do Executivo (federal, estaduais e municipais) é a receita para que se fazer as obras necessárias que mudarão a realidade das cidades brasileiras.

Fonte: Terra

READ MORE - Dilma afirma que BRTs estão mudando a realidade do Rio

São Paulo: Obra da CPTM interromperá linha e ciclovia aos domingos

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou, nesta quinta-feira, que irá suspender a circulação de trens na linha 9-Esmeralda, que liga a cidade de Osasco ao bairro de Grajaú, em São Paulo, durante os próximos nove domingos, a partir deste fim de semana. A suspensão se deve para a realização de obras de modernização do sistema. Durante o período, também será necessário fechar a ciclovia do rio Pinheiros aos domingos, que será utilizada para a logística das obras.
Foto: Ricardo Guimarães
As paralisações serão feitas em etapas e irão afetar cerca de 100 mil usuários da 9-esmeralda, além de 6 mil pessoas que utilizam a ciclovia do rio Pinheiros aos domingos. De acordo com a CPTM, a linha ficará completamente fechada nos próximos quatro domingos (de 25 de março a 15 de abril), mas será reaberta para a circulação apenas entre as estações Osasco e Pinheiros nos cinco domingos posteriores (dos dias 22 e 29 de abril e 6, 13 2 20 de maio). Ao todo, a linha conta com 18 estações.

"Vamos fazer um forte ataque nos próximos nove domingos. Isso irá penalizar as pessoas? Sim, mas o impacto é menor. Pedimos a compreensão dos usuários, não havia outra alternativa", disse o presidente da companhia, Mário Bandeira.
Segundo Bandeira, as obras de modernização serão realizadas entre a 1h de domingo e as 4h de segunda-feira, quando a linha voltará a circular normalmente. Enquanto a suspensão durar, serão disponibilizados cerca de 40 ônibus para transportar os usuários no trajeto da linha, das 4h à meia noite, sendo que os embarques serão realizados somente nas estações Grajaú, Santo Amaro, Berrini, Pinheiros e Vila Leopoldina.

Falhas e objetivos
 De acordo com o presidente da CPTM, o objetivo das obras - que irão abranger mudanças no sistema de sinalização, na rede aérea e na via permanente -, é tornar a linha mais confiável e diminuir a ocorrência de falhas. Além disso, a empresa espera conseguir reduzir o intervalo entre os trens, de 4 minutos (média atual) para 3 minutos até 2014, quando São Paulo será uma das sedes da Copa do Mundo.

Ele admitiu, porém, que a modernização não irá impedir a ocorrência de novos problemas. "Não existe sistema sem falhas. Qualquer sistema em qualquer lugar do mundo possui falhas. Mas elas tem que estar dentro de um parâmetro, e é isso que nós vamos buscar", disse.

Na quarta-feira da semana passada (14), uma pane na linha Esmeralda paralisou a circulação de trens por quase uma hora, prejudicando cerca de 30 mil usuários. Diariamente, mais de meio milhão de pessoas utilizam essa linha, que tem 31,8 km de extensão e 18 estações.

Segundo Bandeira, a CPTM estudava desde outubro do ano passado fechar a linha aos domingos para acelerar a implantação de cerca de mil postes de energia elétrica da rede aérea, mas a pane registrada na semana passada contribuiu para antecipar essas obras, que vinham sendo feitas desde 2010, durante as madrugadas. Ao todo, a modernização da CPTM custará R$ 307 milhões, sendo que R$ 55 milhões serão utilizados somente nesta etapa.

Usuários que tiverem dúvidas podem entrar em contato com a central de atendimento da companhia pelo fone 0800-055-0121, que será reforçada neste período.

Fonte: Terra

READ MORE - São Paulo: Obra da CPTM interromperá linha e ciclovia aos domingos

Estudantes protestam contra aumento na tarifa de transporte em Feira de Santana

Estudantes protestaram contra o aumento da tarifa do transporte coletivo de Feira de Santana, a 109 km de Salvador, na manhã desta quinta-feira. O grupo se reuniu em frente à Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), onde foi realizada a reunião do Conselho Municipal de Transporte (CMT).

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade
Houve confusão durante a manifestação e, de acordo com o comandante da Guarda Municipal, Marcos Vinícius Alves, dois agentes foram agredidos fisicamente pelos manifestantes e foram orientados a prestar queixa em uma delegacia.

Segundo informações do site Acorda Cidade, o conselho se reúne todos os anos para discutir o reajuste da tarifa, que este, ano deve passar de de R$2,35 para R$2,50, depois de aprovada a proposta de aumento de 6% proposta pela Associação Comercial de Feira de Santana.

A proposta aprovada por 13 votos contra 1 pelo Conselho, deve ser encaminhada para o prefeito Tarcísio Pimenta nos próximos dias para que possa ser sancionada. O secretário municipal Flailton Frankles (SMTT) afirmou que para o aumento da tarifa são analisados fatores como frota, custos, número de usuários pagantes e quilometragem.

Fonte: Correio 24 Horas

READ MORE - Estudantes protestam contra aumento na tarifa de transporte em Feira de Santana

Rio de Janeiro ganhará mais duas obras de mobilidade urbana

O governo federal e a Prefeitura do Rio irão investir quase R$ 2,5 bilhões na ampliação da infraestrutura viária do Rio de Janeiro nos próximos anos: R$ 1,12 bilhão da União, através de recursos do PAC da Mobilidade Urbana, e R$ 171 milhões do município para construção da Transbrasil, corredor expresso de ônibus articulado, o chamado Bus Rapid Transit (BRT) da Avenida Brasil; e R$ 1,1 bilhão (R$ 500 milhões da União e o restante viabilizado por meio de PPPs (Parcerias Público-Privadas) para a implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos(VLT) no centro da cidade.

O anúncio dos investimentos em mobilidade urbana na cidade que se prepara para receber a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 foi feito, nesta quarta-feira (21/03), pela presidenta Dilma Rousseff e pelo prefeito Eduardo Paes, durante visita às obras da Transcarioca, em Madureira, na Zona Norte do Rio. O governador Sérgio Cabral prestigiou o evento, realizado no Largo de Campinho, Zona Norte do Rio.

A presidenta considerou que os grandes eventos programados para o Rio de Janeiro serão uma grande oportunidade para o povo brasileiro de mostrar o País ao mundo. Mas, para ela, mais relevantes serão os legados deixados à população.

- Para fazer os BRTs, que estão mudando a realidade do Rio, é necessário um esforço muito grande de todos os níveis de governo. Só o governo federal está investindo nessas BRSts cerca de R$ 4,2 bilhões. O importante é que estamos conseguindo fazer uma integração de modais e não apenas uma obra de transporte, transformando o cotidiano do Rio no que se refere à convivência das pessoas, através de um tempo menor de deslocamento do trabalho para casa e vice-versa, sobrando mais tempo para o lazer - disse a presidenta.

O governador afirmou que a parceria com os governos federal e municipal permite um grande avanço no setor de transportes públicos, como a construção das BRTs, a renovação da frota de trens do metrô e da Supervia e a ampliação do metrô, como as linhas 3 e 4, facilitando o ir e vir da população, mas, também na área de segurança, outro fator de tranquilidade para os cariocas. Ele garantiu que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) chegarão, a partir do segundo semestre, à região de Madureira.

- Vamos avançar para outras áreas do Rio e para outras cidades da Região Metropolitana, depois de consolidar o processo de pacificação na Rocinha, Vidigal e nos complexos do Alemão e da Penha, que vão receber a partir de março suas UPPs. Mas, sempre seguindo o planejamento feito pela Secretaria de Segurança - adiantou Cabral.

A Transcarioca é um corredor expresso que vai ligar a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. A via expressa vai reduzir o tempo de deslocamento entre a Zona Oeste, onde ocorrerá grande parte das competições olímpicas, e o aeroporto, beneficiando de imediato a comunidade olímpica e por extensão os cariocas. A expectativa é que o tempo do trajeto seja reduzido em até 60%, o que vai beneficiar cerca de 400 mil pessoas todos os dias.

Com 41 quilômetros de extensão, a via cruzará bairros como Madureira,Vicente de Carvalho e Penha, depois de cortar toda a região de Jacarepaguá. A linha exclusiva por onde vão passar ônibus articulados – com capacidade para pelo menos 160 passageiros cada um – inaugura um novo conceito de transporte público na cidade, integrando também metrô, trens, terminais rodoviários e ciclovias. Serão construídas 46 estações BRT (Bus Rapid Transit), quatro mergulhões, dez viadutos e nove pontes, duas estaiadas, uma na Barra e outra sobre a Baía de Guanabara.

A Transbrasil vai ser implantada ao longo da Avenida Brasil, ligando o Aeroporto Santos Dumont a Deodoro. O corredor terá 32 quilômetros, com quatro terminais, 28 estações e 15 passarelas. A expectativa é beneficiar 900 mil passageiros por dia. A previsão é de que as obras durem 36 meses.

Além da Transbrasil e da Transcarioca, está em andamento no Rio a implantação de outros dois BRTs: Transoeste, que vai da Barra a Campo Grande e entra em operação ainda neste semestre, e a Transolímpica, ligando Barra a Deodoro e está em licitação. Segundo o prefeito, o maior legado das Olimpíadas para a cidade será o sistema de transportes, com investimentos tanto do Estado como da prefeitura.

- Vai saltar de 18% para 63%, em 2015, o volume de pessoas que utilizarão meios de transportes de alta capacidade, por conta das melhorias no sistema. É um grande avanço para a melhoria da qualidade de vida da população - concluiu Eduardo Paes.

Já o VLT do centro, que faz parte do projeto Porto Maravilha, ligará toda a região central do Rio através de seis linhas e 42 estações em 26 quilômetros de vias, integrando a Rodoviária Novo Rio, o Santos Dumont e as estações de metrô, trens e barcas.

Fonte: diariodemocratico.com.br

READ MORE - Rio de Janeiro ganhará mais duas obras de mobilidade urbana

Em Fortaleza, Primeiro Corredor de ônibus será implantado em junho

Do Terminal do Antônio Bezerra até a praça Coração de Jesus, no Centro de Fortaleza, a linha 251 gasta 63 minutos para ir e voltar. O ônibus anda, em média, 12 quilômetros por hora. E perde um tempo danado em congestionamentos de tirar o juízo de qualquer motorista que precise da avenida Bezerra de Menezes para chegar ao seu destino. A partir de junho, ônibus, vans e táxis que cruzam essa e outras sete vias de Fortaleza podem ter melhorias no tempo de deslocamento.
Ontem, a Prefeitura anunciou para junho a implementação do primeiro corredor exclusivo para transporte coletivo na Capital. Ele iniciará na avenida Mister Hull e terminará na rua Padre Ibiapina. A promessa é de que os 63 minutos caiam pela metade, com a média de velocidade no patamar dos 24 quilômetros por hora.

A medida é inspirada em projeto do Rio de Janeiro. O mesmo foi feito em São Paulo e Teresina (PI). A sistemática é simples: carros particulares, ciclistas e motociclistas só poderão trafegar por essa faixa caso necessitem fazer conversões à esquerda ou entrar em pontos de estacionamento. Com restrições, ainda assim.

A tolerância será de 100 metros. Pelo menos 15 fotossensores serão instalados nos cerca de três quilômetros do corredor. Quem desobedecer cometerá infração leve.

Já os motoristas de ônibus, topics e táxis com passageiros serão obrigados a permanecer na faixa. Se saírem dela, cometerão infração grave. O mesmo vale para veículos intermunicipais e interestaduais. É o que prevê o artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Tudo funcionará em caráter educativo por tempo indeterminado. Por ora, a Prefeitura fala apenas na criação de outros dois corredores até dezembro. Como a rota “Antônio Bezerra-Centro” foi escolhida por votação dentre cinco indicações, os próximos itinerários beneficiados podem sair dos quatro remanescentes (Antônio Bezerra-Messejana, Messejana-Centro, Lagoa-Centro e Leste-Oeste-Centro) ou de outras quatro vias.

Washington Soares, Santos Dumont, Desembargador Moreira e Virgílio Távora são avenidas cotadas. “Talvez surjam dificuldades de fiscalização, mas vamos definir nos próximos meses, quando também trocaremos os abrigos (paradas de ônibus) e instalaremos as sinalizações horizontal e vertical. O motorista não pode ter dúvidas de que é faixa exclusiva”, disse o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza, Ademar Gondim.

ENTENDA A NOTÍCIA

O corredor escolhido por votação nos terminais e site da Prefeitura já recebeu diversas melhorias de malha viária. Agora, quem descumprir a medida será multado. A infração leve representa três pontos na carteira e multa de R$ 53,20, enquanto a infração grave gera cinco pontos e multa de R$ 127,69.

Saiba mais
Usuários escolheram o corredor que deveria ter faixa exclusiva para transporte público. “Antônio Bezerra-Centro” teve 16.905 votos; “Lagoa-Centro” teve 13.496 apoios; “Messejana-Centro” somou 12.254; “Antônio Bezerra-Messejana” teve 7.337 e “Leste-Oeste-Centro” teve 2.924.

Não serão necessárias obras físicas nas avenidas. o chamado Serviço Rápido de Ônibus aproveita a estrutura da própria via.


Por Bruno Castro / O Povo Online

READ MORE - Em Fortaleza, Primeiro Corredor de ônibus será implantado em junho

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960