São Paulo, Faixa reversível da Estrada do M’Boi Mirim tem horário ampliado, porém são muitos passageiros para poucos ônibus

sexta-feira, 11 de março de 2011

A Prefeitura de São Paulo ampliou em um hora o funcionamento da faixa reversível da Estrada do M’Boi Mirim, na Zona Sul da capital paulista, a partir desta quinta-feira (10). A faixa, que funcionava das 6h às 8h, passou a funcionar entre as 5h30 e as 8h30.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a velocidade no trecho da estrada, que vai do nº 860, em Piraporinha, ao nº 2.600, perto do cruzamento com a Avenida Guido Caloi, aumentou 25% desde a implantação da faixa reversível em 31 de março de 2010.

Falta de ônibus
Nesta quinta, o trânsito estava fluindo melhor com a ampliação do horário, mas alguns passageiros duvidavam que a estratégia iria melhorar a situação do transporte público. “Tem dia que a gente não entra, as pessoas jogam você lá dentro. É muita gente e pouco ônibus”, diz Belísia Coelho, moradora da região.

Algumas pessoas, como a diarista Rosineide dos Santos, diz que chega a ficar três horas por dia dentro do ônibus. Muitos também não conseguem embarcar. “É decepção todo dia, eu já chorei neste ponto. Nós somos humilhados aqui para pegar um ônibus. É uma vergonha”, diz Maria da Conceição, moradora.

Para muitos passageiros, o problema é a falta de ônibus, pois os veículos vão ficando cada vez mais lotados durante os percursos. “Se continuar assim, a população vai ficar toda sem emprego. A gente levanta 5h, chega no terminal, fica 40 minutos pra sair um ônibus. Aí chega no trabalho o patrão fala: 'não acredito, aqui o ônibus está normal”, diz Margarida da Cunha, doméstica.

Alteração nas linhas
A Prefeitura ampliou o número de linhas de ônibus e reorganizou o sistema no final de 2010. “Nós seccionamos linhas locais que atendem os bairros no terminal Jardim Ângela e no Largo do Ângela, linha que antes iam até Santo Amaro, compartilhando as faixas da direita com os automóveis. A retirada desses ônibus permitiu uma redução de 22% no volume dessas linhas na região”, diz Celso Lopes, superintendente de operações da SPTrans.

Como o problema persiste, porém, a Prefeitura declarou que há planos para acabar ou alterar a localização de alguns pontos de ônibus da estrada, bem como um projeto de alteração dos semáforos para a implantação de ondas verdes e a eliminação de gargalos no corredor. A Prefeitura também declarou que está em fase de conversas com o governo do estado de São Paulo para a implementação de uma linha de metrô no local.


Fonte: G1.com.br



READ MORE - São Paulo, Faixa reversível da Estrada do M’Boi Mirim tem horário ampliado, porém são muitos passageiros para poucos ônibus

No Rio, Corredor de ônibus de Copacabana vai ter fiscalização eletrônica

A Secretaria Municipal de Transportes e a CET-Rio iniciarão nesta segunda-feira (14) a fiscalização eletrônica para coibir a invasão do corredor de ônibus da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, de onde foi retirada 24% da frota de coletivos que circulava por ali para que houvesse o aumento da velocidade média desses veículos.
Pelas regras, apenas ônibus municipais e táxis convencionais com passageiros e especiais, para portadores de deficiências, podem circular pelo corredor, além de veículos escolares. Os demais têm que circular nas duas faixas à esquerda.
O estacionamento à esquerda da via nos dias úteis só é permitido depois das 21h; após as 14h nos sábados; e o dia inteiro nos domingos e feriados.
Nos horários em que o estacionamento estiver liberado na faixa esquerda, qualquer veículo poderá trafegar pelo corredor livremente.



READ MORE - No Rio, Corredor de ônibus de Copacabana vai ter fiscalização eletrônica

Em BH, Intervenções para obras do viaduto da Abrahão Caran

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, informa que, em virtude das obras de implantação do Viaduto da Avenida Abrahão Caran, trecho da pista exclusiva de ônibus da avenida Antônio Carlos terá intervenções no trânsito a partir de 4/3. As alterações permanecerão ativas durante a exceção das obras.

Para a segurança de todos, a BHTRANS orienta os motoristas a redobrar a atenção, respeitar a sinalização implantada e os agentes de trânsito e a evitar, se possível, transitar pelo local.

INTERVENÇÕES

Interdição da pista exclusiva de ônibus na Avenida Antônio Carlos, próximo ao cruzamento da Avenida Abrahão Caran.

Sentido Centro/Bairro: Com a interdição, das quatro faixas da pista mista da Avenida Antônio Carlos, três funcionarão para o tráfego de veículos e uma como faixa exclusiva para ônibus e táxi.

Sentido Bairro/Centro: Com a interdição, das três faixas da pista mista da Avenida Antônio Carlos, duas funcionarão para o tráfego de veículos e uma como faixa exclusiva para ônibus e táxi.

DESVIO

Será efetivado um desvio, opcional, para veículos leves com o seguinte itinerário: ... Avenida Antônio Carlos, Avenida Cel. José Dias Bicalho, Alameda das Acácias (à esquerda), Avenida Antônio Abraão Caran (à esquerda), Avenida Antônio Carlos ...

Para minimizar os impacto do trânsito será implantado semáforo no cruzamento da Alameda das Acácias com Avenida Antônio Abrahão Caran e um redutor de velocidade na Avenida Cel. José Dias Bicalho, antes do cruzamento com a Alameda das Acácias, no sentido Mineirão.

TRANSPORTE COLETIVO

Os pontos de ônibus nos dois sentidos da Avenida Antônio Carlos, nas proximidades da Av. Antônio Abraão Caran, serão interditados e remanejados, sendo indicados com placas e cavaletes.

O local será sinalizado com faixas de tecido para orientação aos condutores. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito (BHTRANS e PMMG) e da Guarda Municipal irão monitorar o tráfego na região.


Fonte: BHTrans

READ MORE - Em BH, Intervenções para obras do viaduto da Abrahão Caran

Pré-projeto de modernização e ampliação do pré-metrô de Teresina que será apresentado na próxima segunda-feira

O governador Wilson Martins definiu, na manhã desta quinta-feira (10), o pré-projeto de modernização e ampliação do pré-metrô de Teresina que será apresentado na próxima segunda-feira (14) à Prefeitura da capital. A ideia é encaixar o projeto na proposta a ser encaminhada pela Prefeitura ao comitê gestor do PAC Mobilidade Grandes Cidades. A previsão é de que sejam investidos R$ 280,00 dessa linha do Plano de Aceleração do Crescimento em Teresina.

O pré-projeto prevê a revitalização de estações, aquisição de novos Veículos Leves sobre Trilhos, duplicação de alguns trechos dos trilhos já existentes, além de ampliação do percurso do pré-metrô da capital. “A ideia é dar mais agilidade, conforto e segurança aos usuários, além de beneficiar um número maior de pessoas com a expansão. Pretendermos oferecer mais trens e um espaço de tempo menor entre eles”, disse o coordenador estadual do PAC, Mirócles Veras.

“Houve uma reunião prévia com os técnicos da Prefeitura e uma sinalização positiva para nossa proposta. A ideia é fazermos essa parceria, beneficiando o transporte de massa, o que irá gerar um impacto grande em relação ao tráfego e à qualidade de vida das pessoas”, relatou Mirócles Veras.

PAC Mobilidade

O PAC Mobilidade Grandes Cidades tem como foco a melhoria da infraestrutura de transporte público coletivo das grandes cidades e regiões metropolitanas. Os projetos selecionados pelo Governo Federal serão conhecidos até 12 de junho e devem, prioritariamente, beneficiar a população de baixa renda que mora em periferias com situação fundiária regularizada. Outras diretrizes da linha PAC Mobilidade são: sustentabilidade operacional dos sistemas viários, compatibilidade entre a demanda e os modais propostos, e adequação às normas de acessibilidade.

Fonte: 45graus.com

Share |
READ MORE - Pré-projeto de modernização e ampliação do pré-metrô de Teresina que será apresentado na próxima segunda-feira

Prefeito de Aracaju é contra projeto que reduz a tarifa de ônibus de R$ 2,25 para R$ 1,20 nos finais de semana

O projeto de lei do deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC), para reduzir a tarifa de ônibus de R$ 2,25 para R$ 1,20 nos finais de semana, nem foi apresentado para a votação e já foi rejeitado pelo prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB). Para o prefeito não há menor possibilidade de o Estado e o Município se unirem para conceder descontos na cobrança dos impostos às empresas de ônibus, como defende o projeto, para baratear o custo da passagem. "Não realizarei a tarifa social. Não é obrigação da prefeitura pagar por um serviço privado", taxou o prefeito.

De acordo com o deputado Gilmar, o projeto se assemelha a medida adotada em Fortaleza, onde a prefeitura, em parceria com o Governo do Ceará, reduziu o ISS de 4% para 2% e abriu mão da taxa de gerenciamento, que em Aracaju está entre 8% e 9%. Quando provocado sobre o tema, durante a entrega de mais 20 ônibus para a frota do transporte público, Edvaldo Nogueira argumentou que a prefeitura não tem condições financeiras para praticar essa redução de impostos. "A prefeitura já tem enfrentado dificuldades, então não temos condições de financiar a tarifa social. Nós temos que encontrar outra solução para oferecer o benefício à população, mas sem prejudicar o andamento das contas do Município. Certamente a Prefeitura de Fortaleza tem passado por grandes dificuldades por conta da tarifa social", acredita o prefeito.

Empresários querem a desoneração do custo

Em Fortaleza, a tarifa social foi estimulada também com a redução de 17% para 8,5% do ICMS para o óleo diesel. Algo que é duramente defendido pelos empresários do transporte que buscam a desoneração do custo do serviço. "Não é aceitável que o preço do óleo diesel que é utilizado pelo transporte público seja o mesmo do utilizado pelo cidadão que usa em seu carro de luxo", reclamou Adierson Monteiro, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes e Passageiros de Aracaju (Setransp).

Segundo Adierson, 25% do preço do óleo diesel são de ICMS, e essa alíquota que incide sobre o preço para o transporte público é a mesma que incide para o cidadão. "Ou seja, não está se dando prioridade ao transporte público que é tão essencial", contestou ele. O empresário Adierson Monteiro não vê problemas na adoção da tarifa social, desde que o custeio da mesma seja assegura pelo Poder Público.

"As empresas precisam receber para operar, por isso se cobra a tarifa de ônibus. Então se o nosso custo estiver sendo pago, mesmo que seja por outra fonte, não haverá problema nenhum. O problema é saber se o Estado e o Município podem mesmo fazer isso. Sou empresário e sei que não adianta trabalhar com demagogia. Tem que se ter condições concretas", frisou ele.

O deputado Gilmar Carvalho, que pretende apresentar nos próximos dias o projeto de lei na Assembleia Legislativa, já solicita o apoio dos parlamentares para aprovação da propositura. "O valor do preço da passagem em Aracaju, que é uma das mais caras do país, tornou-se um problema. A tarifa social de Fortaleza poderia ser adotada na capital sergipana para garantir não só o barateamento da passagem, como proporcionar mais mobilidade no trânsito, garantindo um maior acesso ao sistema de transporte", defendeu Gilmar na Assembleia.

Fonte: ClickSergipe

READ MORE - Prefeito de Aracaju é contra projeto que reduz a tarifa de ônibus de R$ 2,25 para R$ 1,20 nos finais de semana

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960