Prefeitura de São Paulo pode tirar táxis dos corredores de ônibus

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A prefeitura criou uma comissão para avaliar os impactos do uso dos corredores exclusivos de ônibus pelos táxis e sugere até a proibição da circulação.

O objetivo principal é encontrar uma forma de aumentar a velocidade dos coletivos nos corredores. O grupo, formado por integrantes de CET, SPTrans, DTP (Departamento de Transportes Públicos) e DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário), terá 40 dias para elaborar um relatório que irá apontar se os táxis podem continuar circulando, se a autorização será cancelada ou se haverá alguma outra alteração.

Em vários horários do dia, os ônibus rodam mais lentos nas faixas exclusivas do que os demais veículos fora delas. Ontem, por volta das 17h30, a velocidade média nos corredores era de 19 km/h no sentido centro e 16 km/h no sentido bairro. Nas demais vias, era de 20 km/h e 17 km/h, respectivamente.

O corredor mais lento era o que liga o Jardim Ângela a Santo Amaro, com velocidade de 11 km/h às 17h30.

Prejuízo

O presidente do Sindicato dos Taxistas, Natalício Bezerra, avalia que, se o relatório apontar o cancelamento, quem sairá perdendo será o usuário.

"O taxista poder usar o corredor de ônibus é benéfico para toda a população, pois impede que mais um carro saia às ruas", disse.

Ele admite que alguns taxistas usam o corredor mesmo vazios, o que é proibido.

Mais Notícias de São Paulo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960