Metrô DF em greve a partir desta quarta-feira

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Após assembleia, realizada na noite desta terça-feira (19/10), na Praça do Relógio, em Taguatinga, os metroviários decidiram pela greve. A categoria vai paralisar as atividades a partir da 0h desta quarta-feira (20/10).

Em nota à imprensa, o Metrô-DF alegou que há avanços no processo de negociação com os metroviários e considera a greve inoportuna e irresponsável.

Confira a nota na íntegra

Considerando os avanços no processo de negociação e o claro compromisso desta Empresa com a missão de sanar divergências nas relações de trabalho, entendemos ser irresponsável e totalmente inoportuna a paralisação das atividades metroviárias, provocada pelo SindMetrô-DF.

Tal atitude representa prejuízo incalculável à população do Distrito Federal e encerra o diálogo entre a Empresa e os metroviários. Com a decisão de dar início à greve, ficam retiradas as propostas efetuadas à categoria, cabendo exclusivamente à Justiça do Trabalho a decisão sobre a legalidade do movimento.

Até o momento, o Sindicato dos Metroviários do DF vinha obtendo, por parte da Direção do Metrô-DF, uma demonstração inequívoca do propósito de manter aberto o diálogo. Tanto é assim que, dentro dos limites orçamentários e legais impostos pelo momento atual, a Companhia propôs à categoria, depois de discutir exaustivamente o assunto:

- Convocação até o próximo dia 25 de todos os aprovados que constam no cadastro reserva para os cargos de Agente de Estação e de Piloto, em que pese já ter convocado três vezes o número de vagas disponíveis no edital;
- Implantação da jornada de 30 horas para os pilotos, em caráter experimental, durante 90 dias, contados a partir de 1º de novembro, sem redução salarial;
- Aguardar a decisão definitiva do Tribunal Superior do Trabalho acerca do processo relativo ao retorno dos metroviários às bilheterias;

Para minimizar os efeitos da greve, haverá reforço de 190 ônibus nas áreas atendidas pelo Metrô-DF a partir desta quarta-feira (20).

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - Metrô DF em greve a partir desta quarta-feira

Dia do Maquinista Ferroviário é celebrado em 20 de outubro

Desde os tempos da "Maria Fumaça", a figura do maquinista povoa a imaginação de crianças e adultos. Os apaixonados por trens consideram esta a melhor profissão do mundo e não escondem a vontade de viajar na cabine de um trem para sentir a real magia de conduzir uma locomotiva. Os profissionais que têm esse privilégio são lembrados no dia 20 de outubro, Dia do Maquinista Ferroviário.

A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] conta com cerca de 1.200 maquinistas, que comandam uma frota de 142 trens e estão distribuídos em seis linhas. Eles são os responsáveis pelo transporte diário de mais de 2,2 milhões de pessoas e têm a tarefa de conduzir o trem com segurança e dentro do horário previsto, nas quase 2.300 viagens realizadas todos os dias. "Os maquinistas são o coração da ferrovia e os responsáveis pelo controle dos trens e a segurança dos usuários. Esses profissionais são um orgulho para a CPTM", declara o presidente da Companhia, Sérgio Avelleda.

Entre as principais atribuições do maquinista estão o controle de velocidade do trem, a abertura e o fechamento de portas, a comunicação com os passageiros e com o CCO [Centro de Controle Operacional] e a constatação de falhas ou avarias do equipamento. O maquinista também é responsável por realizar testes e manobras, atuar no controle de tráfego e elaborar relatórios das viagens realizadas.

Fonte: CPTM
READ MORE - Dia do Maquinista Ferroviário é celebrado em 20 de outubro

A inviabilidade do trem-bala

O projeto do trem-bala brasileiro "é um caso clássico de má qualidade da gestão de investimentos públicos". É assim que o doutor em Economia pela Universidade de São Paulo e consultor legislativo do Senado, Marcos Mendes, qualifica o mirabolante programa do governo Lula de construção do sistema de trem de alta velocidade (TAV) ligando São Paulo e Rio de Janeiro, com extensão até a região de Campinas. Mendes faz severas críticas ao projeto, todas de natureza técnica, que colocam em séria dúvida a possibilidade de sua execução e operação nas condições definidas pelo governo.
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) tem rebatido todas as críticas ao projeto do trem-bala e seu presidente, Bernardo Figueiredo, disse ao jornal Valor que todas as etapas programadas serão cumpridas, até a assinatura do contrato. De acordo com edital já publicado, as empresas interessadas em construir e operar o sistema deverão apresentar suas propostas até o dia 29 de novembro; o leilão está marcado para o dia 16 de dezembro.
O irrealismo e a inviabilidade do projeto da maneira como o governo o concebeu ficam nítidos no estudo de Marcos Mendes, publicado pelo Centro de Estudos da Consultoria do Senado.
O consultor questiona, em primeiro lugar, a decisão do governo de construir o TAV sem levar em consideração alternativas mais baratas, mais eficazes e menos arriscadas, técnica e financeiramente, para resolver os problemas identificados. Na verdade, como mostra Mendes em seu estudo, nem mesmo os principais problemas que o TAV deveria resolver foram apontados pelo governo.
Se o problema que incomodava o governo - além de sua necessidade de fazer propaganda política - eram os congestionamentos e os riscos de acidentes rodoviários e aéreos entre São Paulo e Rio de Janeiro, haveria outras soluções. Entre elas, o estudo relaciona o trem de velocidade intermediária, a recuperação e ampliação da ligação rodoviária e mudanças na estrutura aeroportuária e no sistema de distribuição de voos entre aeroportos.
Sem analisar essas alternativas, o governo escolheu o TAV, mas seu projeto, como aponta Mendes, tem falhas críticas que o tornam uma escolha de riscos muito altos, sobretudo para o Tesouro Nacional. Em outras experiências internacionais, a participação do setor público foi inevitável. No caso do TAV brasileiro, porém, observa o consultor do Senado, essa participação será excessiva em termos financeiros. Por ser um projeto tão grande que não poderá falhar ou ser interrompido depois de iniciado, imporá ao setor público a obrigatoriedade de assumir custos e operações no caso de fracasso da operação privada.
São frágeis os parâmetros nos quais se basearam os cálculos financeiros do projeto. O custo por quilômetro construído adotado no TAV brasileiro, de US$ 33,4 milhões, é inferior ao padrão internacional aferido por Mendes, que varia de US$ 35 milhões a US$ 70 milhões. E a construção do trem-bala brasileiro envolverá dificuldades maiores do que as dos sistemas de outros países, como o desnível entre Rio e São Paulo (cerca de 760 metros), a necessidade de construção de 39% da linha em túneis e viadutos, o cruzamento de terrenos de alto custo de desapropriação (pois a linha passará por áreas de alta densidade populacional) e o impacto ambiental (áreas da Mata Atlântica serão cortadas pela ferrovia) que exigirá compensações.
Mesmo que tudo isso seja superado, resta a dúvida sobre a viabilidade econômico-financeira do TAV. A demanda prevista para o trecho São Paulo-Rio é de 6,4 milhões de passageiros por ano. Em alguns trechos, a demanda estimada é maior (entre Campinas e São Paulo, é de 12,4 milhões de passageiros por ano), mas ainda assim inferior à considerada internacionalmente indispensável para cobrir os custos operacionais, como constatou o consultor do Senado. A conta não inclui a amortização dos investimentos.
Ainda assim, haverá grupos privados interessados no TAV? E se o candidato da oposição, José Serra, notório crítico do trem-bala brasileiro, for vitorioso em 31 de outubro, como ficará o projeto?

Fonte: Estadão
READ MORE - A inviabilidade do trem-bala

Ônibus transitam sufocados em terminais sem mobilidade em Aracaju

A ausência de vias que ofereçam fluidez no trânsito tem deixado em polvorosa estudiosos no assunto em todo o mundo. Aracaju enfrenta um dos maiores problemas de mobilidade no país. Nos terminais, a situação não é diferente, e é grande a necessidade de reformulação desses pontos de interligação e apoio aos ônibus. O terminal deve ser encarado como uma ponte de ligação intermodal. O terminal integrado que facilite o intercâmbio ônibus, bicicleta e pedestres, concorre, certamente, para uma grande melhora na mobilidade urbana.

Fonte: Cinform
READ MORE - Ônibus transitam sufocados em terminais sem mobilidade em Aracaju

Diretor da ANTP diz que Copa dará visibilidade para circulação urbana

O ganho imediato para a população de cidades que sediarão a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014, será a maior atenção para o fenômeno da circulação urbana como função essencial das próprias cidades. A avaliação é do diretor da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e assessor da Diretoria de Planejamento do Metrô de São Paulo, engenheiro Rogério Belda. Ele é um dos palestrantes do Ciclo de Debates Desafios da Mobilidade Urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte, que a Assembleia Legislativa de Minas Gerais realiza nos dias 25 e 26 de agosto, no Plenário, a partir de 14 horas.
O ciclo vai discutir o planejamento urbano, as políticas públicas de transporte e mobilidade urbana sustentável e a integração dos sistemas de transporte na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mais de 30 entidades são parceiras da Assembleia na construção do ciclo, entre órgãos governamentais, não governamentais e entidades de classe, como associações e sindicatos.
Impactos da Copa - Segundo Rogério Belda, Belo Horizonte, Rio e São Paulo são os polos que comandam uma rede urbana de fluxos de informação, riqueza e inovação. "As metrópoles que perdem eficiência correm o risco de perder importância na rede mundial de cidades. Em um plano mais prático e imediato, é essencial analisar como podem ser usadas as infraestruturas e as novas construções depois de terminadas as Copas", acrescenta.
Sobre os impactos das obras na vida da população, o diretor da ANTP afirma que é uma ótima oportunidade de "fazer do limão uma limonada". E explica que até a Copa das Confederações em 2013, será possível construir corredores segregados e semissegregados, reduzir os estacionamentos nas vias principais e ampliar o serviço do metrô na faixa de domínio existente, com previsão de posterior aperfeiçoamento e expansão com o intuito de uma operação em rede dos sistemas de circulação.
Já em relação aos transtornos que a população terá de enfrentar com as obras, Rogério Belda lembra que os habitantes sofrem também com obras que não são feitas, como os problemas com os congestionamentos e enchentes. Ele enfatiza, porém, que é importante definir a responsabilidade de realização e aprovação dos programas de desvio de tráfego. E cita o exemplo de São Paulo, cujas obras iniciais do metrô motivaram a criação de um núcleo de planejamento de transporte na nova Companhia do Metrô e, posteriormente, a criação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Fonte: Uipi
READ MORE - Diretor da ANTP diz que Copa dará visibilidade para circulação urbana

São Paulo: Corredor de ônibus Guarulhos-SP fica pronto em 2012

O governo do Estado assinou contrato para iniciar obra de três quilômetros de sistema viário entre os Terminais Taboão e Cecap, em Guarulhos. O trecho faz parte do corredor de ônibus Guarulhos-Tucuruvi, que terá 32,3 km de extensão (entre Taboão e a zona norte da capital) e vai transportar 100 mil passageiros/dia. A previsão é de que o corredor funcione já em 2012.

CONFORTO, SEGURANÇA, MODERNIDADE
O projeto deverá atender aos conceitos de segurança, modernidade, acessibilidade, expressos por:
  • Racionalização da frota: utilização racional de recursos, efetivada, principalmente, pela redução da frota (de 20% a 30% considerando os sistemas municipal e intermunicipal)
  • Ultrapassagem: corredor segregado com canteiro central e pista dupla nos pontos de parada possibilitando a ultrapassagem e maior eficiência operacional com adoção de viagens expressas e semi-expressas.
  • Respeito Ambiental: adoção de veículos com tecnologia avançada, dentro dos padrões de emissão EURO III, utilização de motores a gás ou híbridos diesel-elétricos e/ou gás-elétrico. Além da redução de emissões em razão de um número inferior de veículos e de novas tecnologias veiculares, há um substancial ganho ambiental em função da maior velocidade operacional (menor concentração de gases em determinada área).
  • Modernidade: eficiência operacional (controle eficiente de chegadas e partidas, tempo de parada nos pontos, velocidade constante) e a facilidade de integração com outros modais, como ferrovia, metrô, vans e outros ônibus.
  • Integração Metropolitana: Promover a integração da rede intermunicipal, com a rede municipal de ônibus nos terminais metropolitanos propostos, prevendo a integração nos terminais, pólos regionais do município de São Paulo e metrô.
  • Integração Tarifária: Contemplar uma política de integração tarifária com os outros modais metropolitanos e sistemas geridos pelas municipalidades.
  • Bilhetagem Eletrônica: Contemplar a utilização de sistemas de cobrança automática compatíveis com as propostas em estudo pelos órgãos metropolitanos e pelos órgãos gestores municipais.
  • Recuperação da Malha Urbana: Adoção de medidas para a recuperação e valorização urbanística.
  • Segurança: Segurança dentro e fora dos veículos. Embarque e desembarque adequados, seguindo normas de acessibilidade e sistema de informações aos usuários. Compondo ainda o atributo segurança incluem-se a monitoração eletrônica (GPS, câmaras de vigilância, etc,) e o entorno limpo, conservado e bem iluminado.


VEÍCULOS
Como parte da política de conferir modernidade, segurança e bom desempenho ao sistema, está prevista a utilização de ônibus de última geração para a operação no Corredor Guarulhos-Tucuruvi. Assim, faz-se necessária a combinação, em um mesmo veículo, de características e detalhes construtivos que atuem diretamente na percepção do público, seja este usuário habitual ou não, motoristas de veículos particulares, moradores das regiões por onde se estende o corredor e os demais munícipes.

Características
  • Veículos Padron e Articulado com piso baixo
  •  Motores eletrônicos de baixa emissão
  • Baixo índice de ruído
  • Ar-condicionado
  • Facilidade de acesso à Pessoa Portadora de Deficiência (PPD)
  • Freios ABS
  • Suspensão a ar
  • Câmbio automático
  • Porta do lado esquerdo
  • Sistema sonoro
Fonte: EMTU
READ MORE - São Paulo: Corredor de ônibus Guarulhos-SP fica pronto em 2012

Caxias do Sul: Sindicalistas preparam nova paralisação do Transporte Coletivo

Depois de um mês do protesto realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Caxias do Sul, que paralisou a saída dos ônibus da Visate na saída da garagem da empresa em cerca de uma hora, o que gerou um atraso para cerca de 30 mil usuários, os sindicalistas preparam novo protesto para breve.

Segundo Tacimer da Silva, presidente do Sindicato depois do protesto não houve nenhuma negociação. Eles reclamam da retirada de operadores de sistema, os cobradores de sete ônibus da empresa.

O Sindicato pretende pressionar os vereadores. Tramita na Câmara projeto de autoria do Vereador Assis Melo que muda a lei dos midibus. Segundo Tacimer o Sindicato prepara novos atos de protesto.O Sindicalista informa ainda que nem a empresa e nem o governo municipal ouviram as reivindicações dos trabalhadores até o momento.

READ MORE - Caxias do Sul: Sindicalistas preparam nova paralisação do Transporte Coletivo

BH: Intervenções na Av. Antônio Carlos a partir de 20/10

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, informa que a partir do dia 20/10 (quarta-feira), entre as 23h e 5h, será implantado um estreitamento de pista na Avenida Antônio Carlos com a Rua Adalberto Ferraz, no sentido Bairro/Centro, próximo a Praça do Centenário. Essa intervenção será realizada todos os dias, com previsão de aproximadamente dois meses, em virtude das obras no Complexo da Lagoinha, realizada pelo Governo do Estado.

Já do dia 20/10 (quarta-feira) ao dia 22/10 (sexta-feira), devido às obras na Avenida Antônio Carlos, será interditado o Viaduto da Rua Rio Novo. Os veículos deverão utilizar como opção de desvio o Viaduto da Rua Formiga, próximo ao Conjunto IAPI.

Os trechos interditados e os desvios serão indicados por faixas de pano e sinalização de obra para orientar e garantir segurança aos motoristas. A empresa alerta para a importância de os motoristas redobrarem a atenção à sinalização implantada. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito monitoram o tráfego na região. Informações sobre o Transporte Coletivo podem ser obtidas na Central de Atendimento Telefônico da BHTRANS, pelo número 156, ou no portal da empresa – http://www.bhtrans.pbh.gov.br/.

Fonte: BHTrans
READ MORE - BH: Intervenções na Av. Antônio Carlos a partir de 20/10

Rio de Janeiro: Paes anuncia mudança no projeto da Transoeste

O prefeito Eduardo Paes anunciou, nesta segunda-feira, uma mudança no projeto da Transoeste, um sistema de corredor exclusivo para ônibus BRTs. A via será ampliada nas duas pontas, tanto na Barra, onde chegará ao Jardim Oceânico, quanto em direção à Zona Oeste porque, em vez de parar em Santa Cruz, como estava previsto originalmente, será estendida até o Centro de Campo Grande. A obra é um dos investimentos que visam às Olimpíadas de 2016. Com o novo traçado, o custo total do projeto, que era de R$ 692 milhões, subirá para R$ 800 milhões.
A Transoeste já começou a sair do papel. O viaduto, que ajudará a desafogar o trânsito na Avenida das Américas, está em construção. Os operários também já trabalham na duplicação de vias e na perfuração do Túnel da Grota Funda. A prefeitura promete terminar Transoeste até 2012. Também serão construídos outros três corredores expressos, um na Avenida Brasil, além da Transcarioca e da Transolímpica.
Paes enumerou todos os corredores que vão dar mais agilidade ao trânsito da cidade:
- Você vai ter um BRT saindo aqui da Barra, vindo pelo litoral, em direção à Zona Oeste. Você vai ter um outro cortando aqui, fazendo uma ligação com subúrbio, indo até a Ilha do Governador, que tá aqui. Você tem um outro cortando o maciço da Pedra Branca, chegando em Deodoro, na Avenida Brasil. E você tem o outro da Avenida Brasil chegando até o Centro da cidade.
Com a mudança, a Transoeste será o maior projeto para BRTs do estado, passando de 32 para 56 quilômetros. Uma nova licitação será realizada. O corredor exclusivo é um sistema voltado para o tráfego de ônibus articulados. Ao longo do traçado, as vias contarão com estações, feitas em estrutura de aço e com portas automáticas.

Fonte: O Globo
READ MORE - Rio de Janeiro: Paes anuncia mudança no projeto da Transoeste

SPTrans reorganizará linhas em terminais da zona sul

A SPTrans vai reorganizar o transporte público nos terminais Varginha e Grajaú, na zona sul da capital paulista, com o objetivo de agilizar o transporte na região. Algumas linhas serão reforçadas com maior número de partidas e outras serão criadas para atender a nova demanda de passageiros. As linhas locais, operadas com miniônibus, levarão os passageiros até os terminais, e os ônibus maiores vão levar os usuários até os centros de grande interesse e estações da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô).
A proposta aumentará em 27% a oferta de lugares, com viagens mais rápidas, mais opções de destinos e redução nos intervalos dos ônibus que ligam os bairros aos terminais, além de concentrar as linhas estruturais nos corredores, diminuindo o tempo de viagem. Mais de 250 mil passageiros serão beneficiados com as alterações.

Fonte: Estadão
READ MORE - SPTrans reorganizará linhas em terminais da zona sul

Despreparo afeta acesso de cadeirantes

Insatisfeito com o atendimento aos portadores de deficiência física no transporte coletivo mogiano, o vice-presidente do Centro de Integração da Pessoa com Deficiência (CIPD), Alessandro Alexandre Avelar, questiona o preparo dos motoristas e cobradores dos ônibus da cidade para atender aos cadeirantes.
De acordo com ele, que é tetraplégico há nove anos e utiliza o transporte público diariamente, apesar da maioria dos ônibus da frota mogiana contar com o elevador especial para a cadeira de rodas, os motoristas e cobradores não são capacitados para operá-lo. Na manhã de ontem, o motorista do coletivo que faz a linha Rodeio via Cabo Diogo Oliver teve problemas para acionar a plataforma eletrônica do elevador quando um passageiro deficiente precisou embarcar, e o ônibus ficou parado por cerca de 30 minutos até que o problema fosse resolvido.

Segundo Avelar, a situação se agrava em horários considerados de pico. "Como os motoristas não conseguem manipular corretamente o mecanismo do elevador, os demais passageiros ficam irritados e reclamam da demora em prosseguir a viagem", contou Avelar. Ele diz que os problemas são variados. "As rampas de elevação travam, os cintos de segurança muitas vezes não funcionam e a população não é educada para compreender as dificuldades de um deficiente físico". Avelar afirmou que a falta de utilização e manutenção dos elevadores também prejudicam seu funcionamento. "Os motoristas deveriam fazer um teste diariamente, para verificar se o elevador está funcionando", sugeriu o cadeirante.

Fonte: Mogi News
READ MORE - Despreparo afeta acesso de cadeirantes

Dílson Peixoto fala sobre sua eleição para presidir a Divisão América Latina da UITP

Membro do Conselho Diretor da ANTP, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte e Trânsito, secretário das Cidades do Estado de Pernambuco e presidente do Grande Recife Consórcio de Transportes, Dílson Peixoto presidirá a Divisão América Latina da União Internacional de Transportes Públicos (DAL/UITP) em mandato que terá início em abril de 2011 e se estenderá até julho de 2013. Na sequência desta matéria, acompanhe uma rápida entrevista com o dirigente.

Dílson foi eleito por unanimidade em 18 de setembro de 2010, durante reunião do Comitê Executivo da UITP, em Bruxelas, Bélgica; a oficialização dessa escolha ocorreu em 6 de outubro de 2010, durante a 8ª Assembléia da Divisão América Latina da UITP, realizada em Bogotá, juntamente com o Seminário Tecnologia em Transporte Público: desafios para os operadores, as autoridades e as industrias. A ANTP esteve representada nesses eventos.

Desafios. Desde junho de 2009, Dílson Peixoto ocupa o cargo de vice-presidente da Divisão América Latina da UITP. Como presidente, terá como desafio promover a troca de experiências comuns no transporte público no continente, além de reforçar a voz e a participação da América Latina no desenvolvimento de projetos e ações da área de transporte público em nível mundial, nos comitês internacionais.

O secretário geral da UITP, Hans Rat, disse que a escolha de Dílson Peixoto para comandar a Divisão da América Latina foi muito bem recebida por todos os membros. “O Grande Recife Consórcio de Transporte é um membro ativo da UITP e tem contribuído fortemente para a discussão da melhoria do transporte público na América Latina. Dílson é um gestor competente, que tem assumido uma postura moderna e positiva frente aos desafios do setor. Temos certeza de que sua chegada á presidência trará bons resultados”, destacou.

Outros integrantes. O Corpo Executivo da DAL/UITP tem ainda outros dois membros do Conselho Diretor da ANTP, eleitos vice-presidentes: Lélis Teixeira, da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) e Joubert Fortes Flores, diretor do Metrô do Rio de Janeiro. Os outros vice-presidentes são Leonardo Ceragioli (APB Prodata/Brasil), Fernando Paes (Transmilenio/Colômbia), Juan Salgado (CUTCSA/Uruguai), Mario Gerardo Guerrero Dávila (Metrorrey/México) e Jorge Minteguiaga (Tecnoacion/Chile).

ENTREVISTA COM DILSON PEIXOTO

Informativo ANTP – A UITP é uma organização com 125 anos de existência e grande experiência tecnológica e comercial em nível global. A seu ver, que papel essa entidade tem exercido no sentido de fortalecer o transporte público na América Latina?

Dílson Peixoto – Exatamente por unir globalmente os pensamentos e ações dos segmentos da indústria, dos órgãos gestores e da academia, entendo que a UITP, e a sua Divisão América Latina, em estreita sintonia com as entidades de cada um dos países do nosso continente -- a exemplo da ANTP –, pode e deve formular coletivamente projetos e idéias capazes de modernizar os sistemas de transporte, em todos os seus modais, contribuindo assim, com a melhoria da mobilidades dos habitantes de nossas cidades.

Informativo ANTP – Nesse sentido, quais os seus planos a partir de abril de 2011?

Dílson Peixoto – Nossos planos são os planos traçados pelo Comitê Executivo da UITP. Evidentemente, buscando a sintonia com o conjunto de nossos vice-presidentes e em especial repito: articulando projetos, idéias e políticas com as entidades nacionais de cada um dos países membros.

Informativo ANTP – A ANTP participou ativamente da estruturação da DAL/UITP no início desta década e hoje as duas organizações compartilham um escritório em São Paulo. Como o senhor descreveria essa relação e como ela poderá caminhar nos próximos anos?

Dílson Peixoto – Buscarei permanentemente uma estreita sintonia entre estas duas entidades, de cujos respectivos órgãos diretivos que tenho a honra de participar.

Informativo ANTP – O senhor é também presidente do Fórum Nacional de Secretários. Como essa organização poderá cooperar com a Divisão América Latina da UITP?

Dílson Peixoto – O Fórum é um organismo estratégico, na medida em que os projetos e as idéias do setor são implementados na prática, na ponta, localmente. Daí a importância, mais uma vez ressalto, que a ANTP tem, participando dos eventos/reuniões da UITP e colaborando com o Fórum. De minha parte, envidarei todos os esforços no sentido de aproximar mais ainda os companheiros Secretários e Dirigentes do Fórum, com a ANTP e com a Divisão América Latina da UITP.

Informativo ANTP – Uma declaração final?

Dílson Peixoto – Registro a honra de haver sido eleito por unanimidade para assumir em abril do próximo ano este importante cargo. Entendo que tal fato só foi possível graças ao esforço coletivo de todos nós que fazemos o setor de transporte público e da mobilidade no Brasil, em especial dos companheiros que junto comigo construíram o primeiro consórcio público de transporte metropolitano do continente: o Grande Recife Consórcio de Transporte.

Fonte: ANTP
READ MORE - Dílson Peixoto fala sobre sua eleição para presidir a Divisão América Latina da UITP

Manaus receberá amanhã o Workshop do Prêmio ANTP de Qualidade no Transporte Público

Está programado para a manhã de 20 de outubro de 2010, das 9h às 13h, no Auditório Açaí, Novotel Manaus – Avenida Mandii, nº 4, Distrito Industrial, Manaus – o 'workshop' Como melhorar o desempenho das organizações de transporte e trânsito Público.

O encontro é uma iniciativa do Prêmio ANTP de Qualidade voltada para dirigentes de organizações do setor – operadoras rodoviárias urbanas e metropolitanas, operadoras metroferroviárias, gestores de transporte e trânsito e operadoras de transporte rodoviário de longa distância –, visando à divulgação do Programa de Incentivo, Treinamento e Educação para a Melhoria da Qualidade e Eficiência da Gestão do Transporte e Trânsito Urbanos. Gestão para a excelência.

O propósito do evento é estimular as organizações de transporte e trânsito a adotarem modelos de gestão orientados para a excelência do desempenho e, em conseqüência, melhorarem a qualidade de seus serviços de forma contínua e sustentada. Gratuito. A participação é isenta de ônus e as inscrições poderão ser mediante o envio de ficha específica para a Andréia Lopes, através do fax (11) 3253.8095 ou pelo e-mail qualidade@antp.org (acesse o link ao final desta nota para ter acesso ao ambiente do Portal da ANTP em que se encontra a ficha técnica do evento e o formulário para inscrição).

Apoio institucional e patrocínio. O Prêmio ANTP de Qualidade tem apoio institucional das seguintes organizações: ANTT, NTU, ABRATI e MBC, e é patrocinado em seu 8º Ciclo Bienal pelas seguintes empresas e entidades: Shell, Michelin, Volkswagen Caminhões e Ônibus, WPlex, Dataprom, Denatran. Sebrae e Marcopolo.
Fonte: ANTP
READ MORE - Manaus receberá amanhã o Workshop do Prêmio ANTP de Qualidade no Transporte Público

Porto Alegre: Linhas T1, T1D e T7 já estão no Terminal Triângulo

Desde sábado, 16, o terminal Norte das linhas T1, T1 Direta e T7 funciona na Estação Triângulo, revitalizada recentemente na Assis Brasil. O processo de transferência foi marcado pelas presenças do prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, do diretor-presidente da Carris, João Pancinha, e do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Capellari.

A mudança do terminal atende pedidos da população, assim como estudos técnicos das equipes de planejamento de transporte da EPTC. Além da alteração, serão disponibilizadas mais viagens para os cerca de 44 mil usuários que utilizam as linhas diariamente. Panfletos com as novas rotas das linhas estão sendo distribuídos aos usuários.

O prefeito destacou que a mudança é mais uma ação visando qualificar o transporte coletivo da cidade. "O objetivo é aperfeiçoar e fortalecer cada vez mais o transporte público. Com isso, agregamos valor ao sistema, atendendo da melhor forma possível as demandas dos usuários", enfatizou Fortunati. Ele lembrou ainda que a modificação do terminal das linhas era uma antiga reivindicação dos moradores da região Eixo Baltazar.
Entenda as mudanças - O itinerário da linha T7 sentido Sul/Norte será modificado a partir da rua Francisco Trein. A partir do dia 16 não entrará mais na rua Sapé, como ocorre atualmente, e seguirá na Francisco Trein até a avenida Assis Brasil. O ônibus dobrará à direita na avenida para efetuar o embarque e desembarque de passageiros na primeira parada fora do corredor central de ônibus. A entrada no corredor se dará na Estação Lindóia e seguirá até o Terminal Triângulo.

No sentido Norte/Sul, o T7 seguirá na Assis Brasil pelo corredor central até o Viaduto Obirici, onde fará o retorno abaixo do mesmo, em frente ao supermercado Carrefour. Depois, seguirá por trecho da av. Plínio Brasil Milano até a rua Bezerra de Menezes. O veículo irá entrar à esquerda na av. Grécia, que sofrerá uma inversão de fluxo entre as ruas Bezerra de Menezes e Andaraí. O veículo segue na av. Grécia até a av. João Wallig. A partir daí, o itinerário será mantido como ocorre atualmente.

Na linha T1 e T1D sentido Sul/Norte o trajeto sofre mudanças a partir da rua Roque Calage. Ao invés de seguir até a av. Grécia, o ônibus entrará à direita na rua Umbu e à esquerda na av. Francisco Trein. A partir daí, o caminho será o mesmo do T7: o ônibus irá dobrar à direita na av. Assis Brasil e irá efetuar o embarque e desembarque de passageiros na primeira parada fora do corredor central de ônibus. A entrada no corredor se dará na Estação Lindóia e seguirá até o Terminal Triângulo.

Já no sentido Norte/Sul das linhas T1 e T1D, o ônibus sairá do Triângulo e seguirá até o Viaduto Obirici, onde fará o retorno em frente ao Carrefour. Depois, seguirá por trecho da av. Plínio Brasil Milano até a  rua Bezerra de Menezes. O ônibus entrará à esquerda na av. Grécia, que sofrerá uma inversão de fluxo entre as ruas Bezerra de Menezes e Andaraí. O veículo segue até a av. João Wallig, onde entrará à direita e seguirá seu itinerário atual.
Fonte: Carris
READ MORE - Porto Alegre: Linhas T1, T1D e T7 já estão no Terminal Triângulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960