Rio monta esquema para atender passageiros durante greve de ônibus

domingo, 23 de maio de 2010


A Secretaria Estadual dos Transportes informou neste sábado que orientou trens, barcas e metrô a operar com capacidade total de transporte na próxima segunda-feira (24), quando os rodoviários devem entrar em greve na cidade do Rio.
A paralisação foi decidida na noite da última sexta, em assembleia. As 45 empresas de ônibus que operam no município têm uma frota de 7.700 ônibus e transportam por dia mais de 3 milhões de passageiros.
Uma audiência de conciliação deve ocorrer na segunda e, em seguida, a categoria realiza nova assembleia.
Os rodoviários reivindicam reajuste salarial de 15%, além de vale-refeição mensal de R$ 150 e o término da dupla função, onde o motorista também exerce a função de cobrador, entre outras vantagens. Os patrões aceitam elevar o vale-refeição de R$ 63 para R$ 70 por mês, mas não acenam com qualquer reajuste salarial.

Representantes das empresas de ônibus definiram neste domingo, em conjunto com a Prefeitura do Rio e o Governo do Estado as ações que serão adotadas para minimizar o impacto da eventual greve dos rodoviários no município do Rio, prevista para esta segunda-feira.
De acordo com a Rio Ônibus, desde as primeiras horas da manhã será montado um centro de monitoramento para criar alternativas operacionais e atender a população. Nos casos mais graves, policiais militares serão deslocados para coibir a ação dos grevistas nas garagens ou em qualquer ponto dos trajetos dos ônibus. Os envolvidos serão identificados e acusados criminalmente.
A Rio Ônibus informou que considera a greve abusiva e covarde, por atingir a parcela mais carente da população e causar grave impacto às atividades econômicas. Disse também que a paralisação tem motivações políticas, já que o dissídio coletivo foi assinado nos mesmos termos proposto pela Rio Ônibus nos demais 20 municípios da Região Metropolitana.
Destacou, ainda, que encaminhou à Justiça pedido para julgar a ilegalidade da greve. Se o pedido for julgado procedente, a Rio Ônibus adiantou que os manifestantes poderão ser demitidos por justa causa e responsabilizados por eventuais prejuízos à frota ou ao patrimônio das empresas de ônibus, além de responder criminalmente por atentado contra a liberdade de trabalho.
Nesta segunda-feira, às 14h, está prevista uma audiência entre a Rio Ônibus e o sindicato dos rodoviários no Quartel-General da Polícia Militar, no Centro. Deverão estar presentes ainda o comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, do comandante da Guarda-Municipal, coronel Ricardo Pacheco, dos secretários municipal e estadual de Transportes e da presidente da Cet-Rio, Cláudia Secin.
Entre as principais reivindicações dos rodoviários estão reajuste salarial de 15% e o fim da dupla função para motoristas que fazem as vezes de trocador. A assembleia na sexta-feira que definiu a greve foi provocada por opositores que tentam criar outro sindicato. O mesmo grupo paralisou 11 empresas no dia 12 de abril, num movimento considerado ilegal pela justiça do trabalho e que deixou 120 mil passageiros a pé.
No próximo dia 9, a prefeitura promete divulgar o edital de licitação das linhas de ônibus, mas o Tribunal de Justiça deve publicar na próxima segunda uma decisão da 12ª Câmara Cível condicionando-a à indenização das empresas que perderem suas permissões. A Procuradoria-Geral do Município só se pronunciará após ser notificada, mas o prefeito Eduardo Paes já disse ser contra.

Fonte: Folha online
READ MORE - Rio monta esquema para atender passageiros durante greve de ônibus

Rio de Janeiro: Prefeito lança Transolímpica e promete inaguração em 2015


O prefeito Eduardo Paes anunciou ontem o projeto para construção da Transolímpica, a via expressa para ônibus articulados e automóveis que ligará o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro. Antes chamada de Linha Azul e Ligação C, a estrada terá 26 quilômetros e se integrará à Transoeste (Santa Cruz-Barra da Tijuca), à Transcarioca (Barra-Penha), à Avenida Brasil e à rede ferroviária, na estação de Deodoro.

A Transolímpica terá um corredor central segregado para coletivos, com 18 estações e dois terminais, e três faixas em cada pista para carros de passeio — que passarão por uma praça de pedágio próximo à Avenida Marechal Fontenelle, em Magalhães Bastos. O valor da passagem dos ônibus será o do bilhete único. O projeto é inspirado nos corredores de ônibus expressos (BRTs) de Curitiba.

A viagem completa de ônibus será feita em 40 minutos nos paradores e de 25 minutos nos expressos. Os coletivos irã até a estação de trem e os carros seguirão mais além, até a Avenida Brasil. O trajeto sairá do Recreio e passará por Camorim, Jacarepaguá, Curicica, Taquara, Magalhães Bastos, Sulacap e Deodoro. Os editais de licitação para construção e operação devem ser lançados em setembro, com o início da obra marcado para o primeiro semestre de 2011, com inaguração quatro anos depois e concessão por 35 anos.

Túnel contra desapropriações

O projeto prevê a construção de 30 quilômetros de ciclovia e bicicletários nos pontos de ônibus. Estima-se que a via atenda a 100 mil usuários e a 50 mil veículos por dia. A obra é considerada a maior da cidade nos últimos 30 anos.

O preço do pedágio a ser cobrado ainda não foi definido. Para efeito de comparação, a tarifas na Linha Amarela custa R$ 4, em cada sentido.Para reduzir os gastos e os transtornos com desapropriações, a prefeitura optou por construir quatro quilômetros de túneis, encarecendo mais o projeto.

A prefeitura também negociará com o governo estadual a cessão de parte do terreno do Centro de Formação de Praças da PM, em Sulacap. O trajeto também cortará mais duas favelas.

— Teremos 3 mil desapropriações na Transcarioca. Para a Transolímpica, buscamos reduzir isso. A partir da Taquara, entre as estradas do Rio Grande e da Boiúna, faremos tudo por túnel, pelo Maciço da Pedra Branca, para evitar desapropriações em uma área urbana já estabilizada, o que também diminui o impacto ambiental — explicou Eduardo Paes.

Passagem paga nas estações

Tal como nos BRTs de Curitiba, os passageiros pagarão a passagem em estações tubulares, e não nos ônibus, o que reduzirá o tempo de embarque e desembarque para algo entre 30 e 60 segundos. Segundo o prefeito, o valor da tarifa será o do bilhete único. O projeto não teve o custo revelado, mas é possível estimá-lo.
Pelo traçado antigo, apresentado ao Comitê Olímpico Internacional, a via seria menor, com 15 quilômetros, e custaria US$ 483 milhões. Como seguirá pela Avenida Salvador Allende, há a previsão de mais US$ 45 milhões para o alargamento das pistas.

— O traçado original foi desenhado em 1995, 1996, passava pelo meio de Curicica e praticamente acabava com o bairro. O morador de lá tinha muito medo disso porque dividiria o bairro ao meio e geraria desapropriações — disse Paes, acrescentando que buscará recursos federais para a empreitada, mas que preferiu tocar o projeto através de uma parceria com a iniciativa privada (PPP):— Preferimos não esperar ou não contar com isso (com o dinheiro federal). Com a PPP, teremos recursos privados e públicos, garantindo a implantação da via.
Atraso de um ano

Inicialmente, a frota será composta por 60 ônibus articulados, com capacidade mínima para 160 passageiros. Entretanto, pela proposta encaminhada ao COI, essa frota teria 130 veículos — mais do que o dobro. A via será vigiada por 55 câmeras de video, terá um centro de controle para detecção de acidentes e sistema de onda livre no pedágio. — Será uma via importante para os atletas nas Olimpíadas, que se deslocarão entre a vila olímpica e o complexo de esportes radicais em Deorodo — diz o subsecretário de Projetos Estratégicos, Luiz Fernando Barreto.
De acordo com o caderno de encargos apresentado ao COI, a Transolímpica sairá do papel com atraso de um ano. A meta era iniciar as obras agora, em 2010, concluindo-as em 2013. Pelo calendário prometido, a Transcarioca também está atrasada. A sua construção deveria ter começado no ano passado, com término em 2014.

As estações

A localização das 18 estações ainda não está definida. O terminal do Recreio será erguido em um terreno em frente ao shopping center Barra Word, na Avenida das Américas, no encontro com a Salvador Allende.
— Onde explodiu a bomba do bicheiro! — disparou Paes, respondendo aos jornalistas.
, que terá três paradas: uma próxima à futura sede da CBF, outra em frente à Vila Olímpica e outra no Rio Centro. Mais adiante, haverá outra parada em uma rua a ser construída, onde hoje está a Favela Asa Branca. Depois, segue para a Estrada do Urubu, que terá uma estação.

Nesse ponto, a Transolímpica segue por trás dos laboratórios farmacêuticos até cruzar a Estrada dos Bandeirantes, em Curicica, onde haverá outra parada para integração com a Transcarioca. Entre Curicica e Taquara, haverá mais quatro estações. Uma delas será dentro do túnel sob o Maciço da Pedra Branca. Na Avenida Marechal Fontenelle, mais uma parada. Sulacap terá uma e Deodoro a última.

READ MORE - Rio de Janeiro: Prefeito lança Transolímpica e promete inaguração em 2015

SPTrans informa que 95% da frota de ônibus atende as especificações da ABNT referente aos letreiros dos coletivos


Os letreiros de ônibus de todo o Brasil serão padronizados até o final de julho deste ano para facilitar a visão dos passageiros que usam o transporte coletivo. Além dos ônibus municipais, a medida também será válida para os ônibus rodoviários.
De acordo com as novas normas, os letreiros devem ter letras brancas ou amarelas e tamanho mínimo de 15 centímetros, para que possam ser identificados a uma distância de 50 metros.
A regra foi estabelecida por uma lei federal que determinou a elaboração de um padrão para os coletivos pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e delegou ao Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) a criação de regulamentos com base na lei da acessibilidade, que prevê o direito de locomoção das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.
"Mesmo com óculos eu não consigo enxergar. Aquele letreiro colorido não dá pra visualizar as letras, apenas quando está bem perto", diz a dona de casa Elza Fernandes Pereira, 67, que usa o transporte coletivo com frequência em São Paulo e tem dificuldades para descobrir o destino do ônibus.
Ela diz que a mudança vai ajudar principalmente os idosos. "Muitas vezes, as senhoras dão sinal quando o ônibus está em cima e os motoristas vêm no embalo e passam do ponto. Tem motorista que xinga, acha ruim, já vi muitos reclamando", afirma.
A lei foi promulgada em 2000, e teve alguns decretos incorporados posteriormente, visa beneficiar os deficientes físicos, visuais (que não tenham 100% da visão comprometida), idosos, grávidas e outras pessoas com dificuldade de locomoção.
Os ônibus fabricados a partir de 18 de junho deverão sair da fábrica com os requisitos necessários. Além do letreiro padronizado, devem cumprir outras exigências, como elevadores para cadeiras de rodas, local destinado ao cadeirante e para o cão guia que acompanha o deficiente visual, entre outros itens.
Já os ônibus em uso, que já circulam pelas ruas do país, terão um período de adaptação que vence no dia 31 de julho no caso do transporte urbano e no dia 10 de junho para os ônibus rodoviários.
"Além de atender os requisitos, os ônibus terão que passar por um processo de avaliação por um órgão de inspeção credenciado pelo Inmetro para emissão de um certificado", disse Alfredo Carlos Lobo, diretor de qualidade do Inmetro.
A fiscalização dos ônibus novos será feita diretamente nas fábricas e pontos de venda pelo Inmetro e o valor da multa pode variar de R$ 100 a R$ 5 milhões, de acordo com a gravidade da infração, porte da empresa, localidade do país e reincidência. Além de multado, o veículo pode ser apreendido ou interditado. Já no caso dos ônibus antigos, a fiscalização será feita pelo poder público.
Em São Paulo, a SPTrans (empresa que gerencia o transporte coletivo na cidade) informa que 95% da frota de ônibus atende as especificações da ABNT referente aos letreiros dos coletivos. A SPTrans informa que já solicitou às empresas e cooperativas que façam os ajustes dentro do prazo estabelecido.

Fonte: Folha online
READ MORE - SPTrans informa que 95% da frota de ônibus atende as especificações da ABNT referente aos letreiros dos coletivos

Motoristas ameaçam greve em 4 cidades da região do Estado de São Paulo


O Sindicato dos Condutores do Vale do Paraíba ameaça deflagrar na semana que vem uma onda de para-lisações nas empresas de transporte coletivo de São José dos Campos, Taubaté, Jacareí e Caçapava em protesto pelo impasse nas negociações da campanha salarial da categoria.
O movimento pode afetar cerca de 250 mil pessoas que dependem do serviço nas quatro cidades.
Os funcionários das empresas de ônibus reivin-dicam a reposição da infla-ção medida nos últimos 12 meses pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Con-sumidor), de 5,49%, mais au-mento real de 5% --além de benefícios como a gratui-dade do plano de saúde.
Na primeira rodada de negociações, a Avetp (Asso-ciação das Empresas de Transporte de Passageiros do Vale do Paraíba) ofe-receu 7% de reajuste à cate-goria --os 5,49% do INPC mais 2% de aumento real.
Uma nova reunião entre a associação e o sindicato está agendada para a próxima segunda-feira.
“As empresas de ônibus tiveram grandes lucros no ano passado. Elas tem con-dições de oferecer um salá-rio mais digno para a cate-goria”, disse José Carlos de Souza, presidente do Sindi-cato dos Condutores.
“Além dos 10,49% de au-mento salarial, queremos que a PLR pule de R$ 450 para o piso da categoria, aumento de cerca de R$ 100 no tíquete alimentação e gratuidade no convênio médico”, completou.
Atualmente, os funcioná-rios das empresas de ônibus recebem tíquete alimentação no valor de R$ 342 e pagam em média R$ 250 reais pelo con-vênio médico.
O salário médio dos moto-ristas na região é de R$ 1.727, e o dos cobradores, de R$ 1.069, segundo o sindicato. O último reajuste da categoria, con-cedido em junho do ano pas-sado, foi de 7,5%.
Manifestações. Na madru-gada de ontem, o Sindicato dos Condutores iniciou uma série de assembleias para falar so-bre o andamento das negocia-ções da nova campanha sa-larial aos trabalhadores.
Dirigentes da entidade per-correram as garagens das em-presas de ônibus e os termi-nais rodoviários em Jacareí, São José e Taubaté.
“Estamos mobilizando os trabalhadores para a possibi-lidade de greve”, disse Souza.Hoje, cerca de 3.400 moto-ristas e cobradores trabalham nas empresas do transporte co-letivo de São José, Taubaté, Jacareí e Caçapava.

Fonte: O Vale
READ MORE - Motoristas ameaçam greve em 4 cidades da região do Estado de São Paulo

Motoristas de ônibus poderão deixar de atuar como cobradores


Por iniciativa do vereador Adão Eridan (PR), que mudou seu posicionamento em relação ao parecer dado na Comissão de Justiça da Câmara Municipal de Natal, volta a tramitar nas comissões legislativas o projeto de lei, de autoria do vereador Franklin Capistrano (PSB), que veta a atuação dos motoristas de ônibus como cobradores.

Adão Eridan explicou que depois de participar da audiência pública sobre a questão, nesta manhã (18), ficou convencido de que o projeto é constitucional e já adianta que considera importante que a matéria seja aprovada. “Vamos oferecer mais segurança para população”, disse.

O autor do projeto, vereador Franklin Capistrano (PSB), acredita que depois do debate entre empresários, motoristas e usuários, a tendência é de que a Câmara Municipal aprove o projeto. “Não estamos defendendo simplesmente um interesse dos motoristas, mas sim da população. É uma questão de defender a vida do usuário”, argumenta.

Caso o projeto seja aprovado nas outras comissões legislativas, os vereadores deverão decidir se os concessionários do transporte coletivo podem utilizar os motoristas na dupla função de condutor e cobrador.

Fonte: DN online
READ MORE - Motoristas de ônibus poderão deixar de atuar como cobradores

Audiência debate sistema de transporte público em Teresina


O sistema de transporte de Teresina e da Região da Grande Teresina será debatido na próxima terça-feira (25), às 15 horas, em audiência pública na Comissão de Infra-estrutura e Política Econômica da Assembleia Legislativa.

A audiência, que foi solicitada pela deputada Flora Izabel (PT), vice-presidente da Assembleia, ocorrerá no plenarinho e contará com a presença de representantes do Governo do Estado, da Prefeitura de Teresina e do Ministério Público.Flora Izabel justificou a realização da audiência, dizendo que há necessidade de “trabalharmos a questão da segurança nas ruas e estradas, as condições físicas dos ônibus, o cumprimento dos horários e a preservação da vida dos usuários”.

A parlamentar petista assinalou que “é extremamente necessário sistematizar o debate, devido as muitas reclamações e reivindicações dos usuários”, que, segundo ela, esperam melhorias no sistema de transporte.

Fonte: Portal Vermelho
READ MORE - Audiência debate sistema de transporte público em Teresina

DFtrans apreende 18 veículos usados em transporte pirata


O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFtrans) apreendeu 18 veículos em blitzes contra o transporte pirata realizadas nesta quarta (19/5) e quinta-feira (20/5).

Cinco fiscais do DFtrans e dois policiais militares participaram da ação, realizada na Rodoviária do Plano Piloto, Rodoferroviária e Eixo Sul. Na quarta, 13 veículos foram apreendidos e, esta manhã, houve flagrande de outros cinco carros.

Segundo a assessoria de imprensa do DFtrans, desde janeiro 420 carros de transporte irregular foram levados para o depósito do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF).

O dono do carro apreendido deve pagar uma multa, que varia entre R$ 2 mil e R$ 5 mil. O valor depende do número de vezes que o carro foi apreendido por esse motivo.

Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DFtrans apreende 18 veículos usados em transporte pirata

Fortaleza: Começa rodada de negociações para evitar greve


Motoristas e empresários de ônibus de Fortaleza participaram na manhã de ontem da terceira rodada de negociação da convenção coletiva de trabalho 2010/2011. As reuniões vem ocorrendo desde o último dia 7 na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Na pauta de ontem, o assunto principal foi o percentual de reajuste oferecido aos profissionais, que é de 4,5% com manutenção de clausulas econômicas como vale-refeição e cesta básica.

À tarde motoristas estiveram reunidos na sede do Sindicato da categoria (Sintro) para avaliar a proposta. De acordo com o presidente da entidade, Domingos Gomes Neto, os profissionais presentes recusaram o percentual oferecido, considerando -o ``imoral``.

Na ocasião, disse ele, a classe decidiu que deveria aguardar a próxima reunião de negociação, marcada para o próximo dia 28, e, enquanto isso, mobilizar a categoria com a realização de assembleias nos terminais de ônibus de Fortaleza.

Conforme o sindicalista, hoje pela manhã nova assembleia vai ser realizada a partir das 9 horas na sede do Sintro. Explica que o encontro é para apresentar a proposta dos patrões para os profissionais que não participaram da assembleia de ontem a tarde.

A proposta do Sintro é de reajuste de 45,37% sobre o Salário Base (que hoje é de R$ 1.102,17), Para o Presidente da Comissão de Negociação do Sindiônibus, Frederico Lopes, ``a proposta é irreal``.

Ele diz que além de o salário dos motoristas ter crescido 9% nos últimos 11 anos há uma larga disparidade entre o que a categoria pede em Fortaleza e os rodoviários no restante do Brasil que fecharam acordos em torno de 5%, em média.

Fonte: O Povo online
READ MORE - Fortaleza: Começa rodada de negociações para evitar greve

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960