Prefeitura lança edital para ônibus rápido em BH

terça-feira, 2 de março de 2010


Cruzar de ônibus os 12,1 quilômetros da Avenida Cristiano Machado, em pouco mais de 20 minutos – da Lagoinha até a Estação Vilarinho. A BHTrans abriu concorrência pública para contratar empresa de engenharia que vai prestar os serviços de consultoria especializada na implantação do transporte rápido por ônibus (BRT, bus rapid transit, em inglês).

O sistema vai usar corredores viários que ligam o Centro de Belo Horizonte a importantes destinos do Vetor Norte, como a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o aeroporto de Confins e o futuro terminal rodoviário da capital, previsto para ser instalado no Bairro São Gabriel.

A nota de abertura da licitação foi publicada na última edição do Diário Oficial do Município (DOM) e prevê a contratação de empresa para elaboração do projeto de engenharia. Os interessados têm até 1º de abril para entregar as propostas e o escolhido vai ser aquele que oferecer o menor preço. Depois da seleção, o estudo tem prazo de nove meses para ser entregue.

A expectativa da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) é de que o contrato seja assinado em maio e concluído nos primeiros meses do próximo ano.

Segundo o diretor de Planejamento da BHTrans, Célio Freitas, o projeto é implantar o BRT nas grandes avenidas da cidade. “O estudo vai definir a localização das estações, os tipos de linhas de ônibus, quais ligações e a quantidade de coletivos, de acordo com a demanda. Além disso, aproveitando o espaço das calçadas está prevista também a construção de ciclovia”, detalha.

O projeto – que usa pistas exclusivas de ônibus já existentes e alargamento de outras, operadas por coletivos articulados e com maior capacidade de passageiros – é dividido em três fases: Lagoinha à Estação São Gabriel (1ª fase); Lagoinha até a Estação Vilarinho (2ª fase) e Lagoinha em direção à Avenida José Cândido da Silveira (3ª fase).

No contrato assinado com o governo federal para as obras da primeira etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade foram garantidos os recursos suficientes apenas para a 1ª fase, além da implantação de mais dois ramais em quatro corredores que ligam ao Mineirão – Pedro II e Carlos Luz e Antônio Carlos e Pedro I.

Há um mês, tiveram início os estudos para o ramal Antônio Carlos e Pedro I e a expectativa é que nas próximas semanas seja assinado contrato para as avenidas Pedro II e Carlos Luz. Concluídos os projetos, será contratada uma empreiteira para execução das obras. No caso da Avenida Cristiano Machado e da Antônio Carlos, uma vantagem é a existência da busway (corredor exclusivo para coletivos), enquanto no caso da Pedro II e Carlos Luz é preciso fazer, além do projeto de engenharia, análise para desapropriação de imóveis que possibilitem a construção das estações de embarque.

A Avenida Pedro I tem projeto de alargamento, suficiente, segundo a BHTrans, para acomodar o projeto.Seguindo o exemplo de Curitiba (PR), o sistema rápido de trânsito prevê pagamento antecipado de passagem, embarque de passageiros no mesmo nível dos ônibus e outras facilidades que aproximam os ônibus do metrô. Mas, segundo Freitas, “é imprescindível para o trânsito da cidade a expansão do metrô. Visando uma solução definitiva”, ressalta.

Os corredores rápidos devem garantir maior agilidade no transporte de parte dos 150 mil passageiros/dia que usam as linhas municipais somente na Avenida Cristiano Machado. Além de absorver parte dos motoristas que circulam sóem carros particulares.
Fonte: Uai - Minas
READ MORE - Prefeitura lança edital para ônibus rápido em BH

Bilhete único: usuários dizem que faltam ônibus convencionais


RIO - O bilhete único completou nesta segunda-feira um mês com aprovação e reclamação dos passageiros, além de pedido de ajustes. Em um mês, foram 700 mil usuários em 12 milhões de viagens, segundo a Secretaria estadual de Transportes. A principal queixa é sobre o tempo máximo entre os dois embarques, de duas horas. Em dias de chuva e engarrafamentos, como nesta segunda, o tempo de viagem ultrapassa o limite. Passageiros denunciaram ainda que as empresas vêm reduzindo o número de ônibus convencionais (que aceitam o bilhete) e colocando nas ruas frescões (que não aceitam).
A Fecomércio propõe a ampliação do tempo de duas para três horas e vai sugerir a medida ao governo este mês.
- Quando a Avenida Brasil engarrafa, não dá tempo - reclama o porteiro Raimundo de Jesus, morador de Nova Iguaçu, que pega um ônibus até o Centro e outro até o Flamengo.
Outra queixa diz respeito ao fato de as empresas colocarem nas ruas mais frescões. Em um mês, 64 coletivos foram multados pelo Detro. As empresas com mais infrações são Rio Ita, Viação Fagundes, Coesa, Viação Fagundes, Trell, Viação União, Viação ABC e Viação Reginas.
Apesar dos problemas, passageiros comemoram a economia, como a auxiliar de serviços gerais Maria das Neves de Oliveira, que mora em Nova Iguaçu e trabalha na Praça Mauá:
- Economizo mais de R$ 150 por mês.
Apesar dos problemas, passageiros comemoram a economia, como a auxiliar de serviços gerais Maria das Neves de Oliveira, que mora em Nova Iguaçu e trabalha na Praça Mauá:
- Economizo mais de R$ 150 por mês.
Fonte: Yahoo Notícias
READ MORE - Bilhete único: usuários dizem que faltam ônibus convencionais

Motoristas de empresa de ônibus da Zona Sul de SP decidem suspender greve


Motoristas e cobradores da Viação Gatusa, empresa de ônibus que atende 14 linhas na Zona Sul de São Paulo, decidiram há pouco retornar ao trabalho depois de uma breve greve nesta terça-feira. Eles estavam em assembleia agora há pouco perto da Avenida Guarapiranga. Os funcionários da empresa reclamam do pagamento com vales após as férias e pedem o afastamento de um chefe da empresa, que seria muito rigoroso.

A Sptrans montou um esquema especial para atender a população, e acredita que a empresa é uma das mais delicadas, pois atende as regiões da Avenida Santo Amaro e do Parque Dom Pedro. No entanto, como a assembleia acabou há pouco, os ônibus vão voltar a circular gradualmente, à medida que motoristas e cobradores voltam aos seus postos de trabalho.



Fonte: O Globo
READ MORE - Motoristas de empresa de ônibus da Zona Sul de SP decidem suspender greve

Na Grande Recife, Terminal de Camaragibe causa transtorno para os passageiros

São filas longas, ônibus lotados, empurra-empurra; é um verdadeiro sufoco para os passageiros
Quem precisa pegar ônibus no terminal de Camaragibe, na Região Metropolitana (RMR), enfrenta dificuldades, principalmente à noite. Filas longas, ônibus lotados, empurra-empurra. É um sufoco para os passageiros.
O terminal de Camaragibe é o ponto de embarque de 16 linhas de ônibus: todas elas pertencem à Empresa Rodoviária Metropolitana. Os passageiros se queixam do tempo de espera no terminal. O resultado de tanta demora nos horários de maior movimento, são ônibus superlotados. As portas nem são fechadas na linha Camaragibe-Tiúma.
O mecânico Carlos Augusto trabalha em Jaboatão dos Guararapes e mora em São Lourenço da Mata: ele diz que gasta cinco horas por dia para ir à oficina e voltar pra casa e reclama da lotação depois da jornada de trabalho. “Depois de um dia de trabalho já chega cansado. E pegar um ônibus desse, ninguém merece”, disse.
As filas aumentam toda vez que mais passageiros do metrô chegam ao terminal. Os moradores de Araçoiaba são os que mais sofrem com a espera. Isso porque só existem dois ônibus circulando nesta linha e o intervalo médio entre eles chega a ser de mais de duas horas.
Basta o ônibus parar na plataforma e já começa o empurra-empurra. As mulheres têm que ficar por último. “Se a mulher se meter no meio, leva cotovelada e tudo”, falou a estudante Nut Leão.
O gerente de fiscalização do Grande Recife Consórcio Metropolitano, Mário Sérgio Cornélio, disse que empresa pode ser multada por não respeitar os intervalos máximos permitidos entre um ônibus e outro. “Nós vamos intensificar a fiscalização via GPS, e intensificar o quantitativo de fiscais no local”, disse.
Fonte: PE360graus
READ MORE - Na Grande Recife, Terminal de Camaragibe causa transtorno para os passageiros

Fiscalização do Detro recolhe 22 ônibus em terminais de Niterói e São Gonçalo


A fiscalização do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) recolheu, na manhã desta segunda-feira, 22 ônibus às garagens durante operação realizada nos terminais rodoviários João Goulart e Roberto Silveira, em Niterói, e Alcântara, em São Gonçalo, municípios da Região Metropolitana. Além das apreensões, foram registradas sete infrações e a empresa Auto-ônibus Fagundes foi flagrada em descumprimento do quadro de horários, num indício de substituição de ônibus convencionais por microônibus ou “frescões”, nos quais não é aceito o pagamento com Bilhete Único.
A maioria dos veículos apreendidos apresentava problemas na documentação ou má conservação, como pneus lisos (“carecas”), extintores vazios e outros pontos que comprometem a segurança dos passageiros. Entre as multas aplicadas, a maior parte foi referente à falta de cobrador.
A Auto-ônibus Fagundes foi a empresa com maior número de veículos recolhidos, num total de 12 ônibus; seguida pela Viação ABC, com cinco; Rio Ita, com quatro; e por último, a Viação Mauá, com um ônibus recolhido à garagem.
Desde a implantação, há um mês, do Bilhete Único nas linhas intermunicipais, foram flagradas sete empresas que promoveram a substituição de ônibus convencionais por seletivos. Esta medida é uma tentativa de dificultar a utilização do benefício, que garante passagens mais baratas à população. Já foram autuadas por este motivo a Rio Ita, Fagundes, Coesa, Trell, União ABC e Reginas.
Fonte: O Dia online

READ MORE - Fiscalização do Detro recolhe 22 ônibus em terminais de Niterói e São Gonçalo

Usuários do transporte coletivo de São Luís aprovam tarifa social


A tarifa social ou "domingueira" instituída pelo prefeito de São Luís, João Castelo, por meio de decreto, entrou em vigor neste domingo (28) no transporte coletivo urbano da capital. A medida reduziu, no percentual de 50%, ou seja, pela metade, o valor das passagens nos ônibus aos domingos na cidade. Com a tarifa social, reduzindo pela metade o valor das passagens aos domingos, o usuário pagou apenas R$ 0,65 (65 centavos) no nível 1, R$ 0,85 (85 centavos) no nível 2 e R$ 1,05 (um real e cinco centavos) no nível 3.
Os usuários do transporte coletivo de São Luís aprovaram a domingueira. No Terminal de Integração de Passageiros da Cohama, a estudante Paula Pereira, 21 anos, ficou satisfeita ao pagar a metade da tarifa social (metade da meia-passagem, que já era direito da categoria). "Geralmente, eu pego de dois a quatro ônibus aos domingos para passear, e pagando a metade da meia-passagem ficou muito melhor", disse.
A medida também agradou muito o auxiliar de caixa de uma empresa da capital, Fábio Pereira, 26 anos, que trabalha aos domingos. "Essa iniciativa do prefeito João Castelo foi muito boa para o trabalhador. Eu pego dois ônibus para ir ao trabalho e, com a tarifa social, tenho uma economia a mais no custo com as passagens. Gostei muito", frisou.
A jovem dona de casa, Denise dos Santos, 18 anos, que mora no Distrito Industrial, na BR-135, aproveitou o domingo para visitar familiares com os dois filhos, no Centro da cidade, e também aprovou a tarifa social. "Fiquei muito satisfeita. Agora terei um dinheirinho a mais para comprar o lanche dos meus filhos", afirmou.
O secretário municipal de Trânsito e Transportes, Ribamar Oliveira Filho, disse que o primeiro domingo da tarifa social transcorreu com tranquilidade. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT) montou um sistema de fiscalização em vários pontos da cidade. "Verificamos o perfeito funcionamento da tarifa com o sistema eletrônico dos coletivos ajustado à domingueira", garantiu.
Ribamar Oliveira destacou ainda a importância da tarifa social e disse que a domingueira foi um compromisso firmado pelo prefeito com a população de São Luís. "Pela primeira vez, São Luís conta com uma tarifa social, onde os usuários pagam somente a metade do valor das passagens aos domingos", enfatizou.

Fonte: Jornal Pequeno
READ MORE - Usuários do transporte coletivo de São Luís aprovam tarifa social

Campo Grande: Transporte coletivo tem nova tarifa


Começaram a valer os novos valores da tarifa de transporte em Campo Grande. Conforme autorizado em dois decretos publicados na semana passada, o preço para as linhas regulares passa a ser de R$ 2,50 tanto para pagamento no cartão onde ouve aumento de R$ 0,20 ou 8,6% quanto para quem opta pelo dinheiro.

Para as linhas executivas, os chamados fresquinhos, o valor da passagem passa a ser de R$ 3,00. Tanto nas linhas comuns quanto nas executivas, o troco máximo é de R$ 3,00.Em sete datas comemorativas, haverá desconto para quem pagar no cartão, com a tarifa em R$ 1,00.

Eles valerão nas seguintes datas: Primeiro de maio, dia do Trabalho; 9 de maio, Dia das Mães; 8 de agosto, Dia dos Pais; 26 de agosto, aniversário da cidade; 2 de novembro, Dia de Finados Natal e Ano Novo.

Fonte: AgoraMS
READ MORE - Campo Grande: Transporte coletivo tem nova tarifa

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960