Conheça 47 projetos de transporte público que podem mudar a cara de 12 capitais

domingo, 17 de janeiro de 2010

Curitiba é modelo a ser seguido

O governo federal e os prefeitos e governadores das 12 cidades-sede da Copa 2014 definiram na última quarta-feira (13/1) as obras de transporte público prioritárias para a realização do Mundial. Em cerimônia em Brasília, foi assinado o PAC da Mobilidade Urbana, programa que investirá R$ 11,48 bilhões em 47 projetos destinados a agilizar a circulação de pessoas e veículos nas capitais. Deste montante, R$ 7,68 bilhões serão investidos pela União com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Os projetos do PAC da Mobilidade foram aprovados pelo governo federal após extensas negociações com as sedes da Copa. Segundo o ministro das Cidades, Márcio Fortes, o governo priorizou obras de transporte público que pudessem ser concluídas antes do Mundial e que já tivessem projetos finalizados ou licenças ambientais liberadas.

Dessa maneira, os metrôs de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Salvador não receberão recursos. Entre os projetos aprovados estão os veículos leves sobre trilhos (VLTs) de Brasília e Fortaleza, os monotrilhos de São Paulo e Manaus, vinte sistemas de bus rapid transit (BRT) e dez corredores expressos de ônibus. As capitais têm até o meio do ano para enviar os projetos ao ministério e até dezembro para iniciar as obras. As capitais contempladas com a maior quantia foram Rio de Janeiro e São Paulo. Os cariocas receberão R$ 1,19 bilhão para a linha de BRT ligando o Aeroporto Tom Jobim aos bairros da Penha e da Barra da Tijuca. A capital paulista terá R$ 1,08 bilhão para a linha de monotrilho entre o Aeroporto de Congonhas e o estádio do Morumbi.

Logo em seguida vêm Belo Horizonte e Manaus. Os mineiros poderão financiar até R$ 1,02 bilhão da construção de seis BRTs, entre outras obras. Já a sede amazonense poderá captar R$ 800 milhões, dos quais 75% financiarão o monotrilho Norte-Centro, orçado em R$ 1,3 bilhão.A taxa nominal de juros das operações de empréstimo é de 6% anuais, com prazo de amortização de 20 anos. Para os sistemas de transporte sobre trilhos a taxa será um pouco menor, de 5,5%, e o prazo de pagamento maior, de 30 anos. Os financiamentos terão quatro anos de carência.

  • Belo Horizonte
A capital mineira receberá R$ 1,02 bilhão do PAC da Mobilidade. Serão construídas seis linhas de BRT, orçadas em R$ 1,27 bilhão, dos quais R$ 843,3 bilhões serão financiados pelo FGTS. Outros R$ 240 milhões serão destinados a obras viárias e à ampliação da central de controle de tráfego.Projetos considerados fundamentais pela prefeitura mineira não foram atendidos, como a expansão do metrô e a revitalização do anel rodoviário.

  • Brasília
Contemplada com R$ 361 milhões, a capital federal ficou com o menor valor global entre as cidades-sede da Copa. A linha de VLT que ligará o Aeroporto Internacional de Brasília ao terminal Asa Sul receberá R$ 263 milhões. Outros R$ 98 milhões serão aplicados na ampliação viária da DF 047 e da OAE para facilitar o acesso ao aeroporto.

  • Cuiabá
Cuiabá receberá R$ 454,7 milhões para a construção de duas linhas de BRT e para a duplicação da rodovia Mario Andreazza, que dá acesso ao estádio José Fragelli, o Verdão, a ser usado na Copa. O primeiro BRT ligará o aeroporto de Várzea Grande ao centro, no sentido leste-oeste. O segundo trajeto também partirá do centro em direção ao bairro de Coxipó. Ainda serão reformados pequenos pontos de acesso público, como terminais e passarelas.

  • Curitiba
Receberá financiamento de R$ 440,6 milhões, dos quais R$ 130,7 milhões irão para o corredor metropolitano que interligará a capital a cidades da região metropolitana. Já o corredor expresso, que ligará o Aeroporto Afonso Pena ao terminal rodoferroviário, receberá R$ 104,8 milhões. Outra parte dos recursos financiará a construção de uma linha de BRT, terminais, sistemas de monitoramento e obras viárias.

  • Fortaleza
A capital cearense terá financiamento de R$ 414,4 milhões. O VLT Parangaba-Mucuripe receberá cerca de R$ 170 milhões, o equivalente a 64% da obra orçada em R$ 265,5 milhões. Os BRTs das avenidas Dedé Brasil, Raul Barbosa, Alberto Craveiro e Paulino Rocha receberão R$ 113,5 milhões de financiamento. O projeto contempla ainda a construção do corredor expresso Norte-Sul (R$ 97,7 milhões) e das estações de metrô Padre Cícero e Montese (R$ 33,2 milhões).

  • Manaus
Receberá R$ 800 milhões do PAC da Mobilidade. A implantação do monotrilho que ligará a zona norte ao centro de Manaus terá R$ 600 milhões, o equivalente a 46% da obra. O restante será aplicado na construção do BRT conectando o centro à zona Leste.

  • Natal
A capital do Rio Grande do Norte receberá financiamento de R$ 386 milhões para 16 projetos. As intervenções ligarão o novo aeroporto ao setor hoteleiro e à Arena das Dunas, que receberá os jogos da Copa. Os recursos também serão aplicados na duplicação da avenida Mor Gouveia, na ligação da Via Costeira com a avenida Engenheiro Roberto Freire, e na construção de elevados, entre outros complexos viários. O prolongamento da avenida Prudente de Moraes terá R$ 10,58 milhões de investimento.

  • Porto Alegre
A capital gaúcha receberá R$ 368,6 milhões em financiamentos. Para a construção de três corredores exclusivos de ônibus serão destinados R$ 273,9 milhões, que cobrem 93% das obras. Duas linhas de BRT, ao custo de R$ 81 milhões, serão cobertas integralmente pelo PAC da Mobilidade. Os R$ 13,7 milhões restantes serão destinados ao sistema de monitoramento de tráfego.A ampliação do metrô, a nova ponte do Guaíba e o aeromóvel, obras pleiteadas pela prefeitura, não foram contempladas no pacote.

  • Recife
A capital de Pernambuco receberá um total de R$ 648 milhões para cinco intervenções viárias. Serão dois corredores expressos, o Caxangá e o Via Mangue, que receberão R$ 402 milhões de financiamento. Já os BRTs Norte-Sul e Leste-Oeste terão créditos de R$ 231 milhões do PAC da Mobilidade. Outros R$ 15 milhões serão aplicados no terminal Cosme Damião.

  • Rio de Janeiro
O PAC da Mobilidade destinou R$ 1,19 bilhão à capital fluminense, o maior valor entre as sedes da Copa. Lá será implantada uma linha de BRT, orçada em R$ 1,6 bilhão, entre a Penha e a Barra da Tijuca, passando pelo Aeroporto Tom Jobim.

  • Salvador
Na capital baiana, o acordo prevê financiamento de R$ 541,8 milhões para o BRT que conectará o Aeroporto Internacional de Salvador à zona norte da cidade.

  • São Paulo
Na capital paulista, serão investidos R$ 1,08 bilhão na construção do monotrilho e da avenida Perimetral. O valor global das intervenções é de R$ 2,86 bilhões. O monotrilho ligará linhas de metrô e trem ao Aeroporto de Congonhas e ao estádio do Morumbi, que receberá os jogos da Copa. O projeto inclui ainda a construção de um estacionamento e dois piscinões e a canalização do córrego Antonico, na região do estádio.


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Conheça 47 projetos de transporte público que podem mudar a cara de 12 capitais

Em Salvador, aumento da tarifa de ônibus atinge outras cidades


No primeiro dia em que entrou em voga o aumento na tarifa de ônibus, surpresa para quem achava que os R$ 2,30 eram válidos apenas para a capital: o reajuste se deu também nas linhas que percorrem a Região Metropolitana de Salvador (RMS).
Isso quer dizer que os coletivos de Lauro de Freitas, Camaçari, Simões Filho, entre outros, também subiram de preço. Nesses casos, o reajuste foi ainda maior, pois a passagem subiu R$ 0,15 – e não R$ 0,10, como na capital –, equiparando de vez os valores que sempre diferenciavam alguns centavos.

População não foi avisada
Os preços estampados nos para-brisas dos coletivos foram o único aviso, neste sábado, para muita gente. Joelza Santana, 30 anos, que saía para procurar emprego, não tinha sequer os R$ 0,10 a mais para bancar a diferença. Foi a amiga Carla Silva, 22, quem emprestou o valor. “Eu não sabia de nada. Acho um absurdo isso”, reclamou Joelza.
O motorista de ônibus Jorge de Almeida, 39, contou ter colocado dinheiro do próprio bolso para completar a passagem de alguns usuários desprevenidos. “Até nós rodoviários fomos pegos de surpresa. Hoje (sábado) de manhã, quando fui pegar o carro na empresa, foi que eu soube”, ressaltou.
“Eles tinham que avisar, pelo menos uma semana antes, pois muita gente não se programou. E o pior é que continua a mesma demora no ponto, com os carros velhos do mesmo jeito. Isso não muda”, indignou-se o eletricista Everaldo Vieira, 58. “São transportes sujos, lotados. Pelo menos tem que ter maior conforto”, disse a assistente Débora Rodrigues, 36.
Para a costureira Vera Lúcia Maria da Luz, 58, que chega a pegar quatro ônibus por dia, a diferença no bolso será quatro vezes maior que os R$ 0,10 de reajuste. “De R$ 0,40 em R$ 0,40, já dá para fazer um lanche na rua. Agora vou ter de economizar mais. Acho uma falta de respeito”, lamentou.
Fonte: A Tarde
READ MORE - Em Salvador, aumento da tarifa de ônibus atinge outras cidades

Bilhete Único aumenta tarifa de 4 linhas de ônibus no RJ


A chegada do Bilhete Único, que começa a funcionar no dia 1º de fevereiro, não deverá ser comemorada por todos os passageiros do estado. A novidade, que vai reduzir as despesas da grande maioria dos usuários do sistema, vai provocar reajustes de até 14,6% em quatro linhas intermunicipais que operam na Região Metropolitana. A estimativa é de que cerca de 26 mil passageiros sejam afetados em Itaboraí, Tanguá, Nova Iguaçu, Japeri, Queimados e Paracambi.
Entre as linhas que terão as tarifas aumentadas estão: Tanguá-Novo Horizonte, Itaboraí-Tanguá e Tanguá-Apolo III. Nestes três casos, as passagens passarão de R$ 2,05 para R$ 2,35, valor mínimo que passará a ser praticado nos trajetos intermunicipais da Região Metropolitana. O mesmo será aplicado à linha Japeri-Paracambi, cuja tarifa atual custa R$ 2,25. Já os usuários do trajeto Nova Iguaçu-Santo Expedito, em Queimados, que hoje pagam R$ 2,25 por viagem, terão que desembolsar R$ 0,10 a mais a partir do dia 1º.
O secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, admitiu ontem ampliar o limite de tempo entre o primeiro e o segundo embarque, estipulado, a princípio em duas horas para o Bilhete Único. Se for necessário, ele pode passar para três horas. Como o benefício, os usuários poderão pagar R$ 4,40 para viajar em até duas conduções, desde que uma seja intermunicipal.
Uma revisão tarifária promovida pelo Detro vai beneficiar quem usa as linhas esporadicamente e não seja usuário do Bilhete Único. Com a mudança, a passagem mais cara deverá custar R$ 7,10, o que representará uma redução de mais de R$ 10 na tarifa mais cara da Região Metropolitana.
Na segunda-feira começam a funcionar os 16 postos de cadastramento do Bilhete Único. Nesses locais será possível fazer o cadastro das 8h às 18h, com auxílio de um técnico. O Proderj também vai disponibilizar computadores dos 85 Centros de Internet Comunitária para a inscrição, feita só pelo site www.riobilheteunico.com.br. Pode-se fazê-la de qualquer computador.
READ MORE - Bilhete Único aumenta tarifa de 4 linhas de ônibus no RJ

Americana terá Integração com bilhete único


O sistema de bilhetagem eletrônica, com a integração do transporte coletivo de Americana, deverá beneficiar 22 mil usuários por dia. Foi o que disse nesta sexta-feira o secretário de Transportes e Sistema Viário, Jesuel de Freitas. Esse é o número de pessoas que utiliza, em média, duas ou três passagens diariamente. Com o sistema, elas deverão pagar apenas uma passagem durante o período de uma hora em que trafegarem no mesmo sentido, no limite de até três ônibus.
De acordo com Jesuel, a empresa que vai gerir o sistema estará implantada em até 30 dias. Até lá serão realizadas reuniões quinzenais com a secretaria para discutir o processo. Ela será composta por representantes das duas empresas. Já o funcionamento do sistema está previsto para o final do primeiro semestre. Também será elaborado o projeto executivo do sistema por uma empresa contratada, que definirá detalhes, como o tempo máximo de espera pelo usuário.
READ MORE - Americana terá Integração com bilhete único

Maringá: Binário muda rota de 11 linhas e 10 mil usuários


Pelo menos 10 mil usuários do transporte coletivo de Maringá terão que redobrar a atenção ao embarcar e desembarcar na região central da cidade, a partir de domingo 917).
A mudança de sentido nas avenidas Herval e Duque de Caxias vai alterar as rotas de 11 linhas da TCCC, incluindo duas interbairros ou ligeirinhos. Além disso, os pedestres devem redobrar a atenção ao atravessar as ruas, já que as duas vias terão sentido único.
A Secretaria de Transportes (Setran) mudou, durante o final de semana, todas as placas, faixas, sinalização horizontal e vai reforçar o policiamento com agentes de trânsito, para orientar motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.
A maior preocupação da secretaria é com o sistema de tráfego de veículos que sofrerá mudança radical e pode causar alguma confusão, principalmente nos primeiros dias. Há algumas semanas, equipes da secretaria trabalham na preparação das avenidas para iniciar o funcionamento do sistema binário.
Entre as mudanças para os motoristas, está a implantação das chamadas “agulhas”, que são desvios entre os canteiros centrais para permitir a passagem de uma pista para a outra. Essas agulhas vão permitir que os veículos façam conversões à esquerda e à direita nas avenidas, o que no sistema anterior era proibido.
READ MORE - Maringá: Binário muda rota de 11 linhas e 10 mil usuários

Usuários em Aracajú consideram reajuste da tarifa abusivo


O aumento na tarifa das passagens de transporte público em Aracaju ainda não foi aprovado pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), mas já tem provocado a insatisfação dos usuários do transporte coletivo da capital. A solicitação de reajuste com o valor de R$ 2,26 foi enviada, no último dia 8, pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp) à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e será analisada pelo Conselho Municipal de Trânsito.
Para a estudante Adriana Santana dos Santos, o aumento da passagem dos atuais R$ 1,95 para R$2,26 é abusivo. "Se pelo menos aumentassem para R$2,00, mas R$2,26 é muito caro. Não temos um serviço de qualidade, é um absurdo as empresas pedirem esse aumento", afirma a jovem, que utiliza o transporte diariamente.O auxiliar de serviços gerais Cleverton Lima de Jesus também reprova o aumento da passagem. "Para mim a tarifa deveria ficar no mesmo valor. Moro no Fernando Collor e lá, além de esperarmos mais meia hora pelo ônibus, ele sempre quebra no meio do caminho. O serviço não presta", reclama.
READ MORE - Usuários em Aracajú consideram reajuste da tarifa abusivo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960