Fiscalização já reprovou metade dos ônibus do Rio

quinta-feira, 2 de setembro de 2010


No dia em que a prefeitura publicou, em Diário Oficial, os nomes dos quatro consórcios vencedores da licitação de ônibus, todos formados por empresas que já operam o transporte público do Rio, outra informação divulgada pelo município, pôs em xeque a qualidade da concorrência pública: 50% dos veículos fiscalizados nos últimos 5 meses foram reprovados e retirados das ruas.

Dos 831 ônibus interceptados por fiscais da Secretaria Municipal de Transportes entre março e agosto, 421 foram retirados de circulação, sendo que 66 deles eram ‘piratas’ — ou seja, não estavam cadastrados na Prefeitura do Rio para transportar passageiros com fim remunerado.

Apesar dos índices negativos, o processo de licitação excluiu apenas sete das 47 empresas de ônibus que já operam no sistema. Mesmo com a certeza de que algumas vencedoras estão na lista negra das irregularidades, a secretaria acredita que o processo não está comprometido. “Existem empresas que ganharam, mas que tiveram carros reprovados. Não há problema nisso, porque a licitação vem para definir novas regras, e nossa fiscalização vai aumentar”, explicou o subsecretário de Fiscalização de Transportes, coronel da Polícia Militar Eduardo Frederico Cabral de Oliveira.

As principais infrações encontradas pelos fiscais foram pneus carecas; extintor vencido; placa ilegível; veículo não licenciado e carroceria e pintura danificadas.

O Ministério Público informou que, em 2003, chegou a ingressar com mais de 40 ações, contestando a concessão de linhas de ônibus. Na mais recente licitação, não foi definido se será tomada alguma medida.

Remodelamento só deve iniciar nas férias do fim de ano

Apesar de já ter definido que quatro consórcios vão administrar as linhas de ônibus na cidade, a Prefeitura do Rio ainda não tem os planos de cortes e de inclusões de carros que serão adotados em cada bairro. O remodelamento, segundo o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, só vai acontecer após a implantação do Bilhete Único, esperada para daqui a dois meses, e será feito em etapas.

As mudanças devem começar a ser sentidas pela população em dezembro, mês escolhido por causa das férias escolares. “Vamos fazer um estudo para saber como o sistema vai funcionar com o Bilhete Único. Diante disso, definiremos como ficarão as linhas. É certo que haverá redução nas zonas Sul e Norte e aumento de carros, que pode chegar a 300, na Z. Oeste”, disse Sansão.

Toda frota com GPS e câmeras

Seis meses após a assinatura do contrato de concessão com os consórcios — o que deve ocorrer em 15 dias —, os ônibus estarão equipados com GPS e câmeras de vídeo. O prazo foi definido no edital e, caso as empresas não cumpram, podem perder o direito de operar.

Em nota, a Rio Ônibus disse que as frotas ainda terão que se adaptar para a bilhetagem eletrônica e com o uso dos demais equipamentos de controle de segurança.

Fonte: O Dia Online


0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960