Porto Alegre: EPTC recebeu reclamação sobre parada de ônibus energizada

quinta-feira, 15 de abril de 2010


Existia um pedaço de papel alertando para o risco de choque

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, admitiu, em entrevista à Rádio Guaíba, que a prefeitura havia sido informada do problema de eletricidade em uma parada de ônibus, onde um jovem morreu eletrocutado na noite de ontem.
“Nós recebemos, realmente, pelo 118, no dia 3 abril, às 18h, uma comunicação de que a parada de ônibus estava energizada”, explicou. Ele disse que às 18h30min daquele dia, um processo foi aberto, após uma agente de fiscalização constatar o problema. “Foram tomadas providências que eu ainda desconheço, porque estou tomando conhecimento hoje pela manhã.

Nós estamos em busca do processo”, disse Fortunati. “Eu lamento que a CEEE tenha lavado as mãos tão rápido, porque ainda temos uma investigação pela frente”, disse o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. Ele se referia à uma nota enviada pela Companhia Estadual de Energia Elétrica atribuindo a responsabilidade da iluminação pública das paradas de ônibus à administração municipal.

“A EPTC faz uma manutenção de todas as paradas, mas existem problemas que não são visíveis, não aparecem, e esse é um caso concreto”, disse. Por isso, o prefeito pediu para que as pessoas comuniquem os problemas que identificarem “para que sejam tomadas as providências”.

“Elas não foram tomadas da forma adequada, naturalmente, nós vamos averiguar e tomar as providências cabíveis para identificar quem falhou e que obviamente responda por isso”, ressaltou. O prefeito disse que mesmo a CEEE tendo desligado a iluminação elétrica da região onde está localizada a parada de ônibus ontem, ela continua energizada, o que, segundo ele, significa que não é um problema do local.

“Pode ser inclusive roubo de cabos, mau contato do sistema de iluminação pública como um todo. O caso pode ser um pouco mais complexo e eu não vou aqui avançar e lavar as minhas mãos também. Acho que o pior exemplo que nós podemos dar é quando os entes públicos começam a lavar as mãos e estranho que a CEEE tenha feito isso com tanta rapidez”, completou. Segundo ele, a Fasc já está fazendo o contato com a família da vítima. “Nós vamos prestar toda a nossa solidariedade”, disse. “Vamos fazer todas a averiguações e apurar a responsabilidade.

”Caso - O estudante Valtair Jardim de Oliveira, de 18 anos, morreu na noite desta terça-feira ao levar um choque em uma parada de ônibus da Capital. Ele estava acompanhado de um colega quando encostou no corrimão da estação Universidade, na avenida João Pessoa. De acordo com moradores da região, o corrimão estava energizado havia dias. Inclusive, existe um pedaço de papel alertando para o risco de choque.

De acordo com o relato do amigo Dênis Farias Chaves, 21 anos, o jovem se encostou no ferro, soltou um grito, e caiu. "Achei que ele estava brincando. Quando encostei nele, levei um choque também", disse.

Nota da CEEE

"O Grupo CEEE lamenta o incidente ocorrido com um jovem, em uma parada de ônibus, ontem à noite, na Capital. Logo após o acontecido, a CEEE foi chamada para desenergizar a área, isolando o local e eliminando o perigo de outras ocorrências.

Durante o atendimento, realizado pelos técnicos da companhia, foi constatado que o problema teve como causa a energização de um poste de iluminação pública, cuja instalação e manutenção é de competência da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. A CEEE se solidariza com a família da vítima."

Fonte: Ijuhy.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Depois que o estudante morre, é que eles fazem o serviço como era pra ser feito antes, incrivel que os próprios estudantes que colocaram um aviso de perigo

Anônimo disse...

assim como são paradas "tipo cadeiras elétricas", que a Prefeitura de Porto Alegre "fecha os olhos", bem como a péssima preparação e treinamento de muitos motoristas da Conorte e da própria Carris (que deveria ser exemplo), que dirigem os ônibus, inclusive ônibus novos da Carris, como se fossem carros de "fórmula 1" e desgastando freios e câmbios prematuramente, com freiadas e arrancadas estúpidas, jogando e arriscando a vida dos passageiros diariamente, só a tal EPTC não vê nada. Se você for reclamar no 118, querem te fazer cadastro completo, em vez de fazerem fiscalização aleatória e diária em todas as empresas de ônibus, para ver o que realmente os passageiros suportam, além dos desrespeito completo aos horários. E o Prefeito Fogaça, "omisso como sempre", melhor agora "licenciado". é dose.

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960