Recife: Programa de conscientização nos terminais agrada usuários

segunda-feira, 20 de julho de 2009

“Ei, vocês não vão furar fila hoje não, né?”, grita um homem vestido de espantalho para um grupo de mulheres. Depois de serem apelidadas pelos arte-educadores de “bando das galegas”, elas abandonaram o hábito diário de furar as filas no embarque do Terminal Integrado da Macaxeira. É dessa forma, com bom-humor, que o Projeto Arte Educação do Grande Recife Consórcio de Transporte vem conscientizando os usuários dos terminais integrados da Região Metropolitana do Recife (RMR).Concebido como parte do Programa Educa Transporte, o Arte Educação tem o objetivo de levar aos usuários de ônibus os conceitos de mobilidade urbana sustentável, respeito aos idosos e às pessoas com deficiência, conservação dos coletivos, embarque e desembarque seguros nos terminais e, principalmente, o respeito às filas. “Através da interação entre os passageiros e os artistas educadores, queremos inibir o mau comportamento no transporte”, afirma a chefe da Divisão de Educação da Gerência de Relacionamento do consórcio, Carla Carvalheira.Em outubro do ano passado, foram realizadas ações por duas semanas no Terminal Integrado do Barro. Esse projeto piloto teve uma boa aceitação por parte do público, o que levou o Grande Recife Consórcio de Transporte a repetir a dose durante o período de 18 de maio a 02 de junho. Caracterizados como espantalhos (devido às festas de São João), oito artistas- educadores interagiram com o público, através de brincadeiras e piadas, nos horários de pico, pela manhã e no final da tarde. Inicialmente, as ações ocorreram nos terminais da PE-15, Macaxeira e Camaragibe. Consideradas um sucesso, foram estendidas para osterminais de Jaboatão e Afogados.O trabalho dos artistas-educadores é sentido, no dia-a-dia, pela estudante Gabriela Gonçalves, que é usuária do Terminal Integrado da PE-15. “Esse trabalho é muito válido, pois se todos respeitassem o direito do próximo, ninguém chegaria atrasado no seu destino”, opina.
READ MORE - Recife: Programa de conscientização nos terminais agrada usuários

Curitiba: A R$1,20, Circular Centro é alternativa para deslocamento rápido

A linha Circular Centro, criada como alternativa para quem não faz deslocamentos a pé na área central, ou encontra dificuldades para estacionar o carro, transporta diariamente cerca de 1,9 mil passageiros no sentido anti-horário, num percurso de 8,18 quilômetros, e 700 usuários no sentido horário, num itinerário de 4,7 quilômetros."A linha Circular Centro foi criada na época que antecedeu a implantação das Linhas Diretas, diametrais, servidas pelos Ligeirinhos, numa época em que os usuários dispunham de poucas alternativas para chegar ao outro extremo da área central com rapidez", explica o gestor de Operação do Transporte Coletivo da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), Luiz Filla.No sentido horário, o tráfego é feito por três micro-ônibus, e no sentido inverso, por outros quatro veículos. A linha funciona de segunda a sexta-feira, das 6h às 19h30, e aos sábados, das 6h às 14h. A tarifa custa R$ 1,20.Atualmente, os micro-ônibus são uma alternativa para quem prefere deixar o carro em casa, economizar combustível e dar preferência ao sistema de transporte coletivo, percorrendo rapidamente trechos da região central da cidade onde o número de vagas para estacionamento nas ruas é limitado e sujeito ao Estacionamento Regulamentado (EstaR).Além disso, os usuários chegam facilmente não só às lojas e o comercio em geral situados no coração da cidade, bem como aos demais serviços oferecidos na região, como escolas, hotéis, órgãos públicos, terminais de ônibus e centros comerciais.
READ MORE - Curitiba: A R$1,20, Circular Centro é alternativa para deslocamento rápido

Brasília: Câmeras nos ônibus vão garantir mais segurança aos passageiros

Com o objetivo de diminuir o número de assaltos a ônibus no Distrito Federal, a Secretaria de Transportes, por meio da DFTrans, fará licitação,na modalidade pregão presencial, para a compra de câmeras de segurança. O propósito é instalá-las em ônibus e micro-ônibus do Sistema de Transporte Público do Distrito Federal – STPC/DF.
O edital foi publicado hoje (17), no Diário Oficial do Distrito Federal. No dia 29, às 10h, haverá o pregão, com o recebimento e abertura dos envelopes com propostas de preço. Em seguida ocorrerão os lances verbais. O evento será na sala da Comissão de Licitação da DFTrans , localizada no Setor de Áreas Isoladas Norte SAIN– Rodoferrroviária – Sobreloja Ala Sul - Brasília/DF.
A empresa vencedora do certame deverá fornecer e instalar 2.850 kits com duas câmeras e uma unidade de gravação de vídeo digital (DVR). Também deverá fornecer configuração de programa de reprodução de imagens a ser instalado nos computadores da Dftrans.
O secretário de Transportes, Alberto Fraga, explica que as cidades com maiores índices de assaltos a ônibus terão prioridade. “Vamos começar a instalação das câmeras de monitoramento obedecendo a um levantamento feito pela Polícia Civil. Ceilândia, Samambaia, Itapoã e Santa Maria são as regiões com maiores índices de furtos e roubos em coletivos”, afirma o secretário.
READ MORE - Brasília: Câmeras nos ônibus vão garantir mais segurança aos passageiros

Londrina: Sindicato recua e greve do transporte coletivo só sai depois de quarta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo de Londrina (Sinttrol) afastou a possibilidade de a categoria entrar em greve nesta segunda-feira (20) e na terça-feira (21). “Decidimos dar mais esse voto de confiança à CEI [Comissão Especial de Investigação, da Câmara] e esperar a entrega do relatório para amanhã e a decisão do prefeito”, afirmou o presidente da entidade, João Batista da Silva. Para pedir paciência aos trabalhadores, o prefeito Barbosa Neto (PDT) vai às 4h30 desta segunda-feira na garagem da empresa Transporte Coletivo Grande Londrina (TCGL).
O Sinttrol anunciava que uma greve poderia começar hoje. Essa foi a forma escolhida pela categoria para pressionar os poderes políticos a tomar uma decisão em relação à tarifa do transporte coletivo, uma vez que as empresas alegam que só darão reajuste salarial aos trabalhadores se houver aumento na passagem. “A partir de terça-feira não poderemos mais esperar”, afirmou Silva.
READ MORE - Londrina: Sindicato recua e greve do transporte coletivo só sai depois de quarta-feira

Fortaleza: Usuários ganham novas linhas de ônibus

A partir de segunda-feira, 20, serão criadas quatro novas linhas de ônibus, cujas operações vão ampliar as opções de deslocamento para moradores das regionais II, V e Centro. Para a região do Grande Siqueira foi criada a linha 383 (Parque São João/Siqueira). A linha vai proporcionar um atendimento maior e melhor para os moradores da comunidade Paraíso Verde, que já eram parcialmente atendidos pela 397 (Jardim Jatobá/Siqueira II), mas que, agora, terão veículos cobrindo a região integralmente. A linha também vai atender os moradores da Morada do Siqueira.
Já no Centro da cidade, a novidade é a criação da linha 413 (Parangaba/Expedicionários), que será uma alternativa para os usuários da 403 (Parangaba/Centro/Expedicionários).
A nova linha fará o circuito Terminal Parangaba/IFCE/Terminal Parangaba, somente de segunda a sexta-feira. Já as pessoas que desejam ir até o Centro continuam contando com a 403 todos os dias da semana. Também serão implantadas duas linhas para os moradores da Regional II. Agora, quem está no Siqueira e deseja se deslocar para a Praia de Iracema, terá a opção 073 (Siqueira/Praia de Iracema). A linha vai operar durante a semana, passando pela avenida Historiador Raimundo Girão. Outra opção será a linha 099 (Siqueira/Mucuripe/Barão de Studart), que prosseguirá até o Mucuripe passando pela Rodoviária Engenheiro João Tomé, avenidas 13 de Maio, Pontes e Barão de Studart. As duas linhas serão alternativas para a já existente 078 (Siqueira/Mucuripe) que, em função das mudanças, passará a operar somente nos finais de semana.
READ MORE - Fortaleza: Usuários ganham novas linhas de ônibus

Para especialistas, medidas da Prefeitura de São Paulo incentivam o uso de automóveis

Duas medidas para melhorar o trânsito na cidade de São Paulo foram anunciadas pela Prefeitura nas últimas semanas: a eliminação de 3.400 vagas de estacionamento na região da avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul da capital, e a proibição da circulação de ônibus fretados em uma área de 70 km². A primeira entrou em vigor no dia 13 de julho, a segunda está prevista para o dia 27 próximo. Para especialistas, no entanto, elas só devem incentivar ainda mais o uso de automóveis.
De acordo com o professor de engenharia de tráfego da Universidade de São Paulo (USP) e autor do livro “Transporte Público Urbano” (livraria do Cidadão), Antonio Clovis Ferraz, a eliminação de vagas na região da Berrini, a princípio, é uma "medida interessante" já que, com ela, há o ganho de cerca de dois metros de largura de cada lado. “E, sem as vagas, o trânsito também não fica prejudicado pelas manobras dos motoristas”, afirma.

Por outro lado, considera que a medida seria bem-vinda se o fluxo de veículos continuasse o mesmo e não aumentando a cada dia. Conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (DETRAN), de maio para junho de 2009 a cidade ganhou 24.455 carros, passando para uma frota de mais de 4.850.880 automóveis. No total, com ônibus, caminhão e moto, são 6.558.463 veículos na capital.
“Reduzindo o fluxo na Berrini, carros de outras vias congestionadas vão começar a passar por ela. Além de perder as vagas de estacionamento, não irá melhorar a fluidez”, afirma Ferraz.

"A relação é que cada faixa de ônibus transporta 10 vezes mais que a de carro''

Para o consultor de trânsito Horário Figueira, a eliminação valeria à pena se fosse criada uma faixa exclusiva para ônibus neste espaço. “Enquanto não é possível fazer o corredor, com faixas de ultrapassagem, faz-se uma faixa à esquerda, que em uma semana dá para ser implantada”, defende.
Segundo ele, há um consenso entre engenheiros de tráfego de que em vias onde passam mais de 30 ônibus por hora já é justificável a criação de faixas exclusivas. “Em avenidas como a 9 de Julho e a Paulista, onde há semáforos, passam cerca de 800 automóveis por hora. Se fossem só ônibus passariam cerca de 150. Considerando que cada um leva até 70 pessoas. A relação é que cada faixa de ônibus transporta 10 vezes mais que a de carro”, explica.
READ MORE - Para especialistas, medidas da Prefeitura de São Paulo incentivam o uso de automóveis

Fortaleza: 28 linhas de ônibus retomam itinerário

Quase dois meses após o início da Operação Tapa-Buracos em Fortaleza, pelo menos 28 linhas de ônibus que estavam alterando sua rota para desviar de trechos esburacados na pista retomaram o itinerário original. Em maio, levantamento feito por O POVO mostrou que havia pelo menos 54 linhas desviando seu trajeto. A Prefeitura garante que, até 22 de agosto, quando encerra a primeira etapa da operação, o problema estará resolvido. Até o momento, a maioria das linhas que retomou sua rota circula fora da periferia. É o caso dos ônibus que trafegam pela rua Eduardo Sabóia, na lateral do Hiper Bom Preço, no Papicu. Por causa dos buracos que existiam na via, os motoristas estavam desviando por uma rua lateral. “Era ruim. A gente tinha que andar mais até a parada, ficava meio perdido. Mas, no mês passado, consertaram os buracos daqui e os ônibus voltaram”, comenta a dona-de-casa Laura Oliveira. O conserto dos buracos na rua Eduardo Sabóia beneficiou pelo menos cinco linhas: Antônio Bezerra/Papicu; Papicu/Praia do Futuro; Papicu/Conjunto Alvorada; Papicu/Cidade 2000 e Dom Luís. “As vias grandes e perto do terminal, o pessoal sempre conserta. Quero ver é aqui, na periferia”, diz o contínuo Luis de Souza, que mora no bairro Planalto Ayrton Senna (antigo Pantanal). Segundo os moradores do bairro, faz mais de três meses que as únicas linhas que circulam por lá deixaram de passar pela rua Retiro da Felicidade, onde ficava o ponto final dos ônibus. Agora, a parada mais próxima fica a cinco quarteirões de distância. “Eu saio pra trabalhar 4 da madrugada e tenho que andar que só até a parada. Sempre tem assalto por aqui”, reclama o auxiliar de produção Manoel Garcia. No Itaperi, as linhas de ônibus que circulam pelo Conjunto Veneza Tropical também continuam precisando desviar sua rota. O problema é a quantidade de buracos na rua 6, que inviabiliza a passagem de veículos mais pesados. “Faz tempo que o ônibus deixou de passar. O jeito é andar mais até a (nova) parada”, diz a aposentada Raimunda de Souza, 65.
READ MORE - Fortaleza: 28 linhas de ônibus retomam itinerário

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960