Recife: Estudantes vão carregar VEM dentro do próprio ônibus a partir de junho

segunda-feira, 25 de maio de 2009


A partir de 1º junho, o estudante que precisar carregar o Vale Eletrônico Metropolitano - VEM, não vai mais ter que ir até os postos da Praça Maciel Pinheiro, no centro do Recife, e do Expresso Cidadão, no bairro do Cordeiro. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (5), pelo Grande Recife Consórcio de Transporte.Os 300 mil estudantes que usam o cartão vão poder imprimir, pela internet, o boleto no valor que pretende fazer a carga. Depois, eles podem fazer o pagamento em casas lotéricas ou agências bancárias. O cartão será carregado dentro do ônibus, na mesma máquina amarela em que a passagem é paga. A inovação é uma parceria entre Grande Recife e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Setrans-PE) e com a Caixa Econômica Federal, que disponibilizará todas as suas agências e rede credenciada da Região Metropolitana do Recife, totalizando 216 pontos para o pagamento dos créditos para o VEM.O procedimento operacional para o carregamento do VEM Estudante e vai custar R$ 1 por recarga. No documento gerado pela internet, o estudante irá preencher os dados solicitados e a quantidade de créditos que pretende inserir no VEM. Em seguida, o usuário irá imprimir o documento de arrecadação. Após este processo, o estudante poderá se dirigir a qualquer agência ou rede credenciada da Caixa Econômica Federal na RMR e efetuar o pagamento, que terá um prazo de transferência de créditos de até 24 horas.O posto de carregamento do VEM, localizado na Praça Maciel Pinheiro, continuará à disposição dos estudantes. Já o posto que fica no Expresso Cidadão, no bairro do Cordeiro, será desativado.O posto da Praça Maciel Pinheiro ampliou o número de funcionários, aumentando de 35 para 42 guichês, e instalou novos equipamentos de ar refrigerado. De acordo com o Grande Recife Consórcio, a recarga do cartão está sendo realizada em menos de 20 segundos.O próximo passo da será a ampliação do benefício do carregamento embarcado para os usuários do Vale-Transporte Eletrônico, que será substituído pelo VEM Trabalhador. Ao todo, oito mil empresas, o que representa cerca de 350 mil usuários, estão cadastradas junto ao Grande Recife. O processo será implantado até o início do segundo semestre.
READ MORE - Recife: Estudantes vão carregar VEM dentro do próprio ônibus a partir de junho

Campo Grande: Valor da passagem não é bem recebida por usuários do transporte coletivo

READ MORE - Campo Grande: Valor da passagem não é bem recebida por usuários do transporte coletivo

Série Transporte Coletivo Uberlândia

READ MORE - Série Transporte Coletivo Uberlândia

Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos



É objetivo do MDT – Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos inserir na agenda social e econômica da Nação o Transporte Público, um serviço essencial, como um direito para todos, visando à inclusão social, à melhoria da qualidade de vida e ao desenvolvimento sustentável com geração de emprego e renda.

Os cinco eixos do MDT para a concretização deste objetivo são estes:
Eixo 1: MOBILIDADE PARA TODOS
Eixo 2: INVESTIMENTO PERMANENTE NO TRANSPORTE COLETIVO
Eixo 3: BARATEAMENTO DAS TARIFAS PARA A INCLUSÃO SOCIAL
Eixo 4:PRIORIDADE AO TRANSPORTE PÚBLICO NO TRÂNSITO
Eixo 5: TRANSPORTE PÚBLICO COM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

http://www.conam.org.br/mdt_qualidade_transp.html

READ MORE - Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos

Manaus pode ganhar moderno sistema de transporte coletivo


Há uma semana do anúncio das cidades que serão escolhidas como sub-sedes da Copa de 2014 no Brasil, a população de Manaus vive a expectativa ver a cidade ganhar obras hoje vistas somente em países desenvolvidos. Dentre as mais ousadas e que deverá interferir diretamente no cotidiano dos manauaras está a construção de uma rede de transporte de monotrilhos, que interligará as zonas Norte e Sul da cidade e deve desafogar o sistema de transporte coletivo.De acordo com o projeto apresentado pelo governo do Estado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o sistema monotrilho irá ampliar a área de cobertura da rede de transporte coletivo e diminuirá o tempo de viagem em até 50%. Inicialmente o sistema será divido em duas linhas. A primeira possuirá 13,5 quilômetros de extensão. A segunda prevê a construção de quatro quilômetros de trilhos elevados, que vão ligar um trecho da avenida Torquato Tapajós a um terminal na Colônia Santo Antônio, zona Norte da cidade.No eixo de maior trânsito em Manaus, as avenidas Constantino Nery e Torquato Tapajós, a novidade atenderá 50% das viagens, o equivalente a 20 mil passageiros no horário de pico.

Sistemas complementares

O subsecretário de Planejamento Econômico e Desenvolvimento, Marcelo Lima, explicou que o monotrilho não substituirá o sistema atual, e sim, deve complementar o modelo tradicional existente, que, segundo ele, deve passar por reformulações e receber investimentos.A construção de um sistema de transporte que interligue vários pontos da cidade é uma das exigências da CBF para escolher as sub-sedes da Copa de 2014. O sistema está previsto para ser inaugurado em 2010 e segundo, o estudo está orçado em US$ 270 Milhões.Segundo o subsecretário da Seplan, Marcelo Lima, o sistema de Monotrilho deve ser implantado independentemente de Manaus ser ou não escolhida como sub-sede da Copa de 2014.

Expresso

Em 2001, foi implantado em Manaus o “Sistema Expresso de Manaus”, que utilizava corredores exclusivos para ônibus. O projeto foi baseado em modelos de sucesso em outras capitais do Brasil, como em Curitiba, mas não atendeu as expectativas da população em Manaus. O Sistema teve investimentos estimando em R$ 120 milhões.O sistema implantou três novos terminas na cidade: T3-Cidade Nova (Zona Norte), T4-Jorge Teixeira (Zona Leste) e T5-São José (Zona Leste). No “Expresso”, as linhas de ônibus percorriam de ponta a ponta a cidade em uma única via. A idéia era reduzir em 40 minutos o tempo de trajeto que é hoje em uma hora, mas a idéia não vingou.Devido à má implantação dos corredores, o sistema foi extinto. Na época, em matéria publicada pelo Jornal Amazonas em Tempo, a Secretaria Municipal de Obras (Semosb), por meio da assessoria de imprensa, disse que a obra foi teve erro de projeto e que o dinheiro gasto não poderia mais ser resgatado. O sistema Expresso foi implantado em Manaus pelo atual Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que era prefeito da cidade na época.
Fonte: Andrezza Lifsitch, especial para o Portal Amazônia
READ MORE - Manaus pode ganhar moderno sistema de transporte coletivo

Natal: Estudantes protestam contra reajuste dos transportes coletivos


Estudantes universitários paralisaram parcialmente as faixas de rolamento das avenidas Salgado Filho em frente ao Via Direta e o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRN), como protesto contra o eventual reajuste da tarifa do transporte coletivo, previsto para 6 de junho, conforme o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) feito em 2007 entre o Município, Ministério Público e Empresas de ônibus.As manifestações eram organizadas em frente ao IFRN pelo Grêmio Estudantil Djalma Maranhão, vinculado a esta instituição de ensino médio e superior, enquanto na BR-101, em frente ao Via Direta, a organização do movimento estava a cargo do Diretório Centro dos Estudantes (DCE), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Não se via nos dois grupos de manifestantes, nenhuma faixa vinculando o protesto a estudantes das redes municipal e estadual de ensino, mas o dirigente do grupo Juventude de Articulação de Esquerda, que seria ligado ao PT, disse que o movimento não era só de estudantes, mas de toda a sociedade. “É a continuação do maio vermelho, que iniciamos no dia 13, contra o aumento no valor da passagem de ônibus”, disse Ramon Alves.Alves afirmou, que ao contrário do que disseram dirigentes da Federação das Entidades dos Estudantes do RN (Forte) e União Estadual dos Estudantes do RN (Uern), o movimento pode ter uma conotação política, “mas não é partidária”.A manifestação em frente ao Via Direta começou depois do horário previsto, que era 16 horas, por causa da garoa que caia à tarde. Mas, em torno de 50 estudantes tomaram a faixa a esquerda da marginal da BR-101 por 30 minutos, enquanto o trânsito era controlado por inspetores da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que chegaram em três viaturas. “Não fomos comunicados oficialmente da paralisação”, dizia o inspetor Tellechea, que falou a respeito do acordo que tinham feito com os estudantes para deixaram a pista depois de decorridos o tempo de meia hora.“O que nós queríamos era apenas chamar a atenção do povo para essa questão do reajuste da passagem de ônibus”, dizia o coordenador do DCE Davi de Souza. “Não queremos prejudicar as pessoas, que querem chegar mais cedo em casa na hora do pico”, avisava ele.Além das faixas de protesto contra o aumento de tarifa, o grupo de estudantes cantavam até um slogan em tom de brincadeira para chamar a atenção dos transeuntes e passageiros de ônibus que passavam em frente ao Via Direta: “O dinheiro do meu pai não é capim, eu pulo a catraca sim”.
READ MORE - Natal: Estudantes protestam contra reajuste dos transportes coletivos

Cuiabá: População sente alívio após liminar que impede aumento


“Quando soube que ia aumentar corri para a MTU carregar meu cartão, pois haviam dito que até domingo (10) aumentariam a passagem”, diz Neide Aparecida, usuária do transporte coletivo de Cuiabá. Assim como Neide, muitos usuários fizeram o mesmo com medo de ter de pagar mais tarifa. Hoje se sentem um pouco mais aliviados, devido à ação do Ministério Público que barrou novos aumentos, até que os critérios de reajuste estejam claros.
Para Roberto Diogo, o fato da tarifa não aumentar, neste momento, significa economia, pois na sua casa quatro pessoas dependem dos ônibus e micro-ônibus. “Se hoje a R$ 2,05 você carrega R$ 100,00 - não dura um mês, dependendo da quantidade de ônibus que tem de pegar, imagine com a tarifa a R$ 2,42”, se assusta ele.
Enquanto a população segue a vida, normalmente, com a tarifa do transporte de Cuiabá estagnada, empresários não sabem mais o que fazer. Segundo o presidente do Sindicato do Transporte Alternativo de Cuiabá (Seta/Cuiabá), João Pedro Wesner, os empresários querem o aumento pelo fato de não estarem tendo lucro algum com o transporte na Capital.
Por que aumentar?Segundo o presidente da Associação Mato-grossense dos Transportes Terrestres (MTU), Ricardo Caixeta, há dois anos a tarifa não tem aumento e neste meio tempo houve aumentos nos preços dos insumos, como pneus, salários dos funcionários, óleo diesel, manutenção dos veículos, além do atendimento à novos bairros de Cuiabá. Ele ainda diz que Cuiabá é uma cidade em que o custo do transporte é alto, devido ao fato dela “ser esparramada” e das condições de trafegabilidade serem ruins. De acordo com o conselheiro da Corecon, Anaor Silva, “a população precisa saber que não é a quilometragem das linhas que define a tarifa, mas sim o Índice de Passageiros por Quilômetro (IPK)”.
Greve

Especula-se que motoristas e cobradores do transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande possam entrar em greve nesta sexta (22.05) ou na segunda (25.05). Segundo o diretor financeiro do Sindicato dos Motoristas e Cobradores do Transporte Coletivo de Cuiabá, Francisco Jardim de Melo, os empresários se reunirão hoje para apresentar uma nova proposta para a categoria. "Se a proposta não for aquilo que queremos entraremos em greve. Não tem dia específico. Podemos entrar a qualquer momento. A data já foi extrapolada”,diz Francisco.
De acordo com Francisco, essa greve não tem nada a ver com o aumento da tarifa do transporte coletivo de Cuiabá e sim com o reajuste salarial. "Se fosse por causa da tarifa, Várzea Grande não entraria em greve também, porque eles já tiveram reajuste, inclusive no transporte coletivo intermunicipal que a Ager já realizou. Várzea Grande vai parar também por causa do reajuste salarial”, disse Francisco.
READ MORE - Cuiabá: População sente alívio após liminar que impede aumento

Pinda: Transporte complementar legalizado começa na segunda com 20 vans


Um novo modelo de transporte público começará a funcionar a partir da próxima segunda-feira, 25, prometendo oferecer melhores serviços para a população de Pindamonhangaba. Trata-se da implantação do transporte complementar alternativo ao serviço da concessionária do transporte no município, Empresa de Ônibus Viva Pinda. O novo modelo a ser implantado visa otimizar o serviço oferecendo mais qualidade e eficiência ao usuário do transporte urbano. Os veículos complementares, 20 veículos liberados para o trabalho em dois turnos, estarão já a partir da segunda-feira operando com suas linhas já definidas, motoristas uniformizados e as vans devidamente identificadas, é o que afirmam os dirigentes da empresa de ônibus e representantes dos alternativos.

Foram cinco anos de negociação entre Poder Público, empresa concessionária de ônibus e transportadores alternativos, até que, após várias reuniões e deliberações, aconteceu a parceria para a criação do transporte complementar de passageiros, onde foram legalizadas 20 carros. Com elas, 40 motoristas e 40 cobradores foram devidamente selecionados pelos próprios condutores, cada um deles sendo obrigados a abrir empresa pessoal..“Sabemos que existirão alguns transtornos já que muitos que ficaram de fora poderão estar promovendo manifestações. Claro tivemos que pensar nos imprevistos e uma das exigências contratuais foi, em casos de sinistros ou acidentes, o Seguro Passageiro e Seguro Veículo.” esclareceu Jéferson Lucas, em nome da Viva Pinda.Pela Prefeitura Municipal, o diretor do Departamento de Trânsito (Deptran), Luís Rosas solicitou que a população colabore, não fazendo uso do transporte clandestino (os que não estão entre os 20 carros). Rosas defendeu o prefeito João Ribeiro, dizendo que a intenção da municipalidade é oferecer melhor qualidade no serviço público de transporte de passageiros.
READ MORE - Pinda: Transporte complementar legalizado começa na segunda com 20 vans

Passebus vai fixar listas sobre a cobrança indevida da tarifa nos terminais de Joinville

A Passebus vai fixar nesta sexta-feira, nos terminais de ônibus de Joinville, listas com os números do cartão de transporte coletivo de usuários que têm de ser ressarcidos pelas empresas de transporte coletivo. Também vai haver uma lista no prédio da empresa, no Centro. As empresas Gidion e Transtusa tentam achar 453 pessoas que pagaram, antes do prazo, a passagem com reajuste, devido a um erro no sistema de cobrança administrado pela Passebus. A passagem no valor de R$ 2,30 (ou seja, com reajuste de 12,2%) teria de ser cobrada apenas a partir da meia-noite de domingo. A Passebus garantiu que vai devolver aos usuários os valores cobrados de quarta-feira da semana passada até o domingo. Nesse período, a empresa cobrou indevidamente R$ 0,25 a mais de cerca de 7,5 mil passagens. Cerca de 590 empresas, que pagam o vale-transporte de funcionários, estão sendo avisados do erro por carta e email. A Passebus tem dado duas opções para receber a restituição do valor: o crédito na próxima compra do vale-transporte ou o reembolso do dinheiro. Mais informações: no serviço de atendimento ao cliente da Passebus (0800 47 5001). Para o usuário saber se teve cobrança indevida, basta informar o número do cartão. A empresa diz que vai compensar o custo da passagem de ônibus para quem precisa de transporte coletivo para ir até o Centro.
READ MORE - Passebus vai fixar listas sobre a cobrança indevida da tarifa nos terminais de Joinville

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960