Entidades da cidade de Marília querem melhorias na Lei do Transporte Coletivo

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Representantes de associações de moradores e dos movimentos estudantil e sindical se reuniram na tarde de ontem, com prefeito Mário Bulgareli, para cobrar mudanças na Lei do Transporte Coletivo.
Os destaques foram dados a forma de operação de duas empresas na cidade, a forma de integração entre as linhas com uma única passagem e o papel do SAF nessa nova conjuntura.
O porta-voz das entidades e presidente da UJS em Marília, Marcos dos Santos, acredita que o tempo limite para integração entre linhas deve ser ampliado dos atuais 45 minutos previsto no projeto para 1 hora.
Com relação a atuação das empresas concorrentes, Santos solicitou, em nome das entidades, que o projeto atribua papel fiscalizador ao SAF, que segundo ele participa hoje apenas de questões pontuais, como aprovação de preços da passagem.
As propostas agora seguem para avaliação da Prefeitura e possíveis modificações. A expectativa é que o projeto entre na pauta de deliberações da Câmara ainda em novembro.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960