Transporte gera 573 notificações

sábado, 26 de setembro de 2009

Dados divulgados ontem pela Secretaria Municipal de Transportes de Mogi das Cruzes revelam que os usuários do transporte coletivo na Cidade têm razão em reclamar de atrasos e de viagens suprimidas. Só neste ano, de 1o de janeiro ao último dia 11, foram apresentadas 573 notificações pela Prefeitura contra as duas concessionárias que exploram o serviço - Transcel e Breda - por conta destas duas irregularidades, as quais já resultaram em 158 multas, no valor de R$ 15,5 mil (cada multa custa uma Unidade Fiscal do Município - UFM).
Na média, são pelo menos duas autuações a cada dia, por atraso e viagens que deixam de ser feitas, sendo que estas estatísticas só contabilizam as falhas que são constatadas pelos fiscais da Prefeitura. Mas o próprio secretário municipal de Transportes, Carlos Nakaharada, admite que o número de funcionários é insuficiente para cobrir "todas as linhas e em todos os momentos". Em razão disso, normalmente, a fiscalização se concentra nos terminais de saída dos ônibus e, aleatoriamente, nos pontos finais.
"Por isso, é muito importante que a população nos ajude e comunique a ocorrência de problemas", observou o secretário, ao citar que as reclamações dos usuários são um dos termômetros utilizados pela Pasta para avaliar a qualidade do serviço prestado pelas concessionárias e direcionar a fiscalização.
Ainda que as reclamações do transporte coletivo tenham reduzido significativamente em relação ao ano passado, por exemplo, quando os problemas enfrentados pela Mito (que teve a concessão cassada em janeiro) afetaram diretamente os usuários, o secretário admite que o volume de notificações por atraso e por não saída de viagens continua alto. "O certo seria que isso não ocorresse", disse.
A Prefeitura espera obter a eficiência no sistema com a concorrência pública que definirá a empresa que irá explorar o lote de linhas que pertencia à Mito - hoje operadas em caráter emergencial pela Transcel e Breda - e que vai estabelecer novas regras a serem cumpridas também pela Transcel, que tem contrato com o Município para o outro lote de linhas. Entre as novidades está a implantação de GPS, que permitirá o acompanhamento on line do itinerário que o ônibus está cumprindo e também o monitoramento por câmeras que, entre outras coisas, possibilitará saber se o coletivo está lotado ou não. A concorrência para o transporte coletivo está suspensa por determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e a expectativa é de que possa ser retomada pela Prefeitura nos próximos dias.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960