BRT não terá passarela para travessia de pedestres em BH

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

A travessia de pedestres nas avenidas contempladas com o Bus Rapid Transit (BRT), batizado de Move, foi discutida esta semana na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Segundo os representantes da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) e da BHTrans, que participaram de audiência publica, o caminho para pedestres nas avenidas Presidente Antônio Carlos e Dom Pedro I deve continuar a ocorrer nos semáforos, sem a instalação de passarelas. Apenas a Cristiano Machado contará com a facilidade para a população, porque já tem passarelas implantadas. 

A reunião foi convocada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário. De acordo com o Executivo, as passagens elevadas aumentam o trajeto a ser percorrido pelos pedestres, o que acaba inibindo o uso. Além disso, a prefeitura informou que uma consultoria na área de segurança acompanha a implantação do sistema BRT, garantindo o acesso adequado de pedestres às estações de passageiros. A PBH esteve, durante o desenvolvimento do projeto do BRT, em contato com especialistas das cidades de Cáli e Bogotá, consideradas exemplos de sucesso no gerenciamento do trânsito, de onde aproveitaram idéias. A BHTrans explicou que estão sendo implantados detectores de avanço de veículos, para garantir a segurança dos pedestres.

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário e líder do governo na Casa, Wagner Messias Preto (DEM), defendeu o projeto da prefeitura, mas ressaltou que após a inauguração do BRT, caso sejam percebidos eventuais problemas na segurança de transeuntes, eles deverão ser corrigidos com o sistema BRT já em atividade.

O 1º vice-presidente da Câmara, Wellington Magalhães (PTN), defendeu a instalação de passarelas para pedestres nas vias contempladas pelo BRT. Ele afirmou que vai requerer uma audiência pública externa a ser realizada na região da Avenida Antônio Carlos para discutir o tema junto à comunidade local.

O vereador Silvinho Rezende (PT), cobrou da BHTrans a ampliação do tempo para travessia de pedestres nas vias onde o BRT está em fase de implantação, principalmente nas áreas de maior fluxo de pessoas, como na entrada da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e nas proximidades do Conjunto Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI) e do Via Brasil, na Avenida Pedro I.

O gerente da Coordenação de Mobilidade Urbana da BHTrans Rogério Carvalho Silva, explicou que o Centro de Controle da BHTrans irá monitorar o trânsito nas vias contempladas pelo BRT, sendo possível, caso necessário, alterar o tempo dos semáforos. Ele também explicou que o BRT vai garantir maior confiabilidade à previsão de horários dos ônibus, graças ao controle informatizado do sistema de transporte coletivo, que contará com GPS nos ônibus e também permitirá a comunicação entre o motorista e o Centro de Controle. A BHTrans garantiu, ainda, que as viagens de coletivo serão mais rápidas que as de automóvel nas vias contempladas pelo BRT.

Informações: Estado de Minas

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960