Porto Alegre: Passageiros carecem de informações sobre ônibus

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Um dos grandes problemas de quem precisa utilizar o transporte público em Porto Alegre são as informações sobre linhas, itinerários e horários de ônibus. Uma solução para isso pode vir a partir da aprovação do Projeto de Lei 140/2013, que tramita na Câmara de Vereadores e prevê a fixação de informações relativas ao serviço em todas as paradas, estações e terminais.

Proposto pelos vereadores Marcelo Sgarbossa e Mauro Pinheiro, ambos do PT, o projeto de lei já foi protocolado e precisa passar por discussões plenárias até ser colocado em votação. A responsabilidade quanto à distribuição e à fixação das placas será do órgão público destinado à operação, no caso, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Mas, após a aprovação, o vereador garante que haverá um acompanhamento junto à empresa para garantir que as determinações sejam cumpridas.


Isso, conforme Sgarbossa, mais do que a redução no valor das passagens, pode garantir maior número de passageiros nos ônibus. “A tramitação é lenta, mas, assim que for concluída, trará muitos benefícios à cidade. É uma iniciativa que prepara Porto Alegre não só para dar maior atenção à comunidade, mas também para se tornar mais receptiva ao turista que precisa se locomover por aqui”, aponta.

Para os cerca de 1,2 milhão de passageiros que, conforme a EPTC, circulam diariamente entre as 380 linhas oferecidas na cidade, as informações poderão otimizar o tempo de quem espera pelo transporte. É assim que pensa a aposentada Elizabete Oliveira. Moradora de Alvorada, ela precisa constantemente se locomover em Porto Alegre, onde tem como meio de transporte o ônibus. “Sempre que preciso ir a um lugar diferente e não estou habituada aos horários e trajetos, por exemplo, procuro a ajuda de outras pessoas que estão na parada, mas nem sempre eles conseguem ajudar. Às vezes, até mesmo dentro do ônibus ninguém sabe orientar quanto ao itinerário. Sempre recorro ao cobrador para me certificar quanto ao destino”, explica.

Ela também comemora a possibilidade de contar com as informações ainda no ponto de ônibus. “Vai ser uma maravilha, vai ajudar muita gente a pegar o ônibus correto sem perder tempo buscando uma informação.”

Orientações aos usuários devem estar completas

Apesar de apontar itens obrigatórios para o material informativo, também disponibilizado em braile, como orientações quanto à empresa responsável pelo transporte, nomes e números das linhas, itinerários, pontos de parada, estações e terminais percorridos, horários de partida e de chegada, e ainda contato telefônico e eletrônico para outras informações aos usuários, não há um modelo previsto para seguir e atender aos diferentes tipos de paradas disponibilizadas na cidade.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a EPTC diz ainda não ter conhecimento da proposta dos vereadores. No entanto, a empresa já conta com um projeto de qualificação da infraestrutura do transporte público, com instalação de um novo modelo de parada de ônibus, chamado de Parada Segura. Dos 5.736 pontos instalados na Capital, 4.037 possuem cobertura e, de acordo com a empresa, 110 já possuem novo design, com bancos, lixeira, iluminação e piso em basalto. Entretanto, a EPTC não informa se haverá espaço para a colocação das informações necessárias aos usuários.

Informações: Jornal do Comércio

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960