Carteira de livre acesso são usadas indevidamente nos ônibus do Recife e Região Metropolitana

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

É Carteira de Livre Acesso para tudo que é lado, o que era para ser um direito apenas para pessoas com necessidades especiais virou um negócio irregular dentro do sistema de transporte da Região Metropolitana, e ainda prejudica as pessoas que realmente tem este direito, pois além da fraude, essas pessoas muitas vezes viajam na frente dos ônibus, lugar destinado aos idosos, pessoas com deficiência e gestantes.
Foto: Blog Meu Transporte
E não tem como controlar estes absurdos durante as viagens, pois os motoristas que eram para fiscalizar exigindo a documentação se sentem ameaçados em fazer essa fiscalização, e os pontos de fiscalização das empresas e do próprio Consórcio Grande Recife de Transportes parece inexistente, fazendo com que este ato ilegal venha a ser realizado em qualquer lugar e a qualquer hora do dia.

Tem pessoas que usam essas carteirinhas na qual visivelmente não aparentam problema algum, e muitos colocam as mãos na foto para evitar comparações.

Motorista de ônibus que não quis se identificar, disse que teme a própria vida se mandar as pessoas com carteira falsa descerem. Eu sei que o cidadão tá com a carteira que não é dele, mas se agente for impedir o embarque, a viagem vai demorar mais ainda, pois são várias pessoas que apresentam essas carteiras em apenas uma viagem e ainda trás acompanhante, relatou.

Fiscalização
O Grande Recife Consórcio de Transportes diz que existe fiscalizações itinerantes e que com a implementação de cartões eletrônicos, vai diminuir e muito a fraude. Ainda segundo o GRCT, as pessoas que forem flagradas usando a carteirinha indevidamente ou falsa responderá criminalmente por falsidade ideológica.

A Urbana-PE diz que existe fiscalização das empresas de ônibus dentro dos coletivos, e que casos eventuais flagrados faz com que os fiscais recolham a carteira e encaminhe para o Grande Recife Consórcio de Transportes.

6 comentários:

shillabolsas disse...

No meio de sua denuncia, você diz que tem pessoas que “visivelmente” não tem deficiência. Pois vou lhe contar o absurdo de chacotas descriminação e deboche que sofro, até mesmo de motoristas e cobradores. Sou deficiente, em 2006 tive câncer de mama a qual foi totalmente retirada, usei prótese por mais de um ano, fiz cirurgia plástica com o músculo do meu abdome e ainda tenho o braço do lado que o seio foi retirado deficiente que não suporta os freios e as curvas dos ônibus. Pois é? Visivelmente não aparento deficiência, só da pra vê se eu tirar a roupa, e isso já é de mais. Isso que você falou ai é preconceito. Eu sei o que sofro, por muitas vezes me deu vontade de denunciar no ministério publico. Sei que existem fraudulentos que sentam na frente até com o passe livre na mão, mas ninguém tem o direito de generalizar! Mostro e provo a autenticidade de minha carteira. Desculpe a minha indignação, mas se você não é deficiente nem imagina como é difícil ser descriminada e chacoteada só porque se cuida. Tem pessoas que pensam que ser deficientes é andar mal trapilho, ou faltar um membro aparente. E se por acaso for um orgão interno? Nós deficientes não temos que dar satisfação para passageiros não. É preciso mais fiscalização da Grande Recife. Creio que o deficiente pode até processar a Grande Recife por falta de fiscalização que aumenta o constrangimento dos deficientes como eu. Obs.: O estatuto dos deficientes já foi aprovado.

Clayton Leal disse...

Resposta Blog Meu Transporte: Olá Shillabolsas, a matéria colocada não trás nada de preconceito a não ser a mais pura verdade, quando falamos em ''Tem pessoas que visivelmente não aparenta nenhuma deficiência, não falamos em forma generalizada, isso está bem claro na matéria que tem o objetivo de ajudar as pessoas que realmente tem direito, isso é fato.

Agradeço e espero sua compreenssão.
Clayton Leal

shillaa disse...

Olá Sr. Clayton Leal, eu lhe agradeço por ter se explicado, espero que as pessoas que lêem o seu blog entendam assim. Estou sabendo que as próximas carteiras vão ter chips e vai haver leitura ótica. Espero que resolva esse vexame todo que nós deficientes passamos. Uma vez, vi um bombeiro sentado em uma das cadeiras reservadas e dois idosos em pé, o motorista e o cobrador calados. Isso sim é um absurdo! Você do seu lado ver como observador normal, eu do meu, vejo como deficiente que sou.

De qualquer forma, obrigada por sua explicação.

shillaa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jefferson Amorim disse...

Isso por consequência vem se ocorrendo por causa do aumento abusivo da passagem desnecessário em um transporte de péssima qualidade.
Alem disso os próprios motoristas não demostram respeito por ninguém.
Já vi muitas vezes aqui no recife os motoristas queimar paradas e inventar desculpas esfarrapadas para os deficientes como por exemplo:O elevador da cadeira de rodas esta quebrado, eu estou com pressa...
E o pior de tudo é que eu já cheguei a gastar 250,00r$ em um mês com o transporte público péssimo que é esse do grande recife.
Me desculpe dizer mas o grande recife pediu pra que isso ocorresse.

meu mundo disse...

achei muito ruim a parte que fala( aparentam não ter deficiencia alguma)
assim acontece com os autistas.
assim acontece como minha filha...
quem não tem filho autista não pode falar nada sobre isso.
Nós somos lesados por esse governo e essas empresas e essa questão do chip é simplesmente pq vão diminuir o uso,poucas passagens por dia...
vi no diário oficial ,agora eu mesma que saiu o dia todo para levar minha filha a tratamentos fico no prejuízo.
se já não nos respeitam em sentar com nossos filhos imaginem agora?

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960