Carros invadem faixas de ônibus BRS em Fortaleza

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Funcionando em oito vias da Capital cearense, o Serviço Rápido de Ônibus de Fortaleza (BRS-FOR), implantado com a finalidade de melhorar o trânsito na cidade e facilitar o deslocamento dos usuários do transporte público, continua a ser prejudicado pelo desrespeito dos motoristas.

A medida da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) passou a valer em agosto na Avenida Bezerra de Menezes, e no mês passado, foi estabelecida em sete vias do Centro da cidade: avenidas Imperador, Tristão Gonçalves, Duque de Caxias e Padre Ibiapina, e nas ruas Pedro Pereira, Castro e Silva e Padre Mororó.

No entanto, mesmo após a implantação, condutores de vans e ônibus ainda trafegam fora das faixas preferenciais sinalizadas pelas linhas azuis. Enquanto isso, motoristas de carros e outros veículos particulares, que podem seguir pela área exclusiva por apenas cem metros, continuam a invadir o espaço que deveria ser ocupado prioritariamente pelo transporte público e por táxis.

Segundo a comerciante Creusa Pereira, proprietária de um estabelecimento na Avenida Tristão Gonçalves, o desrespeito de carros particulares à faixa prioritária é corriqueiro na via, apesar das placas de sinalização instaladas. "O povo não obedece. Aqui, para moto, para carro".

Trafegar

Para o vigilante Sebastião Carlos Lima, funcionário de uma empresa localizada na mesma avenida, alguns ônibus e vans do transporte público, por vezes, também passam a trafegar pelas faixas que não lhes são destinadas. Segundo ele, durante os horários de pico, muitos condutores não ficam restritos ao espaço prioritário e passam a ocupar duas faixas na via. "Têm horas que eles fazem fila dupla na avenida, e os passageiros têm que se arriscar para pegar o ônibus".

Além disso, Sebastião Lima conta que nos momentos de fluxo intenso, a faixa preferencial não dá conta do volume de veículos do transporte público que trafega pela avenida, e os ônibus e as vans, mesmo dentro do limite das linhas azuis, acabam prejudicando o trânsito. "De vez em quando, forma uma fila enorme de ônibus e fica ocupando o cruzamento com a outra rua", diz.

Na Avenida Bezerra de Menezes, o desrespeito dos motoristas de carros se repete. Muitos condutores de veículos particulares seguem pela faixa preferencial por uma distância maior do que a permitida. "A população não está preparada para essa mudança. Quando muda, requer tempo para as pessoas se acostumarem", diz Jorge Sá, gerente de uma loja localizada na avenida.

Para ele, a implantação do BRS-FOR acabou confundindo muitos motoristas que passam pela via, o que reflete no desempenho do comércio. "A distância dos cem metros é muito curta. Os motoristas procuram a loja no lado direito, mas acabam não vendo e passando direto".

Segundo o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), Ademar Gondim, apesar das falhas de alguns motoristas no cumprimento da medida, o desrespeito está diminuindo. "Embora muitas pessoas ainda estejam entrando na faixa azul, a maioria dos motoristas já obedece à regra", afirma o gestor.

O presidente da AMC acrescenta que, no momento, é feita a conscientização dos condutores com a ajuda de guardas do órgão, mas, em breve, serão instalados equipamentos de fiscalização eletrônica para identificar os veículos que não seguirem a lei.

Sobre as queixas dos comerciantes afetados, ele afirma que as reclamações serão solucionadas. "Nós estamos fazendo ajustes e resolvendo problemas pontuais dos comerciantes".

O gestor adianta que, até o fim de novembro, outras quatro vias de Fortaleza devem receber o BRS (avenidas Carapinima, José Bastos, Osório de Paiva e Augusto dos Anjos) e que o sistema será implantando no Terminal do Siqueira.

FIQUE POR DENTRO

Novo sistema de fiscalização será implantado

Embora ainda não haja uma data específica, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), está preparando um sistema de fiscalização voltado às faixas preferenciais da Capital.

A fiscalização eletrônica funcionará, conforme o presidente do órgão, Ademar Gondim, por meio de dispositivos instalados nas vias que irão ler a placa dos veículos a cada cem metros e identificar aqueles que insistirem em trafegar na faixa por uma distância maior que a permitida. 

Informações: Diário do Nordeste

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960