Tarifa de ônibus em belém deve ser reajustada para R$ 2,20

domingo, 22 de julho de 2012

Com dez votos contra, uma abstenção e somente um voto a favor, o Conselho Municipal de Transporte recusou a proposta do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setrans-Bel) de reajustar a tarifa de ônibus, em Belém, para R$ 2,34.

Na próxima terça-feira, 24, os conselheiros voltarão a se reunir, desta vez para decidir se aceitam ou não uma nova proposta que foi feita pela Companhia de Transportes de Belém (CTBel) de aumentar a passagem de ônibus para R$ 2,18. Até lá, outras entidades, membros do conselho, devem apresentar também novas propostas. A reunião aconteceu a portas fechadas na sede da CTBel. O movimento estudantil promete fazer uma mobilização na próxima semana, a fim de pedir que a passagem não aumente de preço até que o serviço melhore.

O único voto a favor foi do conselheiro Paulo Almeida, que representa o Setrans-Bel. Para ele, a planilha feita pela entidade levou em consideração o levantamento de custos que mantêm o sistema de transporte coletivo funcionando, o reajuste no preço do óleo diesel e pagamento dos trabalhadores.

SETRANS-BEL

Questionado se o reajuste em 17% é justo para os usuários que reclamam das péssimas condições dos ônibus e dos serviços prestados, ele respondeu que se está investindo para melhorar o sistema de transporte. Segundo ele, no ano passado, 213 novos veículos foram comprados. “A passagem em R$ 2,34 é a alternativa mais viável para que se possa melhorar o transporte de Belém”, disse o conselheiro.

Almeida criticou a sugestão do Dieese de reajustar a tarifa de acordo com a inflação, o que deixaria a passagem de ônibus em R$ 2,12 (um reajuste de 6%). “Os custos para manter os ônibus e o serviço funcionando não aumentam de acordo com os índices inflacionários”.

Para a superintendente da CTBel, Ellen Margareth, a planilha feita pelo Setrans-Bel é técnica, mas é preciso levar em consideração alguns índices que parecem estar incoerentes. “É preciso levar em consideração o poder aquisitivo da população e qualidade do transporte”, destacou. Por isso, a CTBel também apresentou uma proposta no qual o valor da passagem de ônibus aumentaria de R$ 2 para R$ 2,18 (um reajuste de 8%).


Conselho volta a se reunir na terça-feira

A proposta da CTBel será analisada pelos conselheiros e votada na próxima terça-feira. “A CTBel também elaborou um estudo técnico e apresentou a planilha, neste foram observados os custos com pneu, o gasto com combustível, insumos, aumento salarial, inflação e outros critérios”, frisou a superintendente.

O representante do Segep ressaltou que se for votado a proposta da companhia o valor da passagem poderia ficar em R$ 2,20 para facilitar o troco na hora que o usuário pagar a passagem. Ellen espera que o conselheiro Edilson Ramos (Segep) apresente oficialmente a proposta de R$ 2,20 na próxima reunião do conselho.

Além dele, os sindicatos dos taxistas, dos rodoviários e a Comissão de Bairros de Belém (CBB) também pretendem apresentar novas propostas de reajuste para a tarifa de ônibus.

Geralmente, a votação para o reajuste da tarifa do transporte coletivo na capital acontece em maio, mas este ano o Setrans-Bel demorou a enviar a planilha onde sugere um novo valor para a passagem de ônibus. O fato do conselho se reunir em pleno mês das férias, na opinião do vice-presidente da União Nacional do Estudantes (UNE) Rafael Costa foi arbitrário, pois, para ele, é importante que o movimento estudantil participe do debate sobre o reajuste, bem como a sociedade civil.

ESTUDANTES

Um grupo de estudantes ficou do lado de fora da sede da CTBel a espera do resultado da reunião. “Nós só fomos avisados dessa reunião no início da noite de ontem (quarta-feira), um absurdo”, reclamou Rafael, que na próxima semana pretende mobilizar mais estudantes para impedir um reajuste alto da tarifa.

“Ano passado, quando a passagem aumentou de valor, o prefeito Duciomar Costa disse que só aumentaria a tarifa de novo depois que as empresas oferecessem um melhor serviço a população o que não aconteceu”, lembrou Rafael.

A reunião do conselho ontem durou cerca de duas horas. Dos 17 conselheiros cinco faltaram, sendo que destes dois não confirmaram presença, o Raimundo Leal (da Federação Metropolitana de Centros Comunitários e Associações de Moradores – Femecam) e o Tenente Coronel QOPM Hilton Celson (do Centro de Perícias Científicas – CPC), que não pôde participar porque está trabalhando na Operação de Verão. Os nomes dos outros três conselheiros que faltaram não foram divulgados.

(Diário do Pará)




Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960