João Pessoa: Transporte Coletivo terá prioridade em projeto da STTrans

quarta-feira, 23 de junho de 2010


Os membros do Conselho de Transporte e Trânsito (CTT) da capital paraibana voltaram a se reunir na tarde ontem (20), na sede da Superintendência de Transporte e Trânsito de João Pessoa (STTrans), localizada no bairro do Cristo Redentor.

O encontro, que já faz parte do calendário de reuniões do órgão, teve como objetivo discutir soluções alternativas para o trânsito de João Pessoa, que vem sofrendo com os diversos pontos de congestionamentos já mapeados pela equipe do órgão gestor. Durante a reunião, o diretor de Transportes, Adalberto Araújo, propôs uma série de intervenções no trânsito da capital paraibana e garantiu que a prioridade da Prefeitura é para o transporte público, seja ele realizado por ônibus ou taxis.

Para o diretor-executivo da Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa (AETC-JP), Mário Tourinho, a iniciativa é decisiva para a melhoria da mobilidade urbana que começa a sofrer colapsos em virtude do aumento da frota de veículos particulares. “Nós do Conselho tivemos acesso as primeiras alternativas apresentadas pela STTrans quanto à mobilidade e ficamos bastante satisfeitos.

A prioridade dos projetos de mobilidade urbana capitaneadas pela STTrans colocam o transporte público como prioridade. Agora só basta conscientizar a população para o uso do transporte coletivo, seja ônibus, táxi ou escolar, que continua sendo a melhor saída para desafogar o trânsito no dia-a-dia”, disse Mário.

O diretor de Transportes, Adalberto Araújo, concordando com Mário Tourinho, afirmou que qualquer intervenção realizada no trânsito da capital colocará os transportes públicos como principais atores da mobilidade urbana e não os carros, que para ele, estão em último lugar na lista de prioridades.

“O transporte público não pode ser coadjuvante nesse processo”, disse Adalberto, relembrando o encontro de teve recentemente com os motoristas de ônibus da capital, que na ocasião apontaram os principais problemas enfrentados pela classe. “Eles estão pedindo demissão por não agüentar tanta pressão. Eles vieram nos pedir socorro porque estão sofrendo muita pressão no trânsito, sem contar nos desentendimentos com os passageiros, que também estão sob estresse por estarem presos no trânsito”, destacou Adalberto.

Para melhorar a situação e evitar que os problemas sejam ampliados a longo e médio prazo, o diretor de Trânsito da STTrans apresentou aos conselheiros presentes as principais intervenções pensadas pela sua equipe.

Entre as mais urgentes estão corredores, binários, duplicações e viadutos em diversos pontos da cidade, como Oitizeiro, Cruz das Armas, Esplanada, Mangabeira, Bancários, Valentina, Geisel, além do parque Solon de Lucena e todo perímetro do centro da cidade, onde a proposta é destinar corredores exclusivos para ônibus e transformar o anel interno da Lagoa em área de convivência, e a Avenida Epitácio Pessoa que poderá ter alternativas marginais como a Júlia Freire, que deve ser prolongada até a praia.

O objetivo das intervenções, segundo Adalberto Araújo, é diluir o fluxo de veículos através de vias que não estão sendo utilizadas. “O principal problema é que muitas vezes essas vias já existem, mas não estão concluídas ou não levam a lugar algum. Temos que revitalizá-las, como a Júlia Freire, que já é utilizada como alternativa à Epitácio Pessoa”, disse Adalberto, citando também as BRs que muitas vezes são utilizadas como artérias e não como estradas federais como realmente são, a exemplo do trecho próximo ao Hospital de Trauma e ao bairro do Renascer, que também são destaque no projeto.

Estiveram presentes na reunião o representante do Sindicato dos taxistas da Paraíba, Edmilson Francisco, a Polícia Militar, representada pelo capitão Valério, o Conselho Municipal de Carteiras, representado por Jair Soares, além de Joanice Mendes, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Mário Tourinho, o diretor do Sintur-JP, Alberto Pereira, além de outros integrantes da AETC-JP e a equipe da STTrans.

Fonte: SNN

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960