Rio de Janeiro: Termina greve de ônibus

segunda-feira, 24 de maio de 2010


Em assembleia realizada no início da noite desta segunda-feira, os rodoviários decidiram suspender a greve de ônibus iniciada a 0h. A categoria, no entanto, vai continuar a negociação por aumento dos salários com as empresas de ônibus. De acordo o presidente do sindicato dos rodoviários, Antonio Branco, representantes dos trabalhadores vão discutir durante oito dias propostas com os empresários e devem se reunir novamente na semana que vem. A paralisação foi parcial, mas fez muita gente faltar o trabalho por causa da demora e dos veículos lotados.
Segundo o sindicato dos rodoviários, as empresas concederam aumento no vale-refeição. No início da noite, a movimentação de pessoas era grande na Central do Brasil. Mais cedo, a desembargadora Glória Regina Ferreira Mello, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), não declarou a ilegalidade da greve. No entanto, determinou que 70% da frota de ônibus municipais circulem nos horários de rush. Nos demais horários, os ônibus deveriam circular pelo menos 40% do contingente.
Pela manhã, o governador Sérgio Cabral disse, na manhã desta segunda-feira, que a greve de ônibus no Rio foi um movimento orquestrado por uma minoria, tendo pouca representatividade. Na avaliação do governador, a greve acontece num contexto de momento pré-eleitoral.
- Pelo que eu vi, isso é uma coisa muito esquisita. Não tem o peso dos trabalhadores, isso é uma coisa orquestrada por uma minoria, inclusive com relações estranhas. Não são os trabalhadores, são pessoas que querem desestabilizar o sistema de transporte de massas no Rio de Janeiro. Este movimento foi tentado na semana retrasada e agora volta a insistir e vai continuar existindo - disse Cabral.
- Nunca se comprou trem novo para Metrô no Rio, aí compra-se e começam a criticar. Quando eu cheguei, tinha dez trens com ar condicionado na Supervia, hoje tem 38... É que nem o Teatro Municipal, fizemos uma grande reforma, aí vem um deputadozinho de oposição e faz uma graça. O IML era aquela casa de horrores no Centro, a gente tira aí vão ver um defeitinho. Isso acontece. Então, esta turminha aí, é uma turma insatisfeita com o bilhete único, com o trem, com o metrô, com o combate à ilegalidade das vans, isso tudo é um momento... não tem o pré-menstrual? Tem o pré-eleitoral - definiu Cabral.
Segundo o Rio Ônibus, a greve causou maiores problemas apenas em 7 das 47 empresas da cidade, concentrando-se em áreas específicas, como a Barra da Tijuca, Jacarepaguá e parte da Zona Norte. A Zona Oeste e a Zona Sul quase não foram afetadas. Das 47 empresas, 15 operaram com 100% da frota já pela manhã.
As empresas mais afetadas pela paralisação foram a Viação Redentor, a Litoral Rio Transportes, a Transportes Santa Maria, as viações Acari e Verdun, a Transportes Estrela e a Rodoviária A. Matias. De acordo com a Rio Ônibus, as empresas Real Auto Ônibus e Expresso Pégaso, as mais afetadas nos episódios anteriores, funcionaram normalmente nesta segunda. A expectativa do órgão é que a situação à tarde melhore, devendo alcançar 80% da frota, pois os motoristas estão conseguindo chegar às garagens para o segundo turno.
Apesar de alguns ônibus da Transportes Santa Maria e da Real Auto Ônibus terem sido atingidos no parabrisas e nos retrovisores, em geral não houve tumultos.
A paralisação também afetou as linhas de integração com o metrô, que já voltaram a operar. De acordo com o Metrô Rio, foram transportados 7% a mais de passageiros do que o habitual, por causa da greve. Foram registradas 345 mil viagens até as 16h. Greve de ônibus: sindicato dos rodoviários suspende paralisação.



Fonte: O Globo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960