Rio de Janeiro: Sindicato diz que greve de ônibus continua

segunda-feira, 24 de maio de 2010


  • O Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro informou na tarde desta segunda-feira (24), que a paralisação dos motoristas de ônibus no município continua, mesmo que parcialmente. Eles acreditam que a adesão da categoria atingiu cerca de 70% da frota.
Uma assembleia está marcada para as 18h, no centro social dos rodoviários, em Rocha Miranda, zona norte. O objetivo é discutir se a mobilização termina no início da noite ou se continua na terça-feira (25). Os rodoviários querem reajuste salarial de 15%, vale alimentação de R$ 150 e o fim da dupla função em que motoristas trabalham como cobradores.
  • Já a Rio Ônibus, que é o Sindicato das Empresas de Ônibus do Rio de Janeiro, classificou o movimento como um fracasso. Segundo o vice-presidente Otacílio Monteiro, apenas 50% da frota foi afetada no início da manhã e os motoristas foram voltando ao trabalho em seguida. Ele acredita que a circulação de ônibus estará normal ao longo da tarde.
Nesta tarde, os pontos de ônibus já não estão lotados como durante a manhã. Na Central do Brasil, a espera por um coletivo chegou a durar duas horas. O mesmo aconteceu na Leopoldina. Já na zona oeste, os bairros Barra da Tijuca e Jacarepaguá foram os mais atingidos.
  • Vans e táxis aproveitaram para cobrar valores abusivos dos passageiros. Segundo informações da Rede Record, vans chegaram a cobrar R$ 15 por pessoa para trajetos principalmente entre a zona oeste e o Centro. Muitas viajaram em pé. Taxistas fizeram lotada e cobraram R$ 10 por cada passageiro.
Todas as linhas de ônibus estão circulando, só que com número reduzido de veículos. A Secretaria Estadual de Transportes determinou que trens, metrô e barcas operem com a capacidade máxima para diminuir o impacto aos passageiros.
  • A SuperVia informou que 100% da frota está em atividade e profissionais reforçam as áreas de segurança e atendimento. Avisos sonoros nas estações pedem calma aos usuários. Já a Metrô Rio disse que os intervalos entre as composições são os mesmo dos horários de pico. As barcas tiveram partidas a cada 10 minutos até as 10h. O esquema será retomado entre 18h e 20h.

A Metrô Rio informou que seis das 17 linhas de integração, administradas por empresas de ônibus parceiras, foram afetadas pela greve dos rodoviários. As linhas Oeste Expresso 2 (Coelho Neto –Bangu), 591 A (Cardeal Arcoverde - Leme ), 638 A (São Francisco Xavier – Méier) e 401 A (Estácio - Rio Comprido) não estão operando temporariamente. As linhas 413 A (Saens Peña – Muda) e Barra Expresso (Ipanema/Alvorada) estão circulando com intervalos irregulares. Já as linhas Metrô Na Superfície (Botafogo/Gávea e Ipanema/Gávea), administradas diretamente pelo Metrô Rio, estão operando normalmente.

  • Viaturas da Polícia Militar fazem rondas nas proximidades das garagens de ônibus para impedir que os coletivos sejam depredados e sofram ação de piqueteiros. A Guarda Municipal também está de prontidão pelas principais ruas. Não foram registrados grandes tumultos ou impactos no trânsito.

Fonte: R7.com

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960