Recife terá um ônibus elétrico em caráter experimental

terça-feira, 24 de setembro de 2019

A partir desta quarta-feira (25), o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) contará, em caráter experimental, com um ônibus elétrico na linha 2040 – CDU/Boa Viagem/Caxangá. O objetivo é avaliar o desempenho do veículo em linha regular, de forma a subsidiar a utilização de novas tecnologias na frota, que primem pelo uso de energias limpas e sustentáveis. A novidade é fruto de parceria com a empresa chinesa Build Your Dreams (BYD), referência em energia limpa e maior fabricante global de veículos elétricos (de 2015 a 2018), e com a MobiBrasil, operadora da linha.

Além da avaliação em linha regular, o veículo também será testado durante dois eventos de grande porte que serão realizados na capital pernambucana. Do dia 02 ao dia 05 de outubro, o ônibus elétrico será utilizado durante o REC’n’Play, festival que terá lugar no Bairro do Recife, com mais de 300 atividades. Serão quatro dias de shows, experiências, palestras e oficinas, nas áreas de Tecnologia, Economia Criativa e Cidades Inteligentes. Em novembro, o veículo estará à disposição dos participantes da Conferência Brasileira de Mudanças Climáticas (CBMC), que será realizada entre os dias 6 e 8 de novembro, também no Bairro do Recife.

Informações: GRCT


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Recife terá um ônibus elétrico em caráter experimental

O desafio da tecnologia na mobilidade urbana

A mobilidade urbana segue como um dos maiores desafios do mundo contemporâneo. Congestionamentos, ausência de integração entre modais, longas distâncias a serem percorridas, tempo gasto durante os deslocamentos e ineficiência no sistema de pagamento de passagens são apenas alguns dos problemas enfrentados pela população dos grandes centros urbanos.

Para debater esse tema, é preciso ir além da implantação de sistemas de transporte coletivo - seja trem, metrô, BRT ou VLT - e pensar em uma rede integrada e multimodal que atenda necessidades básicas de deslocamento de seus passageiros. A existência de um sistema de integração modal e de pagamentos eficientes garante aos munícipes, turistas e trabalhadores maior e melhor acesso à cidade, com impactos positivos na qualidade de vida das pessoas e no desenvolvimento econômico da região.

Com o olhar voltado para a realidade brasileira, o mais comum é que empresas privadas sejam contratadas para realizar os serviços de transporte das cidades por meio de concessão ou permissão concedidas pela administração municipal, que desempenha o papel de acompanhar e fiscalizar os trabalhos. Deficitário em diversos sentidos, o atual sistema de transporte público vem direcionando seus esforços para propostas mais eficientes e que permitam alavancar a mobilidade urbana no país com o auxílio da tecnologia de pagamentos. Essa transformação digital no setor sinaliza os caminhamos para a substituição do cartão Mifare para a tecnologia de pagamento por aproximação (NFC). 

Em parceria com a Prefeitura de São Paulo e SPTrans, a Stone é uma das responsáveis pelo projeto que habilita o pagamento de tarifa dos ônibus municipais via cartão de débito e crédito, além de carteiras virtuais presentes em smartphones ou smartwatches. Em fase piloto, a iniciativa teve início em 16 de setembro e já está presente em 12 linhas da capital, que atendem cerca de 2,9 milhões de passageiros por mês.

Por coincidência, no período em que celebramos a Semana da Mobilidade 2019 (de 18 a 25 de setembro), colaboramos para um capítulo transformador na história da cidade mais populosa do Brasil. Em breve, a expectativa é facilitar o dia a dia de ainda mais passageiros de São Paulo e de toda a região metropolitana, com uma possível integração entre os trens da CPTM e do metrô.

Um fator particularmente importante que suportará as mudanças na mobilidade urbana no Brasil é o uso massivo de smartphones pela população. Dados da 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), destacam que existem 230 milhões de celulares ativos no país (10 milhões a mais do que o registrado em 2018). 

A necessidade do passageiro mudou e sua maneira de interagir com o transporte também. A revolução dos meios de pagamento passa pelo open banking, moedas digitais, tecnologia contactless, QR code e o transporte coletivo não poderia ficar de fora desse processo. Ainda distantes de números expressivos como os do Chile, onde 22% das transações acontecem por meio de pagamento NFC, e da Austrália em que o percentual chega a 90%, não é exagero dizer que caminhamos para o futuro.

É preciso, cada vez mais, investir em ações que incentivem a população para a utilização de novos métodos que não incluam o dinheiro físico. Além da comodidade, aos poucos, será possível entender que o pagamento digital significa também liberdade, flexibilidade e segurança para o sistema como um todo. Nessa desafiadora jornada, vamos adiante em busca de protagonismo. Já demos os primeiros passos.  

Informações: Canal Tech


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - O desafio da tecnologia na mobilidade urbana

Horários dos ônibus de Belo Horizonte e Região Metropolitana


A BHTrans fornece aos usuários de ônibus da região metropolitana de Belo Horizonte os horários e itinerários das linhas que compõem o sistema de transporte, para isso o usuário basta clicar no link a seguir, Horários Aqui, e fazer sua consulta, isso faz com que os usuários possam se programar quanto a sua saída de casa e também do trabalho por exemplo, este serviço também é ofertado em outras cidades de Minas Gerais e também do Brasil a fora.

READ MORE - Horários dos ônibus de Belo Horizonte e Região Metropolitana

Horários dos ônibus em Foz do Iguaçu em tempo real

Um dos administradores de empresa integrante do consórcio Juliano Ribeiro explica como funcionará o serviço. "O Consórcio Sorriso é composto por cinco operadoras que vão atuar com um corpo único, tendo a submissão direta da prefeitura. Ou seja, nós somos operadores do sistema, de acordo com as predefinições da prefeitura", detalha.


Para o consultor da empresa Logistrans, Sacha Reck, o novo sistema resultará na melhoria da qualidade do serviço prestado à população. "Além de o processo licitatório ter sido conduzido com a maior transparência possível, obedecendo a todos os dispositivos legais, houve a preocupação por parte do prefeito Paulo Mac Donald, de pensar um projeto para Foz do Iguaçu baseado num estudo voltado à modernização do transporte na cidade. A concepção do novo sistema voltada para a diminuição do tempo de espera pela população, a inovação da frota e a eficiência", afirmou.


Link Direto Aqui.


Blog Meu Transporte

READ MORE - Horários dos ônibus em Foz do Iguaçu em tempo real

Terminais de recarga do metrô de Salvador passam a aceitar cartão de crédito

Usuários do metrô de Salvador e Lauro de Freitas vão poder fazer recargas nos cartões de passagem com o cartão de crédito a partir de segunda-feira (23). O pagamento será feito nas máquinas de autoatendimento distribuídas nas estações do sistema.

As bilheterias continuam operando apenas com dinheiro. As recargas são feitas sem custos adicionais e o valor do crédito será computado na hora. Os valores são pré-definidos: R$ 2, R$ 3,70, R$ 4, R$ 8, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100.

A recarga no débito é aceita nos terminais desde julho do ano passado. Todos os pontos operam de acordo com o horário de funcionamento do metrô, das 5h até meia-noite, todos os dias da semana, inclusive aos finais de semana e feriados.

READ MORE - Terminais de recarga do metrô de Salvador passam a aceitar cartão de crédito

No Recife, CTTU implanta novas vagas de Zona Azul no Bairro da Ilha do Leite

A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano (Semoc) e da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), vai implantar novas vagas de Zona Azul na Ilha do Leite, na área central da cidade. A partir da próxima segunda-feira (23), cerca de 220 vagas rotativas serão regulamentadas com o tempo de 5 horas de permanência nas ruas Senador José Henrique, Frei Matias Teves, Francisco Alves, Estado de Israel, Jornalista Trajano Chacon, Antônio Gomes de Freitas, Elvira Carreira de Oliveira e General Joaquim Inácio. A iniciativa tem o objetivo de garantir a rotatividade das vagas de estacionamento disponibilizadas no espaço público.


A área da Zona 30, que está em fase de implantação no bairro, consiste em um conjunto de medidas que têm o objetivo de promover um espaço mais equitativo entre pedestres e todos os modais que utilizam as vias. Com base no conceito de “trânsito calmo”, a iniciativa pretende valorizar a mobilidade consciente, promovendo segurança viária e democratização dos espaços públicos.

De um total de 220 vagas de estacionamento rotativo, 5% serão destinadas a idosos e 2% para pessoas com deficiência, atendendo às exigências estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que representam nove e cinco vagas respectivamente. Para as motocicletas, existem cerca de 45 vagas. Além disso, das vagas de estacionamentos já existente em área pública, seis delas darão espaços a paraciclos capazes de abrigar, ao todo, 50 bicicletas. 

Para garantir a rotatividade das vagas de estacionamento existentes nessas vias da Ilha do Leite, a CTTU irá regulamentar a implantação de Zona Azul, realizando a sinalização horizontal e vertical de todas as vias envolvidas. As vagas funcionarão de segunda a sexta, das 8h às 18h e aos sábados, das 8h às 12h, e podem ser ativadas pelo aplicativo ”Zona Azul Digital Recife”, disponível nas plataformas Android e IOS para download gratuito; ou em pontos de venda existentes na área - já credenciados pela empresa responsável pelo gerenciamento do serviço, a Serttel.

Para ativar a vaga pelo smartphone, o usuário deve cadastrar a placas do veículo que utiliza, realizar a compra de um cartão de Zona Azul digital (utilizando cartão de crédito ou débito), escolher o tempo de permanência conforme sinalização indicativa na via e, por fim, confirmar a ativação. Ao utilizar o aplicativo, o usuário receberá uma notificação quando o seu tempo de permanência estiver acabando e poderá fazer a renovação da mesma vaga por apenas mais uma vez.

ZONA AZUL - Atualmente, Recife conta com mais de três mil vagas rotativas implantadas nos bairros do Recife, São José, Santo Antônio, Boa Vista, Madalena, Encruzilhada, Casa Amarela, Casa Forte, Boa Viagem e Derby. A ativação das vagas pode ser realizada por meio do aplicativo Zona Azul Digital Recife, ou pelos pontos de vendas físicos existentes na cidade. O horário de funcionamento da Zona Azul varia de acordo com a demanda para estacionamento de veículos no local. A maioria das vagas funciona no horário das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, e das 8h às 12h, aos sábados. O tempo máximo de permanência varia entre duas e cinco horas, a depender da sinalização regulamentada nos locais, custando R$ 3, invariavelmente. A multa para quem estacionar de forma irregular nas vagas de Zona Azul é grave, R$ 195,23, mais cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação; e o veículo está passível de remoção ao depósito.    

READ MORE - No Recife, CTTU implanta novas vagas de Zona Azul no Bairro da Ilha do Leite

Cuiabá ganha duas novas linhas de ônibus

Os usuários do transporte coletivo de Cuiabá contam com duas novas linhas de ônibus. A medida, adotada pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), vai trazer mais agilidade aos percursos entre os bairros 1º de Março, Residencial Piccolli, Vila da Serra, por exemplo.

Sendo assim, a linha 380 ligará a região do CPA ao Shopping Estação, passando pelo Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). Já a linha 390 sai do Residencial Piccolli e segue pelo 1º de Março e Vila da Serra rumo ao Centro, via Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA).

De acordo com o diretor da Pasta, Nicolau Budib, a mudança leva em consideração o crescimento destas regiões e o fluxo observado nos últimos anos. Ele reforça que nenhum itinerário será prejudicado com a mudança. “Para as outras linhas não muda nada, porque estamos reforçando a frota com quatro veículos.”

Os itinerários serão operados pela empresa Pantanal Transportes e devem circular pela cidade por cerca de 17 horas diárias.

Informações: O Documento


                                
Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

READ MORE - Cuiabá ganha duas novas linhas de ônibus

Obras do BRT em Campinas interditam novo trecho no Jardim Rossin e Nova Esperança

As obras do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido) Campo Grande na Avenida Boyd Dunlop, em Campinas (SP) avançaram para os bairros Jardim Rossin e Nova Esperança na terça-feira (17).


A regiões do Jardim Florence e Rossin recebem trabalhos de drenagem e construção da Estação Rossin e o Jardim Nova Esperança ganha novas pistas de rolamento e circulação reconfigurada.

As operações visam beneficiar os usuários do transporte público e motoristas que trafegam pelo local.

Segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) as obras ainda não têm previsão de término.

  • Jardim Rossin

O que muda
Nas regiões do Jardim Florence e Rossin, os trabalhos são estendidos para um novo trecho, desde o viaduto férreo até a entrada do Jardim Rossin, após o Córrego do Piçarrão.

Para isso, a marginal da avenida fica interditada no sentido centro-bairro e o tráfego é desviado para a pista expressa, que passa a ter sentido duplo de circulação.

O que mantém
Os pontos de ônibus do sistema de transporte público coletivo deste trecho serão mantidos, assim como o retorno próximo à entrada do Jardim Rossin e o acesso aos bairros Princesa d'Oeste e Rossin.

  • Jardim Esperança

O que muda

Os trabalhos desta região se estendem entre o Córrego do Piçarrão, no Jardim Rossin, e a Rua Benedito Franco.

As obras avançam para as duas pistas no sentido bairro e o tráfego de veículos é desviado para o pavimento de concreto construído na pista sentido centro, que provisoriamente tem duplo sentido de circulação.

Os pontos de ônibus do trecho afetado serão remanejados para a mesma altura dos atuais. Onze linhas de ônibus circulam na região:

A velocidade máxima permitida neste trecho foi reduzida de 60 para 40 km/h, desde a primeira etapa de obras.

O que mantém
No trecho entre as vias Benedito Franco e Luiz Raphael Lot, marginal da John Boyd, a circulação segue a mesma adotada pela Emdec no início de junho.

Agentes da mobilidade urbana circulam pela região para monitorar e auxiliar a fluidez do trânsito. Qualquer dúvida pode ser esclarecida pelo telefone 118, no "Fale Conosco Emdec".

BRT Campo Grande
O BRT Campo Grande terá 17,9 km de extensão. Ele sairá do Terminal Mercado, na região central, passando pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop e Terminal Campo Grande, até chegar no Terminal Itajaí.

A previsão é que toda construção, de 36,6 km de corredores, leve três anos para ser concluída e a entrega seja feita em 2020, segundo a Secretaria de Transportes.

Informações: G1 Campinas



Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Obras do BRT em Campinas interditam novo trecho no Jardim Rossin e Nova Esperança

QR Code agora funciona em horário integral na CPTM e Metrô de São Paulo

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

A operação dos bilhetes por QR Code foi estendida neste sábado (21) para todo o horário de funcionamento das estações. No momento, sete estações da CPTM e Metrô recebem o projeto.

O Portal do Governo de São Paulo afirma que a novidade têm sido bem recebida pelos passageiros. O teste começou em 3 de setembro, e até a sexta-feira (20), quase 63 mil bilhetes haviam sido vendidos pelo QR Code. Mais de 90% destes foram comprados na bilheteria, e apenas 2,5% pelo aplicativo VouD.

Como usar?
Nas bilheterias, o pagamento deve ser feito em dinheiro. Com o código em mãos, basta passar o bilhete impresso nos bloqueios específicos em uma das sete estações em que já há catracas com leitores de QR Code.

São quatro da CPTM e três do Metrô: Autódromo (Linha 9-Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10-Turquesa), Dom Bosco (Linha 11-Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade), São Judas (Linha 1-Azul), Paraíso (linha 1-Azul e 2-Verde) e Pedro II (Linha 3-Vermelha). São dois bloqueios por cada estação com o validador.

É possível também pagar pelo bilhete com QR Code com cartão de crédito. Basta fazer a compra pelo celular, por meio do aplicativo VouD, que pode ser baixado gratuitamente em lojas virtuais de Android e iOS. Depois, é só abrir o QR Code na tela do celular e passar nos bloqueios com validador nas estações que participam do projeto-piloto.

Para facilitar a vida de quem quer comprar pelo app mas sem gastar com pacote de dados, um serviço de navegação gratuita no VouD, para todas as operadoras de telefonia celular, deve ser disponibilizado aos passageiros nos próximos dias.

Para pagar com cartão de débito, o passageiro pode utilizar uma das máquinas de autoatendimento disponíveis nas sete estações que participam do teste. Após adquirir o QR Code, basta passar o código impresso nos bloqueios com leitores instalados.

Estão sendo vendidos bilhetes unitários para uso apenas no Metrô e na CPTM (não valem para integração com outros modais). Os bilhetes com QR Code serão válidos até 18 de outubro, durante o período de testes da tecnologia, mas a recomendação é que sejam utilizados preferencialmente em 72 horas após a compra para evitar que a impressão do código sofra danos.

A viabilidade da implantação definitiva do sistema será avaliada durante o período de testes. A ideia é que o pagamento da tarifa com o QR Code substitua futuramente a maior parte dos pagamentos com o bilhete magnético unitário, o chamado Edmonson. Na CPTM, em média, 25% dos passageiros pagantes utilizam esse tipo de bilhete. No Metrô, o percentual é de 15%.

Informações: Metro Jornal


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - QR Code agora funciona em horário integral na CPTM e Metrô de São Paulo

Justiça do Rio autoriza funcionamento do aplicativo de ônibus Buser

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Uma batalha silenciosa sobre o transporte coletivo de passageiros está em curso nos principais tribunais do país. Há pelo menos oito ações em curso no Rio de Janeiro e em São Paulo, Minas Gerais e Paraná discutindo a autorização de funcionamento da Buser — empresa de aplicativo conhecida como “Uber dos ônibus” e que oferece descontos em viagens em transporte executivo. A discussão também já chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). As duas últimas decisões na Justiça Federal do Rio autorizaram o funcionamento da plataforma, como informou Lauro Jardim, colunista do Globo.

Associações e sindicatos de empresas de ônibus de transporte de coletivo questionam a prestação de serviço do app, alegando que a empresa interfere num serviço público organizado pelo Estado. A Buser, por sua vez, argumenta que seu objetivo é conectar pessoas a empresas de fretamento.

Segundo dados do aplicativo, hoje há mais de 300 mil passageiros cadastrados na plataforma, que começou a operar em 2017. A viagem contratada no aplicativo chega a ser 60% mais barata do que uma passagem de viação tradicional, em ônibus leito ou semileito.

Nos dois últimos capítulos da disputa judicial, a Buser recebeu duas decisões da Justiça Federal do Rio de Janeiro favoráveis a seu funcionamento no mercado fluminense. As decisões têm caráter liminar e ainda cabe recurso.

Na ação movida pela Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros, a Justiça entendeu que a proibição do funcionamento da Buser é inconstitucional por violar princípios das livre iniciativa e da livre concorrência.

No outro caso, a Justiça indeferiu requerimento do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário Intermunicipais do Rio (Sinterj), pedindo a proibição do funcionamento do app em razão de os fretamentos não acontecerem na modalidade “circuito fechado”, ou seja, sem o transporte no sistema de ida e volta dos passageiros.

Decisões contrárias

Embora haja entendimento favorável no Rio, no Paraná houve decisões contrárias ao funcionamento do aplicativo. André Guskow Cardoso, sócio do escritório Justen Pereira Oliveira e Talamini e que representa o Sinterj, lembra que o questionamento das empresas de ônibus gira em torno de prestação de serviço público, gerido e organizado pelo Estado. Algumas das ações em andamento na Justiça tentam enquadrar a Buser como uma empresa de transporte clandestino.

— A grande questão que envolve o litígio é que, ao prestar o serviço, o aplicativo ofende algo que não existe no caso da Uber. A Uber é uma atividade econômica e não um serviço público prestado em rede. As empresas de ônibus são obrigadas a seguir um mapa de distribuição de linhas superavitárias e outras deficitárias, em horários de pico e de pouco movimento, com frequências mínimas, idade da frota, e horários a cumprir, o que não é respeitado no caso da Buser — argumenta Cardoso.

Já Luciano Godoy, advogado que representa a Buser, explica que o aplicativo não é uma empresa de transporte, mas opera como intermediária entre passageiros e empresas de fretamento.

— A discussão basicamente é sobre o modelo de negócios da empresa de tecnologia. A Buser não é empresa de transporte, não tem nenhum ônibus. Ela faz a ligação entre passageiros ou grupos de viagem com empresas de fretamento, que já são autorizadas e fiscalizadas pela Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT). É uma empresa de tecnologia intermediadora, de economia compartilhada — ressalta Godoy.

Discussão no Supremo

Uma associação das empresas de ônibus de viagem tentou uma liminar para barrar o serviço do aplicativo em todo o país. Mas o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, negou o pleito da entidade, permitindo que a Buser continue funcionando até que o plenário da Corte decida sobre o caso. A decisão de Fachin foi proferida no dia 10 de maio, dois dias após o plenário do STF julgar por unanimidade a constitucionalidade de aplicativos de transporte individual de passageiros, como Uber, 99 e Cabify.

Informações: EXTRA GLOBO
READ MORE - Justiça do Rio autoriza funcionamento do aplicativo de ônibus Buser

Metrô de SP e CPTM vendem mais de 21 mil bilhetes com QR Code na 1ª semana

O Metrô de São Paulo e a CPTM venderam mais de 21 mil bilhetes com QR Code, um tipo de código de barras, na primeira semana de teste, entre terça-feira da semana passada (3) e ontem (10). O novo meio de pagamento tem tido boa aceitação entre os passageiros.

O projeto-piloto do governo estadual paulista está em teste durante 45 dias em sete estações da CPTM e do Metrô.

As estações do Metrô com leitores de QR Code nas catracas são:

São Judas (Linha 1-Azul);
Paraíso (linha 1-Azul e 2-Verde);
Pedro II (Linha 3-Vermelha).
E as estações da CPTM com leitores de QR Code nas catracas são:

Autódromo (Linha 9-Esmeralda);
Tamanduateí (Linha 10-Turquesa);
Dom Bosco (Linha 11-Coral);
Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade).
A compra pode ser feita com cartão de crédito pelo celular, por meio do aplicativo VouD, disponível para smartphones Android e iOS. Depois, é só abrir o QR Code na tela do celular e passar nos bloqueios com validador nas estações que participam do projeto.

Para facilitar a vida de quem quer comprar pelo app, mas sem gastar com pacote de dados, um serviço de navegação gratuita no aplicativo deve ser disponibilizado aos passageiros em cerca de 20 dias, para todas as operadoras de telefonia celular.

Também é possível fazer a compra do código com cartão de débito nas máquinas de autoatendimento disponíveis nas estações. Após adquirir o QR Code, basta passar o código impresso nas catracas com leitores instalados.

Os QR Codes também podem ser adquiridos nas bilheterias das estações que participam do teste com pagamento em dinheiro. Com o código em mãos, basta passar o bilhete impresso nas catracas com leitores instalados.

Os bilhetes com QR Code serão válidos até 18 de outubro, durante o período de testes da tecnologia, mas a recomendação é que sejam utilizados preferencialmente em 72 horas após a compra para evitar que a impressão do código sofra danos.

O projeto é feito em parceria com o Consórcio Metropolitano de Transportes (CMT), sem custo para o governo, e operacionalizado pela Autopass.

A ação faz parte do plano da Secretaria dos Transportes Metropolitanos de modernizar os sistemas de pagamento de tarifas, para oferecer mais praticidade e segurança aos passageiros e reduzir custos operacionais das empresas.

A viabilidade da implantação definitiva do sistema será avaliada durante o período de testes. A ideia é que o pagamento da tarifa com o QR Code substitua futuramente a maior parte dos pagamentos com o bilhete magnético unitário. Na CPTM, em média, 25% dos passageiros pagantes utilizam esse tipo de bilhete. No Metrô, o percentual é de 15%.

READ MORE - Metrô de SP e CPTM vendem mais de 21 mil bilhetes com QR Code na 1ª semana

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960