Ônibus de Porto Alegre terão passe livre e reforço na frota durante as eleições

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O transporte coletivo de Porto Alegre vai circular, durante o domingo do segundo turno das eleições, com passe livre, reforço de 40% na frota além de atenção especial às avenidas Bento Gonçalves, Assis Brasil, Protásio Alves, Ipiranga e João Pessoa, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

A empresa também prometeu colocar agentes de fiscalização nas proximidades dos locais de votação, dando prioridade para os maiores colégios eleitorais da cidade. Assim como no primeiro turno, o entorno da Central de Atendimento ao Eleitor, na avenida Padre Cacique, será bloqueado. Vias próximas aos diretórios dos partidos que estão conocrrendo ao pleito de domingo podem ser bloqueadas.

Informações: Rede Pampa


READ MORE - Ônibus de Porto Alegre terão passe livre e reforço na frota durante as eleições

Em Salvador, Sistema integrado de ônibus começa a funcionar em janeiro de 2015

Representantes dos consórcios Plataforma, Ótima e Salvador Norte assinaram o contrato de concessão para operação do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador (STCO), na tarde desta quinta-feira (23), no Palácio Thomé de Souza, na Praça Municipal, em Salvador. Novos ônibus serão implantados até dezembro de 2014 e a frota deverá ser renovada de dois a três anos pelos três consórcios que venceram a licitação. O reajuste está previsto para janeiro de 2015 - o valor atual da tarifa é de R$ 2,80. Nessa mesma ocasião, a prefeitura afirma que vai funcionar todo o novo sistema, inclusive com a integração das linhas com o metrô.

A partir de então, os preços devem ser reajustados por ano, por meio de variação indicada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). "Nós vamos, a partir do ano que vem, ter renovação de toda frota de ônibus da cidade. Serão 630 novos veículos com preparados para as pessoas com deficiência, veículos que serão controlados por GPS e que vão permitir mais segurança. Sobretudo, vai permitir que o cidadão possa, através de totens espalhados pela cidade, de smartphones, saber exatamento o horário que o ônibus vai chegar no ponto", explica o prefeito ACM Neto.



As empresas integradas aos consórcios devem atuar nas regiões do subúrbio, 'miolo' (centro) e orla da capital. De acordo com a prefeitura, o consórcio Plataforma, que irá atuar na região do subúrbio, é formado pelas empresas Praia Grande, Axé, Boa Viagem e Joevanza. Os ônibus desse consórcio terão a cor amarela.

O consórcio Ótima, com veículos de cor verde, que vai explorar o 'miolo' da cidade, é composto pelas empresas São Cristóvão, Expresso Vitória, Modelo, RD, Transporte Sol, Triunfo, União e Unibus Bahiax. Já o consórcio Salvador Norte, que deve gerir a orla da capital e terá a cor azul, é composto pela empresas BTU, ODM, Verde Mar e Viação Rio Verde.

Para explorar a região do subúrbio, o consórcio Plataforma ofereceu o valor de outorga de R$ 35.480 milhões, Ótima ofereceu o valor de de R$ 86. 377 milhões, e o Salvador Norte ofereceu o valor de R$ 57.899 milhões, totalizando quase R$ 180 milhões.

Sobre a integração do transporte público com o metrô de Salvador, o prefeito afirmou que um estudo é realizado para viabilizar o processo. Contudo, disse que toda a revisão das linhas de ônibus já vai levar em conta o sistema metroviário.

Com relação ao sistema de integração de ônibus, o Secretário Municipal Urbanismo e Transporte (Semut), Fábio Mota, explica que será mais ampla por conta dos novos veículos. Além disso, ele afirma que os passageiros terão três horas para pegar outro ônibus e pagar metade da passagem no sistema de integração. Atualmente, a duração é de duas horas. O programa "Domingo é Meia" não sofrerá alterações.

O aviso de licitação para a abertura de concorrência pública no setor foi publicado no dia 3 de abril deste ano. Conforme edital, o prazo do contrato de concessão para as empresas interessadas em atuar no STCO, que antes durava 35 anos, foi reduzido para 25. Se houver descumprimento das regras do contrato, a prefeitura pode retomar o serviço.

Estado critica
Na época do lançamento do edital, o governo baiano apontou 10 equívocos técnicos no projeto básico que deveriam ser revistos e chegou a pedir a suspensão do processo de licitação, o que criou clima tenso com a prefeitura. O secretário municipal Fábio Mota chamou a atitude de "intromissão". O Movimento Passe Livre (MPL) também se manifestou contrário ao edital. O Ministério Público da Bahia (MP) considerou o edital um avaço e fez análise da documentação. A posição da Promotoria sobre o assunto ainda não foi informada.

Informações: CBN
READ MORE - Em Salvador, Sistema integrado de ônibus começa a funcionar em janeiro de 2015

Transporte público de Manaus será gratuito no dia das eleições

A Prefeitura de Manaus vai colocar nas ruas 1.407 ônibus, de 217 linhas, para atender gratuitamente a população neste domingo, 26, no 2° turno das Eleições 2014. A gratuidade do transporte foi acordada com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) ainda no último mês de julho e publicada na forma da Lei 1895, de 11 de agosto, no Diário Oficial do Município (DOM).

O embarque gratuito será de 4h à meia-noite de domingo, 5, e não se aplica aos transportes Executivo e Alternativo, como explica o superintendente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho. "Como esses dois modais ainda estão sendo regulamentados, não há contrato assinado com a prefeitura. Somente com um contrato de permissão seria possível fazer o ressarcimento dos custos oriundos da gratuidade", disse.


Para acessar os coletivos, os usuários devem passar normalmente pela catraca.  Toda a operação de transporte será coordenada pela SMTU, que estará com 40 fiscais nas garagens, terminais de bairro e de integração. Será intensificada a fiscalização no horário de 12h às 14h quando se dá a troca de turno dos motoristas e cobradores para coibir atrasos na saída dos ônibus.

O superintendente acrescenta que apesar de toda a frota operacional estar em circulação, devido ao aumento considerável da demanda de passageiros nos dias das eleições por conta da gratuidade, alguns ônibus podem trafegar com lotação máxima em determinados horários. “É um dia atípico. No 1º turno tivemos um número de passageiros 20% superior ao de um dia útil normal. Muitas pessoas votam e depois aproveitam a gratuidade para fazer outras coisas utilizando o serviço de transporte público. Mas estaremos coordenando a operação para coibir qualquer irregularidade”, ressaltou.

No caso de descumprimento à gratuidade e qualquer outra reclamação sobre o transporte, usuários poderão ligar para o SAC da SMTU, no número 118, ou procurar um dos fiscais de transportes.

Informações: A Critíca
READ MORE - Transporte público de Manaus será gratuito no dia das eleições

Recife deveria adotar transporte coletivo gratuito nos dias de eleições

Já é possível ver em algumas cidades como  Porto Alegre, Salvador, Manaus e em outras cidades, que nos dias das eleições o transporte coletivo funcionar gratuitamente, ou seja, permite que os eleitores possam chegar aos locais de votação de maneira mais tranquila, visto que o número de carros que levam os eleitores diminuem e consequentemente aliviam o transito, principalmente nos locais pertos de votações onde o trânsito fica travado muitas vezes.

Com o transporte de graça, também deixa a sensação de não apenas vermos um trânsito tranquilo, mas sim uma eleição mais honesta, visto que muitos dos carros que circulam em dias de eleições são muitas vezes usados por políticos para angariar votos aos 45 minutos do segundo tempo.

Infelizmente essa prática de transporte coletivo ainda não é realizada aqui na Região Metropolitana do Recife, mas fica um apelo não do Blog, mas de toda população que quer ver uma eleição tranquila e sem parcialidade até na mobilidade nos dias de votações, fica a torcida e boa eleição.

Blog Meu Transporte

READ MORE - Recife deveria adotar transporte coletivo gratuito nos dias de eleições

Metrô de Salvador vai funcionar de graça no domingo de eleições

O metrô de Salvador vai funcionar no domingo (26), dia em que será realizado o segundo turno das eleições, de acordo com informações da CCR, concessionária que administra o sistema de transporte, obtidas nesta quarta-feira (22). O objetivo é facilitar o deslocamento dos eleitores para os locais de votação.

O funcionamento ocorrerá das 7h30 às 17h30 e os usuários podem acessar o metrô pelas estações Retiro, Acesso Norte, Brotas, Campo da Pólvora e Lapa. Não haverá cobrança de tarifa. 

Desde a última segunda-feira (20), o horário de funcionamento do metrô foi ampliado de segunda a sexta-feira. Agora, o sistema atende à população das 8h às 18h. Aos sábados, o horário do serviço permanece o mesmo, das 8h às 13h. O transporte segue em operação assistida, com acesso gratuito.

Metrô
Catorze anos após o início das obras, a primeira etapa da Linha 1 do metrô de Salvador foi inaugurada em junho de 2014. O percurso compreende um trajeto total de 7,3 km, que abrange as estações da Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro.

Em abril de 2013, o Governo da Bahia assumiu a gestão do metrô de Salvador, que até então, era da Prefeitura Municipal. O estado prevê ainda a entrega das estações de Bom Juá e Pirajá, que completam a Linha 1, em janeiro de 2015. Já a Linha 2, que vai até o Aeroporto Internacional de Salvador, deve ser finalizada até abril de 2017.

De acordo com o governo da Bahia, ao todo, o Sistema Metroviário terá investimento de R$ 3,6 bilhões, sendo que R$ 1,4 bilhão da CCR, R$ 1,2 bilhão do Governo Federal e R$ e R$ 1 bilhão do Governo Estadual.

Como chegar às estações:

Lapa
Entrada pela Av. Vale do Tororó, s/n. Ao lado do Terminal de Ônibus Lapa.
Campo da Pólvora
Entrada pela Praça do Largo Campo da Pólvora, Nazaré.

Brotas
Entrada pela Av. Mario Leal Ferreira (Bonocô) ou pela Rua das Pitangueiras – Matatu de Brotas.

Acesso Norte
Entrada pela Rua dos Rodoviários, s/n, antes de subir a ladeira do Cabula à direita, ou pela passarela do Shopping Bela Vista.

Retiro
Entrada pela Rua Baixa de Santo Antônio, Retiro.

Informações: G1 BA


READ MORE - Metrô de Salvador vai funcionar de graça no domingo de eleições

Ônibus da Zona Sul do Rio circulam com 50% da capacidade em horário de rush, mostra estudo

Enquanto em outras áreas da cidade os ônibus se arrastam pelas ruas apinhados de gente, na Zona Sul o problema é o oposto: eles andam vazios demais, mesmo na hora do rush. Longe de ser um problema menor, o excesso de ônibus em circulação ajuda a aumentar os congestionamentos e a poluir mais a atmosfera. Uma pesquisa da PUC- Rio sobre planejamento do transporte coletivo, divulgada em agosto, mostra que 80 linhas municipais que circulam hoje entre Zona Sul e Centro costumam rodar com apenas 15% de sua capacidade fora dos horários de pico; e com aproximadamente 50% da capacidade em horas de rush. Isso se dá, principalmente, por causa da sobreposição de muitas dessas linhas, que fazem quase os mesmos trajetos, com uma ou outra ramificação.

A pesquisa indica ainda que, dentro do horário de pico, quando os ônibus chegam ao Centro, atingem sua lotação máxima e passam a ser insuficientes para a demanda. Isto é, são subutilizados na Zona Sul, mas faltam nas áreas centrais da cidade.

O estudo foi feito entre os meses de março e julho pela estudante de Engenharia de Produção Marina Waetge, agora na Alemanha pelo programa Ciências Sem Fronteiras, sob orientação do professor Hugo Repolho. Apresentado na Semana de Iniciação Científica da PUC- Rio, há dois meses, o trabalho foi concluído com a análise exclusivamente das linhas da Zona Sul, uma a uma, a partir do site "Vá de Ônibus”, mantido pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro ( Fetranspor). O método foi o único encontrado pelos pesquisadores, que não obtiveram da Prefeitura um mapa da malha rodoviária da cidade.

— Quando pedimos acesso ao mapa, a prefeitura disse, para minha surpresa, que não tem um. Como é possível controlar a quantidade de linhas e de veículos, se não há um mapa dessa malha? — questiona Hugo Repolho.

O espanto do professor começou muito antes, no início de 2013, quando se mudou de Portugal, sua terra natal, para o Brasil. Em solo português, era hábito diário conferir a tabela com os horários de cada ônibus antes de sair de casa. Mesmo se o coletivo não passasse na hora exata, a margem de erro corriqueira era de cinco minutos, no máximo. Hoje, ele já aprendeu como funciona por aqui: "na hora que passar, passou, não é assim?”, brinca o professor.

— Para quem vem de fora é mais fácil ver que o sistema funciona muito aquém do ideal. A atual estruturação da frota traz dois principais problemas para o usuário: a falta de horários dos ônibus e a falta de legibilidade de cada linha, porque nem pelo número nem pela aparência do veículo é possível saber a que linha ele pertence — reclama o engenheiro.

Para tornar o sistema de transportes mais eficiente, a pesquisa propõe transformar as 80 linhas pesquisadas em cinco grandes linhas, que, interligadas, passariam por terminais na Gávea, em Botafogo e na Central do Brasil. Uma delas seguiria via Jardim Botânico; a segunda iria pelo Túnel Rebouças; a terceira, pelo Túnel Santa Bárbara; a quarta, pelo Aterro do Flamengo; e a última, por Ipanema, cobrindo toda a orla. Ônibus menores poderiam alimentar essas cinco linhas, fazendo rotas não compreendidas por elas. A proposta também prevê zonas, ao longo desses trajetos, em que os usuários possam facilmente fazer integração com o metrô ou pegar bicicletas públicas.

O objetivo é disponibilizar mais ônibus onde eles realmente são necessários, e nos horários em que a demanda é maior. — Hoje, seja em horários de pico ou em outros períodos do dia, a quantidade de ônibus circulando é basicamente a mesma. Não há um redimensionamento de acordo com a demanda. São colocados na rua quantos ônibus a frota tiver, não importa o horário. Isso faz com que vários da mesma linha passem juntos, vazios. Existem cerca de 600 veículos em toda a frota da Zona Sul. Com certeza, dá para atender a população com bem menos — analisa o professor.

Moradora do Jardim Botânico, a estudante que estruturou a pesquisa é habituée do ônibus da linha 410, que a transportava todos os dias para a PUC-Rio. Fora do país por ainda alguns meses, Marina mantém vivo na memória o cenário que encontrava tanto no ponto de ônibus à espera do 410, quanto em seus trabalhos de campo, quando saía para observar o número de passageiros em cada veículo.

— Eu via constantemente pessoas confusas, sem saber qual é a rota dos ônibus e sem ter um mapa das linhas para consultar. Eu mesma, ainda que estivesse acostumada a andar pela cidade de ônibus, muitas vezes precisava pedir informações na rua para descobrir como chegar a algum lugar — contou Marina, por e- mail. — O que mais me motivou no projeto foi a perspectiva de melhorar esse sistema para que a população possa ter vontade de usar ônibus e deixar os carros em casa, podendo assim diminuir o trânsito na cidade.

O tema preocupa muitos pesquisadores, até mesmo de fora da Zona Sul. Alexandre Rojas, doutor em Engenharia de Transportes e professor da Uerj, por exemplo, fez, no início do ano, uma pesquisa de campo na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema. Lá, ele ficou por algumas horas observando quantos coletivos passavam e com que lotação. O resultado do trabalho faz coro com os principais pontos levantados por Marina e Hugo.

— Quando o BRS ( Bus Rapid System, o corredor exclusivo para ônibus) foi criado, em 2011, a Prefeitura informou que tinha remanejado e até reduzido algumas linhas de ônibus. No entanto, constatei nesse trabalho que ainda existem inúmeras linhas em excesso, com veículos vazios em quase todos os horários. Há uma grande discrepância entre a quantidade de coletivos que atende a Zona Sul e a Zona Norte. Esta última é claramente menos favorecida — afirma Rojas.

Segundo a engenheira de tráfego da Escola Politécnica da UFRJ Eva Vider, há mais de uma solução possível para melhorar a disposição da malha urbana. Ela afirma que, entre o final de 2012 e o início de 2013, um dos estudos que acompanhou chegou a propostas semelhantes às da pesquisa da PUC-Rio. Na ocasião, no entanto, a proposta era criar linhas de ônibus circulares, que se conectavam às linhas alimentadoras. De lá para cá, outra pesquisa, também orientada por Eva, sugeria apenas um corredor de ônibus do Leblon ao Centro, passando pela orla. A ele, seriam ligados coletivos que trariam passageiros de outros bairros da Zona Sul.

— Há várias maneiras de melhorar o sistema, mas o que costuma unir todas elas é a ideia de formar linhas principais, com ônibus compridos e articulados sendo alimentados por coletivos pequenos que circulam por onde não existe tanta demanda — acredita Eva, que é especializada em mobilidade urbana.

Ela ressalta que a maior produtividade do serviço impacta diretamente no preço das passagens, porque diminui o gasto com combustível e manutenção dos veículos.

— Quando não há ônibus ociosos, que transportam pouquíssimos passageiros e servem apenas para congestionar o trânsito, a eficiência do serviço sobe. Há mais produção com menos custo — sintetiza a pesquisadora.

Informações: O Globo e ANTP

READ MORE - Ônibus da Zona Sul do Rio circulam com 50% da capacidade em horário de rush, mostra estudo

BikePoa já é usado preferencialmente como modal de transporte

Das duas mil viagens diárias do BikePoa, cerca de 65% acontecem nos picos da manhã (7h às 10h) e da tarde (17h às 20h), de segunda à sexta-feira. Os dados da empresa Serttel, administradora do sistema na Capital, revelam o envolvimento, cada vez mais crescente, dos usuários na utilização das bicicletas compartilhadas na cidade, como um verdadeiro modal de transporte. 

“Estes 65% representam um índice realmente muito elevado no conjunto da rede de bikes compartilhadas no País. É uma verdadeira demonstração do envolvimento dos portoalegrenses nesta iniciativa da Prefeitura, com utilização cada vez mais intensa das bikes, ainda mais com o crescimento da rede cicloviária na cidade”, afirma Peter Cabral, diretor-presidente da Serttel.

O sistema BikePoa completou dois anos no dia 22 de setembro, com 104 mil pessoas cadastradas, 500 mil viagens realizadas. Ao todo são 39 estações, com 390 bicicletas à disposição da população. “É uma iniciativa que deu certo, já como modal de transporte e também como lazer. Agora estamos trabalhando junto à comunidade para aumentar a rede cicloviária no novo espaço proposto a ser criado no bairro Santa Cecília, com ligação entre a Ipiranga e a Praça da Encol”, afirma Vanderlei Cappellari, Diretor-Presidente da EPTC.

Informações: EPTC


READ MORE - BikePoa já é usado preferencialmente como modal de transporte

Urbs testa novos materiais nas estações tubo para aumentar conforto

A Urbs vai testar a utilização de novos materiais para redução de calor e melhoria da sensação térmica no interior das estações tubo. O projeto piloto, que será implantado até o fim de outubro, prevê a utilização de forro interno de fibra de vidro e a aplicação de uma manta térmica, produzida a partir de garrafas PET, entre este forro e a placa de aço inox da estação.

Também será utilizado vidro especial com um material (KNT) que reduz a incidência dos raios solares UV em até 99% e dos raios solares IV em 40%. Os raios IV são responsáveis pelo aquecimento. Para proteger melhor o cobrador da incidência solar, os vidros do posto de trabalho receberão, além do vidro KNT uma proteção extra com uma pintura pontilhada (serigrafia), que deverá proteger sem tirar totalmente a transparência do vidro.  Nesta estação também serão instalados, para avaliação, ventiladores elétricos para melhorar a renovação do ar no interior das estações.

Se os resultados se mostrarem compensadores, a Urbs vai elaborar projeto para instalação destes materiais em todas as estações-tubo. A previsão dos técnicos é que os efeitos dos novos materiais possam ser medidos em duas semanas, com a comparação do calor registrado na estação onde o projeto será testado e nas estações próximas.

No começo deste ano foi testada a instalação de uma manta térmica na estação Osternack, no Sítio Cercado, que reduziu o calor interno. A avaliação, no entanto, é de que será necessária a adoção de outras medidas para chegar a uma condição mais satisfatória. Para ser testado com mais eficiência, o projeto-piloto precisa ser implantado em período de calor.

Criadas em 1991, quando a Rede Integrada de Transporte (RIT) só atendia Curitiba, as estações-tubo são estruturas tubulares, revestidas em vidro. As mudanças climáticas, com aumento do número de dias de calor, e o crescimento da RIT - que hoje atende outros 13 municípios – mudaram a realidade das estações tubo que ainda hoje são um ícone da cidade e um dos equipamentos públicos mais fotografados por turistas.

Desde o ano passado a Urbs vem intensificando os estudos para melhoria do conforto nas estações. Na Linha Verde, por exemplo, as estações já existentes, e as que serão implantadas no trecho Norte, têm um desenho diferenciado, são mais amplas e climatizadas. A climatização é feita por um processo de aquecimento (limpeza) e resfriamento do ar que, captado em canos, passa por um fosso aquecido por uma lâmpada e um fosso de água fria. A cada 90 segundos entra ar puro e resfriado na estação.

Também faz parte desse projeto a ampliação de estações. No ano passado, a Estação Osternack, no Sítio Cercado, passou de 10 para 40 metros quadrados de área interna. Outra que ficará maior é a estação PUC, que terá seu tamanho duplicado e onde também serão utilizados novos materiais, buscando redução do calor interno.

Em fase de implantação - na confluência da Rua Imaculada Conceição com Avenida Salgado Filho – a nova estação PUC será formada por tubos acoplados e terá ajardinamento no entorno. A cobertura terá manta térmica, vidros revestidos e breeze metálico reduzindo a incidência dos raios solares.

No ano passado foram testados os chamados sistemas evaporativos, uma espécie de exaustor para saída do ar quente, o que se mostrou pouco eficaz em função da baixa altura das estações. Também já foi tentada a colocação de aparelhos de ar condicionado, o que não deu resultado em função do desenho das estações, que têm aberturas laterais e pouca altura para circulação do ar.

Pelas catracas das estações-tubo passam, em média, 360 mil pessoas por dia. São 359 estações por onde passam 193 ônibus biarticulados, das oito linhas do Expresso; e 397 Ligeirinhos, do sistema Linha Direta. A Rede Integrada de Transporte tem, no total, 1.945 ônibus e transporta por dia 2,3 milhões de passageiros.

Informações: URBS

READ MORE - Urbs testa novos materiais nas estações tubo para aumentar conforto

Em Campinas, Linhas 1.15 e 1.93 recebem articulados e mudam de horário

As linhas de ônibus 1.15 – Adhemar de Barros e 1.93 – Aeroporto de Viracopos serão reforçadas a partir desta quarta-feira, 22/10, com a substituição de ônibus convencionais (capacidade média de 66 lugares) por ônibus articulados (104 lugares). Isto representa um aumento de 9,09% na oferta de lugares, somando as duas linhas.

Além da entrada em operação dos novos veículos, todos acessíveis, entregues pela concessionária VB Transportes e Turismo no último dia 7 de outubro, a Emdec alterou os horários das duas linhas nos dias úteis. Sábados, domingos e feriados seguem inalterados.


A 1.15 terá mudanças também no itinerário: deixará de entrar no Terminal Central e passará a circular no Corredor Central. Nos bairros, não passará mais pelas ruas Pedro Cortado e Celso Brilhante.

Veja as alterações que entrarão em vigor nesta quarta-feira, 22/10:

1.15 – Adhemar de Barros

Frota até 21/10/2014: 8 ônibus convencionais / média de 66 lugares cada.
Frota a partir de 22/10/2014: 5 ônibus articulados / média de 104 lugares cada.

Novos horários nos dias úteis, sentido Av. Coacyara - Av. Dr. Moraes Salles (pista interna):

04h40  05h10  05h33  05h56  06h20  06h43  07h07  07h30  07h54  08h30  08h58  09h26  09h54  10h22  10h50  11h18  11h46  12h14  12h42  13h10  13h38  14h06  14h34  15h02  15h25  15h48  16h12  16h35  16h59  17h22  17h46  18h09  18h33  18h57  19h32  20h07  20h42  21h17  21h52  22h27  23h02  23h37

Novos horários nos dias úteis, sentido Av. Dr. Moraes Salles (pista interna) - Av. Coacyara:

05h20  06h09  06h32  06h56  07h19  07h43  08h06  08h30  08h53  09h26  09h54  10h22  10h50  11h18  11h46  12h14  12h42  13h10  13h38  14h06  14h34  15h02  15h30  15h58  16h24  16h47  17h11  17h34  17h58  18h21  18h45  19h08  19h32  19h49  20h24  20h59  21h34  22h09  22h44  23h19  23h54  00h29

1.93 – Aeroporto de Viracopos

Frota até 21/10/2014: 5 ônibus convencionais / média de 66 lugares cada.
Frota a partir de 22/10/2014: 4 ônibus articulados / média de 104 lugares cada.

Novos horários nos dias úteis, sentido Aeroporto de Viracopos - Terminal Metropolitano:

05h52  06h18  06h44  07h10  07h36  08h02  08h28  09h03  09h37  10h11  10h45  11h19  11h53  12h27  13h01  13h35  14h09  14h43  15h17  15h51  16h17  16h43  17h09  17h35  18h01  18h27  18h53  19h19  20h10  20h44  21h18  21h52  22h26  23h00  23h34  00h08

Novos horários nos dias úteis, sentido Terminal Metropolitano - Aeroporto de Viracopos:

05h00  05h26  05h52  06h18  06h44  07h10  07h36  08h02  08h28  08h54  09h20  09h54  10h28  11h02  11h36  12h10  12h44  13h18  13h52  14h26  15h00  15h34  16h08  16h42  17h09  17h35  18h01  18h27  18h53  19h19  19h45  20h11  21h02  21h36  22h10  22h44  23h18

O usuário obtém informações sobre o transporte público coletivo municipal (Sistema InterCamp), 24 horas por dia, pelo telefone (19) 3772-1517. Também pode acessar o serviço “Como Chegar”, no endereço eletrônico http://www.emdec.com.br/ABusInf.

Por Edgard Oliveira Jr.
Informações: EMDEC
READ MORE - Em Campinas, Linhas 1.15 e 1.93 recebem articulados e mudam de horário

Bogotá ganha mais 155 ônibus volvo, sendo 72 articulados e 83 biarticulados com novas tecnologias

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Não é por acaso que o sistema Transmilenio, de Bogotá, é considerado um dos BRTs mais modernos do mundo. Sua implantação ajudou a reduzir a poluição na capital colombiana e diminuir o elevado número de acidentes que ocorriam devido ao caos do trânsito. 

A qualidade de vida da população melhorou com o ar mais limpo, menos acidentes, deslocamentos mais rápidos, mais confortáveis e mais seguros.

E os gestores do Transmilenio mostram que pretendem continuar na vanguarda. Além de colocar em circulação veículos mais amigáveis com o meio ambiente, como os ônibus híbridos Volvo, seguem um bom planejamento para a expansão dos corredores do BRT. 

Agora Bogotá está investindo em novas estações e a extensão do sistema para outras cidades da região metropolitana.

Para isso, os consórcios Express e Gmovil adquiriram mais 155 ônibus Volvo, sendo 72 articulados e 83 biarticulados. O Express comprou 60 biarticulados e 52 articulados, e o Gmovil adquiriu 23 biarticulados e 20 articulados. 

“A alta capacidade de transporte dos veículos garante mais eficiência e qualidade ao sistema, reduz o custo por passageiro transportado e diminui a emissão de poluentes”, destaca Alexandre Selski, gerente de ônibus da Volvo Bus Latin America na Colômbia.

Informações: Volvo

READ MORE - Bogotá ganha mais 155 ônibus volvo, sendo 72 articulados e 83 biarticulados com novas tecnologias

Em Porto Alegre, BRT na avenida João Pessoa ficará pronto só em 2015

A construção dos corredores do sistema BRT na Capital está quase concluída nas avenidas Protásio Alves e Bento Gonçalves. A previsão de finalização da substituição do pavimento asfáltico destas duas vias é no final deste ano. Já o corredor da avenida João Pessoa deve ser concluído somente em junho de 2015. Atualmente, a obra está parada devido à análise de um aditivo no contrato que envolve a necessidade de mais itens de sinalização. O total de investimentos no sistema BRT nas três avenidas soma R$ 246,7 milhões. A intervenção, que começou em 2012, tinha previsão inicial de ser finalizada no ano passado. 

Em junho deste ano, a reportagem do Jornal do Comércio percorreu todas estas obras para observar o andamento e comparar a execução com os cronogramas apresentados pela prefeitura. Quatro meses depois, a visita foi repetida. Em relação aos BRTs, só não foi observada evolução no corredor da João Pessoa, que está com a execução parada desde a primeira matéria, publicada na edição do dia 16 de junho. 

De acordo com o engenheiro Rogério Baú, coordenador técnico das obras de mobilidade urbana da Secretaria Municipal de Gestão, apenas 55% da obra foi feita até o momento, sendo a mais atrasada. As intervenções ainda precisam ser feitas na elevada da João Pessoa e entre as avenidas Venâncio Aires e Ipiranga. O corredor da avenida terá aproximadamente 3,2 km de extensão e 29 estações de embarque.

A pavimentação mais avançada é a da avenida Bento Gonçalves, que apresenta 97% de obra concluída. De acordo com Baú, faltam apenas alguns pontos próximos aos canteiros das vias e a execução embaixo do viaduto da Perimetral. A conclusão destes trechos deve estar ocorrer até o final do ano. A intervenção inclui a qualificação de 5,9 km de corredores de ônibus, no trecho entre as avenidas Antônio de Carvalho e Princesa Isabel, com um total de 12 estações. A previsão inicial de conclusão deste trecho era junho de 2013. Entretanto, após fechar o contrato com as empresas construtoras, foi ampliado para junho deste ano. O custo da obra é de R$ 13,9 milhões.

Na Protásio Alves, a empresa construtora está atualmente realizando reparos no corredor, que apresentou fissuras no pavimento. “Temos 92% de obra executada. Após os reparos feitos pela empresa, concluiremos os cruzamentos, que são os pontos que foram deixados para o final justamente porque impactam no fluxo de trânsito da região”, explica o engenheiro. Segundo ele, o trabalho será feito de maneira intercalada, com o auxílio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). A conclusão também deve acontecer até o final de 2014. A obra se refere à construção de 7 km de corredores de pavimento de concreto e mais a implantação do terminal na avenida Manoel Elias. A construção fica entre as ruas Saturnino de Brito e Sarmento Leite.

Por Jessica Gustafson
Informações: Jornal do Comércio


READ MORE - Em Porto Alegre, BRT na avenida João Pessoa ficará pronto só em 2015

Grande Recife, Empresas que venceram licitação prestam péssimos serviços a população

O que era para ser um sinal de melhoria nos serviços prestados depois da licitação feita pelo consórcio grande recife de transportes, órgão que gerencia o sistema e também pela parte do governo do estado não se aplica ainda a algumas empresas de ônibus que venceram a licitação pública realizada este ano. São ônibus velhos, sujos e desconfortáveis, muitos deles não conseguem nem terminar a viagem deixando usuários totalmente prejudicados.

As empresas relatam as velhas desculpas que estão operando no vermelho deixando a operação dentro de seus limites, mas o que de fato importa é que os usuários nada tem haver entre essa briga de empresa e empregados que ocasionou 04 paralisações somente este ano e em entre empresa e Governo do Estado sobre a parte financeira do sistema.

O que estamos vendo é um enorme numero de ônibus velhos circulando pela cidade e nada sendo feito em termos de fiscalização para proibir esses ônibus de circularem.

Uma das empresas que mais chamam atenção negativamente é a Expresso Vera Cruz que venceu a licitação e presta serviços que deixam a desejar, ônibus velhos, sujos e muito desconfortáveis deixam usuários totalmente insatisfeitos. A relatos de baratas e até de goteiras dentro dos coletivos, isso sem falar que muitos desses ônibus já ultrapassaram a idade máxima permitida de 08 anos, no caso da Expresso Vera Cruz é possível vermos ônibus com 10 anos de operação. 
Quem mais sofre são usuários dos terminais integrados, pois a empresa ainda coloca ônibus velhos e com duas portas dificultando e muito o embarque dos usuários.
Há casos registrados pelos usuários de volante que saiu na hora da viagem, outros de bancos soltos, existem até ônibus que nem fios da cigarra existem deixando o motorista e os usuários em apuros, é na base do grito ‘’vai descer’’, um verdadeiro absurdo.

Nem a compra recente de 35 novos ônibus pela empresa conseguiu amenizar a situação que já duram alguns anos para os usuários da zona sul.
Empresa Rodoviária Metropolitana também é alvo de reclamações dos usuários, principalmente no TI de Camaragibe

Outra Empresa que já aparece nas estatísticas negativas de quebras é a Rodoviária Metropolitana, onde também há relatos de muitas quebras, ônibus articulados com borracha rasgadas e casos também de falta de renovação de frota.

A outra com muitas reclamações é a Caxangá, que está rodando com ônibus velhos em muitas linhas, sendo estes com mais de 10 anos de operação, isso sem falar relatos de coletivos circulando sem o alçapão, no qual em dias de chuva, usuários abrem o guarda-chuva dentro do ônibus.

Blog Meu Transporte


READ MORE - Grande Recife, Empresas que venceram licitação prestam péssimos serviços a população

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

Loading...

Google+ Followers

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Brasil vai inaugurar mais de 250 quilômetros de BRT em 2014

Nova etapa das obras da Linha 4 do Metrô do Rio é iniciada na Gávea

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Governo estuda trem-bala de São Paulo a BH, Curitiba e Brasília

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960