Pagamento no VLT do Rio dependerá da boa-fé dos passageiros

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O modelo de cobrança das passagens no veículo leve sobre trilhos (VLT), previsto para entrar em circulação no Centro em 2016, será baseado nos sistemas adotados em Genebra, na Suíça, e Istambul, na Turquia. O esquema de validação voluntária, inédito no país e que depende da boa-fé dos passageiros, terá que ser adotado porque não será possível construir estações fechadas ao longo de todo o trajeto do novo meio de transporte. Serão apenas quatro: Rodoviária, Central do Brasil, Barcas e Aeroporto Santos Dumont. Nas outras 30 paradas, não haverá venda de bilhete, e a validação do tíquete terá que ser feita voluntariamente em equipamentos dentro do VLT, que não contará com roleta nem cobrador.

Ao anunciar a novidade, a prefeitura informou que, em caso de evasão, poderá acionar a PM ou a Guarda Municipal. Questionada se a segurança do sistema não deveria ser uma obrigação da concessionária, a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto, através de nota, disse que a empresa responsável pela operação deverá disponibilizar fiscais e que agentes públicos só serão acionados caso “o passageiro se recuse a pagar”.

Em países europeus, “espertinhos” tentam burlar o sistema de validação. Na Suíça, quem for apanhado sem o bilhete está sujeito a multa. Gustavo Guerrante, subsecretário de Projetos Estruturais da Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas, explicou que as leis brasileiras impedem que a concessionária tenha poder de punição. Para o monitoramento, serão instalados sistemas de contagem de passageiros nas portas e câmeras.

— Poderemos usar mais de um meio de controle. Estamos estudando as tecnologias disponíveis. No local onde for detectada evasão, intensificaremos a fiscalização — informou Guerrante.

O subsecretário, no entanto, acredita que a taxa de evasão será baixa:

— É uma mudança de paradigma no modo como é feita a cobrança no transporte público no Brasil. A gente espera que a maior parte das pessoas use o bilhete único, porque a vantagem é grande na integração com outros meios de transporte.

OPERAÇÃO PREVISTA PARA 2016

A previsão é que o VLT entre em operação no primeiro semestre de 2016. Fabricado pela francesa Alstom, o primeiro trem deve chegar ao Rio em 24 de abril. O valor da passagem será o mesmo da tarifa dos ônibus municipais. Poderão ser usados os bilhetes únicos estadual e municipal, além da passagem do próprio VLT.

Para elaborar o sistema de cobrança, técnicos do Rio foram a Istambul avaliar o modelo usado na maior cidade da Turquia.

— Em Istambul, o VLT trasporta cerca de um milhão de pessoas por dia, e a cidade tem um grau de caos como no Rio. Vi carros e motos invadirem a área do VLT, como fazem aqui no BRT. Também tem malandragem. Mas, para minha surpresa, quando conversei com o presidente da empresa de VLT, ele disse que as fraudes não chegam a 8% do total — disse Guerrante.

O engenheiro de áudio Pedro Montana, carioca de 32 anos, morou na Europa e foi multado no metrô de Londres.

— Em Londres, a Zona 1 (Centro) é a mais cara. Comprei o bilhete da Zona 2, mais barata, e tentei ir para a Zona 1. Acabei sendo parado por um fiscal e tive que pagar uma multa.

READ MORE - Pagamento no VLT do Rio dependerá da boa-fé dos passageiros

Em São Paulo, Rede de ônibus da madrugada começa a funcionar neste fim de semana

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A rede de ônibus da madrugada da capital começa a funcionar neste sábado (28). Chamado de Noturno, o serviço funcionará da meia-noite às 4h, com 151 linhas que atenderão toda a cidade. O funcionamento da nova rede foi apresentado hoje na 11ª reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, na sede da Prefeitura. Durante o evento, o prefeito Fernando Haddad afirmou que o transporte noturno oferece garantia de direitos.

“É uma medida simples que vai atender milhares de trabalhadores que dependem do transporte noturno para ir para suas casas. É um compromisso feito que estamos cumprindo. O fato de ter uma rede da madrugada com mais regularidade, melhora naturalmente a questão da segurança e, mais do isso, garante um direito constitucional para o trabalhador”, disse Haddad. A implantação do Noturno atende à meta 95 do Programa de Metas 2013-2016.

O serviço noturno funcionará com 50 linhas estruturais, nos grandes corredores, e 101 linhas locais, nos bairros, que passarão por 32 terminais e 160 conexões. Nas linhas estruturais, o intervalo entre os ônibus será de 15 minutos, enquanto nas linhas locais será de 30 minutos. Todas as informações sobre as linhas estão disponíveis na página da SPTrans. Haverá também painéis informativos nas estações de metrô e nos pontos atendidos.

Outra alternativa para saber os horários e linhas disponíveis é utilizar o aplicativo Coletivo da Madrugada, já disponível para download. Pelo celular, é possível consultar o ponto de ônibus mais próximo, o horário que cada linha passará pelo local e os ônibus que circulam pela região em tempo real. O download é gratuita e é compatível com celulares com sistema Android.

O planejamento da rede privilegiou locais que abrigam serviços públicos 24horas, como hospitais e delegacias, e regiões que concentram oferta de entretenimento, como casas de espetáculos, bares e restaurantes. Também servirá trajetos feitos pelas linhas de metrô. “Hoje quem trabalha à noite chega a esperar mais de uma hora no ponto de ônibus. Nos corredores definidos pela rede, agora a frequência está garantida. Vamos monitorar o comportamento das empresas, ouvir os usuários para ter uma rede bem ajustada”, afirmou Haddad.

Foram estabelecidos procedimentos operacionais que serão controlados pela SPTrans, que acompanhará os veículos por GPS, inclusive para a coordenação das partidas. Nos terminais, haverá uma reserva operacional de veículos tripulados para substituir ônibus que passem por algum problema. Serão utilizados 454 veículos e mais 88 coletivos de reserva. Segundo a SPTrans, no projeto piloto com 12 linhas, realizado desde 2014, as partidas tiveram cumprimento de 100% e a pontualidade foi atendida em 90% dos casos.

“A rede da madrugada é um piloto do que nós queremos na cidade de São Paulo: operação assistida, controlada, o usuário saber o horário que o ônibus vai sair do terminal, o horário que vai estar no ponto de ônibus e a qualidade do ônibus. Nós vamos aumentar uma vez e meia a oferta de ônibus na madrugada, com regularidade”, disse o secretário Jilmar Tatto (Transportes). A secretaria também estuda implantar redes neste formato para os sábados, os domingos e para os horários de pico e entrepico.

“O transporte 24horas contempla a juventude. Quem gosta de sair à noite, ir para uma balada, agora pode voltar de ônibus, com segurança e sem gastar muito”, disse o conselheiro Greg Barbosa, que representa os jovens no Conselho Municipal de Trânsito e de Transporte.

A operação do Noturno contará com o apoio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Guarda Civil Metropolitana (GCM). O Departamento de Iluminação Pública (Ilume) também trabalhará na parceria com o reforço de iluminação em 160 pontos de conexão.

Informações: SPTrans
READ MORE - Em São Paulo, Rede de ônibus da madrugada começa a funcionar neste fim de semana

Ministério libera R$ 41 milhões para corredor de ônibus no ABC Paulista

O ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), assinou nesta quarta-feira (25), em Rio Grande da Serra, no ABC, ordem de serviço liberando R$ 41 milhões para a implantação de um corredor de ônibus. Quando pronta, a via irá ligar sete cidades da região.

Além da verba federal, a obra contará com R$ 3,4 milhões de contrapartida do setor público. Também haverá a pavimentação e a sinalização para tratamento prioritário para o transporte coletivo, construção de passeios públicos e ciclovias, realização de obras de drenagem e construção de muros de contenção.

Entre as obras está a pavimentação da Rua Guilherme Pinto Monteiro até a Avenida Kaethe Richers, em Ribeirão Pires; implantação de tratamento preferencial aos coletivos na avenida D. Pedro I, na Rua Prefeito Carlos José Carlson, Rua Pastor Aquilino Sartori e Rua José Maria Figueiredo; pavimentação e implantação de tratamento preferencial na Rua Prefeito Cido Franco e pavimentação das avenidas José Bello, Rua Natal Perilo, Rua José Carlos Pace e Rua Valeriano Carreria Gonçalvez.

De acordo com o Ministério, haverá investimento em corredores também em São Bernardo do Campo, Santo André, Ribeirão Pires, São Caetano do Sul, Diadema e Mauá.

READ MORE - Ministério libera R$ 41 milhões para corredor de ônibus no ABC Paulista

Salvador terá 200 km de ciclovias ainda este ano

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Salvador tem, atualmente, pouco mais de 80 quilômetros de ciclovias. No entanto, para quem usa as bicicletas para ir ao trabalho ou realizar as atividades do dia-a-dia, uma boa notícia. Estudos de viabilidade estão sendo realizado pelo Movimento Salvador Vai de Bike, da Prefeitura de Salvador, e em breve outros pontos da cidade como os bairros do Alto do Cabrito, Brotas e Cajazeiras devem receber cerca de 100 quilômetros de ciclofaixas.

Com isso, a capital baiana passará a ter  200 quilômetros de vias para as bikes ainda este ano. O objetivo, até o final de 2016, é que a cidade tenha, ao todo, 350 quilômetros de ciclofaixas e ciclovias. Segundo Liana Oliva, subcoordenadora do Movimento Salvador Vai de Bike, toda a cidade será contemplada com o projeto. “Estamos considerando a cidade inteira, não apenas a orla ou qualquer outro ponto especificamente”, disse. 

Mesmo assim, segundo ela, regiões mais populares da cidade como o Subúrbio Ferroviário, por exemplo, terão mais atenção do que os bairros mais nobres. “Se você for observar o Bairro da Paz, você não verá um lugar no bairro em que não tenha uma bicicleta parada em frente a uma padaria ou estabelecimento, por exemplo, são muitas pessoas usando o veículo todos os dias”, observou Liana.

OTIMISMO
Para quem usa as bikes, a ampliação do número de ciclofaixas na cidade é bastante positiva. “Toda a organização que a Prefeitura venha a fazer para beneficiar o ciclismo e a mobilidade urbana na cidade será bem vinda. Isso vai beneficiar não só os ciclistas, como também a população de toda a cidade. É bom ver que os gestores estejam vendo esse movimento, esse crescimento do número de ciclistas, em prol da mobilidade urbana da cidade”, falou o coordenador do Movimento Pedal da Vida, Hélder Guido.

Mas, mesmo com todos os avanços, ele ainda considera baixo o número de vias para bicicletas em Salvador, se comparado com outras cidades no Brasil, e que muita coisa precisa melhorar. “Acho pouco. Eu ainda sonho com ciclovias permanentes que cortem toda a cidade, permitindo que cada ciclista possa se movimentar sem grandes riscos por toda a capital. Que ele possa sair do Imbuí até o Centro sem grandes problemas. As ciclofaixas são interessantes em um primeiro momento, mas importante mesmo são as ciclovias permanentes, o que vai contribuir para melhorar a mobilidade urbana”, contou.

Para o auxiliar de farmácia José Augusto da Paixão, que usa a bicicleta para se locomover entre os bairros da Santa Cruz e Matatu de Brotas, onde trabalha, o aumento no número de ciclofaixas é uma vitória. “É bom ver que a cidade está caminhando nesse sentido. É um alento para quem anda de bike. Apesar de pequenos, estes avanços são bastante significativos. Espero que cada vez mais pessoas tomem coragem e peguem suas bicicletas para sair de casa, seja para realizar quaisquer atividades ou mesmo ir ao trabalho”, comemorou. 

Informações: Tribuna da Bahia


READ MORE - Salvador terá 200 km de ciclovias ainda este ano

Novas composições da Trensurb entram em operação

Novas composições da Trensurb foram inseridas no sistema metroviário na manhã de hoje (24). Previsão é de que, até o fim do semestre, todos os 15 novos trens estejam definitivamente integrados à frota da empresa.

Na manhã desta terça-feira (24), quatro novos trens foram definitivamente inseridos no sistema metroviário. Os veículos de números 226, 227, 228 e 230 passam a integrar a frota disponibilizada pela Trensurb para operar plenamente conforme necessidade. As outras 11 novas composições encontram-se em fase de testes e a previsão é que todas elas tenham condições de funcionar de forma plena até o fim de junho.

Conforme cronograma de trabalho, em março, mais quatro trens devem integrar-se definitivamente à frota; em abril, mais dois; em maio, outros dois; em junho, os três últimos. Representantes do consórcio FrotaPoa acompanham, juntamente com uma equipe técnica da Trensurb, a inserção dos trens na operação, a necessidade de correção de falhas e de realização de ajustes.

Os novos trens

As 15 novas composições de quatro carros cada uma, fornecidas pelo consórcio FrotaPoa, têm gasto energético cerca de 30% inferior às atuais, sistema de ar condicionado automatizado, sistema de comunicação multimídia, passagem entre os carros, iluminação interna com LED, sistemas de autodiagnóstico e monitoramento de falhas.

Informações: Trensurb


READ MORE - Novas composições da Trensurb entram em operação

Linha 3 do Metrô Rio pode virar BRT

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, quer discutir com a sociedade a possibilidade de alterar o projeto do monotrilho da futura linha 3 do MetrôRio para BRT.

“Eu quero muito começar essa obra ainda esse ano, mas claro que eu tenho que vencer as burocracias. Tem audiência pública e todo um rito que tem que ser seguido. Mas eu quero muito tirar esta obra do papel, começar este ano. Pode ter certeza de uma coisa, a água na Baixada e a Linha 3, o que eu me comprometer eu vou tirar do papel”, afirmou.

A linha 3 é uma de suas promessa de campanha e o trajeto da linha prevê ligar as cidades de Niterói e São Gonçalo.
Nesta segunda-feira, 23, o secretário Carlos Roberto Osório afirmou que a obra, que ligaria a Praça Araribóia a Guaxindiba custaria R$ 3,5 bilhões e teria um prazo de execução longo. De acordo com o secretário, a situação financeira do estado e do país complicou a situação. Por isso, a opção pelo BRT, que segundo Osório, é mais barato e poderia ser estendido a outros municípios.

“Hoje o que está sendo proposto é o monotrilho, que tem uma capacidade de carregamento menor que o metrô convencional. A avaliação nossa é se o BRT seria uma melhor opção para fazer o mesmo trajeto, talvez ampliando a direção para Itaboraí de uma maneira mais barata e mais rápido, sem abrir mão da qualidade e do tempo de viagem do passageiro”, informou.

Informações: Portal Viatrolebus

READ MORE - Linha 3 do Metrô Rio pode virar BRT

Trens com oito vagões entram em circulação em Porto Alegre

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Entraram em funcionamento nesta segunda-feira (23) dois trens de oito vagões na linha da Trensurb, que liga as cidades de Porto Alegre e Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, Rio Grande do Sul. Os trens estendidos ligam as estações Mercado, na capital, e Sapucaia, em Sapucaia do Sul, trecho mais movimentado do percurso. Na terça-feira (24) serão colocados em circulação outros quatro trens com quatro vagões cada.

Os trens com oito vagões devem circular diariamente entre 6h30 e 8h30, e 17h30 e 19h30. A melhoria dobra a capacidade de transporte de passageiros para duas mil pessoas por viagem. A medida é uma alternativa para ampliar a oferta de lugares no metrô em um mesmo espaço de tempo, uma vez que o intervalo mínimo entre viagens já foi atingido, conforme a administração da Trensurb.

Informações: G1 RS


READ MORE - Trens com oito vagões entram em circulação em Porto Alegre

Projeto propõe fim da exigência de cobrador em ônibus de Ponta Grossa

Um projeto de lei em tramitação na Câmara Municipal de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, propõe o fim da exigência de cobradores nas linhas de ônibus do transporte coletivo da cidade. O projeto foi lido em Plenário na sessão desta segunda-feira (23) e segue para a apreciação das comissões, antes de ser votado. A proposta gera polêmica na cidade.

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passageiros Urbanos Intermunicipais, Fretamento e Turismo de Ponta Grossa e Região (Sintropas) é contra a proposta. “O projeto fala em realocação dos cobradores para outros setores da empresa, mas é claro que ela não vai recolocar esse pessoal, vai haver demissão”, afirma o presidente do sindicato, Sirton Barbosa.

Já o presidente do Conselho Municipal de Transportes, Helmiro Bobeck, diz que é favorável ao projeto de lei porque ele moderniza o sistema. “O projeto não fala em extinção de cobradores, fala do fim da exigência dos cobradores. Nós temos cobradores em linhas onde não há necessidade”, afirma. Ele cita o caso da linha ‘Sem Parar’ que vai de um terminal a outro sem paradas.

O autor da proposta, vereador Pietro Arnaud (PTB), justifica que com o fim da exigência e o remanejamento dos atuais cobradores para outras funções na empresa, o preço final da passagem pode ser reduzido.

Hoje, a Viação Campos Gerais (VCG), que opera o sistema, tem cerca de 500 cobradores. Em janeiro, de acordo com levantamento mais recente, 61% dos passageiros usavam bilhete eletrônico, que são passados diretamente na catraca. Os cobradores têm salário inicial de R$ 944 e representam, conforme o vereador, 14% do valor da planilha de custos da passagem que define o valor da tarifa. A VCG disse que só vai se manifestar se o projeto for aprovado.

Por Gizele Silva
Informações: G1 PR

READ MORE - Projeto propõe fim da exigência de cobrador em ônibus de Ponta Grossa

Termina a greve do transporte coletivo de Blumenau

Os ônibus voltarão a circular normalmente em Blumenau nesta quarta-feira. A greve do transporte coletivo, que durou dois dias, teve fim nesta terça-feira à noite com a votação favorável de motoristas e cobradores a sete propostas divulgadas pela prefeitura à tarde. Em assembleia com os funcionários, o assessor do Sindetrancol, Ricardo Freitas, afirmou que a implementação das medidas anunciadas será reavaliada dentro de 30 dias. 

As propostas, que buscam melhorar a segurança nos terminais e estações de pré-embarque de Blumenau, incluem a principal reivindicação da categoria: a presença de seguranças nos seis terminais urbanos do município. Segundo o prefeito Napoleão Bernardes, os sete tópicos anunciados começam a ser executadas até sexta-feira. 

Veja quais são as sete propostas feitas pela prefeitura 

- Vigilantes: contratação de dois vigilantes por terminal. Um a cada turno de oito horas (das 6h30min às 13h30min e das 14h30min às 22h30min ). Todos os seis terminais terão seguranças. 

- Bilheterias com porteiros: serão implantadas nos terminais do Aterro, Fonte e Fortaleza. No Aterro e Fonte as estruturas serão em forma de contêiner e terão banheiros. No Terminal da Fortaleza será reativada a estrutura que já existe. 

- Central de monitoramento: uma pessoa vai acompanhar as imagens na sede do Consórcio Siga. Caso haja alguma ocorrência a Polícia Militar será avisada. A previsão é de que a medida entre em funcionamento até o fim do fevereiro. Há estudos para que a central esteja diretamente ligada à PM. 

- Melhoria da iluminação periférica: todos os seis terminais passam por uma revisão na iluminação. Na última sexta-feira, os trabalhos no estacionamento e nas entradas e saídas do Terminal do Aterro foram concluídos. O serviço segue nos demais terminais. 

- Intensificação de rondas: policiais militares e e agentes da Guarda Municipal vão intensificar as rondas no entorno dos terminais. 

- Estações de pré-embarque: ficarão fechadas das 23h às 6h. Os ônibus circulam e haverá embarque e desembarque no ponto, porém fora da estação. 

- Pontos finais: ônibus não ficarão mais parados entre o fim e começo das viagens. Funcionarão em forma de roteiro circular. Atualmente os ônibus ficam parados em apenas 21 dos 94 pontos finais. Os demais já funcionam no sistema circular.

READ MORE - Termina a greve do transporte coletivo de Blumenau

Volvo apresenta ônibus elétrico híbrido no Smart City Business America

A Volvo, empresa sueca eleita a mais sustentável do setor autoindústria pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2014, apresentará na Smart City Business America Congress & Expo o projeto do ônibus elétrico híbrido articulado. O evento acontece entre os dias 19 e 21 de maio deste ano em Curitiba. O ônibus será testado na Linha Verde da capital paranaense, no primeiro semestre de 2016.

O projeto de eletromobilidade é uma parceria entre a prefeitura de Curitiba e a Volvo Bus Latin America. O projeto conta ainda com o apoio da Urbs, da Universidade Federal do Paraná e do Sindicato das Empresas de ônibus do Transporte Coletivo.

A montadora também será responsável pela realização do Fórum de Mobilidade, durante o Smart City Business, que reunirá lideranças políticas, empresas e especialistas em torno da discussão sobre melhorias e inovações tecnológicas para a mobilidade nas cidades.

O modelo convencional do ônibus elétrico híbrido foi lançado em outubro deste ano em Hannover, na Alemanha, na Feira Internacional de Veículos Comerciais (IAA). A tecnologia foi testada em Gotemburgo, na Suécia, e os resultados demonstram uma redução no consumo de combustível e de emissões de CO2 em até 75% em relação ao ônibus convencional movido à diesel. O veículo desenvolvido para Curitiba irá operar 70% no modo elétrico, 30% no modo híbrido, e terá tecnologia plug-in com dispositivos para recargas da bateria nos pontos de embarque e desembarque de passageiros.

“Mais uma vez Curitiba sai na frente e dá passos concretos em direção de ser uma cidade inteligente e sustentável”, diz Leopoldo de Albuquerque, presidente do Smart City Business America Congress & Expo.

Os testes do novo veículo atenderão a demanda de Curitiba por alta capacidade de transporte e baixa emissão de poluentes. O projeto não terá custos para o município, referência no país em termos de planejamento urbano, qualidade de vida e acessibilidade. "Nosso grande desafio é provar que a tecnologia é viável do ponto de vista econômico, ambiental e operacional", afirma Rafael Nieweglowski, coordenador do City Mobility da Volvo Bus Latin America. Além de Curitiba, participam do projeto as cidades de Estolcomo, Londres, Edimburgo, Luxemburgo, Montreal, Bogotá, Santiago, Xangai, Bagalore e Iskandar.

Sobre o Smart City Business America
O evento Smart City Business América Congress & Expo acontecerá entre os dias 19 e 21 de maio de 2015, e discutirá os principais desafios das cidades, especialmente as demandas estruturais relacionadas ao meio ambiente, mobilidade urbana e geração de energia.

Durante o encontro serão apresentadas novas tecnologias e tendências para levar às cidades mais inteligência e qualidade de vida. Será também um espaço de debates entre governos, empresas e entidades ligadas ao planejamento urbano e à busca de soluções transformadoras.

O Smart City Business America Congress & Expo é realizado pelo Instituto Smart City Business em parceria com a Prefeitura de Curitiba, Federação do Comércio do Paraná e a Agência Curitiba de Desenvolvimento.

Informações: Maxpress

Leia também sobre:
READ MORE - Volvo apresenta ônibus elétrico híbrido no Smart City Business America

Metrô do Recife sobrevive com pior receita

O metrô do Recife nunca transportou tantas pessoas quanto agora. Nos últimos dez anos, a demanda de passageiros duplicou. Em 2005, eram 4,5 milhões por mês. Hoje essa média é de nove milhões, incluindo as linhas Centro, Sul e os trens a diesel. Mas o crescimento da demanda está longe de significar ampliação da receita. Por dia, são transportados quase 400 mil usuários e desse universo, quase metade é oriunda do Sistema Estrutural Integrado (SEI), que permite que o passageiro use o metrô sem pagar um centavo. 
Problemas de operação são recorrentes
Não por acaso, o sistema metroviário do Recife tem a pior receita do país. O metrô arrecada mensalmente, em média, cerca de R$ 5 milhões, mas as suas despesas ultrapassam os R$ 33 milhões. Com mais de 80% das despesas subsidiadas, as chances de investimento e ampliação são praticamente nulas. A tarifa também é a menor do país, no valor de R$ 1,60 desde 2012. 

Com 30 anos de operação, o maior investimento foi a implantação da linha Sul e a compra de 15 novos trens. Mas o índice de quebra dos trens ainda é preocupante. Pelo menos mil viagens deixam de ser realizadas todos os meses em razão de problemas técnicos. “Nenhum sistema metroviário do país opera com um índice tão alto de subsídio como o nosso. Isso é ruim para o sistema porque trava a capacidade de investimento”, explicou o superintendente do Metrô Recife, Bartolomeu Carvalho. 

No último dia 10, os passageiros da Linha Sul do metrô Recife tiveram que descer na estação Largo da Paz e caminhar pelos trilhos depois que um dos trens quebrou e precisou ser rebocado para a estação da Imbiribeira. “Já fiquei vinte minutos dentro do trem parado. Quem se cansou, desceu e andou pelos trilhos. Eu esperei até chegar na estação para pegar outra condução”, disse a operadora de telemarketing Maria Lopes, 37 anos. 

Além da dificuldade em manter o sistema em operação, o metrô também sofre com os ataques de vandalismo. O custo mensal com reparos é de aproximadamente R$ 300 mil, mas pode variar dependendo do grau das depredações.

“Nós fazemos o planejamento dos investimentos, mas dependemos do que é repassado pelo governo. Mas o dinheiro que chega é sempre menor e temos que optar em priorizar os casos mais urgentes”, revelou o diretor de operações do metrô, Maurício Meirelles. 

Direção quer rediscutir modelo

Uma das principais características do transporte de passageiros da Região Metropolitana do Recife é o sistema integrado, que permite que o usuário se desloque para qualquer município interligado com uma única passagem. Fazer mudanças nessa logística é uma briga que nenhum gestor pretende comprar. Mas, pela primeira vez, a direção do metrô Recife pondera sobre a necessidade de se abrir uma discussão no modelo da política tarifária dos terminais do SEI. 

“Uma mudança nessa política tarifária poderá trazer uma arrecadação maior para o metrô, mas a gente reconhece que não é uma discussão simples para não trazer impacto para o passageiro”, ressaltou o superintendente do Metrô Recife, Bartolomeu Carvalho. O gerente de planejamento do Grande Recife, Maurício Pina, lembra que, no modelo do SEI, recebe o modal por onde o usuário entrou. “Se o usuário entra pelo metrô e integra no ônibus, o ônibus também não é tarifado.”

Para o presidente do Sindicato do Metroviários, Diogo Morais, os empresários de ônibus se beneficiaram mais com a abertura de novos terminais de integração. “Os custos das empresas de ônibus diminuíram. O metrô tem uma capacidade de transporte muito maior. E do ponto de vista social é importante, mas o subsídio deve ser assumido ou pelo governo do estado ou federal”, afirmou. Segundo o sindicato, a União só repassa o suficiente para o sistema não paralisar. Mas não há um comprometimento de valorizar do sistema, diz.

Por Tânia Passos
Informações: Diário de Pernambuco

READ MORE - Metrô do Recife sobrevive com pior receita

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

Google+ Followers

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960