Tarifa de ônibus em Piracicaba vai a R$ 4,30 a partir de 13 de julho

segunda-feira, 8 de julho de 2019

A nova tarifa do transporte público de Piracicaba, cidade com cerca de 400 mil habitantes, a 17ª mais populosa de São Paulo, passa a vigorar a partir do dia 13 de julho de 2019.

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) revisou o custo operacional do sistema, levando em conta a inflação, mão-de-obra, variação dos combustíveis, depreciação da frota, equilíbrio do contrato, entre outros itens.

O reajuste, segundo comunicado da prefeitura, é a variação dos custos no período de abril/2018 a abril deste ano e o reequilíbrio do contrato de concessão.

A tarifa comum, para os usuários do Cartão VAI, será reajustada em R$ 0,30 (7,5%), passando de R$ 4 para R$ 4,30. Já a tarifa paga pelos estudantes subirá R$ 0,20 (9,3%), passando dos atuais R$ 2,15 para R$ 2,35.

O vale-transporte, hoje em R$ 4,34, passará para R$ 4,90 (aumento de 12,9%), custo assumido diretamente pelo empregador.

Para o pagamento em dinheiro, voltado aos usuários que não possuem o Cartão VAI, o valor passará de R$ 4,40 para R$ 4,80 (9,1%). Segundo a prefeitura, essa diferença será repassada para o motorista, responsável pela venda da passagem nos ônibus.

Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Semuttran), o reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano e rural é resultado dos estudos técnicos realizados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), que determina os seus parâmetros. O objetivo é garantir o equilíbrio econômico do contrato entre a Prefeitura de Piracicaba e a empresa Concessionária Via Ágil.

A prefeitura subsidia o sistema de transporte coletivo, repondo a diferença entre o valor arrecadado com as tarifas e o custo de operação das linhas. Entre julho de 2018 a junho de 2019, a o gasto com subsídios ficou em R$ 5,97 milhões. Para os próximos 12 meses, a previsão é de que o subsídio alcance R$ 6,38 milhões.

Um item que impactou e colaborou para o reajuste foi a redução dos passageiros transportados. De 2014 a 2018, devido à crise econômica, houve uma queda de 17,5% do total de passageiros transportados, o que equivale a menos 5,9 milhões de viagens anualmente.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Informações: Diário do Transporte


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960