Metrô SP terá Wi-Fi gratuito em quarenta estações

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Quarenta estações das Linhas Verde, Vermelha e Azul do Metrô devem ganhar rede de internet sem fio gratuita em fevereiro. A novidade nasce de uma parceria com a iniciativa privada: a N1 Telecom, empresa ligada à tecnologia, foi escolhida por meio de um chamamento público e ficará responsável pelo sistema.

A implantação da rede se dará em duas etapas: vinte estações terão internet a partir de domingo (5). Nos outros vinte pontos, o sistema começa a funcionar duas semanas mais tarde, em 19 de fevereiro.

Das 62 estações administradas pelo Metrô, apenas seis já contavam com rede Wi-Fi bancada pela companhia – Sé, Vila Prudente, Tamanduateí, Paraíso, Jabaquara e Ana Rosa. Nessas paradas, o sistema atual será substituído por um mais moderno, que deve ampliar a qualidade da rede tanto em velocidade quanto em capacidade de acessos simultâneos.

Além de permitir que os usuários usem as redes sociais sem gastar o 3G, a iniciativa deve gerar lucro para a companhia de transportes. Ao permitir a exploração publicitária do conteúdo on-line, o grupo espera faturar, em um ano, 5 milhões de reais.

Para divulgar a novidade, a N1 Telecom montará lounges nas estações Ana Rosa, Brás e Sé – nesta última, o espaço será ambientado com adesivos de árvores, folhas e tapete de borracha imitando um gramado. Os três pontos receberão demarcação colorida no chão, banquetas para descanso e tomadas para carregar celulares, tablets e laptops.

Limite de acesso

Com capacidade para até 400 acessos simultâneos na maior parte das estações, o Wi-Fi da N1 Telecom funcionará com velocidade de 1mbps – “suficiente para uma boa experiência de navegação em sites, redes sociais, aplicativos de comunicação e envio de e-mails”, garante a assessoria do Metrô. 

Para acessar a internet sem gastar 3G, o usuário precisa fazer um cadastro simples, que exige dados similares ao de qualquer rede social – nome, e-mail e senha. Feito isso, o sistema funciona por quinze minutos e é interrompido, para permitir o acesso de outros internautas caso a rede esteja congestionada.

Nas estações mais movimentadas da malha, a capacidade de acessos será de até 2 000 usuários simultâneos graças à instalação de uma estrutura de fibra ótica e alta propagação. Ainda assim, é possível prever que o congestionamento de rede será um problema recorrente.

A estação Palmeiras Barra-Funda, por exemplo, recebe em média 14 300 pessoas entre 18h e 19h – ou seja, no final do dia, apenas 14% dos usuários do metrô conseguiriam usar o Wi-Fi disponível. Na Sé, a situação deve ser ainda mais crítica: por lá, circulam mais de 37 000 pessoas depois das 18h e, seguindo a mesma lógica, a rede só atenderia 5% delas. 

O Metrô informou que, a princípio, o sistema funcionará em fase de testes. A operação plena da rede começa no dia 1º de março. Confira as estações que serão atendidas pela parceria.

Linha 1 Azul – Armênia, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso, Ana Rosa, São Bento, Luz, Portuguesa-Tietê, Vila Mariana, Tucuruvi, Santa Cruz, Santana e Jabaquara.

Linha 2 Verde – Brigadeiro, Trianon-Masp, Consolação, Clínicas, Vila Madalena, Sacomã, Tamanduateí e Vila Prudente.

Linha 3 Vermelha – Marechal Deodoro, Santa Cecília, Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Artur Alvim, Penha, República, Anhangabaú, Bresser, Belém, Palmeiras-Barra Funda, Brás, Patriarca, Carrão, Vila Matilde, Guilhermina-Esperança e Sé.

Linha 5 Lilás – Santo Amaro e Largo Treze.

Informações: Veja SP

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960