Conheça o BHLS, sistema que pode substituir o BRT em Londrina

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A prefeitura de Londrina está reunida nesta quarta e quinta-feira (27) com técnicos da Embarq Brasil, ONG especializada em projetos de mobilidade urbana, para discutir ajustes no modelo de transporte rápido apresentado em março deste ano. 
Exemplo de BHLS na cidade de Nîmes, na França
A ideia original do BRT (Bus Rapid Transit) previa corredores exclusivos para ônibus articulados e 23 estações, além de dois terminais e diversas intervenções viárias, com recursos do programa federal ProTransporte, sendo R$ 124 milhões da Caixa Econômica Federal e R$ 19 milhões de contrapartida. 

No entanto, de acordo com o assessor executivo da prefeitura, Carlos Alberto Geirinhas, o projeto passará por adequações para atender o porte de uma cidade de 500 mil habitantes como Londrina. O receio da prefeitura é tornar o sistema de transporte coletivo caro com a demanda abaixo do esperado. Para o BRT ser autossuficiente, seria necessário que mais de 90% da população local fizesse uso de transporte público. 

A previsão de Geirinhas é que o BRT seja substituído por outro modelo, o do BHLS ( Bus with High Level of Service), desenvolvido na Europa. O sistema é mais simples, dispensa obras de infraestrutura pesada e tem capacidade de transporte até 60 mil passageiros por dia, sem necessidade de construir canaletas exclusivas. Em cidades como Madrid e Amsterdam, o sistema atende de 30 a 40 mil usuários/dia. 

Seriam estabelecidas as já existentes faixas exclusivas para ônibus e as estações seriam uma evolução dos atuais abrigos, com espaço maior de cobertura, área para estacionamento de bicicletas e piso elevado para embarque. 

Na Europa, o sistema também tem prioridade semafórica e pequenos trechos preferenciais para evitar interseções congestionadas, agilizando o percurso. 

"O BRT do jeito que estava sendo imaginado precisaria de obras profundas. Vamos tentar usar ao máximo a estrutura já existente para implantar o sistema de forma mais rápida  possível", afirmou Geirinhas em entrevista à rádio Paiquerê. Ele confirmou que, apesar das possíveis alterações no projeto, o recurso do ProTransporte segue garantido. 

As mudanças discutidas entre representantes da prefeitura e técnicos da Embarq devem ser anunciadas nos próximos dias.

Informações: Redação Bonde

READ MORE - Conheça o BHLS, sistema que pode substituir o BRT em Londrina

Estudo aponta as piores cidades do mundo em qualidade de mobilidade urbana

Os custos relativos das passagens do transporte público e a integração de passagens de ônibus, metrôs e trens foram os fatores decisivos do desempenho da capital paulista. Por outro lado, a cidade teve mal desempenho na questão dos pesados congestionamentos.

A consultoria Arthur D. Little, que elaborou o ranking "Futuro da Mobilidade Urbana", comparou 84 cidades do mundo levando em conta 19 critérios relativos à performance e maturidade da mobilidade urbana.

Os dados foram lançados em janeiro e discutidos em uma reunião sobre o tema na semana passada na China.

São Paulo ficou em 34º lugar, uma posição à frente de Nova York. As primeiras três posições foram ocupadas respectivamente por Hong Kong, Estocolmo e Amsterdã.

Outras duas cidades brasileiras foram analisadas: Curitiba (39 ͣ) e Rio de Janeiro (40º).

De acordo com o estudo, uma boa frequência dos meios de transporte público e os cartões de passagens que permitem aos passageiros trocar de ônibus para trens e metrôs sem custo adicional foram fatores que contribuíram positivamente para o desempenho das cidades brasileiras.

Nova York x São Paulo
Apesar de posições semelhantes no ranking, um dos pesquisadores que participaram do estudo, François-Joseph Van Audenhove, ressaltou que São Paulo e Nova York têm sistemas de transporte diferente.
"O sistema de mobilidade de Nova York é muito forte em desempenho, mas deixa a desejar em maturidade", disse Audenhove à BBC Brasil. "O de São Paulo é mais maduro, mas tem um desempenho pior que o de Nova York."

Os fatores mais positivos encontrados no cenário de mobilidade de Nova York foram as baixas taxas de emissão de poluição (gás carbônico e parículas) dos meios de transporte e a baixa taxa de mortes no trânsito – que é um quinto do índice paulistano.

De acordo com a Arthur D. Little, a taxa média de mortes no trânsito na cidade americana é de 16 para cada 1 milhão de habitantes. Em São Paulo esse número chega a 78.

Embora o preço das tarifas tenha sido decisivo para a boa colocação paulistana no ranking, o professor brasileiro Carlos Alberto Bandeira Guimarães, do Departamento de Transporte e Geotecnia da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp, acredita que este pode não ser um bom critério para julgar sistemas de mobilidade urbana.

Isso porque o poder aquisitivo dos usuários do transporte público varia entre os diversos países. No caso paulistano, a tentativa de elevar a tarifa de ônibus em R$ 0,20 - estopim para protestos contra o custo-benefício dos serviços públicos que se multiplicaram pelo Brasil - foi considerada excessiva pelos que se opuseram ao aumento.

Audenhove destacou ainda que São Paulo teria uma divisão mais equilibrada na divisão de modais, ou seja, o percentual de pessoas que usam cada tipo de transporte.

Por fim, os pesquisadores americanos e o brasileiro foram unânimes em elogiar a penetração dos cartões de trânsito, que permitem o uso integrado de diferentes meios de transporte público.

Para o professor Guimarães, a integração dos transportes públicos na qual o passageiro paga uma só tarifa é "a base de uma sistema moderno de transporte público hierarquizado".

O sistema, segundo ele, deve se basear em modais básicos de alta capacidade – geralmente linhas de trens ou metrôs – que são complementados por sistemas de capacidade um pouco menor com maior capilaridade, como ônibus BRT e monotrilhos. "Para funcionar bem é preciso uma grande integração", disse ele.

De maneira geral, as cidades brasileiras perderam muitos pontos nos critérios relacionados à performance do transporte, entre eles tempo de viagem, emissões de CO2 e partículas, mortes no trânsito e tamanho da frota de veículos.

Segundo o estudo, os congestionamentos custam a São Paulo e Rio de Janeiro aproximadamente 8% de seu Produto Interno Bruto.

A consultoria aponta como exemplo negativo o fato de São Paulo já ter registrado um congestionamento de 344 quilômetros em 2014 – o recorde histórico mundial, segundo o levantamento da Arthur D. Little.

A origem do problema estaria em uma cultura direcionada ao uso dos carros. Ela teria tido início na década de 1960, quando mais vias começaram a ser construídas, dando preferência ao transporte por automóveis. Além disso, a tendência teria sido acentuada por políticas que diminuíam a taxação na compra de veículos automotores.
"O maior desafio para as cidades brasileiras é repensar o seu sistema e reorientar o caminho de desenvolvimento dos sistemas de mobilidade urbana brasileiros, para mudar do que coloca o carro numa posição central para o de desenvolvimento de outros meios de transporte, disse o pesquisador Oleksii Korniichuk, gerente do Laboratório Futuro da Mobilidade Urbana, da consultoria.

Além disso, segundo Guimarães, não houve um "planejamento" que desse prioridade ao transporte por automóveis, e sim um aumento natural da frota de veículos que acompanhou o crescimento das cidades. O poder público então "correu atrás" para criar infraestrutura para esses carros.

Segundo ele, o maior entrave à qualidade da mobilidade urbana hoje é a baixa qualidade do transporte público no Brasil. "Tem gente hoje que gasta de quatro a cinco horas no trânsito".

A solução, afirma, passa por melhorias de infraestrutura complanejamento a longo prazo na área de transporte público, incentivo ao uso de bicicletas e facilidades para os pedestres e restrições à circulação de carros.

Oportunidade olímpica
A consultoria destacou que o legado da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, no caso do Rio de Janeiro, pode ter um grande impacto na colocação das cidades brasileiras no próximo levantamento.

Segundo a entidade, a criação de corredores de ônibus do tipo BRT e de uma central de controle que integra serviços públicos, como policiamento e defesa civil, deve aumentar a mobilidade e reduzir o número de acidentes de trânsito na cidade.

Além disso, se as promessas brasileiras de investir mais de US$ 1 bilhão para modernizar serviços de trens e ônibus, e diminuir o tempo médio de viagem do aeroporto para os principais hotéis de 50 para 35 minutos, o Rio pode dar um salto em termos de mobilidade – como aconteceu com Londres nos últimos jogos olímpicos.

"O Rio tem uma oportunidade marcante para abrir caminho em direção a transformações positivas em seu sistema de mobilidade durante a preparação para as Olimpíadas", disse Audenhove.

"Atores dos setores públicos e privados devem unir forças e usar o tempo restante para aproveitar o potencial que esse mega evento traz para a cidade. As Olímpíadas são sempre um teste sério para a mobilidade urbana e o Rio deve estar preparado para ele."

Segundo Guimarães, o Rio de fato tem uma grande oportunidade para aproveitar – assim como fizeram as cidades de Barcelona e Londres. Mas além da infraestrutura, é preciso investir em informação à população, especialmente durante o período do evento.

Luis Kawaguti
Da BBC Brasil em Londres

READ MORE - Estudo aponta as piores cidades do mundo em qualidade de mobilidade urbana

Confira as linhas de ônibus que atenderão os vestibulandos da Universidade Federal do Paraná

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Tendo em vista a segunda fase do Processo Seletivo 2015 da Universidade Federal do Paraná no domingo (30) e na segunda-feira (1º de dezembro), a URBS já definiu as linhas que atenderão os diversos locais das provas que serão realizadas das 14h às 19h. Nos dois dias, os portões serão fechados às 13h30.

No domingo, as linhas especiais terão início de operação entre 10h e 10h30. Os eventuais reforços de algumas linhas se darão entre 10h e 11h. Também domingo, a Linha Direta Centro Politécnico e a Linha Universidades, que não operam nesse dia de semana, excepcionalmente terão programações especiais nos dois dias.

Na ida, as linhas especiais operam entre 10h e 11h até o início das provas; a volta se dará a partir das 15h, até o término dos horários das provas. Nos dois casos, os ônibus estarão à disposição dos fiscais da URBS.

Já na segunda-feira, as linhas de ônibus farão atendimento normal, com reforço de linha se necessário. Ainda na segunda-feira, as provas serão realizadas em todos os locais abaixo, exceto a PUC – Pontifícia Universidade Católica, no Prado Velho.

Confira as linhas e horários disponíveis nos dois dias e provas:

• Colégio Estadual Júlia Wanderley – Avenida Vicente Machado, 1.643 – Batel

Linhas DETRAN/ Vicente Machado e Itupava/Hospital Militar – embarques na Praça Zacarias. Interbairros

• Colégio Estadual Paulo Leminski – Av. Cel. Augusto de Almeida Garret, 135 – Tarumã – 908 inscritos.

Linhas: Tarumã – Praça Carlos Gomes;  Linha Direta Inter II ­ - embarques nos terminais Capão da Imbuia, Cabral, Campina do Siqueira, Portão, Capão Raso e Hauer. Interbairros II - embarques nos terminais Capão da Imbuia, Cabral, Campina do Siqueira, Capão Raso e Hauer. DETRAN/Vicente Machado  - Praças Tiradentes e Santos Andrade. Linha Direta Bairro Alto/Santa Felicidade – Praça Tiradentes, ou nos terminais Bairro Alto e Santa Felicidade.

• Colégio Estadual Pedro Macedo – Av. República Argentina, 2.376 – Portão

Linhas: Expresso Pinheirinho – Praça Rui Barbosa e terminais Portão, Capão Raso e Pinheirinho. Descer na estação-tubo Morretes. Expresso Santa Cândida/Capão Raso – Estação Central, na Rua Presidente Faria, e terminais Portão, Capão Raso, Cabral, Boa Vista e Santa Cândida. Descer na estação-tubo Morretes.

• Colégio Estadual Xavier da Silva -  Av. Silva Jardim, 613 – Rebouças

Linhas: Expresso Santa Cândida/Capão Raso -  terminais Santa Cândida; Boa Vista; Cabral; Estação Central, Portão e Capão Raso.Expresso Centenário/Campo Comprido – Praça Rui Barbosa e terminais Capão da Imbuia, Oficinas, Centenário, Campo Comprido e Campina do Siqueira. Expresso Pinhais/Rui Barbosa – Praça Rui Barbosa e Terminais Capão da Imbuia e Pinhais. Expresso Boqueirão – Praça Crlos Gomes e terminais Boqueirão, Carmo e Hauer. Expresso Pinheirinho – Praça Rui Barbosa e terminais Portão, Capão Raso e Pinheirinho.

• PUC – Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Campus Curitiba - Rua Imaculada Conceição, 1.155 – Prado Velho

A PUC abrigará candidatos apenas no domingo.

Servido por duas linhas especiais, nos seguintes horários: Especial Universidades – saídas do ponto Raquel Prado : 10h02; 10h50; 11h38; 12h22; 13h10; 13h54; 15h23; 16h12; 16h52; 17h45; 18h21 e 19h16. Saídas da Rua José Loureiro:  10h18; 11h04; 11h52; 12h37; 13h24; 14h08; 15h37; 16h26; 17h06; 17h59; 8h35 e 19h30. Saídas da PUC, no Prado Velho: 10h58; 11h42; 12h31; 13h17; 14h46; 15h35; 16h15; 17h06; 17h44; 18h37; 19h13 e 20h09. Saídas do ponto na Av. Marechal Floriano, entre as ruas Marechal Deodoro e XV de Novembro – 11h18; 12h02; 12h50; 13h35; 15h04; 15h53; 16h33; 17h26; 18h02; 18h57; 19h31 e 20h29.

Linha Especial José Loureiro/PUC – saídas da Rua José Loureiro, entre Alameda Dr. Muricy e Rua Desembargador Westphalen, no ponto da linha Bom Retiro/PUC: saídas a partir das 10h30.

Linha Direta Especial PUC, com saída da estação-tubo Centro Cívico10h30, 11h23, 12h07 e 12h51.. Embarques também nas estações-tubo Prefeitura, Círculo Militar e Rodoferroviária (que fica na esquina da Av. Sete de Setembro e Rua Mariano Torres).

 Uberaba – sai da Praça Rui Barbosa; Interbairros I – linha circular, com passagem em vários bairros. Cabral/Portão – terminais Cabral e Portão. Interbairros V – terminais Fazendinha, Portão e Oficinas. Linha Direta Aeroporto – embarques nas estações-tubo Centro Cívico, Prefeitura, Círculo Militar, Rodoferroviária, Paiol, PUC e Aeroporto. Linha Direta/Fazenda Rio Grande – tubo fica na Rua Lourenço Pinto, entre Rua André de Barros e Avenida Visconde de Guarapuava.

• UFPR – Centro Politécnico -  Av. Cel. Francisco H. dos Santos, s/n – Jardim das Américas

Servido por duas linhas especiais, nos seguintes horários: Especial Universidades – saídas do ponto Raquel Prado : 10h02; 10h50; 11h38; 12h22; 13h10; 13h54; 15h23; 16h12; 16h52; 17h45; 18h21 e 19h16. Saídas da Rua José Loureiro:  10h18; 11h04; 11h52; 12h37; 13h24; 14h08; 15h37; 16h26; 17h06; 17h59; 8h35 e 19h30. Saídas da PUC, no Prado Velho: 10h58; 11h42; 12h31; 13h17; 14h46; 15h35; 16h15; 17h06; 17h44; 18h37; 19h13 e 20h09. Saídas do ponto na Av. Marechal Floriano, entre as ruas Marechal Deodoro e XV de Novembro – 11h18; 12h02; 12h50; 13h35; 15h04; 15h53; 16h33; 17h26; 18h02; 18h57; 19h31 e 20h29.

Linha Direta Especial Centro Politécnico, com saída da estação-tubo Círculo Militar:  10h; 10h18; 18h36; 10h54; 11h12; 11h30; 11h48; 12h06; 12h24; 12h42; 13h e 13h18.

Linha Direta Centenário – saídas do Terminal Centenário e da estação-tubo da Rua Marechal Deodoro, no centro.

• UFPR  - Setor de Ciências Agrárias – Rua dos Funcionários, 1.540 – Juvevê

Linha Direta Inter 2 – terminais Cabral, Capão da Imbuia, Hauer, Capão Raso, Portão e Campina do Siqueira. Interbairros II- terminais Cabral, Capão da Imbuia, Hauer, Capão Raso e Campina do Siqueira.

Juvevê/Água Verde – ponto central na Av. Marechal Floriano, entre ruas Marechal Deodoro e XV de Novembro, e também na Praça Tiradentes.

• UFPR – Setor de Ciências de Saúde – Sede Botânico e Sede Botânico Didático II, e também UFPR – Setor de Ciências Sociais – Sede Botânico  -  – Av. Prefeito Lothário Meissner, 632 – Jardim Botânico, respectivamente, com 552, 470 e 1.826 inscritos.

Servido por duas linhas especiais, nos seguintes horários: Especial Universidades – saídas do ponto Raquel Prado : 10h02; 10h50; 11h38; 12h22; 13h10; 13h54; 15h23; 16h12; 16h52; 17h45; 18h21 e 19h16. Saídas da Rua José Loureiro:  10h18; 11h04; 11h52; 12h37; 13h24; 14h08; 15h37; 16h26; 17h06; 17h59; 8h35 e 19h30. Saídas da PUC, no Prado Velho: 10h58; 11h42; 12h31; 13h17; 14h46; 15h35; 16h15; 17h06; 17h44; 18h37; 19h13 e 20h09. Saídas do ponto na Av. Marechal Floriano, entre as ruas Marechal Deodoro e XV de Novembro – 11h18; 12h02; 12h50; 13h35; 15h04; 15h53; 16h33; 17h26; 18h02; 18h57; 19h31 e 20h29.

Linha Direta Especial Centro Politécnico, com saída da estação-tubo Círculo Militar:  10h; 10h18; 18h36; 10h54; 11h12; 11h30; 11h48; 12h06; 12h24; 12h42; 13h e 13h18.

Endereços também são servidos pelas linhas Petrópolis e Santa Barbra, saindo da Praça Rui Barbosa, e Solitude, na Praça Carlos Gomes.

Informações: URBS

READ MORE - Confira as linhas de ônibus que atenderão os vestibulandos da Universidade Federal do Paraná

No Recife, Recursos aprovados para construção do BRT na Av. Agamenom Magalhães

Suspensas em junho do ano passado, as obras do ramal Agamenon Magalhães do Corredor de BRT (ônibus de trânsito rápido, em português) Norte-Sul vão, enfim, ser retomadas. Na última sexta-feira, a Caixa Econômica Federal aprovou a liberação dos R$ 96 milhões para execução do projeto, por meio do PAC Mobilidade. As empresas contratadas – o Consórcio Heleno Fonseca Construtécnica S.A. e a Consbem Construções e Comércio – estão sendo convocadas a reinstalar os canteiros de obras e a previsão é de que os serviços tenham início em janeiro de 2015, com prazo de 18 meses.

O projeto – que passou por vários ajustes – prevê a construção de nove estações de embarque e desembarque de passageiros sobre o Canal Derby-Tacaruna, numa extensão de 4,8 quilômetros entre a altura da antiga fábrica Tacaruna e o Terminal Integrado de Joana Bezerra. Os dois viadutos sobre a Avenida João de Barros serão alargados, permitindo faixas exclusivas para ônibus. E uma passarela de pedestres será erguida nas imediações das comunidades do Chié e Ilha do Joaneiro, em Campo Grande.

A Agamenon Magalhães é considerada a espinha dorsal do trânsito no Recife, por ligar a cidade de norte a sul, além de ser passagem para municípios vizinhos. Várias intervenções já foram projetadas para a via, inclusive a polêmica construção de quatro elevados que fariam parte desse projeto, posteriormente descartada.

No plano atual, a via será um dos dois ramais do Corredor Norte/Sul, que tem início em Igarassu, bifurcando na altura do Shopping Tacaruna. O outro ramal é o da Avenida Cruz Cabugá, que vai até o Centro do Recife e conta com oito das 28 estações projetadas em funcionamento, embora a previsão seja de que as obras fiquem prontas em dezembro.

“Trabalhamos com essa perspectiva, mas se houver atraso não vai passar de dois meses, pois falta pouca coisa para concluir as estações”, declara o secretário estadual das Cidades, Evandro Avelar. “Também estamos pensando em eliminar uma das estações (perto do Cemitério dos Ingleses), que ficaria muito próxima da outra”. 
Usuários são prejudicados nas calçadas estreitas da via
Obras projetadas para a Copa do Mundo, os corredores de BRTs ainda funcionam de forma tímida, cinco meses depois de inaugurados. Pelos 33 quilômetros do Norte-Sul, circulam apenas duas linhas de ônibus. Dos 90 BRTs previstos para o percurso, apenas 28 estão operando. 

No Leste-Oeste (que liga o Recife a Camaragibe), 11 das 26 estações estão em funcionamento, com 33 dos 96 BRTs previstos. A maioria dos ônibus já foi adquirida e está se depreciando nas garagens. Cada um custa R$ 750 mil. 

Além das estações inacabadas, as pendências incluem o alargamento de duas pontes: uma sobre o Rio Beberibe, nas proximidades do Parque Memorial Arcoverde, e a outra sobre o Canal da Malária, ambas em Olinda; o túnel da Abolição, na Madalena; e os terminais da III e IV perimetrais.

Apesar do atraso, Avelar destaca a importância e dimensão do trabalho realizado. “O Sistema Estrutural Integrado (SEI) ganhou os dois corredores que faltavam (Norte-Sul e Leste-Oeste). Estruturamos um serviço de primeiro mundo, aprovado pela população. Desenvolvemos e implantamos ferramenta de gerenciamento eficaz (a licitação). Se chegarmos ao final de uma mudança desse porte com um atraso de 1 ano e 5 meses (tudo deve estar pronto em maio), não é nada significativo para um governo que investiu mais de R$ 1,3 bilhão e deu um novo rumo ao serviço de transporte do Grande Recife”, conclui.

Por Margarette Andrea

READ MORE - No Recife, Recursos aprovados para construção do BRT na Av. Agamenom Magalhães

Tarifa de ônibus em São Paulo pode chegar a R$3,40‏

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A Prefeitura de São Paulo estuda reajustar o valor da tarifa dos ônibus municipais da capital paulista a partir de janeiro de 2015 para R$ 3,40, segundo estudos da São Paulo Transportes (SPTrans). O anúncio do aumento deve ser feito no fim de dezembro.
Com o reajuste, o valor do subsídio que a Prefeitura paga às empresas de transporte urbano cai do atual R$ 1,6 bilhão para R$ 1,4 bilhão ao ano, de acordo com dados da administração municipal. Se o reajuste não for aplicado, a Prefeitura terá que pagar R$ 2 bilhões para subsidiar o valor das passagens.

Em junho de 2013, o prefeito Fernando Haddad (PT) revogou o reajuste da tarifa de ônibus de R$ 3,20 e manteve o preço da passagem nos atuais R$ 3 após - vigente desde 2011 - após uma série de protestos, organizados pelo Movimento Passe Livre (MPL). Nesta terça-feira (25), manifestantes foram à Prefeitura, no Viaduto do Chá, Centro da capital, para cobrar que a tarifa não sofra reajuste.

De acordo com o estudo, se fosse levado em conta somente a inflação acumulada no período, a tarifa seria reajustada em R$ 3,75. No entanto, esse valor pesaria muito no bolso dos usuários do transporte público e poderia gerar uma nova onde de protestos.

Na tentativa de diminuir o impacto nas finanças dos passageiros, a previsão é que o preço não seja superior a R$ 3,50.

Três medidas podem contribuir para diminuir os custos dos cofres públicos com o subsídio: a primeira é a sanção da presidente Dilma Rousseff do projeto de lei que altera o indexador da dívida de estados e municípios com a União e alivia a situação fiscal desses entes da federação. Com a lei vigorando, o município de São Paulo recuperaria a médio e longo prazo a possibilidade de fazer novos empréstimos.

Auditoria vai influenciar
A segunda medida depende da conclusão da auditoria sobre o sistema de transporte público de São Paulo, realizado pela consultoria Ernst & Young, que deve ser entregue no dia 10 de janeiro.

A auditoria foi realizada após os protestos contra o aumento das passagens, para examinar as planilhas de custos e de remuneração das empresas de ônibus. Com os dados em mãos, a Prefeitura pretende realizar uma nova licitação mais equilibrada do sistema.

IPTU
O aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) , barrado por liminar na Justiça no passado, seria uma terceira alternativa para custear o subsídio dado às tarifas, segundo Haddad.  A possibiliade de reajuste - de até 20% para imóveis residenciais e de 35% para comerciais - será julgada nesta quarta-feira (26) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Subsídio
Atualmente, 70% do valor da passagem é custeada pelos passageiros; 10% do valor são custeados pelos empresários do setor e 20% pelo poder público, ou seja, pela Prefeitura através de subsídios.

Em 2012, as empresas de ônibus receberam cerca de R$ 1 bilhão em subsídios. Em 2013, com o lançamento do Bilhete Único Mensal, a contrapartida para o sistema de ônibus foi de R$ 1,25 bilhão. E, neste ano, foi gasto R$ 1,6 bilhão.

CPTM e Metrô
Em semtembro, o secretário de Transpotes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, afirmou que Metrô e CPTM "provavelmente" não terão aumentos em 2015. Ele ressalvou, no entanto, que ainda seria feita uma análise para verificar a necessidade de realizar reajustes.

Assim como ocorreu com os ônibus na capital, as tarifas do Metrô e dos trens da Grande São Paulo tiveram o aumento suspenso por causa dos protestos de junho de 2013. A tarifa do transporte sobre trilhos, que havia sido elevada para R$ 3,20, voltou a custar R$ 3,0 depois das manifestações.

Por Tatiana Santiago 
Informações: Do G1 São Paulo

Leia também sobre:
READ MORE - Tarifa de ônibus em São Paulo pode chegar a R$3,40‏

Prefeitura do Recife garante junto ao Governo Federal recursos para obras de BRS e projeto de VLT

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O prefeito Geraldo Julio garantiu, durante encontro com o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, na manhã desta terça-feira (25), em Brasília, o repasse de R$ 122,3 milhões para a melhoria da mobilidade urbana no Recife. Desse total, R$ 98,3 milhões serão destinados à implantação de cinco corredores do sistema Bus Rapid Service (BRS) e R$ 24 milhões para elaboração de projeto das linhas Centro e Sul de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O encontro do prefeito com o ministro aconteceu no Ministério das Cidades.

No caso do BRS, serão implantados corredores exclusivos de ônibus nas avenidas Abdias de Carvalho (7,5 km), Beberibe (5,2 km), Recife (5,0 km), Mascarenhas de Moraes/Av. Sul (23,1 km), Binário Domingos Ferreira/Herculano Bandeira com Conselheiro Aguiar/Antônio de Gois (9,8 km). Os corredores serão contemplados com sinalização, monitoramento, fiscalização com câmeras, reforma de calçadas e pavimento, iluminação, instalação de painéis de mensagem variável, detectores de fluxo veicular e substituição de abrigos.

Ao todo são 50,6 quilômetros de vias que receberão o investimento para priorização do transporte público de passageiros e pedestres. Atualmente, 401 mil passageiros circulam nessas vias diariamente de ônibus e serão beneficiados pelo serviço. A estimativa aponta ainda que moradores de 23 bairros poderão usufruir do sistema. As obras devem começar quatro meses após a assinatura do contrato de repasse dos recursos.

De acordo com o prefeito Geraldo Julio, a implantação do BRS na cidade vai resultar na redução do tempo de viagem e consequentemente no ganho de qualidade de vida dos recifenses. “O único caminho para melhorar a mobilidade é priorizar o pedestre e o transporte público. Com estes corredores mais de 400 mil recifenses serão beneficiados por 50 km de calçadas requalificadas e por viagens mais rápidas e confortáveis de ônibus”destacou o prefeito, que estava em Brasília acompanhado do secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos do Recife, Victor Vieira, do chefe do Gabinete de Projetos Especiais, João Guilherme Ferraz, e da presidente do Instituto Pelópidas Silveira, Evelyne Labanca.

Na reunião, o prefeito Geraldo Julio também tratou das cartas-consultas para os estudos de viabilidade técnica e econômica e elaboração de projetos de engenharia para dois trechos de VLT no Recife, a linha Centro, saindo da Ilha Joana Bezerra, e o trecho Sul, que segue pela Avenida Domingos Ferreira. Após a elaboração do projeto, a obra terá que ser licitada. O repasse dos recursos será realizado através de financiamento junto ao governo federal.

“Uma cidade que planeja seu futuro tem que ter projetos inovadores sempre a mão. Estes sistemas de VLT vão transformar o Recife” afirmou Geraldo Julio.

Bairros beneficiados com o BRS – Bongi, Torrões, Cordeiro, Prado, Derby, Imbiribeira, Ibura, Santo Antônio, São José, Afogados, Pina, Boa Viagem, Encruzilhada, Ponto de Parada, Água Fria, Fundão, Porto do Madeira, Beberibe, Areias, Jiquiá, Cidade Universitária, Ipsep e Jordão.

Informações: Prefeitura do Recife
READ MORE - Prefeitura do Recife garante junto ao Governo Federal recursos para obras de BRS e projeto de VLT

Metrô de Salvador transporta mais de 23 mil pessoas por dia e bate recorde

O metrô de Salvador, administrado pela CCR Metrô Bahia, registrou novo recorde nesta segunda-feira (24/11). Ao todo, foram transportados 23.017 passageiros entre às 8h e 18h, nas estações Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro.

“Cada vez mais, os soteropolitanos estão incorporando o metrô à sua rotina diária,pelo transporte ser rápido, seguro e confortável. Pelos registros, nota-se que houve um acréscimo de embarques no horário entre às 17h e 18h, nas estações Lapa e Acesso Norte, contribuindo para este novo recorde”, avalia o diretor-presidente da CCR Metrô Bahia, Harald Peter Zwetkoff.

Desde o início da Operação Assistida (fase experimental), em 11 de junho, o metrô transportou mais de 1,8 milhão de passageiros. Com uma média diária de 21 mil passageiros, a concessionária espera atingir a marca de 2 milhões de usuários na primeira semana de dezembro.

O transporte continua funcionando de segunda à sexta-feira das 8h às 18h e, aos sábados, das 8h às 13h, sem cobrança de tarifa. Em dias de jogos na Arena Fonte Nova, o metrô opera em horário especial.

Informações: Tribuna da Bahia

READ MORE - Metrô de Salvador transporta mais de 23 mil pessoas por dia e bate recorde

Solicitação para segunda via do seu Bilhete Único é até o próximo dia 30 de novembro

A SPTrans informa que os estudantes que precisarem da segunda via do seu Bilhete Único 2014, podem fazer sua solicitação  até o próximo dia 30 de novembro.

Já a partir do dia 8 de dezembro, os estudantes podem solicitar o cartão que será utilizado em 2015. Para isso, eles precisarão estar matriculados em uma instituição de ensino cadastrada no sistema de Bilhete Único Escolar da SPTrans e já terem manifestado a intenção de obter o cartão na instituição em que estudam.

A solicitação é feita pelo próprio estudante, através do site do Bilhete Único. É necessário se cadastrar, informar o RG, CPF e enviar o arquivo de uma foto digitalizada. 

Vale lembrar que para obter o benefício é necessário residir a uma distância superior a um quilômetro da instituição de ensino, e que o percurso entre a residência e a escola tenha oferta de transporte público.

Informações: SPTrans

READ MORE - Solicitação para segunda via do seu Bilhete Único é até o próximo dia 30 de novembro

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960