Rodoviária de Salvador vai mudar para Águas Claras

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A informação de que o Terminal Rodoviário de Salvador, situado na Avenida ACM, será transferido para o bairro de Águas Claras, na região de Cajazeiras; foi divulgada nesta sexta-feira (05) pelo secretário da Casa Civil, Rui Costa. A ideia é que o terminal rodoviário esteja no mesmo espaço de uma das estação do metrô.

De acordo com a proposta, o edital de licitação deve ser lançado em até 60 dias e a previsão do governo é que a obra esteja finalizada em dois anos. Para Rui Costa, “Salvador é um cone e o lugar onde está hoje a rodoviária é o maior ponto de estrangulamento da cidade. Se é o ponto mais crítico, não faz sentido ter ali todo o tráfego intermunicipal chegando. A rodoviária deve estar atrelada à BR-324. As pessoas vem do interior em viagem de seis horas e às vezes gastam duas horas só na entrada de Salvador até a estação rodoviária”, disse o secretário.

A localização prevista fica perto da Avenida 29 de Março, que deve ligar a Avenida Paralela à BR-324.

O secretário também afirmou que o terreno em Águas Claras já foi identificado e a pasta vai providenciar um decreto para que ele seja classificado como de utilidade pública. A empresa que ganhar o edital deverá ser responsável pelo pagamento das desapropriações e receberá em contrapartida a área da atual rodoviária.

“Do ponto de vista comercial, é a área [Avenida ACM] mais valorizada da cidade. Nós estamos convencidos de que ela é suficiente para remunerar quem vai construir. A área deixará de ser pública só quando o novo equipamento [em Águas Claras] estiver concluído”, afirmou.

O secretário preferiu não informar o valor estimado do terreno da atual rodoviária por conta da especulação imobiliária, mas diz que já foi pedido uma avaliação à Caixa Econômica Federal.

READ MORE - Rodoviária de Salvador vai mudar para Águas Claras

Prefeito do Recife descarta rodízio de carros na cidade

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, garantiu, em entrevista a Geraldo Freire, na manhã desta quarta-feira (10), que não vai adotar o sistema de rodízio de carros no Recife. A alternativa, divulgada pelo secretário de Mobilidade Urbana, João Braga, tinha por objetivo restringir o número de carros em horários específicos para diminuir a quantidade de veículos nas ruas, diminuindo os congestionamentos. "Essa história está descartada. Não vai haver rodízio no Recife. Autorizei Braga a discutir o assunto mobilidade com especialistas e com a sociedade. Mas não vamos adotar essa medida (rodízio) na cidade", garantiu.

O assunto foi debatido após a pesquisa divulgada pelo JC, em parceria com o IPMN, que aponta a mobilidade como o grande gargalo a ser enfrentado pela gestão de Geraldo Julio. "Estamos fazendo um esforço grande para melhorar a questão da mobilidade no Recife. Em três meses de governo, já tapamos buracos em 1.083 ruas. Além disso, tivemos 30 vias recapeadas e mais de 300 placas de concreto, em importantes vias do Recife, foram trocadas", informou o prefeito. Além disso, estamos mais atentos às bicicletas. Em parelelo, comprei tablets para que os agentes da CTTU tenham mais tecnologia para fiscalizar a cidade e fazer o trânsito andar", finalizou.

Quando o secretário João Braga divulgou que o Recife estava estudando implantar o sistema de rodízio, que já existe em São Paulo, a chiadeira foi geral. Muita gente informou, inclusive, que caso o rodízio fosse implantado, entraria na justiça para conseguir uma liminar e poder trafegar normalmente.

Pela proposta de Braga, automóveis com placas terminadas em números pares ficariam livres para trafegar em dias pares, mas teriam restrições nos dias ímpares. A secretaria tinha a intenção de que a fórmula fosse testada ainda na primeira metade deste ano em alguns corredores viários. Hoje, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a frota recifense é de 610.761 automóveis.

“Se o grande problema está nesses horários de pico, a gente pode distribuir melhor os veículos, saindo um pouco mais cedo ou mais tarde nos dias do seu rodízio”, explicou Braga, na época.

READ MORE - Prefeito do Recife descarta rodízio de carros na cidade

Em Fortaleza, Metrô da linha Leste passa a custar R$ 3,43 bi

O metrô da linha Leste de Fortaleza tem novo orçamento. O valor total do projeto, incluindo a obras dos túneis subterrâneos, as estações, os trens e as máquinas tuneladoras etc., foi elevado de R$ 3,1 bilhões para R$ 3,43 bilhões, um reajuste de 10,64%, sobre o preço original do projeto, orçado em 2010.

O novo preço da linha Leste, que irá interligar o Centro de Fortaleza, via Avenida Santos Dumont, ao Fórum Clóvis Beviláqua, foi confirmado ontem, pelo secretário estadual de Infraestrutura, Adail Fontenele. Ele anunciou, também, para o dia 21 de maio próximo, a abertura da licitação reversa das obras de perfuração dos túneis, ao preço máximo de R$ 2,496 bilhões.

Reajuste

Segundo o secretário, "o preço (do metrô da linha Leste) foi reajustado, porque estava defasado". Conforme disse, o reajuste tem por base as tabelas de preços de obras e serviços da Seinfra, do Sinapi (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil) e do Manual de Custos Rodoviários do Dnit (Sicro), que também foram corrigidas monetariamente.

Conforme explicou Fontenele, do valor total do projeto, R$ 1 bilhão será bancado pelo Orçamento Geral da União (OGU), R$ 1,43 bilhão, financiados por meio de Parceria Público Privada (PPP) e R$ 1 bilhão, da Caixa Econômica Federal, recurso este sobre o qual o governador Cid Gomes, tratou ontem, pessoalmente, com o presidente da Caixa, Jorge Hereda, e com o vice-presidente para a Àrea de Governo da Caixa, José Urbano Duarte, em Brasília.

Tatuzões

De acordo ainda, com o secretário, o projeto do metrô da linha Leste já teria sido aprovado pelo Ministério das Cidades e já se encontra, em avaliação, na direção da Caixa, em Brasília. "Sempre que vai a Brasília, o governador procura acompanhar de perto a tramitação desse projeto", acrescenta uma fonte, próxima ao gabinete de Cid Gomes.

Apesar do empenho do governador cearense, Fontenele reconhece que a obra será um legado da atual administração para os sucessores de Cid Gomes. "Se tudo correr bem, será uma obra para seis anos, no mínimo. Para ser inaugurada pelo sucessor do governador Cid Gomes.

Quanto aos "tatuzões", as tuneladoras que irão perfurar os túneis sobre a Avenida Santos Dumont, o secretário informou que duas máquinas chegam em julho e outras duas, em setembro, próximos. "Nesse tempo, a gente espera que a licitação já tenha sido concluída", avalia.

Fontenele disse ainda, que o problema de geradores para alimentar de energia elétrica as tuneladoras nos 13 quilômetros de extensão dos túneis já estaria sendo resolvido. "A questão da energia já está resolvida. Estamos licitando geradores, que serão distribuídos ao longo da obra",explicou o secretário.

VLT em 2014

Com atraso de pelo menos um ano, as obras da linha férrea Parangaba-Mucuripe, por onde trilhará o VLT foram retomadas. "A parte de engenharia não nos preocupa. Em janeiro (de 2014) iremos fazer os testes com os trens, para operarmos comercialmente, em junho" (às vésperas da Copa), garante Fontenele.

Por Carlos Eugênio
READ MORE - Em Fortaleza, Metrô da linha Leste passa a custar R$ 3,43 bi

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960