Integração ajuda morador da Grande SP a economizar na passagem

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Especialistas dizem que um sistema de transporte público só pode ser eficiente se estiver integrado. Na Grande São Paulo e capital, os sistemas até se comunicam, mas a integração ainda não é completa, como mostrou reportagem do Anda SP desta terça-feira (28), no Bom Dia São Paulo.

Atualmente, 35% das pessoas que usam transporte público fazem pelo menos uma baldeação. A cozinheira Priscila Del Rei Ferreira, que mora em Taboão da Serra e trabalha no Tatuapé, na Zona Leste da capial, precisa pegar três conduções - dois ônibus e um Metrô - para chegar ao trabalho. Para pagar a passagem, ela usa o cartão Bilhete de Ônibus Metropolitano (Bom) e o Bilhete Único.

Ao todo, Priscila gasta R$ 8 e demora duas horas para chegar ao destino. Se não tivesse integração, ela teria que desembolsar R$ 9,45. “Seria melhor em vez de usar vários cartões fazer uma integração. Meu sonho é ter uma linha de Metrô de Taboão da Serra direto para o Tatuapé. Esse é meu sonho de consumo”, diz a cozinheira.

O Bom pode ser usado para pagar passagens entre 39 cidades da região metropolitana e é aceito em 94 estações de trem e Metrô. Segundo o Metrô, o cartão Bom passará a ser aceito na Linha Amarela no segundo semestre deste ano, mas ainda não há data definida.

Informações: G1 SP

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960