Greve no Metrô do Recife completa hoje 35 dias

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Os usuários do metrô do Recife vão ter que aguardar mais um pouco para que a situação seja normalizada, com esta greve que já dura mais de um mês na qual os trens só circulam em horários de pico, muitos usuários estão sofrendo nas estações e dentro dos trens, se a situação já é caótica, ficou pior desde que a greve começou.
O que deixa a população revoltada é a omissão do Governo Federal em resolver logo o problema, pois um serviço tão essencial a população, não vem sendo tratado como prioridade, se já não bastasse a falta de investimentos,  trens superlotados e agora 35 dias parados é no minimo uma falta de atenção aos usuários.
Segundo o SindMetro-PE, haverá amanhã às 18 hs na Estação Recife uma Assembléia com os trabalhadores para informarem o rumo da greve, porém o fim da greve depende de uma reunião que acontecerá entre 4ª e 6ª feira com a direção da CBTU.
Os metroviários reivindicam um reajuste de 5,13% em seus salários, além de melhorias nas condições de trabalho e um plano de saúde nacional. Por outro lado, o Governo Federal apresentou uma proposta de reajuste de apenas 2% para este ano que foi rejeitado pela categoria.
Ainda fazem parte das reinvidicações a abertura de um concurso público já aprovado pelo governo e até hoje sem ser feito para suprir a defasagem de funcionários, tanto na parte de mão de obra como de maquinistas operacionais.

Blog Meu Transporte

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Greve no Metrô do Recife completa hoje 35 dias

Em Fortaleza, Motoristas e cobradores de ônibus iniciam greve a partir de meia-noite, diz Sintro

Motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza vão deflagrar greve da categoria a partir de meia-noite desta terça-feira, 18, segundo informações presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintro), Domingos Neto.

Domingos Neto adiantou que a categoria respeitará a Lei de Greve, com a manutenção de 30% da frota operando normalmente. Nesta segunda-feira, o transporte vai operar normalmente. Nesta manhã, no Terminal da Parangaba, o Sintro divulgou carta-aberta para a população.

O presidente do Sintro não descarta a possibilidade de o movimento seja abortado até meia-noite, caso os empresários ofereçam proposta que agrade à categoria. “Estamos esperando que o Sindiônibus (Sindicato das Empresas de Ônibus do Ceará) procure o Sintro hoje ainda,para que tragam uma contraproposta para evitar greve”, disse Domingos Neto, em entrevista à rádio O POVO/CBN.

O Sindiônibus ainda não entrou em acordo com a categoria, que  solicita reajuste de 15%, cesta básica de R$ 80 e o fim da função dupla de motorista e cobrador no micro-ônibus, além de vale refeição de R$ 12. O Sindiônibus propõe aumento de 4,88% e manutenção dos valores já praticados nos benefícios.

O sindicato reivindica aumento para R$ 1.463,95 para motoristas e de R$ 844,10 para cobradores. Os salários atuais são, respectivamente, de R$ 1.273 e R$ 734. A cesta básica é de R$ 70 e o vale refeição é de R$ 7.

Redação O POVO Online

READ MORE - Em Fortaleza, Motoristas e cobradores de ônibus iniciam greve a partir de meia-noite, diz Sintro

Na Grande Vitória, Áreas que vão receber o BRT terão seus imóveis valorizados em até 150%, dizem especialistas

Por onde passar, o BRT - sistema de transporte coletivo que inclui os corredores exclusivos para ônibus – promete deixar um rastro de valorização. Pelo menos essa é a consequência que os especialistas do setor imobiliário esperam para as áreas que vão receber o projeto na Grande Vitória.

Há regiões onde o preço do metro quadrado poderá sofrer um acréscimo de até 150%, como explica o consultor imobiliário José Luiz Kfuri. Segundo ele, os espaços de maior valorização estão onde há menos adensamento imobiliário – áreas menos procuradas –, como o entorno da Avenida Carlos Lindenberg, em Vila Velha, e a região de Jardim América, em Cariacica.

Sobre os valores, Kfuri aponta que ainda é cedo para estimar, visto que a implantação do projeto só estará concluída em 2016.

O consultor acredita que nas regiões já valorizadas, como a Reta da Penha e a Praia de Santa Helena, o entorno das áreas de embarque e desembarque se tornarão atrativos para o ramo de comércio e serviços. "Mas isso só será viabilizado se houver complementares às estações. Ninguém vai sair daquele espaço para comprar um produto", diz.

Atrativo

Segundo o presidente da Associação das empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi), Juarez Gustavo Soares, as intervenções viárias têm como consequência natural a valorização das áreas contempladas.

"As regiões consolidadas não devem sofrer um acréscimo alto. Esse projeto representa uma grande oportunidade para os espaços menos visados e para a revitalização do Centro de Vitória.


Projeto


O BRT vai ligar os terminais da Serra, a começar por Carapina, até os de Vila Velha e Cariacica. O ponto de partida será na Reta do Aeroporto.

A implantação total sairá por R$ 772 milhões – R$ 242 do governo do Estado e R$ 530 financiados pelo BNDES. Até o final deste mês deve ser finalizada a licitação que vai contratar a empresa responsável pelo projeto executivo – que deverá ser desenvolvido em 18 meses. Só depois desse período deve começar a implantação do projeto na Grande Vitória.

Raio-X do sistema

Rio de Janeiro

Casas e apartamentos que ficam no entorno das pistas rápidas já tiveram valorização de mais de 150% por causa do novo sistema. Um terreno próximo à Estação Veridiana, do Transoeste (Barra-Santa Cruz), por exemplo, há oito meses custava R$ 60 mil. Hoje, a proprietária não negocia por menos de R$ 150 mil

Estados Unidos

Em Cleveland, o BRT Healthline transformou o bairro Midtown. Terrenos abandonados e com ferros-velhos ganharam construções novas e até um hospital. Mesmo durante a crise de 2008, imóveis dobraram de preço por causa do corredor

Colômbia

Em Bogotá e Medellín, o mercado de compra e venda de casas registrou aumento entre 30% e 50% devido aos BRTs Transmilenio e Metroplús, respectivamente

Análise
Crescimento certo para Cariacica

Qualquer intervenção urbana repercute em valorização, ou desvalorização. Elevados, por exemplo, costumam não ser bem aceitos. No caso do BRT, quem estiver próximo a esses meios de transporte rápido certamente terá valor agregado a seu imóvel ou terreno. A quantidade é que vai variar. Existem áreas que já sofreram grande especulação imobiliária e não vão suportar mais valorização, pois o crescimento maior dos preços passa a inviabilizar a comercialização. Onde não existe nada, como a região de Cariacica, o crescimento vai acontecer de forma significativa. Ainda mais com a crescente demanda por imóveis nas classes média e média baixa. O percentual do aumento dos valores vai depender da capacidade dessas regiões de absorver toda a demanda. Para uma área crescer, duas características são fundamentais: acesso facilitado e infraestrutura. Logo, é preciso atrelar um plano de implantação de infraestrutura nessas regiões.
Frederico Goulart / Gazeta Online


READ MORE - Na Grande Vitória, Áreas que vão receber o BRT terão seus imóveis valorizados em até 150%, dizem especialistas

Em Belém, BRT vai retirar ônibus da Almirante Barroso

Uma das mudanças no transporte público com a implantação do BRT (Bus Rapid Transit em inglês ou sistema de trânsito rápido de ônibus) será a retirada completa dos ônibus que hoje circulam na avenida Almirante Barroso e rodovia Augusto Montenegro. Essas linhas serão transformadas em linhas "alimentadoras". O nome vem da função: alimentar o sistema BRT. Os ônibus passarão pelas áreas mais internas dos bairros buscando passageiros e levando até o mais próximo possível das paradas ou estações do BRT, mas sem entrar nas vias principais.

A alteração vai exigir o reordenamento completo das linhas e áreas atendidas pelas linhas metropolitanas (Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará e Santa Isabel do Pará), o que deverá ser feito numa primeira licitação que pode ocorrer até novembro deste ano. Porém, pelos requisitos que estão sendo estabelecidos pela Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel), 20% das empresas atuais ficarão de fora do sistema. Quando o BRT estiver próximo de ser implantado, as linhas reordenadas serão adaptadas para se tornarem alimentadoras.

O diretor de Transportes da CTBel, Paulo Serra, explica que alguns passageiros sequer precisarão usar os ônibus BRT e poderão se deslocar apenas com as linhas alimentadoras. Isso será possível porque para transportar os passageiros que irão usar o BRT, os ônibus menores precisarão ir nas áreas mais internas dos bairros. Porém, há passageiros que precisarão utilizar dois ou três ônibus, sendo um ou dois alimentadores e um BRT. Mesmo fazendo tantas viagens, só será necessário pagar apenas uma passagem para o trajeto completo num período de duas horas (ou mais, ainda em avaliação) pelo sistema de Bilhete Único (BU). O tempo de viagem será reduzido em 60%.

Victor Furtado / O Liberal

READ MORE - Em Belém, BRT vai retirar ônibus da Almirante Barroso

Em Goiânia, Presidente da Metrobus apresenta VLT

O presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, apresentou em audiência pública na Câmara Municipal de Goiânia, o projeto de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no Eixo Anhanguera. “O VLT terá 30 composições com dois trens de 30 metros cada. Uma vai comportar 750 passageiros por viagem e vai ter uma velocidade média de 23,5 km/h, diminuindo o tempo de cada viagem de 50 minutos para 34 minutos. O Eixo terá 12 estações e cinco terminais. A distância média entre cada estação será de 850 metros”, explicou Maranhão. O projeto ainda abrange uma ciclovia, recuperação das pistas laterais e requalificação total da Avenida Anhanguera.
O presidente afirmou que o projeto está em fase final e passa agora por uma avaliação técnico-econômica por um conselho da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Metropolitano. Depois disso, “o plano ficará disponível por 30 dias para consulta pública e ainda serão realizadas audiência públicas a partir do início de julho. O passo seguinte será a licitação pública, que dura em média 60 dias”. Carlos Maranhão avalia que já no início de novembro os contratos estarão prontos para serem assinados.

Maranhão informa que serão investidos aproximadamente R$1,2 bilhão, com recursos do governo federal (25%), do governo estadual (25%) e da iniciativa privada (50%). “Esta obra, fruto de uma PPP (Parceria Público Privada), deve durar cerca de 18 meses e ficar pronta em maio de 2014”, completa o presidente da Metrobus.

Fonte: Goiás Agora

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Goiânia, Presidente da Metrobus apresenta VLT

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960