Governo do Estado inaugura primeiro trecho da Linha Sul do Metrô de Fortaleza

quinta-feira, 14 de junho de 2012

O governador Cid Gomes realiza nesta sexta-feira (15), às 15 horas,  a viagem inaugural do primeiro trecho da Linha Sul do Metrô de Fortaleza. Com a inauguração desse trecho, os Trens Unidades Elétricas (TUEs) irão iniciar a operação assistida, que consiste em teste operacionais com passageiros.

Os testes nesse trecho serão realizados de junho a outubro deste ano. Durante esse período, o Metrô irá transportar passageiros voluntários entre as estações Carlito Benevides, em Pacatuba, e Parangaba, em Fortaleza. Ao longo do trecho, 12 estações em três municípios serão atendidas pelo Metrô. Além de Fortaleza e Pacatuba, Maracanaú também é beneficiada pela linha.

Os 15 km de extensão, entre as duas estações, serão percorridos em 15 minutos. A operação assistida será realizada, de segunda a sexta, das 9 horas às 15 horas. A cada 20 minutos haverá uma viagem de teste com passageiros e cada uma delas poderá levar entre 445 e 890 pessoas, dependendo da composição que estiver sendo usada (variando de três a seis carros). Durante esse período, haverá parada em todas as estações.

Trens

O Metrô de Fortaleza já recebeu oito trens de um total de 20 carros que o Governo do Estado adquiriu para atender cerca de 350 mil pessoas por dia. Os trens são elétricos com 40 metros de comprimento cada um e capacidade para 445 passageiros, sendo 50 sentados. Os trens podem ser conectados para ficarem com seis carros, dobrando a capacidade de transporte.
Os veículos são fabricados em alumínio. A velocidade máxima operacional do trem será de 80 quilômetros por hora. Os trens foram comprados da empresa italiana Ansaldo Breda.

Linha Sul

A linha Sul liga Fortaleza a Pacatuba. São 24,1 km de extensão em via dupla, sendo 18 km de superfície, 3,9 km subterrâneo e 2,2 km em elevado.

Esta linha irá receber um total de 20 trens que formarão dez composições de 80 metros, cada. A linha contém 18 estações: Carlito Benevides (antiga Vila das Flores); Jereissati; Maracanaú; Virgílio Távora (antiga Novo Maracanaú); Rachel de Queiroz (antiga Pajuçara); Alto Alegre; Aracapé; Esperança (antiga Conjunto Esperança); Mondubim; Manoel Sátiro; Vila Pery; Parangaba; Couto Fernandes, Porangabussu; Benfica; São Benedito; José de Alencar (antiga Lagoinha); Central –  Chico da Silva.

A obra está recebendo um investimento total de R$ 1,705 bilhão. Em 2013, serão feitos os ajustes finais para início da operação comercial. A expectativa é transportar 350 mil passageiros por dia, com a integração plena com os terminais de ônibus.

A implantação do Metrô de Fortaleza é considerada a maior obra estruturante da Capital. A expectativa é que o Metrô solucione um dos grandes problemas da cidade, que é o ordenamento de seu trânsito. A necessidade de se aumentar a oferta de transporte público de qualidade em substituição aos carros de passeio tem sido um dos objetivos de governos para desafogar as vias e melhorar a mobilidade urbana.

Histórico

A Linha Sul do Metrô de Fortaleza é uma obra do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Infraestrutura (Seinfra) e da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor). Um sonho antigo da população do Estado, o Metrô começou a ser construído em janeiro de 1999.
Somente a partir de 2007 houve um incremento no ritmo de execução das obras. O período de 2007 a 2011 foi responsável por mais de 58% de todos os investimentos feitos na Linha Sul.

Além disso, nesse período o governo do Estado conseguiu garantir o  investimento para a construção das duas estações na linha Sul que serão financiadas pelo PAC 2 (estação Padre Cícero e estação Juscelino Kubitschek). Serão R$ 35 milhões de investimento. Todo o recurso é do Governo Federal.

Conheça as estações atendidas no primeiro trecho da Linha Sul

Parangaba

A estação Parangaba, que será integrada com o terminal de ônibus e a estação da linha VLT Parangaba-Mucuripe, tem 3.200,56 m² de área construída. A capacidade é de receber 25.000 passageiros por hora. Possui quatro escadas convencionais, quatro escadas rolantes e dois elevadores. Há dois acessos para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Serão quatro guichês de bilheteria e oito lojas.

Vila Pery

A estação Vila Pery possui 2.237,65 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui três escadas convencionais, duas rampas de acesso e dois elevadores. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Manoel Sátiro

A estação Manoel Sátiro possui 2.589,00 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui três escadas convencionais, três rampas de acesso e dois elevadores. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Mondubim

A estação Mondubim possui 1.384,3 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Esperança

A estação Esperança possui 1.602,83 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Aracapé

A estação Aracapé possui 968,87 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Alto Alegre

A estação Alto Alegre possui 1.375,42 m² de área construída e capacidade de receber 4.200 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Rachel de Queiroz

A estação Rachel de Queiroz possui 2.306,03 m² de área construída e capacidade de receber 8.700 passageiros por hora. A estação possui duas rampas de acesso, duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Virgílio Távora

A estação Virgílio Távora possui 1.229,48 m² de área construída e capacidade de receber 7.200 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador. Há um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Maracanaú

A estação Maracanaú possui 1.983,26 m² de área construída e capacidade de receber 7.000 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais, duas rampas e um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Jereissati

A estação Jereissati possui 1.599,24 m² de área construída e capacidade de receber 9.600 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador, além de um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

Carlito Benevides

A estação Carlito Benevides possui 2.383,50 m² de área construída e capacidade de receber 9.000 passageiros por hora. A estação possui duas escadas convencionais e um elevador, além de um acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. Haverá dois guichês de bilheteria.

READ MORE - Governo do Estado inaugura primeiro trecho da Linha Sul do Metrô de Fortaleza

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado na Rio + 20

O Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) apresentado por Curitiba na manhã desta quinta-feira (14), na Rio +20 (Conferência Mundial para o Desenvolvimento Sustentável), foi atração  no Parque dos Atletas, área onde ficam os estandes com projetos de vários cidades de todo o mundo.
Aberto às 11h30, o estande de Curitiba recebeu já de início a visita de mais de 100 pessoas, entre autoridades e empresários do setor do transporte de todo o país.
Ao apresentar o novo veículo o prefeito Luciano Ducci destacou a importância do investimento permanente de Curitiba na evolução do transporte público. Estou feliz que Curitiba saia mais uma vez na frente neste processo. Pensar no transporte hoje é pensar no futuro sustentável. Fico feliz que nossos parceiros neste projeto tenham aceitado mais este desafio, afirmou.

O secretário de Transportes do Rio de Janeiro, Alexandre Sansão, elogiou o novo ônibus de Curitiba e frisou que o transporte da capital paranaense é modelo para os cariocas. Acabamos de implantar no Rio de Janeiro o Ligeirão, inspiradíssimos em Curitiba. A participação de Curitiba na Rio + 20 é bastante significativa, porque é uma cidade avança no modelo sustentável de transporte, disse Sansão que representou o prefeito carioca Eduardo Paes no lançamento do Hibribus.
O presidente da Volvo Bus para a América Latina, Luiz Carlos Pimenta, lembrou que o prefeito esteve, no ano passado, na matriz da montadora na Suécia e lançou o desafio de produzir o ônibus no Brasil, o que já é uma realidade em Curitiba. Temos uma longa história de desafios que temos cumprido em Curitiba. É uma cidade que só aceita a excelência nas ações feitas para os curitibanos, ressaltou.

O presidente da AproBio, Associação dos Produtores de Biodiesel, Erasmo Carlos Batistella, considera que Curitiba mostra que é possível investir na sustentabilidade dos sistemas de transporte ao lançar o ônibus híbrido. A participação de Curitiba na Rio + 20 é importante para mostrar ao mundo o que é possível fazer pela sustentabilidade no transporte. Curitiba é a única da cidade da América Latina a conseguir a colocar em operação uma frota 100% movida a biocombustível e que conta com os maiores ônibus do mundo.  O hibribus é mais um passo nesta caminhada pelo desenvolvimento, disse.

Operação – Curitiba colocará em operação 60 veículos, com capacidade para 85 passageiros que entrarão na Rede Integrada de Transporte de Curitiba a partir de setembro. Eles vão operar em linhas convencionais, na cor amarela, que fazem ligação bairro a bairro (Detran/Vicente Machado/ Água Verde/Abranches; Juvevê/Água Verde; e Jardim Mercês/Guanabara) e em linha circular, a Interbairros I, na cor verde.
 
Produção – O Hibribus começou a ser produzido pela Volvo em Curitiba neste ano, com investimento de US$ 20 milhões. O sistema de transporte de Curitiba vai investir R$ 26 milhões para adquirir os primeiros 60 veículos híbridos para a frota da cidade.
Primeiro ônibus híbrido produzido pela Volvo no Brasil o Hibribus, com carroceria Marcopolo, opera com dois motores, um elétrico e outro a biodiesel, que funcionam em paralelo ou de forma independente.

Se comparado aos veículos Euro 5, obrigatórios no mercado brasileiro a partir deste ano, o Hibribus curitibano emite até 50% menos material particulado, 50% menos óxido de nitrogênio (NOX) e 35% menos gás carbônico (CO2). Em relação aos veículos Euro 3, que compõem atualmente a maior parte da frota brasileira de ônibus, o ganho ambiental é ainda mais significativo: 90% menos material particulado e 90% menos NOX, além dos 35% menos CO2.

O motor elétrico é utilizado no arranque e na aceleração até a velocidade de 20 quilômetros por hora quando entra em funcionamento o motor a biodiesel que, no caso de Curitiba, é à base de soja. O Hibribus é um híbrido em que o motor elétrico é usado também como gerador de energia durante as frenagens. A cada vez que os freios são acionados, a energia da desaceleração é utilizada para carregar as baterias.

Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou semáforos, por exemplo, o motor a biodiesel fica desligado, o que favorece sua utilização em linhas paradoras e de trânsito compartilhado. O Hibribus faz parte da política do município de investir na redução do impacto ambiental da frota do transporte coletivo. Além de reduzirmos emissões de poluentes o Hibribus é traz um novo conceito para as futuras gerações, afirmou o prefeito Luciano Ducci.
 

Fonte: Prefeitura de Curitiba

READ MORE - Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado na Rio + 20

Cidade de Sorocaba terá faixas exclusivas para ônibus

“Não tiro a razão da população de questionar a qualidade do transporte público. Por isso, estamos fazendo o possível para melhorar.” Foram com estas palavras que o secretário municipal de transportes e presidente da Urbes, Renato Gianolla, anunciou, na tarde desta quarta-feira (13), a implantação de um sistema de corredores em duas ruas de Sorocaba: a Hermelino Matarazzo e a Comendador Oeterer. O objetivo é tornar o fluxo dos ônibus do transporte público mais ágil e  reduzir a quantidade de veículos nas ruas.

Pioneiros no município, os corredores deverão entrar em operação até o fim de junho. “O modelo sustentável de transporte urbano sempre deve ser priorizado”, cita o secretário, se referindo a alternativas de locomoção como ônibus, bicicletas e caminhada.

A ideia é incentivar os sorocabanos a abraçarem a utilização dos ônibus públicos que tanto têm gerado reclamações e protestos por parte dos próprios munícipes.

Este trabalho teve início com a proibição de estacionamento no lado direito das principais ruas da cidade. Faixas exclusivas para a circulação de ônibus serão criadas.

Num primeiro momento, o acesso exclusivo para os ônibus será feito em horário determinado. De acordo com Gianolla, o projeto deverá se estender futuramente às ruas Padre Luiz, Francisco Scarpa e a avenida General Carneiro. 

Frota
“Antes a cidade não estava preparada para receber o sistema de corredores que precisa de uma grande quantidade de ônibus para funcionar corretamente”, explica Gianolla.

Ainda segundo ele, a necessidade atual da cidade deve propiciar a utilização de cerca de 20 novos ônibus que serão colocados em circulação entre agosto e outubro deste ano, nas linhas com o maior número de usuários.

Todas as medidas prometem sanar parcialmente os problemas daqueles que enfrentam ônibus lotados, todos os dias,  e reduzir o número de atrasos. 

Estudantes fazem barulho e cantam na porta da Urbes
Movimento Estudantil Domínio Público faz segunda manifestação para reivindicar melhorias no transporte público coletivo do município

“Mãos para o alto, essa passagem é um assalto”, gritava um grupo de 40 jovens na porta da Urbes - Trânsito e Transportes, na tarde desta quarta-feira. Embalados por frases de efeito e guiados por membros do Movimento Estudantil Domínio Público, o grupo protestou contra as condições do transporte público coletivo da cidade, além de questionar o valor da passagem, elevada para R$ 3,15.

“Estamos aqui para protocolar um manifesto sucinto, apontando vários problemas no transporte público e, principalmente, questionar o valor da passagem, que consideramos abusivo”, destaca Jean Marcelo dos Santos Campos, 19 anos, que faz parte do Domínio Público.

Os estudantes exigiram que Renato Gianolla viesse até a entrada do prédio para cumprimentá-los. “Não desci para não ser ofendido”, explica o presidente da Urbes durante a reunião com representantes do movimento estudantil.

Ele ouviu e debateu cada tópico do manifesto durante uma conversa que teve momentos mais tensos. “Por acaso você sabe o que é andar de ônibus?”, disse um dos estudantes a Gianolla, que rebateu: “Não nasci presidente da Urbes, estudei muito para chegar aqui e já andei muito de ônibus sim”.

Resultado
Foi durante a reunião que o secretário anunciou a implantação dos corredores para ônibus. “Os estudantes têm mais que se manifestar sim, de exigir sempre o melhor para cidade”, declara Gianolla.

Os representantes do Domínio Público protocolaram o manifesto e prometeram continuar lutando pelos direitos de todos os sorocabanos.

Reivindicações do manifesto
Municipalização do transporte
Grupo quer que licitações defendam o privilégio do setor privado, que presta o serviço visando apenas lucro.

Redução no valordo vale-transporte
Usuário do transporte público coletivo de Sorocaba paga a terceira maior tarifa do país.

Políticas públicas que privilegiem o transporte coletivo
População precisa se conscientizar e buscar propostas, implantando ideias efetivas para que vários problemas sejam minimizados.

Criação de corredores de ônibus
Trânsito caótico é provocado pelo excesso de veículos nas vias, pois os moradores do município preferem se endividar comprando carros e motos do que andarem de ônibus.

Aumento da frota e do horário de circulação
Moradores não têm direito a lazer noturno, pois os ônibus circulam até a 0h; além disso, nos horários de pico faltam ônibus, gerando atrasos.

Passe livre para estudantes
Estudante ganha pouco, luta para sobreviver e busca uma profissão para melhorar a sua própria qualidade de vida e de sua família.

A cara do transporte
Sorocaba conta com 364 ônibus urbanos que estão distribuídos em cem linhas. Elas atendem uma média de 218 mil passageiros nos dias úteis do mês e 72 mil em domingos e feriados. 

443 é o número de funcionários que trabalham diretamente na Urbes.
 

READ MORE - Cidade de Sorocaba terá faixas exclusivas para ônibus

Motoristas e cobradores de ônibus entram em greve em Fortaleza

Rodoviários que trabalham no transporte público de Fortaleza aprovaram no final da manhã desta quinta-feira, em assembleia geral, greve por tempo indeterminado. A paralisação foi decidida na sede do Sindicato de Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) e deve começar em 72 horas a contar de hoje. De acordo com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza cerca de 1 milhão de passageiros utilizam o transporte público da capital cearense todos os dias.

Nesta quarta feira, a sétima rodada de negociações entre trabalhadores e empresários terminou sem acordo. O sindicato dos profissionais exige um reajuste de 15% nos salários, cesta-básica de R$ 80, vale-refeição de R$ 12 e o término do acúmulo de função de trabalhadores responsáveis pelos micro-ônibus.

De acordo com o sindicato eles trabalham como motoristas e cobradores.
O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará propõe um reajuste de 4,88% e a manutenção dos valores já pagos para outros benefícios. Hoje os motoristas ganham R$1.273 e os cobradores R$ 734, ambos com cesta-básica de R$ 70 e vale-refeição de R$ 7.

Fonte: Terra

READ MORE - Motoristas e cobradores de ônibus entram em greve em Fortaleza

No Recife, Negociações para evitar greve de ônibus não avançam

Os usuários de ônibus da região metropolitana do Recife começam a ficar preocupados devido aos fortes boatos de uma nova greve de ônibus, aonde se vai tem pessoas comentando se vai haver greve e até quando ela começa. O fato pelos bastidores  é as negociações não estão avançando e que uma paralisação vai mesmo acontecer. As conversas são muitas por parte mesmos dos motoristas que são informados de diversas formas.

A categoria pede 6% de aumento e em 2011 conseguiu 9%. O salário do motorista passou de R$ 1.280 para R$ 1.395, do cobrador de R$ 590 para R$ 645 e do fiscal de R$ 825 para R$ 903. Também existem informações que os motoristas querem um Salário de R$ 2 mil reais e o cobrador de R$ 1,2 mil reais, porém tudo está sendo negociado e que o bom censo prevaleça para que muitos usuários não saiam prejudicados.
Do outro estão os empresários de ônibus, que não abrem facilmente, principalmente depois da era Eduardo Campos, que atrelou os reajustes da passagem ao IPCA. Ou seja, a tarifa não sobe mais baseada na planilha de custo do sistema de transporte (despesas com pneus, diesel e folha de pagamento, entre outras coisas), apenas pelo percentual do IPCA, que segundo o empresariado e alguns técnicos do setor, não cobre os custos.

Como a receita com as passagens não se equipara aos gastos do sistema, um déficit vai sendo gerado. E, como o governo do Estado não banca essa diferença, a consequência para diminuir os custos é reduzir o serviço. Esse resultado é facilmente percebido na lotação dos ônibus, especialmente nas linhas que saem dos terminais integrados do SEI, ou seja, da periferia, onde estão aqueles que mais dependem do transporte público.
Hoje cerca de 3 mil ônibus circulam pelo sistema de transporte, transportando cerca de 2,1 milhões de pessoas por dia.
No ano passado a greve durou cerca de 05 dias e as empresas colocaram seus planos de emergência com motoristas que estavam no quadro de reserva, onde aliviou a paralisação.
Blog Meu Transporte e NE10

READ MORE - No Recife, Negociações para evitar greve de ônibus não avançam

Em Manaus, Sistema Inteligente de Gestão Integrada do Transporte (Sigit) não saiu do papel

Usuários do transporte coletivo de Manaus já pagaram mais de R$ 5,5 milhões ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) pela implantação do Sistema Inteligente de Gestão Integrada do Transporte (Sigit). Mas, até hoje, o processo de transição para o novo sistema de bilhetagem permanece indefinido. Enquanto isso, as empresas já começam a retomar a discussão em torno de um novo reajuste tarifário.

O Sigit previa a implantação de contador eletrônico de passageiro, GPS, câmeras e  computador de bordo nos ônibus. Nas paradas, o sistema implementaria painéis digitais, pelos quais o usuário poderia acompanhar o itinerário dos ônibus em tempo real.

O montante é proveniente apenas dos R$ 0,05 excedentes de cada tarifa de ônibus paga pelo usuário entre novembro de 2011 até maio deste ano.

Em outubro do ano passado, a passagem foi reajustada de R$ 2,25 para R$ 2,75. A cobrança de R$ 0,05, segundo a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), seria destinada à implantação do Sigit. Com o novo sistema, a Prefeitura de Manaus prometeu recuperar o controle do transporte coletivo, acompanhando, em tempo real, os ônibus em circulação, cumprimento dos horários, bilhetagem, além do tempo gasto nas viagens.

De acordo com o projeto básico da licitação do transporte coletivo de Manaus, mais de 15 milhões de passageiros equivalentes usam o sistema, em média, por mês. Os passageiros equivalentes representam a soma dos usuários que pagam R$ 2,75 e dos estudantes, que pagam meia, sendo que dois estudantes correspondem a um passageiro equivalente.

O Sinetram, responsável pelo gerenciamento do Sistema de Bilhetagem Eletrônica do transporte público coletivo de Manaus, alega que o montante de R$ 5.534.619,65 está sendo investido no sistema de bilhetagem eletrônica atual, com base na lei federal 7.418 (que institui o vale-transporte). O parágrafo 2 do artigo 5º da lei determina que “fica facultado à empresa operadora (do sistema de transporte público) delegar a emissão e a comercialização do vale-transporte, bem como consorciar-se em central de vendas”.

O Ministério Público do Estado entrou com uma Ação Civil Pública contra a Prefeitura de Manaus e SMTU, em outubro do ano passado, pedindo a exclusão dos R$ 0,05 da tarifa.

Fonte: amazonasnoticias.com.br

READ MORE - Em Manaus, Sistema Inteligente de Gestão Integrada do Transporte (Sigit) não saiu do papel

Ônibus para o BRT são apresentados pela BHTrans

A BHTrans apresentou na manhã desta quarta-feira (13), em sua sede no bairro Buritis, três ônibus articulados, cujas especificações técnicas serão analisadas para utilização pelo Sistema Rápido por Ônibus (BRT) em Belo Horizonte.
 
O BRT é um moderno sistema de transporte de alta capacidade, empregado em grandes cidades do mundo como Pequim (China), Joanesburgo (África do Sul), Bogotá (Colômbia) e Los Angeles (Estados Unidos).

Com características similares ao metrô, mas economicamente mais viável, os veículos do BRT são rápidos e possuem capacidade de transporte de passageiros quase três vezes maior do que os ônibus convencionais.

A capital terá 200 ônibus articulados, que vão circular nas avenidas Pedro I, Antônio Carlos e Cristiano Machado e Área Central. Esses corredores de tráfego contarão com 41 estações de transferência para embarque e desembarque dos usuários, sendo 25 estações ao longo das avenidas Antônio Carlos/Pedro I e Vilarinho, 10 na Cristiano Machado e seis na Paraná e Santos Dumont.

O Sistema BRT possui estações de transferência ao longo do itinerário de forma a permitir a cobrança externa da tarifa e embarque em nível, agilizando os tempos de embarque/desembarque; sistemas de controle informatizados, permitindo o acompanhamento da operação em tempo real; informação ao usuário em tempo real e circulação em vias exclusivas, minimizando as interferências com o tráfego geral.

Além da redução nos tempos de espera, os ônibus do BRT vão oferecer mais conforto, confiabilidade e segurança e menor custo de implantação por quilômetro — cerca de 10% do custo de implantação do metrô.

Fonte: Hoje em Dia

READ MORE - Ônibus para o BRT são apresentados pela BHTrans

Metrô do Recife vai parar 100% a partir de segunda-feira

Após a assembleia realizada às 18h, nesta quarta-feira (13), na Estação Central do Metrô, no bairro de São José, Centro do Recife, os metroviários decidiram que a greve será de 100%, parando totalmente o fluxo de trens nos metrôs do Recife. A greve que completa um mês hoje, estava em funcionamento da seguinte maneira: dás 5h às 8h30 e das 16h30 às 20h, nesse intervelo de tempo, as estações estavam se mantendo fechadas. Nos sábados funcionavam das 5h às 13h, e aos domingos, as estações permanecem fechadas.

“A população se acomodou com a greve e isso prejudicou o movimento”, declarou o Presidente do Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro – PE), Lenival Oliveira, que se reuniu nesta ultima terça-feira (12), com a direção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), onde foram apresentados um aumento de 2%, proposta abaixo da reivindicação dos funcionários que um reajuste de 5, 13%, além de plano de saúde nacional, gratificação proporcional ao número de passageiros transportados, adicional noturno de 50% e melhores condições de trabalho.

“Entramos nessa greve como marionetes da empresa, estamos a favor dela independente do cargo que ocupamos”, afirmou Sávio Delume, advogado do Sindmetro – PE que está à frente da causa.

A greve vai continuar, e de acordo com a coordenação do Sindmetro– PE, assembleias diárias vão acontecer a partir desta sexta-feira (15) às 18h. “Vamos continuar com o movimento, mas se em Brasília não resolver nada a partir de sábado os pilotos vão parar os trens”, enfatizou José Carlos Temporal, diretor da pasta dos aposentados do Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro – PE).

Fonte: Leia Já



READ MORE - Metrô do Recife vai parar 100% a partir de segunda-feira

Governo do Pará assina contrato para prolongamento da Av. João Paulo II

O governo do Estado, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), assinou na tarde desta terça-feira (12) o Termo de Contratação do projeto executivo de engenharia viária, relativo ao prolongamento da Avenida João Paulo II, no trecho entre a Passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas, que abrirá uma nova via de acesso à capital paraense.
O documento foi assinado por César Meira, diretor geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), e Pedro Pereira, diretor presidente da JBR Engenharia Ltda., empresa vencedora da licitação, na sede do Núcleo - órgão responsável pela execução da segunda etapa do projeto Ação Metrópole, destinado a melhorar a infraestrutura viária da Região Metropolitana de Belém. Também estavam presentes a diretora executiva do NGTM, Marilena Mácola, e os representantes da empresa, Dalvani Fernando Oliveira, coordenador geral do projeto, e João Lourenço, coordenador local.

Após a assinatura foi realizada uma reunião entre as equipes do NGTM e da JBR, para tratar de questões técnicas do projeto. O edital contendo o Termo de Referência para Contratação de Estudos Ambientais e Projeto Executivo de Engenharia Viária, relativo à obra, foi publicado em 8 de março, no Diário Oficial do Estado. Na edição desta terça-feira, o DOE traz o resultado do processo.
A próxima etapa será a elaboração do projeto executivo pela empresa vencedora, que terá 120 dias para realizar o trabalho. Finalizada essa etapa, as obras serão iniciadas. Como já está pronto o projeto básico, as obras começarão quando for concluído o anteprojeto.

Mobilidade - O prolongamento da Avenida João Paulo II desafogará o tráfego na Região Metropolitana de Belém, pois hoje o acesso à capital é feito apenas pela Rodovia BR-316. A conexão do prolongamento com o elevado do Coqueiro, e daí com a Rodovia Mário Covas, também permitirá o acesso direto a Belém de veículos oriundos dos conjuntos Cidade Nova e Paar, e dos bairros do Coqueiro e 40 Horas, em Ananindeua.

Para o governo do Estado, o prolongamento da avenida é necessário para a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) previsto no "Ação Metrópole", já que o início das obras na BR-316 deverá alterar o trânsito. “Essa obra é de extrema importância para a população, pois será a segunda via de acesso a Belém. Ela dará suporte à implantação do corredor de BRT, que será implantado desde o município de Marituba até o entroncamento. O governo do Estado entende que precisa oferecer vias alternativas de tráfego para a população, quando a BR-316 estiver em obras”, explicou Marilena Mácola.

A obra compreenderá o trecho entre a Passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas, e ficará com duas pistas, três faixas por sentido, ciclovia e calçadas em ambos os lados, além da construção de duas pontes, uma a 60 metros da Passagem Mariano, transpondo a ponta do Lago Bolonha, e a outra a 200 m da Rua da Pedreirinha, transpondo a ponta do Lago Água Preta. A interligação da Avenida João Paulo II com a BR-316 se dará com a construção da quarta pétala do elevado do Coqueiro. Toda a obra terá cerca de 4 quilômetros.

Ação Metrópole - O prolongamento da Avenida João Paulo II é a segunda etapa do Projeto Ação Metrópole. A primeira etapa foi finalizada com a construção da Avenida Centenário Assembleia de Deus e do elevado Günnar Vingren. A terceira fase será a implantação do Sistema BRT, trafegando em canaletas na Rodovia BR-316, em faixas exclusivas.

O diretor geral do NGTM, César Meira, também destacou a importância da "João Paulo II" para a proteção do Parque Ambiental do Utinga, pois funcionará como uma barreira física e sanitária para a Área de Preservação Ambiental (APA) de Belém. “Outra importante contribuição desta obra é que ela trará uma barreira sanitária, através de um sistema de drenagem, que fará a captação dos efluentes que atualmente são lançados diretamente nos mananciais, promovendo a devida filtragem desses efluentes. É uma barreira física, já que será uma via expressa margeada por um muro, que impedirá o avanço urbano sobre o parque. Além disso, a obra permitirá uma bela visualização do parque ambiental”, informou.

READ MORE - Governo do Pará assina contrato para prolongamento da Av. João Paulo II

Em Maringá, Troca dos cartões de vale-transporte vai até 14 de julho

Os usuários do serviço de transporte coletivo de Maringá têm até o próximo dia 14 de julho para retirar o novo Cartão Passe Fácil. Os modelos antigos estão sendo substituídos desde o início deste ano pela empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC) e a Prefeitura de Maringá.

A troca é gratuita e imediata, e está sendo feita na loja Passe Fácil no terminal urbano de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h, e aos sábados das 7h às 13h30.

Em razão do cartão de vale-transporte ser pessoal e intransferível, somente o usuário titular poderá retirar o novo Passe Fácil mediante a apresentação do cartão antigo, RG, CPF e comprovante de residência.

Os usuários que ainda não possuem o Cartão Passe Fácil ou necessitam de segunda via deve dirigir-se à loja da TCCC, na Galeria Estação, localizada na rua Joubert de Carvalho ao lado do Banco do Brasil.

O Cartão Passe Fácil é o primeiro vale-transporte do Brasil com a função de "cartão de crédito" agregada e que pode ser usado para consumo. Entre as inúmeras vantagens da nova tecnologia, o inovador sistema de bilhetagem do cartão comporta uma rede de 100 pontos de recarga espalhados pela cidade, muitos deles localizados em bairros distantes do centro. O antigo sistema possuía apenas seis pontos de recarga, todos no centro da cidade.

As funções "vale-transporte" e "crédito" do Cartão Passe Fácil são independentes. Os valores correspondentes à passagem de ônibus não podem ser usados para compras de bens e produtos. A "função crédito" é opcional ao usuário com mais de 18 anos e está sujeita à análise dos dados cadastrais.

Fonte: O Diário
READ MORE - Em Maringá, Troca dos cartões de vale-transporte vai até 14 de julho

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960