No Rio, Trens passaram muitos anos sem investimento suficiente, diz especialista

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Entregue à iniciativa privada há mais de 13 anos, o sistema de trens metropolitano do Rio de Janeiro não recebeu investimentos nem manutenção suficiente. A afirmação é do especialista em engenharia de transportes e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Fernando MacDowell.

A concessão foi feita em 1998. Desde então, não se evoluiu grande coisa. Com o tempo que se perdeu lá para trás, era para [o sistema ferroviário] estar em condições melhores. Apesar de termos um ou outro trem novo, ainda há muito para ser feito', disse.

A Supervia, empresa concessionária que administra a rede ferroviária metropolitana do Rio de Janeiro, mudou de mãos em novembro de 2010. O novo controlador é a empreiteira Odebrecht. Segundo o especialista, a Odebrecht terá que fazer grandes investimentos, em um espaço de tempo relativamente curto.

Segundo ele, uma das dificuldades é que os investimentos precisam ser feitos em todos os setores do sistema ferroviário ao mesmo tempo. 'É preciso olhar o sistema da Supervia como um sistema de fato. Tem que olhar as vias permanentes, para não haver descarrilamento. Você tem que olhar todo o sistema de energia. Não adianta ter um trem novinho, se a via não está boa', disse.

Além desses investimentos em infraestrutura, MacDowell destaca que é necessário preparar bem os funcionários e realizar manutenções preventivas, assim como acontece no transporte aéreo. 'Tem que fazer manutenção da peça antes que ela dê problema', destaca.

MacDowell afirma ainda que é preciso que haja uma fiscalização do governo, a fim de que as melhorias que a Supervia está anunciando sejam mesmo realizadas. Caso os investimentos previstos não sejam feitos, o governo fluminense pode aplicar multas à concessionária. 'Eu acredito que a Odebrecht tenha condições de fazer essas melhorias, até porque ela tem um nome a zelar', disse.

Por Fernando Fraga
Agência Brasil

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960