Lei da Mobilidade propõe pedágio urbano para desafogar trânsito

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O Senado irá enviar ao Palácio do Planalto para sanção da presidente Dilma Rousseff a Política Nacional de Mobilidade Urbana, também conhecida como Lei da Mobilidade.

A lei visa a desafogar o trânsito das grandes cidades, fazendo com que os governantes priorizem o transporte coletivo, o público e o não motorizado. Entre as medidas adotadas para promover o transporte público, o projeto autoriza as prefeituras a instalarem o pedágio urbano, como o de Londres, que cobra uma taxa dos carros que entram no centro da cidade, e implantar rodízio, como o de São Paulo. São medidas que desestimulam o uso do carro e ajudam a desafogar o trânsito.

Pedágio Urbano em Londres
De acordo com a Agência Senado, o foco da lei é o incentivo ao transporte público, afinal, 30 pessoas em um ônibus ou em um trem não congestionam uma rua, mas 30 pessoas em 30 carros, sim. Neste sentido, a lei sugere que as passagens sejam mais baratas e determina também a gratuidade para grupos como estudantes, idosos e deficientes, sem encarecer o bilhete aos demais usuários.

Transporte públicoPara garantir as gratuidades nas passagens para determinados grupos, sem aumentar o preço paras os demais usuários, o projeto sugere que as prefeituras avaliem os ganhos de eficiência das empresas privadas de transportes, que devem ser calculados no momento de reajustar as passagens.
Entre os itens que entram nos ganhos de eficiência está o do uso de faixas exclusivas para ônibus nas avenidas, que permitem a esses veículos trafegar com mais rapidez e consumir menos combustível, ou até mesmo a receita oriunda de outras fontes, como o lucro que as empresas têm quando fixam propaganda nos ônibus.

QualidadeNo entanto, para estimular o cidadão a utilizar o transporte público e deixar o carro em casa, não basta que a passagem seja barata, é preciso que o serviço tenha qualidade, que haja paradas de ônibus ou estações de metrô por toda a cidade.

Além disso, a espera não pode ser longa e os veículos precisam estar em bom estado. Para garantir isso, a Lei da Mobilidade determina que as prefeituras devem fixar metas de desempenho para as empresas de transporte. Cumpridas as metas, elas são premiadas e descumpridas, são punidas.

O objetivo da lei é impedir que os governantes insistam em responder ao crescimento da frota de veículos com a criação de mais avenidas, viadutos e túneis, que acabam servindo de estímulo para que mais carros entrem em circulação.

Fonte: Info Money


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Lei da Mobilidade propõe pedágio urbano para desafogar trânsito

Metrô de Salvador depende de subsídio de R$ 33 milhões

Apesar do anúncio do início dos testes das composições do metrô de Salvador este mês, a concretização da previsão dos secretários municipais João Leão (Casa Civil) e José Mattos (Transportes) de que o sistema passará a operar até o final do primeiro semestre do ano que vem ainda aparece condicionada a mais aportes financeiros. O secretário Mattos afirmou, nesta terça,13, que há um pedido da Prefeitura de Salvador, junto ao governo federal, em avaliação no Ministério das Cidades, para liberação de R$ 33 milhões, cuja destinação seria a de subsidiar, por 12 meses, os custos operacionais do metrô da capital baiana, com 6,5 km de extensão.
Fernando Amorim /Agência A TARDE
“Nenhum sistema de metrô no Brasil funciona sem subsídios”, argumentou o secretário, embora a realidade da capital paulista indique que os 4,2 milhões de passageiros/dia bancam os custos operacionais da rede, conforme dados da Companhia Metropolitana de São Paulo.
Sem fornecer detalhes de uma planilha de custos de operação do sistema, Mattos garantiu a A TARDE que o valor da tarifa “será a mesma do transporte público (de ônibus)”, hoje em R$ 2,50.

O pedido de R$ 33 milhões para subsidiar o funcionamento do metrô é quase 9% do valor inicial, de R$ 370 milhões, previsto para a instalação completa dos 12 km de extensão da linha Lapa-Pirajá, abortada depois de recorrentes denúncias de superfaturamento, apuradas pelo Ministério Público Federal (MPF). A obra já consumiu quase R$ 1 bilhão, segundo cálculos do órgão.

Governador - O custo preocupa o governador Jaques Wagner  sobre a viabilidade econômica de um metrô tão curto. No último dia 7, Wagner defendeu o início da operação só em 2014, quando as duas linhas (Paralela e Pirajá) estiverem   prontas. “Se operar só 6 km, o subsídio vai ser uma fábula. Se abrir licitação para operação, não aparecerá ninguém. Por isso a briga para fazer a segunda linha do metrô em Salvador. Seis quilômetros não viabilizam nenhum metrô”, disse Wagner.

O secretário Mattos informou que a fase de testes das composições (com quatros vagões, cada uma, e capacidade para 1,2 mil passageiros) começará nos próximos dias 20 e 21, apenas com técnicos. Sistemas de ar-condicionado e de abertura e fechamento das portas já são testados. Em março, segundo João Leão, os seis vagões passarão por testes dinâmicos com sacos de areia.
O professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Telmo Porto, considerou que o tempo programado para realizar os testes (até sete meses) é suficiente. “Eu diria que dois meses bastam para realizar os testes dos trens, e uns 30 dias para testar a sinalização do sistema”, afirmou.

Passageiros - A pretensão do governo municipal de colocar os trens para andar no primeiro semestre de 2012 parte de uma decisão não balizada por critérios técnicos. Com um percurso reduzido à metade, 5,5 km a menos, o metrô irá atender a 20 mil passageiros/dia por sentido.

Quando projetou-se o metrô de Salvador, em 1999, ainda na gestão do então prefeito Antônio Imbassahy, foi levada em consideração uma demanda de 171 mil passageiros/dia, já contemplando os moradores de bairros periféricos que, hoje, utilizam a malha de ônibus que passa pela Estação Pirajá – 255 coletivos para um movimento de 130 mil passageiros diários.

O professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), doutor em transportes, Oswaldo Lima Neto, sem fazer análise específica do caso de Salvador, considerou “uma insensatez colocar um metrô onde não existe uma demanda para este tipo de transporte”.

Custo e benefício - A relação entre custo e benefício, explicou o professor da UFPE, seria negativa no caso de um sistema com carga de passageiros abaixo do mínimo necessário para compensar os custos.

O professor Lima Neto informou que o metrô – por definição – deve alcançar uma capacidade de 60 mil passageiros por hora em cada sentido. “Então, se você tem uma demanda abaixo de 15 mil, instalar um metrô sairia muito custoso”, exemplificou.
 Fonte: A Tarde Online


READ MORE - Metrô de Salvador depende de subsídio de R$ 33 milhões

Recife: Term. Tancredo Neves já na fase final de implantação, linhas já foram criadas

Esta semana está sendo decisiva para os usuários das linhas de ônibus da Região Sul, mas precisamente as linhas das UR’s e do Ibura, pois as conversas com as comunidades começaram.
Na reunião o Grande Recife Consórcio de Transportes está apresentando o projeto e as propostas de mudanças das linhas para este terminal, porém boa parte das lideranças presentes não recebeu as propostas com bons olhos, pois segundo os diretores do GRCT, é intenção do governo retirar todas as linhas de ônibus que vão diretamente para o Centro da cidade e integrá-las neste terminal.
Porém as lideranças colocaram os pontos negativos em relação à proposta do GRCT, pois para as lideranças comunitárias, o terminal não vai ser atraente devido ao trânsito, principalmente o da Avenida Dois Rios.
Também foi relatado que os idosos e deficientes vão ser os mais prejudicados com o sistema de baldeação por inteiro, pois será de certa forma muito desgastante as constantes subidas e descidas dos ônibus e plataformas.
As lideranças comunitárias ainda vão fazer reuniões em suas comunidades e levar os pontos positivos e negativos para integração das linhas neste terminal.
Também ficou claro que a falta de harmonia entre a CTTU e o GRCT trás mais prejuízos ao sistema, visto que para o sistema funcionar com regularidade, é preciso uma integração entre os dois órgãos, na qual ficou claro o distanciamento nesta reunião.
As linhas de ônibus já foram pré-apresentadas, na qual ficaram visíveis alguns equívocos do próprio planejamento do GRCT. Deste s equívocos, podemos citar como exemplo a criação das linhas UR-02 Ibura e Três Carneiros para o mesmo percurso, visto que essas linhas fazem bem dizer o mesmo terminal, outros exemplos iguais são as linhas Três Carneiros Baixo e Jd. Monte Verde, Cor. da Gameleira com Vila do SESI, ou seja, as comunidades relataram que estas viagens de duas linhas distintas deveriam ter itinerários alternativos.
Por fim, linhas que seriam extintas, como Ibura Boa Viagem, UR-11/ Boa Viagem, Dois Carneiros/ Boa Viagem serão transformadas em linhas Circulares para atender a Avenida Jean Emile Favre no bairro do Ipsep.
Também de novidade foi à criação das linhas Tancredo Neves/Cde da Boa Vista e Tancredo Neves/Macaxeira e a linha Candeias/Dois Irmãos será desmembrada, na qual serão criadas duas linhas, sendo Candeias Tancredo Neves e Tancredo Neves/Macaxeira já falado anteriormente,
Outro ponto importante falado na reunião, é que o terminal terá duas linhas para Boa Viagem, sendo divididos em dois eixos, Norte e Sul, na qual o Eixo Norte seria da Ernesto de Paula santos até o Pina e o Eixo sul seria Ernesto de Paula Santos voltando pela Barão de Souza Leão.
Outro ponto positivo seria a redução da tarifa das linhas que seguem para Boa Viagem, na qual a tarifa cairia dos atuais R$2,45 para R$ 2,00.
O GRCT reforça que a vantagem do terminal será a ligação com Boa Viagem, CDU, Macaxeira, Candeias e com todas as linhas do Metrô, podendo chegar até os municípios do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca após a inauguração do T.I de Cajueiro Seco.
Ao todo serão 20 linhas integradas neste terminal, 03 a mais que o planejado anteriormente.

O terminal será inaugurado provavelmente no dia 14 de Janeiro.
As linhas propostas pelo GRCT foram:
123 Três Carneiros Baixo (Monte Verde) / Tancredo Neves

124 Vila do SESI / Tancredo Neves
125 Córrego da Gameleira / Tancredo Neves
126 UR-03 (Pantanal) / Tancredo Neves
132 UR-02/Ibura / Tancredo Neves
133 Três Carneiros / Tancredo Neves

134 Lagoa Encantada / Tancredo Neves
135 UR-10 / Tancredo Neves
136 UR-05 / Tancredo Neves
137 UR-11 / Tancredo Neves
138 Zumbi do Pacheco / Tancredo Neves
141 Jardim Monte Verde / Tancredo Neves
142 Alto Dois Carneiros / Tancredo Neves
143 UR-06 / Tancredo Neves
144 UR-04 / Tancredo Neves
__Candeias / Tancredo Neves
Linhas Circulares
Dois Rios/Jordão
Ibura/Ipsep
Dois Carneiros/Ipsep
UR-11/Ipsep
Tancredo Neves/Boa Viagem
Tancredo Neves/Aeroporto
Linhas Interterminais
Tancredo Neves/Macaxeira
Corredor
Tancredo Neves/Conde da Boa Vista
Tancredo Neves/IMIP

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

Blog Meu Transporte

Share |
READ MORE - Recife: Term. Tancredo Neves já na fase final de implantação, linhas já foram criadas

Papai Noel vira maquinista de metrô e faz a felicidade de crianças em Recife

Cerca de cem crianças de uma escola municipal de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, contaram com um maquinista ilustre no passeio de metrô até o Centro do Recife, nesta quarta-feira (14): Papai Noel. A expectativa das crianças era grande, cantando e pedindo para que ele chegasse logo.
Foto: Katherine Coutinho / G1 PE
O pequeno Emmanuel Dias, de 6 anos, mal dormiu na noite anterior, conta a avó Maria de Fátima Santos, que aproveitou para embarcar junto no trem. "Eu já gosto de Natal. Não ia perder a chance de andar de metrô com o Papai Noel", admite Maria de Fátima. Quem também estava animado era Josivan Vítor Carvalho, de 8 anos. "Pedi um videogame para ele", contou o menino.

Às 9h15, Papai Noel chegou à Estação Alto do Céu, para a alegria da criançada, que correu para abraçar o bom velhinho. "É uma emoção muito grande", conta Luiz Alberto Ledebour, que há nove anos guia o 'Expresso do Noel' nas linhas de metrô do Recife. Animado, Luan Alberto comemorava finalmente conhecer quem traz seus presentes. "Ele sempre passa quando eu estou dormindo", explica Luan.

A viagem é uma iniciativa da Empresa de Metrô do Recife, que a cada ano faz a viagem em uma linha. No ano passado, foi a Linha Sul. Neste ano, foi a Linha Centro.



READ MORE - Papai Noel vira maquinista de metrô e faz a felicidade de crianças em Recife

Londrina: Cobradores de ônibus devem permanecer até o fim de 2012, afirma Justiça

Para a Justiça do Trabalho, os ônibus do transporte coletivo de Londrina devem circular com cobradores até 31 de dezembro de 2012, respeitando o acordo coletivo em vigência. A posição, divulgada nesta quarta-feira (14), é do juiz Manoel Vinícius de Oliveira Branco, da 5ª Vara do Trabalho. Ele negou um pedido de liminar para a permanência dos profissionais em ação do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Londrina (Sinttrol).

Na decisão, o magistrado afirmou que a presença dos cobradores “já se encontra expressamente prevista em regras que sujeitam as partes” e que “não se mostra situação de perigo a ensejar pronunciamento”.
O presidente do Sinttrol, João Batista da Silva, não avaliou a decisão como uma derrota. Contudo, ressaltou que o Judiciário foi conservador. “A ameaça aos cargos está clara, como já foi divulgado pela Companhia de Trânsito e as empresas de ônibus. No entanto, se a cláusula não for respeitada, o juiz poderá rever a decisão.”

Abaixo-assinado
O Sinttrol iniciará, nesta quarta, um abaixo-assinado para ser entregue a Barbosa Neto. O objetivo é que o prefeito sancione a lei aprovada pelos vereadores, na qual os cargos de cobradores são mantidos. “Queremos que o prefeito respeite a decisão dos parlamentares, inclusive os da base governista, que aprovaram o projeto por unanimidade”, afirmou Batista.

No documento, o sindicato ressaltou que a retirada dos cobradores poderá causar o desemprego de até 500 profissionais.



READ MORE - Londrina: Cobradores de ônibus devem permanecer até o fim de 2012, afirma Justiça

Transporte coletivo urbano por ônibus de Fortaleza vai passar por licitação

 

Pela primeira vez, o município de Fortaleza terá o sistema de transporte coletivo por ônibus licitado, segundo informações da da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). A mudança será aplicada para permitir, segundo a Etufor, de forma contínua e assegurada, a realização dos investimentos necessários para a prestação do serviço, visando à reestruturação do sistema com implementação de novas tecnologias que otimizem a operação dos veículos e melhorem o atendimento dos usuários.

Em virtude dos altos custos de implantação e complexidade desse serviço, o transporte coletivo de passageiros vem sendo desenvolvido, na maioria das cidades brasileiras, através de delegação a empresas particulares. Na Capital, as atuais permissões/concessões terão seu prazo de vigência máximo até o dia 28 de dezembro de 2013, sendo necessário o processo licitatório para que não haja descontinuidade na prestação desta atividade tão essencial e indispensável à população.

O critério de seleção será feito pelo julgamento das propostas técnicas e de preço ofertado. O contrato terá duração de 15 anos, podendo ser prorrogado por igual período, sendo o município de Fortaleza dividido em cinco áreas operacionais, nos termos do projeto básico, que será parte integrante do edital convocatório a ser publicado posteriormente.

Audiência pública

Para reunir as melhores sugestões, a Prefeitura de Fortaleza convoca a comunidade em geral, representantes das classes sociais de interesse público, vereadores, comissão de bairros e afins, para que apresentem suas contribuições, críticas e reivindicações em uma audiência pública a ser realizada na próxima quinta-feira, 15, das 18 às 21 horas, no auditório do Imparh (avenida João Pessoa, 5609 - Damas).


READ MORE - Transporte coletivo urbano por ônibus de Fortaleza vai passar por licitação

São Paulo: Começa integração do BOM com CPTM e metrô

O governador Geraldo Alckmin lançou nesta terça-feira, 13, a primeira fase da integração do cartão BOM (Bilhete do Ônibus Metropolitano) nas linhas do Metrô e da CPTM. A estação Palmeiras-Barra Funda foi o local escolhido para o lançamento por seu grande fluxo de usuários e por já integrar fisicamente Metrô, CPTM e ônibus metropolitanos. Neste primeiro momento, cerca de 250 mil pessoas serão beneficiadas. A previsão é de que os usuários do cartão BOM possam utilizá-lo em toda a rede de trens e metrô em até um ano.

Inicialmente restrito à estação Palmeiras-Barra Funda, em sua primeira etapa, o novo sistema visa atender antiga reivindicação dos usuários, permitindo que a mesma forma de pagamento utilizada nos ônibus metropolitanos (gerenciados pela EMTU/SP) possa valer também no Metrô e nos trens da CPTM.

"Nós temos o desfio de integrar os 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo com trem e com metrô. Então, começa aqui pela Barra Funda. Um único cartão, o usuário podendo utilizar o metrô, utilizar o trem e utilizar os ônibus da EMTU", declarou o governador.

O cartão BOM irá permitir maior agilidade entre as viagens e fará com que aqueles que utilizam os ônibus da EMTU não precisem comprar bilhetes individuais do Metrô e da CPTM, evitando filas.

Grajaú

No ato do lançamento, Alckmin ainda anunciou que a primeira integração das linhas que utilizam o BOM (Bilhete do Ônibus Metropolitano) com os trens da CPTM acontecerá dia 7 de janeiro, no terminal Grajaú. Com isso, o terminal passará a ter a integração física e tarifária. "Quem vem de Itapecerica da Serra gasta R$ 3 com o ônibus e R$ 2,90 com o trem da CPTM. Ele gasta R$ 5,90", explicou o governador. Assim, o cidadão que gasta R$ 11,80 por dia no transporte público passará a pagar R$ 8,98 (soma do trajeto ida e da volta) para utilizar os dois serviços - economia de R$ 2,82 por dia e de R$ 84,60 por mês.

O novo sistema

Os leitores de cartões instalados nas estações da CPTM e do Metrô serão substituídos por equipamentos dotados de uma nova tecnologia que permite a leitura dos dados do cartão BOM e do Bilhete Único, liberando então a catraca. Na fase inicial, os valores pagos pelos usuários não serão alterados.

A unificação da forma de pagamento nos diferentes sistemas de transporte coletivo da RMSP facilitará a adoção de novas políticas tarifárias (integração, descontos, viagens temporais etc.) e de gestão de transporte (redimensionamento da rede, racionalização, equilíbrio da receita e consequente redução de custos), beneficiando diretamente os usuários do transporte público.

Nesta primeira fase, serão integrados apenas o Cartão BOM Comum e o Vale-Transporte, ficando de fora o BOM Escolar, BOM Sênior e BOM Especial. O cartão BOM (Bilhete do Ônibus Metropolitano) da EMTU/SP já é utilizado em mais de 600 linhas de ônibus intermunicipais da RMSP e agora se integrará a 160 estações do sistema sobre trilhos (93 da CPTM e 67 do Metrô).

Como funciona o atual sistema de pagamento
Atualmente, são aceitos o Bilhete Único (que integra o sistema municipal de linhas de ônibus com o sistema metroferroviário) e o bilhete magnético na rede da CPTM, Metrô e ViaQuatro (concessionária da Linha 4-Amarela de metrô). O BOM é utilizado nos cinco mil veículos do sistema metropolitano de ônibus que interligam 39 municípios da Grande São Paulo. Nos ônibus do Corredor Metropolitano ABD (São Mateus-Jabaquara), ainda é utilizado o bilhete magnético.

Nas linhas municipais de ônibus da cidade de São Paulo, o pagamento é feito por meio do Bilhete Único. As cidades de Cotia, Taboão da Serra, Carapicuíba, Mairiporã, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Rio Grande da Serra e São Caetano do Sul aceitam também o cartão BOM. E outros municípios da RMSP têm seu próprio cartão de pagamento de tarifa.

Para permitir o uso do cartão BOM como pagamento no sistema metroferroviário, além do Bilhete Único, foi elaborado um acordo operacional entre as empresas CPTM, Metrô, concessionárias e EMTU/SP, para definir os aspectos jurídicos, regras de negócios, requisitos tecnológicos, entre outros itens necessários para viabilizar a ação.

Para obter o cartão BOM
O interessado em obter o cartão BOM deve ligar para o Consórcio Metropolitano de Transporte (CMT) no telefone 0800 - 771 1800 ou por meio do site http://www.cartaobom.net/, onde pode ser feito o cadastro, com retirada do cartão no posto indicado em sete dias corridos.

Da Secretaria dos Transportes Metropolitanos

READ MORE - São Paulo: Começa integração do BOM com CPTM e metrô

Metrobus investe na qualidade do Eixo Anhanguera

A nova direção, juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento da Região Metropolitana e o governador Marconi Perillo, assinou o novo contrato da concessão de prestação de serviços de transporte coletivo urbano na linha Eixo Anhanguera por mais 20 anos, junto à prefeitura de Goiânia. Foram adquiridos 90 novos ônibus ultramodernos (60 articulados e 30 biarticulados), com investimentos de R$ 87 milhões. A aquisição da nova frota aumentou em 20% a capacidade de transporte, melhor atendendo aos 240 mil usuários/dia do Eixo.
Vigilância
Foto: Moises Magno
O usuário do Eixo Anhanguera conta agora com um sistema de segurança e vigilância. Todos os cinco terminais e as 19 plataformas já contam, desde o dia 1º de setembro, com um serviço de segurança. Nas plataformas a vigilância começa às 5h da manhã e vai até a meia noite. São três seguranças divididos em três turnos, em cada estação. Já nos terminais a segurança é de 24 horas, com 20 vigilantes divididos em quatro turnos, em cada terminal.

Câmeras de vigilância também estão sendo instaladas nas plataformas. São seis câmeras em cada estação. Os terminais também receberão as câmeras. Quando o sistema estiver completo, a vigilância eletrônica contará com uma central de monitoramento on-line.

PistaA Metrobus realizou um serviço, de forma preventiva e emergencial, de fresagem da pista do Eixo Anhanguera. O serviço consiste na raspagem de dois centímetros da capa asfáltica para a retirada da camada de óleo. Na sequência, será feita a restauração mais completa, a partir da licitação que está em andamento.
Embarques

Após pesquisa interna realizada junto aos usuários do Eixo Anhanguera, para a resolução dos principais problemas, ficou constatado que a maior reivindicação era a organização das filas de embarque. Os transtornos eram constantes, principalmente no horário de pico. A Metrobus então implantou o Embarque Cidadão. O programa foi cuidadosamente planejado para que fosse implantado com sucesso e de forma duradoura. Com este serviço, que consiste na organização das filas de embarques nas plataformas, a Metrobus resolve o alvo de maior reclamação da maioria esmagadora dos 240 mil passageiros/dia do Eixo Anhanguera. Os terminais Padre Pelágio, Novo Mundo e Dergo já contam com os Embarques Cidadão e Solidário. Os próximos terminais a receber o serviço serão os da Praça A e da Praça da Bíblia.

Outro problema relacionado ao embarque era a forma com que os idosos, gestantes, mulheres com criança e portadores de necessidades especiais estavam sendo tratados, sem a prioridade devida. Sendo assim, dentro do programa Embarque Cidadão, foi reimplantado e reorganizado o Embarque Solidário que prioriza, numa plataforma Isolada dos demais passageiros, o embarque desses usuários especiais.
Treinamento

Os 270 motoristas da Metrobus receberam o curso de Atualização de Motoristas de Transporte de Passageiro, no SEST/SENAT. Foram 20 horas de treinamento com turmas divididas pela manhã, das 8 às 12 horas, e à tarde das 14 às 18 horas. Os motoristas receberam aulas sobre relacionamento interpessoal, conduta ética no trânsito, Direção Defensiva, Legislação de trânsito, primeiros socorros. Para treinar todos os motoristas o curso será ministrado até dezembro deste ano.

O primeiro objetivo foi atender ao processo de melhoria geral do Eixo Anhanguera, estabelecido pelo Presidente Carlos Maranhão, com foco especial na qualificação do motorista “que é o cartão de visita da empresa, é o principal suporte operacional da Metrobus ao atendimento qualificado ao cliente/usuário que é a prioridade da empresa”. O segundo objetivo foi o de atender a um acordo acertado com o Ministério Público de Goiás em relação ao consumidor, por meio do Promotor Érico de Pina, para o treinamento dos motoristas.
Extensão

A Metrobus elaborou um projeto de extensão do Eixo Anhanguera, em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Goiânia, que prevê a extensão do Eixo nas direções Oeste (no sentido Trindade) até o Conjunto Vera Cruz, Noroeste (no sentido Goianira) até a Vila Mutirão e Leste (no sentido Senador Canedo) trazendo um acrescimento de 20,2 km, mais que dobrando atual extensão operada pela Metrobus. O projeto conceitual está pronto e aguarda a viabilização de recursos. As obras devem começar no início de 2012.

Reformas do Eixo AnhangueraEstão sendo realizadas as reformas das 19 plataformas e dos gradis de proteção do corredor dos ônibus no Eixo Anhanguera.  Ao final serão investidos R$ 651 mil nas obras.  Estão em elaboração os editais para a reforma dos terminais da Praça da Bíblia e Padre Pelágio.



Fonte: Governo de Goiás


READ MORE - Metrobus investe na qualidade do Eixo Anhanguera

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960