Grande Vitória pode ter sistema público aquaviário de transporte de passageiros

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A volta do sistema público aquaviário de transporte de passageiros na Grande Vitória ganhou um novo rumo. Foi publicado, no Diário Oficial dos Poderes do Estado (DIO), o extrato do contrato n.º 30/2011, via Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb), para a contratação do Tecbus Consultoria e Projetos Ltda., sob o valor de R$ 14.730,00.

O objetivo da contratação, autorizada pela Secretaria de Estado dos Transportes Urbanos da Grande Vitória (Setop), é a prestação de serviços de consultoria para elaboração do estudo de avaliação de custos do sistema hidroviário da Região Metropolitana da Grande Vitória. O prazo do contrato é de 60 dias, a partir da data da assinatura, no último dia 15.

O sistema hidroviário, conhecido também como aquaviário, está previsto para 2012. Dois terminais de lanchas também estão previstos: um deles na Enseada do Suá, na Praça do Papa, em Vitória, e o outro na Prainha, em Vila Velha. Há reivindicação de comunidades no município de Cariacica para a volta de um terminal no bairro Porto de Santana.

A volta do sistema é uma alternativa para desafogar o trânsito na Região Metropolitana, que atualmente conta com um tráfego de 700 mil veículos. O estudo também poderá apontar a viabilidade de funcionamento do aquaviário de forma integrada com o Sistema Transcol. Até 2014, está prevista a instalação do corredor exclusivo para ônibus, o BRT (Bus Rapid Transit), acoplado ao transporte público.

Parado há 11 anos
O sistema hidroviário de transporte de passageiros começou a atuar em 1978. Em 2000, foi paralisado. Chegou a funcionar com 11 lanchas e a transportar quase 450 mil pessoas por mês. Desde o período em que ficou sem funcionar, a população reivindica seu retorno. Ainda no governo Paulo Hartung (PMDB), em 2008, a volta do sistema parecia uma certeza e previa um investimento de R$ 9 milhões. O governo havia solicitado apresentação de custos, modelos de embarcação, sistema de operação e preço de tarifas.

Um novo estudo técnico para tratar da implantação do hidroviário já havia sido anunciado, no último mês de junho, pelo secretário de Estado de Transportes de Obras Públicas, Fábio Damasceno.

Ales
No início de 2010, a Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (Ales) aprovou a alteração na Lei n.º 3.693/1984, sobre Sistema de Transportes Urbanos da Aglomeração Urbana da Grande Vitória. A lei estabelece juridicamente a reestruturação do sistema hidroviário e sua viabilidade integrada aos serviços de ônibus e determina que a Ceturb esteja autorizada, mediante concessão, a contratar o serviço.



0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960