Mercedes aposta em nova linha de ônibus

domingo, 28 de agosto de 2011

A Mercedes-Benz lançou linha de ônibus durante a Transpúblico 2011, feira que se encerra hoje no Transamérica Expo Center, Zona Sul da Capital.
Criados no Centro de Desenvolvimento Tecnológico da planta de São Bernardo, os novos modelos atendem pelo nome de OF 1724 (chassi), O 500 UA, O 500 MDA (articulados) e possuem a tecnologia Bluetec 5, cujas normas estão enquadradas ao Proconve P-7 - programa que exigirá menores índices de emissões de poluentes a partir do dia 1° de janeiro de 2012.
Caminhando em paralelo à preocupação com o meio ambiente, os investimentos e resultados de mercado da Mercedes-Benz estão de vento em popa. A marca, que detém 45% de participação de mercado no segmento de ônibus no Brasil, já vendeu mais de 8.000 veículos só no primeiro semestre - crescimento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado - 5.232 delas, exportadas para mais de 50 países.
A meta do setor é vender 35 mil unidades até o fim do ano. Deste total, a Mercedes quer alcançar 50% de market share, estabelecendo recorde de vendas de ônibus no mercado brasileiro. Vale lembrar que, de cada dez ônibus que rodam pelo País, sete são da marca.
E esse desempenho contribui para os resultados positivos da Daimler Buses - líder mundial na produção de ônibus - que só em 2010 alcançou 13% de participação.
Segundo o presidente da Mercedes-Benz no Brasil, Jürgen Ziegler, só com os modelos lançados nesta semana, a marca já contabilizou 200 unidades vendidas - para quatro empresas paulistanas de transporte público urbano.
PRODUÇÃO - A produção de veículos sob a norma Euro 3 (vigente até então) se encerra em dezembro. Até março, quando os produtos ainda poderão ser passados para frente, a marca prevê estoque de, aproximadamente, 400 unidades, dependendo da demanda do mercado.
Um parênteses: hoje, cerca de 80 veículos deixam as linhas de produção da fábrica de São Bernardo diariamente. Em 2012, o portfólio será de 20 modelos e 40 versões - entre microônibus, ônibus convencionais e articulados.
Questionado sobre um possível aquecimento do mercado com os recentes lançamentos, o presidente da marca da estrela de três pontas diz que é difícil precisar número exato. "Em outros mercados, houve interesse na pré-compra, esperamos que o mesmo aconteça no Brasil e América Latina."
Os preços dos novos veículos não foram divulgados, mas, "acredita-se numa margem de aumento entre 8% e 15%", aponta Ricardo Silva, vice-presidente de ônibus América Latina da Mercedes-Benz.


0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960