Em Uberaba, Mudanças em horários dos ônibus não agradam trabalhadores

sábado, 20 de agosto de 2011

Funcionários das empresas instaladas no Distrito Industrial I reclamam do serviço de transporte coletivo. Após mudanças nas linhas de ônibus, muitos não conseguem chegar no horário do expediente, além de encontrarem veículos lotados. Entretanto, a secretaria de Planejamento diz que reestruturou o serviço conforme estudo de demanda para o local.

Um dos que reclama da situação é Wilson Cruz. Ele comenta que os horários de parada dos ônibus coletivos não atendem aos trabalhadores, além da linha que passa pelo bairro Alfredo Freire ter sido extinta, restando apenas uma que percorre o Distrito Industrial I.

No entanto, o diretor do departamento de Operação e Fiscalização do Transporte Coletivo da Seplan, Claudinei Nunes, explica que no Distrito Industrial passam a linha 21 (Alfredo Freire via Distrito Industrial), com 35 horários e a 23 (praça Rui Barbosa/Distrito Industrial II – via Distrito Industrial I) com 13 horários, totalizando 48.

Nunes ressalta que não há necessidade de colocar outras linhas, nem aumentar horários. “Entradas e saídas de funcionários das fábricas não são concomitantes e a intenção com esses 48 horários é atender às demandas do Distrito Industrial I.”

Entretanto, havendo necessidade, o responsável pela fábrica pode entrar em contato com a Seplan, solicitando o ajuste de horários, comenta Nunes. Outros fatores que também prejudicam o serviço de transporte coletivo são as obras do projeto Água Viva e as interdições para substituição de cabeamento da Cemig. “Na terça-feira houve atraso de cerca de 25 minutos nas linhas e os usuários devem ter paciência, pois isso tudo prejudica o transporte coletivo”, conclui.



0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960