Rio de Janeiro: Bilhete Único Carioca poderá também ser usado em trem, metrô e barca

sábado, 11 de setembro de 2010


No dia 30 de novembro, um mês depois de o Bilhete Único Carioca (R$ 2,40 por duas horas) ser implantado nos ônibus municipais do Rio, terá início a integração dos coletivos da cidade com o metrô, os trens e as barcas. A informação é do presidente do Rio Ônibus (sindicato que reúne as empresas da capital), Lélis Teixeira. Até lá, serão feitos os acertos entre o governo do estado e a prefeitura, para estipular os preços das tarifas de integração.

Outra novidade anunciada por Lélis é que quem já tem bilhete único intermunicipal (cerca de 1,2 milhão de usuários) ou vale-transporte (700 mil na capital) não precisará se cadastrar para usufruir dos benefícios do Bilhete Único Carioca. Mais que isso: a partir de 30 de outubro, poderá utilizar seus cartões também nos ônibus municipais. O mesmo vale para os futuros portadores de bilhetes municipais, que poderão usá-los em linhas intermunicipais. Só que, neste caso, pagarão R$ 4,40 para embarcar em dois meios de transporte num intervalo de até duas horas e meia entre a passagem pelas catracas.

- O produto será o mesmo. Só com uma roupa diferente - explica Lélis. - Os usuários poderão ter um só cartão, intermunicipal, municipal ou vale-transporte. Será um cartão por CPF.

Opine: Você está tendo problemas para usar o bilhete único intermunicipal?

Um cartão por CPF, para quem não tem

Como os intermunicipais, os cartões municipais serão confeccionados pela RioCard. Diretor-executivo de negócios da empresa, Edmundo Fornasari, informa que os interessados no Bilhete Único Carioca deverão cadastrar seu CPF. A partir de 10 de outubro isto poderá ser feito pela internet (possivelmente através do site wwwriobilheteunico.com.br ) ou num dos sete postos que serão criados, na Central, no Largo da Carioca, em Copacabana, em Campo Grande, em Bangu, na Barra (Terminal Alvorada) e em Madureira.

- Quem fizer o cadastramento pela internet, receberá o cartão pelos Correios. A vantagem é que poderá acessar o sistema 24 horas. Ao receber o cartão, deverá desbloqueá-lo, pelo site ou por telefone - esclarece Fornasari. - Nos postos de atendimento, o usuário se cadastra e recebe o bilhete na hora.

Para carregar o bilhete, uma opção é usar a internet, imprimir um boleto e pagá-lo em qualquer banco. Há ainda a possibilidade de carregar os bilhetes numa das 12 lojas do Rio Ônibus.

Com a integração de todos os modais em 30 de novembro, será possível um passageiro, usando um único cartão, se beneficiar das vantagens dos bilhetes intermunicipal e municipal embarcando em quatro veículos. Ele poderá, por exemplo, em duas horas e meia, pegar um ônibus de Maricá para o Centro, do Centro para Copacabana (R$ 4,40), de Copacabana para para o Leblon, e do Leblon para São Conrado (R$ 2,40).

Está prevista para o dia 17 a assinatura do contrato da prefeitura com os consórcios vencedores da licitação para o transporte por ônibus da cidade. Os consórcios Internorte, Intersul, Transcarioca e Santa Cruz, porém, assumem a operação do sistema em 30 de outubro, data em que o Bilhete Único Carioca começa a valer.

- O bilhete do Rio é diferente do de São Paulo e do de Belo Horizonte. Aqui as empresas não receberão subsídios e precisarão reduzir seus custos. Como não haverá concorrência, uma forma de diminuir custos é através da racionalização. Ou seja, retirando veículos onde eles estão em excesso, na Zona Sul, e colocando mais onde faltam coletivos, na Zona Oeste. Acredito que, logo no início da implantação do bilhete único municipal, já comece a racionalização dos ônibus - prevê Lélis.

fonte: O Globo

READ MORE - Rio de Janeiro: Bilhete Único Carioca poderá também ser usado em trem, metrô e barca

Rio de Janeiro: Ônibus: passageiros sofrem com novos pontos no Centro


Passageiros de dez linhas de ônibus que faziam ponto final na Praça Tiradentes, no Centro, encontraram uma armadilha na nova parada, transferida, nesta quarta-feira, para a Praça da República, no lado ímpar da pista junto ao Campo de Santana, no mesmo bairro. Pelo menos sete placas que indicavam os itinerários estavam cobertas com sacos pretos, confundindo os usuários.

A mudança faz parte do plano da subprefeitura do Centro para a urbanização da Praça Tiradentes e prevê ainda a mudança de lugar de sinais, proibição de estacionamento no entorno da praça, alargamento da calçada e mudança de iluminação. A previsão de conclusão da revitalização é março do ano que vem.

- Faz mais de 15 minutos que estou procurando o ponto do meu ônibus (334, Praça da República-Cordovil). Andei até a Praça Tiradentes e lá me informaram que era aqui. Mas não consigo saber onde é a parada porque as placas estão cobertas e ninguém sabe informar - lamentou a aposentada Vanda Lúcia Monteiro.

Subprefeito diz que confusão é normal no início
O subprefeito Thiago Barcellos disse ser normal um pouco de confusão entre os usuários na primeira semana da alteração no ponto final. Ele falou que estão previstas coberturas para abrigar os passageiros e garantiu que os equipamentos não vão atrapalhar a passagem dos pedestres, apesar de a calçada ser estreita no local:

- Acredito que será necessário um prazo de dez dias para que as pessoas se acostumem com a alteração. Fizemos um acordo com as empresas de ônibus para nos ajudarem na orientação dos passageiros.

Questionado sobre os plásticos sobre as placas e a ausências de fiscais para orientar os passageiros, o subprefeito respondeu que já tinha solicitado a retirada dos plásticos e que os fiscais orientaram os usuários pela manhã e retornariam no começo da tarde.

A Rio Ônibus informou que foram transferidas para o novo ponto final as seguintes linhas: 284 (Praça da República-Praça Seca), 313 (Penha-Praça da República), 334 e 335 (Praça da República-Madureira), 343 (Cordovil-Praça da República), 355 (Praça da República-Madureira) 372 e 373 (Pavuna-Passeio), 383 (Tiradentes-Realengo) e 391 (Carioca-Padre Miguel).

Fonte: O Globo

READ MORE - Rio de Janeiro: Ônibus: passageiros sofrem com novos pontos no Centro

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960